História Vizinhos (Interativa) - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinato, Assassino, Vizinhos
Exibições 33
Palavras 1.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, FemmeSlash, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OIEEEEEE <33333
Estavam com saudades?
Então, este capítulo está bem pequeno, mas acontece que na minha programação de capítulos esse capítulo precisava existir, mas ele me deu um bloqueio danado. Fora que eu tinha ido para casa de uma prima que não tinha net e isso desregulou de novo meu postar de caps :c
TENTEMOS VOLTAR AO RITMO, IRMÃOS \Õ

Capítulo 36 - Onde está Charlotte?


Domingo – 9 de Junho

P.O.V Ariel Partyk

Após Charlotte ter retirado-se do cômodo abruptamente um clima fúnebre instalou-se e nenhum de nós ousou falar. Jhon está mexendo em seu cabelo negro e olhando para um espaço vazio do apartamento, Angel sentou-se no sofá e apoiou os cotovelos no joelho e as mãos depositou em seu rosto e Nacyr sentou-se ao seu lado, parecendo estar imerso em pensamentos.

Já eu ainda estou em pé, assim como Jhon, refletindo o porquê de não nós mexermos e irmos procurar Charlotte; afinal, o que estávamos fazendo? Esperando ela voltar? Mas e se ela estivesse em perigo? Digo, não podemos deixar de lado o fato de um assassino, que agora é quase certeza que é uma de nós, está rondando por aí.

— Já chega! — saio do apartamento sem dar satisfações — apesar de que ninguém deu muita atenção à minha saída, pelo menos não no momento — e determino-me à procurar Charlotte. Decerto eu não deveria estar andando por aí sozinha, mas é fato de que essa regra já foi quebrada por pelo menos duas pessoas, e uma delas é Charlotte.

Assim que abro a porta que dá acesso às escadas reflito se vou para o primeiro andar ou para o terceiro; na realidade o Christian e o Matthew estão no primeiro andar, então certamente eles iriam cuidar de Charlotte se ela estivesse por lá. 

Dito isto decido ir para o terceiro andar, cujo parece o mais suspeito, apesar de que Faisy está com seu grupo lá. Quem sabe depois eu vou ver o primeiro andar. 

Conforme subia as escadas notei algo meio estranho: as garotas que deveriam estar fazendo a vigia não estavam por lá; será que estavam no primeiro andar? Se fosse o caso Charlotte estaria realmente muito protegida e teria sido muito vista, provável que estivesse segura e eu estou preocupando-me atoa. Porém foi péssimo da parte dela sair sem sequer dizer uma palavra.

Abro a porta para o terceiro andar e vou diretamente para o apartamento seis, onde vejo um movimento maior de pessoas. Quando chega no recinto vejo Faisy observando Yong tomar uma sopa que parecia água pura — digamos que ela nunca foi uma boa cozinheira —, Demian andando de um lado para o outro sem rumo e Lindsay sentada no sofá, com os olhos fechados, entretanto ela não parecia estar dormindo. 

O primeiro pensamento que me ocorreu foi: o que Lindsay fazia ali? Ela não devia estar vigiando junto com Lunna e Alice? Estava prestes à perguntar isso para ela quando vejo uma quinta figura surgir no cômodo e dizer:

— Ariel...?

Olho para o lado e vejo Matthew. Não posso conter meu espanto e dou um pulo para trás; percebe-se que não foi só eu que rondei sozinha os andares, ou melhor, que sai do meu posto para fazer outra coisa totalmente aleatória.

— É este o seu nome não, é? — ele arrumou seu cabelo com a mão. 

— Sim, é Ariel — confirmo.

— Você parecia tão chocada que por um momento pensei ter errado ele — riu nervosamente.

— Anh, não foi isso, é só que eu achei que você estaria lá embaixo com o Christian.

— Eu estava, mas fiquei imensamente preocupado com Yong mi — diz. — Ela é como parte da minha família e eu não consigo deixar de ficar aflito com ela nesse estado.

— Como você é dramático — Yong revirou os olhos e bebericou sua sopa. — Eu estou bem, Faisy é uma cuidadora de mão cheia.

— Só me sinto bem enquanto estiver vendo com meus próprios olhos que você está bem — impõe.

— Vocês parecem mesmo mãe e filho — rio baixinho. — Mas não é ruim você deixar o Christian sozinho Matthew? Sem querer ser chata...

— Ele consegue se virar sozinho — Matthew deu de ombros. — Sempre conseguiu nos anos que moramos juntos, então — e completou: — E seu grupo, onde está? Por que veio aqui?

— Estou procurando Charlotte, ela saiu correndo sem dizer nada à um bom tempo — explico. — Achei que ela pudesse estar aqui, será que não foi para o apartamento ao lado?

— Para o meu apartamento? — indaga Matthew. — Não faz sentido ela ir para lá.

— Realmente, desculpe — desculpo-me por meu equívoco ou burrice. Hanao, a possível morta, sempre dizia-me que eu era uma pessoa equivocada no que dizia; muitas vezes eu não "filtrava" as palavras que ia dizer à seguir e isso causava uma série de conflitos entre mim e as pessoas. Inclusive a maioria de nossas brigas dava-se devido à isso. — Irei procurar no primeiro andar e ver se acho algo.

— Não é bom andar por aí sozinha — diz Faisy. — Já que se separou do seu grupo fique conosco. 

— Acho que isso não seria muito certo — falo. — Afinal, o que estão fazendo parados? O objetivo não era vasculhar o andar?

— Sim, era, mas Yong Mi está muito restrita — responde a garota.

— Vocês todos é que são exagerados — diz Yong. — Eu não estou tão mal quanto vocês dizem, do jeito que falam parece que eu estou prestes à morrer.

Nesse momento Lindsay levanta-se subitamente e olha para mim. Eu simplesmente não consigo ir com a cara dessa pessoa, e não só pelo fato dela ter acusado um de nós de ser o assassino, apesar de que isso pode muito bem ser uma verdade agora.

— Eu acho que Ariel está certa e cada qual deve voltar para o seu grupo — diz. — Alice e Lunna devem estar dando duro na ronda e eu aqui sem fazer nada, só descansando no sofá.

Caminhou até mim e colocou a mão em meu ombro antes que eu pudesse desviar. 

— Nós iremos descer — virou-se para Matthew e disse: — Vai ficar com a Yong ou voltar conosco? — Lindsay era alguém eficiente quando algo à interessava, pelo menos é o que eu pude constatar até agora.

— Eu irei também, mas volto mais tarde — e encarou Yong. — Não faça nada imprudente! — exclama. 

— Certo, certo — fez pouco caso e sinalizou um gesto para Matthew ir logo.

E em poucos minutos estávamos descendo as escadas — com Lindsay ficando no seu posto do terceiro andar. Eu pensei em ir no primeiro andar procurar a Charlotte, porém Matthew prometeu-me que iria procurar por ela e avisar-me o mais rápido que pudesse se ela estava ou não lá. Sobretudo ela tinha que estar lá, onde mais estaria?

Enfim, só posso esperar.
 


Notas Finais


Por que será que Say movimentou tanto Ariel para descer? ¬U¬ Obviamente é a hora de informar o Christian sobre a Alice jogada na br do banheiro (-q)
Mas imagina se ela topa com a Lunna e tem que conversar com ela diretamente? LUNNA VAI COMEÇAR UM INTERROGATÓRIO NÍVEL FBI
E IMAGINA SE O MATTHEW PERCEBE QUE A ALICE NÃO ESTÁ LÁ -Q COMO A SAY DISSE QUE ESTARIA
E como Christian irá inventar uma desculpa boa para Matthew deixar saí-lo sem mais nem menos? apesar de que pode não ser tão difícil
As coisas estão complicadas para nossos vilões.
Até o próximo capítulo \õ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...