História Você é a minha luz. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Dramione, Romance
Exibições 78
Palavras 1.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


gente talvez no ultimo capitulo tenha ficado meio ofensivo o negocio da petúnia mais eu não quiz ofender e lendo esse capitulo isso vai ficar bem claro.

Capítulo 3 - Hogwarts


Pov Hermione

Depois da conversa com meus pais eu subi para o quarto pegar os livros para ir para a escola, depois que terminei de pegar os livros fui descendo as escadas até ouvir a buzina do carro.

-Já vou pai. – falei e saindo de dentro de casa para entrar no carro.

-Demorou querida. – minha mãe falou enquanto botava o sinto.

-Desculpe fui pegar os livros e resolvi passar um pouco de maquiagem. – falei e meu pai e meu irmão se olharam.

-Mulheres. – os dois falaram ao mesmo tempo.

-O que foi porque falaram isso? – minha mãe perguntou.

-Vocês mulheres nunca sai em de casa sem se arrumar. – meu irmão falou.

-Ta bem. – minha mãe falou e meu pai ligou o carro e começo a andar.

-Mãe? – chamei.

-Sim querida? – ela respondeu.

-Porque a tia petúnia não denuncia o tio Valter? – por algum motivo eu queria saber a resposta daquela pergunta.

-Quando seu primo Duda nasceu ela disse que não poderia denunciar o Valter por que o filho precisava de um pai mais depois ela começou a dar outras desculpas mais só tem uma  razão. – ela falou.

-Qual razão? – perguntei.

-Se ela largá-lo ela vai ter que conviver sabendo que enquanto todos da família diziam que o Valter não era do bem ela sempre o defendia e ela sabe que se largá-lo todos vão dizer que ela estava errada então ela prefere viver tentando fazer ele parar do que tiver que conviver sabendo que todos estavam certos e ela errada. – terminou suspirando.

-Pai o que aconteceu com seus amigos? – perguntei para tirar o clima tenso que havia se estalado.

-Sirius é o padrinho de Harry e mora aqui em Hogsmead, Remo também mora aqui com a esposa e o filho já Pedro eu não gosto muito de falar dele. – meu pai falou e eu me liguei.

- Sirius e Remo são almofadinhas e aluado. – falei já que toda vez que estava com eles, eles só se chamavam por esses apelidos.

-Sim, esses eram nossos apelidos na adolescência e acabamos levando para a vida adulta. – falou sorrindo.

-Mãe como foram seus anos em Hogwarts? – Harry perguntou.

-Maravilhosos, os professores são excelentes as aulas são muito legais...

 -E as garotas são muito gata... Ai Lily. – meu pai falou reclamando do beliscão forte que minha mãe lhe deu.

-James Potter você não vai fazer do nosso filho um mulherengo entendeu. – ela falou gritando.

-Mãe não se preocupe do jeito que Harry é feio nem a garota mais feia da escola vai querer algo com ele. – Falei rindo.

-Ei eu não sou feio. – Harry falou vindo me estapear.

-É sim! – falei estapeando ele também.

E assim começou uma briga entre mim e Harry e nossa Mãe brigando com nosso pai.

-Crianças chegamos! – meu pai falou estacionando o carro.

-Até que enfim.. – perdi a fala ao descer do carro e ter a vista perfeita de um enorme castelo –é aqui que a gente vai estudar?

-Eu falei que era um castelo. – meu pai falou e sorriu. – então crianças a aula acaba as 17:00 então estaremos aqui para buscá-los se não pudermos mandaremos alguém lhes buscar entendido? – ele falou.

-Sim senhor! – falamos juntos.

-São crianças não soldados querido! – minha mãe falou vindo nos abraçar.

-Mãe nos temos 17 anos. – Harry falou cansado do jeito que nossa mãe nos tratava.

-Não importa para mim vocês serão sempre meus bebes.

-Exagerada. – falei rindo.

-Agora vão vocês tem que ir a diretoria para saber onde fica a sala de vocês.

-Tudo bem tchau mãe e pai. – falei me despedindo dos dois e comecei a caminhar com Harry ao meu lado.

-Estou ansioso e você? – Harry perguntou.

-Muito, você vai sentir falta da antiga escola?

-Não muito e você?

-Nem um pouco. – eu falo e suspiro.

-É por causa dos olhares não é? – ele perguntou e eu assenti.

-Lá na escola todos sabiam o que aconteceu comigo por isso todos me olhavam com olhares de pena e isso me irritava muito. – falei.

-Eu sei como é. – ele falou.

-Sabe?

-Sim, todos os meus amigos sempre perguntavam como era viver com uma garota que foi estuprada. – falou olhando para o lado.

-Sério? – perguntei já que Harry nunca falou isso.

-É verdade ás vezes alguns amigos meus me perguntavam se você me deixava te tocar, perguntavam se você tinha pesadelos etc.. – comecei a rir e Harry também.

-Porque eles nunca vieram falar comigo? – perguntei.

-Eles diziam que tinham medo de você não reagir bem e brigar com eles. – ele falou e suspirou.

-Vamos mudar de assunto? – perguntei.

-Sim. – ele falou e um assunto veio a minha cabeça.

-Harry o que você pensa em relação à tia petúnia? – perguntei já que por algum motivo aquele assunto permanecia em minha cabeça.

-Sinceramente. – ele fez uma pausa – eu sempre suspeitei que isso acontecia. – ele falou me surpreendendo.

-Como? – perguntei.

-Você vê o jeito que tia petúnia me trata?

-Sim, quando a conheci ela te abraçou  e te chamou fofucho. – falei rindo.

-Sim ela sempre foi assim comigo e quando eu tinha 9 anos nossos pais viajaram para outro pais e minha tia praticamente implorou para que eu ficasse com ela nossa mãe no começo negou porque causa do tio Valter na época eu achei que fosse por que nosso pai e o tio Valter se odiavam mais depois eu vi porque, quando eu fui para a casa da tia petúnia eu e Duda ficamos brincando um monte e até tia petúnia parecia feliz ..- eu lembrei do nosso primo e ri já que o mesmo era muito hilário. – só que quando nosso tio chegou do trabalho tia petúnia pegou dois pratos que tinha o jantar e nos mandou para o quarto quando nós chegamos lá ela trancou a porta e eu fiquei lá parado até que resolvi perguntar a Duda o que aconteceu e ele falou que isso acontecia todas as noites depois de um tempo eu resolvi ir dormir já que Duda já estava roncando e quando estava pegando no sono ouvi barulho de coisas quebrando e tio Valter gritando só que eu acabei dormindo e só acordei quando tia petúnia destrancou a porta e veio dar um beijo em nós dois quando ela chegou perto de mim eu vi que seu olho estava roxo e no outro dia o olho dela parecia estar melhor já que quase não tinha roxo e então eu deixei o assunto para lá eu só suspeitei quando ela foi entregar o prato para tio Valter e vi que ela êxito e tinha medo em seu olhar foi só ligar os pontos depois nem foi tanto difícil. – ele terminou de falar.

-Sinto pena dela. – falei com sinceridade.

-Eu também. – falou parando em frente a uma estatua que do lado tinha uma escada e dizia diretoria.

Depois que fomos a diretoria a vice-diretora minerva nos entregou o horário e nos levou até nossa sala.

-Vamos lá. – falei cochichando para Harry a vice-diretora bateu na porta e anunciou ao professor a nossa entrada depois entramos e vi todos na aula nos olharem  mais só reparei num par de olhos azuis que me olhavam fixamente.

-Alunos esses são Hermione e Harry Potter. – falou a professora e o professor um homem que estava vestido de preto e parecia um morcego nos olhou com os olhos um pouco arregalados.

-Potter? – perguntou o professor olhando para nós.

-Sim  professor snape filhos de James e Lily. – falou a vice-diretora. – se me dão licença eu irei me retirar. – ela falou e saiu.

-Então vocês querem se apresentar? – falou o professor.

-Porque não. – falou Harry. – Eu sou Harry Potter tenho 17 anos e vim de Londres para cá com meus pais e minha irmã. – falou Harry.

-Eu sou Hermione Potter tenho 17 anos e vim de Londres para cá com meus pais e meu irmão. – falei praticamente a mesma coisa que Harry.

-Vocês são gêmeos? – um aluno perguntou.

-Não. – eu e Harry respondemos juntos.

-Mais vocês tem a mesma idade. – dessa vez o professor falou.

-Eu sou adotada. – falei.

-Pois bem vão para seus lugares. – professor falou e eu e Harry fomos sentar.

O resto da aula foi tranqüila por mais que eu percebesse que de vez em quando certos olhos azuis me olhavam  quando o sinal para o recreio tocou eu me levantei e murmurei para mim mesma.

-Que o dia comece.

 

 


Notas Finais


espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...