História Você e Eu - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Yaoi
Exibições 35
Palavras 1.679
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Musical (Songfic), Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá! Essa é minha primeira one-shot ,sempre quis fazer uma,mas sempre algo me impedia...

Quis criar algo meio romântico com uma pitada básica de humor,por favor digam se consegui,okay?! ^^

Usei parte da música do Shawn Mendes,Life of the party .
Vou parar de enrolar vocês !

Boa leitura ♥!!!

Capítulo 1 - Todos os lados.


Todos os lados

  Você já sentiu isto?
  Como se sua vida dependesse de uma única pessoa ? Eu sinto.

  Brotam borboletas no meu estômago, penso que posso vomitar nos tênis dele. Minhas mãos suam e tenho a impressão de que minhas axilas criaram dedos. E o sorriso? Ai,aquele sorriso imbecil que faz com que eu pareça uma pessoa que comeu um brownie com drogas do livro As vantagens de ser invisível ou um biscoito de Eu,você e a garota que vai morrer ,perco a coordenação motora e o olho como se fosse um Deus grego. Poseidon ,é claro!

  Mas faz parte, porque se você aceita se deixar levar pelo amor, você terá que concordar ser um completo,total e absoluto idiota!

  Contudo, o que vem depois compensa todo o resto. Certo, mas o que vem depois? Deixa que eu respondo!

  Amar e ser correspondido é a maior felicidade que uma pessoa pode conseguir;

  • Ter alguém para beijar quando você quiser;

  • Dormir de conchinha;

  • Uma pessoa para te apoiar quando ninguém mais quer fazer isto;

  • Ser aceito e aceitar...

  São muitas coisas,e só sentido para saber e compreender.

  E nesse exato momento eu estou sentindo os sintomas da idiotice, digo, amor,em seu estágio mais avançado : Estar perto e não poder encostar.

  Ele está ali; lindo,charmoso e tesudo me esperando com sua cara de " não estou nem aí ". E os carros continuam passando sem parar. É tão maravilhoso quando você está ansioso e o sinal não fecha para você ir fazer o que quer! Sim,senhor, estou usando da ironia! As pessoas que me conhecem não pensam que eu penso em ironias , mas eu também não tenho certeza se elas não pensam que eu penso. É confuso, eu sei.

  — Bom dia! - desejei lhe dando um abraço. Noah acariciou meus cabelos brancos tingidos ,com o cigarro entre os lábios róseos e finos.

  — O que tem de bom nele ? - indagou, suspirando enquanto fitava o céu sem muito interesse.

  — Você. - retruquei com aquele sorriso imbecil que mencionei antes.

  Ele riu rouco , fazendo seus cabelos castanhos na altura dos ombros,caírem no seu rosto belo. Noah se inclinou até meu ouvido e sussurrou :

  — Eu não acho. - mordiscou  a minha orelha , e o meu brinco e meu piercing dele se chocaram enquanto ele brincava. - Vamos. - puxou-me pela mão.

  Caminhamos pelo pátio do colégio ,o sinal já tinha batido e ele estava quase vazio. Noah soltou a fumaça pela boca, criando nuvens no ar.

  — Sabe, acho que você deveria parar de fumar. Eles põe cada coisa nisso...

  — Já tivemos uma conversa assim. - me interrompeu, sério. Ele não gosta que eu fale sobre isso, mas eu não posso vê-lo se matar em silêncio. Amar não é pensar no bem estar do outro?

  — Mas... - comecei,aflito. - Você vai acabar se matando,Noah.

  No momento em que ele soltou a minha mão eu soube que tudo ia dar errado.

  — Okay , estamos juntos,mas isso não dá nenhum direito a você de querer me mudar ! - exclamou, marchando corredor a dentro. O violão costumeiro balançava em seu ombro,enquanto o perdia de vista.

  Essa é uma das partes ruins:

  Discordâncias acompanhadas de discussões.

  Segui cabisbaixo para a minha sala de aula. Estou me sentindo destruído.

  — Com licença,profesor. Posso entrar? - interrompida a aula. O professor me deixou assistir sua aula e eu me sentei no lugar de sempre.

  Não,eu não vou procurá-lo com lágrimas nos meus olhos verdes , implorar para que ele me perdoe por tentar ajudá-lo e lamber o chão antes que ele pise, o que seria estupidez,já que eu posso dar uns amassados nele e...E...E eu odeio amar o Noah, pois eu quero ele para mim agora da mesma forma que não quero.

  Você viu como eu iniciei o meu dia radiante e fiquei deprimido e tudo por uma única pessoa? O amor é uma montanha russa, quando você está lá em cima do nada começa a gritar enquanto despenca. É lindo!

  — Sr. Wolf! - o professor de história me chamou,e tive a impressão de que não era a primeira vez. - Cite uma obra de literatura e outra de arte,inspiradas na Guerra Civil Espanhola.

  — Por quem os sinos dobram, de Ernest Hemingway. E Guernica, de Pablo Picasso. - respondi, e fiquei satisfeito quando o professor sorriu e me parabenizou. Eu realmente gosto de história.

  Essa breve intervenção me deu a direção certa. Já sei o que fazer com o Noah. Não,não vou começar uma guerra para testar armas e tão pouco destruir uma cidade para comemorar meu aniversário. Porque não sou Hitler nem Mussolini, e meu aniversário é em dezembro.

  O sinal tocou anunciando o intervalo. Eu não estava com fome, então, segui para onde eu sabia que ele estaria : no nosso cantinho.

  Era um terreno atrás do colégio,onde costumava ter uma horta. Um portãozinho o isolava, mas era fácil de pular, e foi o que fiz. Logo, já estava atrás da árvore que costumávamos ficar após as aulas. O encontrei ali. Ele dedilhava o violão, murmurando algumas palavras e as anotando em um caderno. Estava compondo.

  Fiquei ali, observando seus movimentos, hipnotizado, sob efeito da síndrome da idiotice aguda mais uma vez. Mas cometi o descuido de pisar em um galhinho caído perto das raízes.

  — Quem está aí ? - Noah indagou irritado por ser interrompido.

  — Desculpa. Eu volto depois. - falei, dando-lhe as costas.

  — Não,vem cá. Fica comigo, Harry. - pediu com o jeitinho que só ele tem.

- Tem certeza?

   — Claro! Nunca estive tão certo. Vem. - estendeu-me a mão, a peguei e el me fez sentar em seu colo. Sente a emoção; ele deixou o violão de lado para ficar comigo. Não pense que é pouca coisa, okay?! Somos um casal brigado!

  — O que você está escrevendo? - fiz menção de pegar o caderno e ele não deixou. - O que foi? É algo erótico,Noah?

  —Não. - ele riu um pouco e continuou. - Sabe, Harry, me senti mal por mais cedo. - me abraçou pela cintura. - Fui injusto com você.

  — Hum...- murmurei para que continuasse.

  — É difícil parar. Eu nunca tentei,mas sei que é.

  — É por isso que estou aqui,para te ajudar! - acariciei seu rosto macio,o olhando no fundo dos olhos. - Eu tento parar com alguma coisa...

  — Café! Você é viciado em café! - apontou,sugerindo.

  — Eu não sou viciado em café! - neguei, mas perdi toda a minha eloquência para aqueles olhos azulados. - Tudo bem, eu paro com o café e você com o cigarro.Certo?

  — Certo. - concordou,fazendo careta.

  Me inclinei para beijá-lo. No início foi um leve encostar de lábios,que se aprofundou para um beijo mais envolvente. Eu adoro o piercing dele. É meio gélido e a boca dele quente,excitante demais. Nos separamos depois, totalmente ofegantes. Não sei quem inventou esse negócio de respirar!

  — Mas o que é isso, Noah? - tentei pegar o caderno e ele me impediu.

  — Você não pode ver. É uma música que estou fazendo para você. - encarou o chão,corado.

  — Que gracinha! - o apertei. - Canta para mim. - pedi,manhoso.

  — Não está terminada.

  — E o que tem? Canta,Noah. - o beijei de novo. - Vai, amor!

  — Okay.

  Me deitei na frente dele para observá-lo. Ele pegou o violão, começando a tocar em um ritmo cadenciado,e sua voz o acompanhou maravilhosamente.

   Life of the party - Centro das atenções

  " I love it when you just don't care
   ( Eu adoro quando você simplesmente não se importa)

    I love it when you dance like there's nobody there
    (Eu adoro quando você dança como se não houvesse ninguém por perto)

    So when it gets hard,don't be afraid
   ( Então,quando ficar difícil,não tenha medo)

    We don't care what them people say
   ( Não nos importamos com o que essas pessoas dizem )

   I love it when you don't take no
   ( Eu adoro quando você não aceita um "não")

   I love it when you do what you want cause you just said so
   ( Eu adoro quando você faz o que quer porque falou )

   Let them all go home,se out late
   ( Então,deixe todos irem para casa,ficamos fora até tarde)

   We don't care what them people say
   ( Não nos importamos com o que essas pessoas dizem)

  We don't have  to be ordinary
   ( Nós não temos que ser comuns)

   Make you best mistakes
   (Cometa seus melhores erros)

   'Cause se don't have the time to be sorry
   ( Porque não temos tempo para lamentar)

   So,baby,be the life of the party
   ( Então,baby,seja o centro das atenções)

   I'am telling you,to take you shot it might be scary
   ( Estou te dizendo para se arriscar,pode ser assustador )

   Hearts are gonna brake
   ( Corações vão ser partidos)

   'Cause we don't have the time to be sorry
    ( Porque não temos tempo para lamentar )

   So ,baby,be the life of the party
   ( Então,baby,seja o centro das atenções)

   Together you can just let go
   ( Juntos podemos apenas deixar para )

   Pretend like there's no one else here that you know
   ( Fingir que não ninguém aqui que conhecemos)

   Slow dance fall in love as the club traço plays
   (Dance lentamente,apaixone-se enquanto a música da balada toca

   We don't care what them people say
   (Não nos importamos com o que dizem)

   […]   "

   Quando ele abriu os orbes claros, vi que estava envergonhado. Aplaudi,entusiasmado, e ele fez uma breve mesura.

  — Tem certeza de que não terminou? - perguntei, engatinhando até ele. Mordi de leve a bochecha rosada dele.- Eu te amo! - passei meus braços envolta de seu pescoço. - Você me ama?

  — O que você acha? - me beijou.

  — Não tenho tanta certeza,sabe? Me convença. - ordenei.

   Ele me deitou devagar no chão. As mãos ficaram inquietas.

   — Aqui?

   — Aqui. - confirmou minhas suspeitas.

   E essa é uma das partes boas:

   •Reconciliação seguida de depravações pecaminosas.

   E eu quero dizer,que mesmo que sua vida pareça só espinhos,ela têm o encanto das pétalas e o perfume das flores.

   — Noah! - o repreendido. - Aí não!


Notas Finais


Ontem fiquei muito tempo sem tomar café e fiquei morrendo de dor de cabeça,bebi um pouco e melhorei .É vicio! Mas café é tão boooooooooommmmmm!!!!

Prometo revisar o capítulo assim que der.

O que vocês acharam da história e da música?????
Dêem suas opiniões e façam meu dia mais feliz!

Muitíssimo obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...