História Você é meu sonho - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boyfriend
Personagens Donghyun, Hyunseong, Jeongmin, Kwangmin, Minwoo, Youngmin
Tags Drama, Minwoo, Romance
Visualizações 7
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello pessoas!!!

Capítulo 8 - Sorriso


Fanfic / Fanfiction Você é meu sonho - Capítulo 8 - Sorriso

SORRISO

 

*Anne

 

     Vi quando Minwoo abraçou Maya e isso me deixou feliz, eu gostaria muito que minha amiga saísse desse castelo que ela mesma construiu para se proteger, mas, na hora em que pensei que fosse dar certo Maya saiu correndo e entrou em um estúdio de gravação, fui atrás dela fechando a porta depois que entrei.

 

- você deveria fechar a porta. – comentei, encostando na mesa de som.

 

- como sabia que eu entrei aqui? – ela mantinha os olhos fechados.

 

- eu vi o Minwoo te abraçando.

 

- estava de olho em mim? – ela suspirava rápido.

 

- eu precisava. Maya, você não acha que já está na hora de voltar a viver?

 

- eu estou vivendo Ann...

 

- isso não é viver garota, você não ama e nem sorri mais...

 

- Anne, você mais que qualquer outro, sabe que não posso esta com ninguém. Não daria certo... eu deixei Minwoo me abraçar agora pois queria senti-lo e o que aconteceu? Passei mal, se ele não soubesse me acalmar o que eu teria feito á ele? Desde que conheci os garotos só trago problemas e será assim com qualquer outro.

 

- só será assim se você continuar pensando desse jeito Maya, as coisas podem mudar... você pode se permitir amar de novo, só depende de você mesma. – a olhei e depois sai da sala a deixando sozinha com seus pensamentos. Voltei para a sala de treino e Minwoo ainda estava sozinho sentando no chão.

 

- Anne? – ele me olhou triste.

 

- não se preocupe, ela vai ceder por também gostar de você.

 

- e como pode ter tanta certeza?

 

- não esqueça que eu sou a melhor amiga dela, á conheço melhor que qualquer outro. – ele continuou me encarando até que os outros entraram.

 

- o que esta acontecendo? Onde Maya está? – perguntou Dong.

 

- ela já volta, enquanto isso, vamos começar nossas partes. – respondi e todos concordaram.

 

     Começamos a primeira música e não demorou para Maya voltar a sala, parecia esta mais tranquila, contudo, não se aproximava do Minwoo à não ser quando era necessário, eu via que ele se sentia mal, porem, não demonstrava mas eu tinha certeza de que essa situação mudaria. Quando o nosso horário terminou Youngmin pediu para falar a sós comigo.

 

- pode falar! – respondi depois que nos afastamos dos outros.

 

- o que você acha de juntarmos Maya e Minwoo? – ele falou diretamente e eu ri com isso.

 

- estava pensando nisso também, no entanto, temos que ter paciência. Maya não vai se deixar tocar por ninguém. A pessoa que quiser tê-la terá que ama-la de verdade e muito. – eu suspirei pensativa.

 

- desculpa perguntar Anne, mas... o que aconteceu com ela para que ficasse assim? Nunca vi alguém assim em toda minha vida.

 

- Youngmin... quem sabe um dia ela mesma os conte. – suspirei agora o encarando. – na verdade, espero sinceramente que ela possa sair desse casulo em que está agora e ficaria mais feliz ainda se fosse o Minwoo a conseguir isso. – ele me encarou sério, mas, não perguntou mais nada. Depois que fomos pra casa lembrei da cena que vi na sala de ensaio e pedi aos céus com todo o meu coração que aquilo pudesse dar certo.

 

Meses depois

 

*Minwoo

 

          Estava quase tudo pronto e só faltava 3 semanas para a conclusão do estagio das garotas, as coreografias estavam no final, no entanto, nosso maior problema era convencer Maya de dançar a ultima música que, por escolha dos outros tinha sido trocada para uma romântica, a qual, Maya teria que ser tocada por nós.

 

       Anne tinha dito que isso serviria como terapia, para diminuir o medo de Maya a toque. No começo eu não concordei, mas depois, vi que seria de grande ajuda e que valeria a pena no final. Na segunda feira quando decidimos que não mudaria a música e nem a temática da coreografia Maya quase nos mata com o olhar, ela estava com raiva e chateada por todos terem aceitado isso, porém, sabíamos que isso era só uma mascara para encobrir o seu real sentimento: MEDO, pois era isso que ela realmente sentia.

 

- Maya, não há mais tempo então vamos começar logo. Só faltam três semanas para terminarmos tudo isso e logo nos formamos, você vai poder fazer o que quiser sem se preocupar com nosco perto de você. – disse Dong, ela o olhou séria e depois suspirou se dando por vencida.

 

- tudo bem então, vamos nessa.! – eu sorri com a resposta dela, depois de á ter abraçado, ela não se aproximava e mal falava comigo, e essa seria a melhor oportunidade para senti-la novamente.

 

     Anne colocou a música para escutarmos antes e depois começamos a passar os passos lentamente, devagar fomos sincronizando cada parte ás batidas da música e logo chegamos ao refrão, quando olhamos o relógio era hora do almoço.

 

- foi rápido terminar o começo da música. – comentou Kwangmin todo feliz.

 

- verdade, agora vem á parte difícil. – falou Anne.  Seguimos para o refeitório e almoçamos tranquilamente, a chata que estava com o Sistar nunca mais tinha falado com Maya ou lhe irritado o que era uma coisa maravilhosa.

 

- Maya, coma e pare de ficar remexendo a comida no prato. – Anne falou e eu sai dos meus devaneios prestando atenção na morena a minha frente que não queria comer.

 

- não estou com muita fome. – a morena retrucou. 

 

- mas você precisa se alimentar. – eu falei.

 

-vou ficar muito pesada pra dançar depois. – ela continuou.

 

- isso não é desculpa, coma pelo menos um pouco para não passar mal. Não se preocupe com peso, você é pequena e magra então não terá problema nenhum. – sorri um pouco pra ela e ela me encarou. Então me levantei e fui sentar ao seu lado, peguei um pouco da comida dela pedindo para ela abrir a boca, a mesma continuou me encarando. – vamos Maya, você precisa se alimentar. – ela continuava a me encarar e olhar aqueles belos olhos negros estava me dando um delicioso frio na barriga, até que por fim ela abriu a boca deixando que eu desse um pouco de comida a ela, os garotos estavam sérios nos olhando e ela fechou os olhos com força. Sorri ao vê-la mastigar devagar e depois começou a comer com calma, todos sorriram e voltaram a comer e conversar animadamente e eu continuei a observar a pequena se alimentando enquanto também comia ao seu lado, logo voltamos a sala de ensaio e ficamos deitados conversando e digerindo nossa refeição.

 

       Algum tempo depois Maya se aproximou de mim, sentando-se com as pernas cruzadas a minha frente. Continuei deitado com os braços atrás da cabeça e a observei, sem falar nada ela levantou a mão lentamente e passou a ponta do dedo pelo meu braço seguindo em direção ao meu rosto, eu não me mexi com medo de assustá-la.

 

- é macio! – ela comentou e eu continuei a olhando. – não quero ter medo do seu toque... – arregalei os olhos com seu comentário, o que tinha acontecido para ela mudar de ideia assim? Resolvi perguntar.

 

- o que você está pensando? – os meninos continuavam conversando o que me fez perceber que, se eles haviam notado o que estava acontecendo, não nos davam atenção.

 

- a coreografia está ficando perfeita, do jeito que um dia eu sonhei quando era criança. Não quero estragar. – ela continuou passando o dedo pelo meu braço, indo até perto da minha cabeça e depois voltando.

 

- você não irá estragar nada.

 

- e se eu travar quando você me segurar? E se eu desmaiar? – a voz dela era calma, mas, possuía um pouco de medo, devagar, fui saindo da posição em que estava e me sentei em frente a ela.

 

- você não vai, lembre-se da sensação que é dançar, deixe a música te envolver como sempre faz e isso te ajudará a aguentar quando eu lhe tocar. – sorri tentando transmitir confiança.

 

- por que vocês realmente escolheram essa música?

 

- Anne já tinha te explicado, vai servir como terapia. Você não vai poder seguir com sua carreira se continuar assim, imagina quando precisar tocar em alguém? Mesmo como professora? – ela olhou para baixo e seu olhar indicava entendimento.

 

- você vai me ajudar? – essa pergunta foi basicamente um tiro, ela estava pedindo minha ajuda  isso me deixou eufórico.

 

- lógico que sim! – sorri para ela e ao me olhar novamente vi um pequeno sorriso brotar em seus lábios, meu queixo basicamente caiu no mesmo instante. – wow! – pisquei algumas vezes tentando me recuperar, tinha sido pequeno, contudo, foi sim um sorriso, um belo e maroto sorriso. Levantei minha mão vagarosamente e a pousei eu seu rosto fazendo sumir a minha pequena realização. – queria te ver sorrir mais... – ela fechou os olhos e suspirou

 

- quem sabe um dia. – ela se levantou e bateu palmas chamando a atenção de todos. – vamos! Passaremos mais uma vez o começo e depois vamos para o refrão. – todos gritamos “Ok” e fomos para nossas posições.

 

     A sincronia e sintonia que havia entre nós era tão perfeita que não errávamos nem o posicionamento e mesmo com a diferença de altura entre nós e Maya a formação ficava bonita. O refrão seria um circulo formado por Donghyun, Hyunseong, Jeongmin e Kwangmin, este prenderia Anne e Maya e as duas teriam que fugir para encontrar comigo e Young fora.

 

    Assim que a formação fechou as duas se envolveram no que faziam, a saída do circulo foi perfeita e Anne acertou o pulo fazendo Young a girar perfeitamente, Maya por outro lado simplesmente parou e ficou com a cabeça baixa respirando fundo, não me aproximei mantendo minha voz calma para falar com ela.

 

- Maya, está tudo bem! – estiquei o braço para ver se ela me tocaria novamente a mesma me encarou e segurou minha mão, apertando com força. – respira fundo... – ela fez o que eu disse. – quer tentar o pulo? Sem repassar o refrão...

 

- eu não vou conseguir... – ela olhava triste pra mim, parecia querer chorar.

 

- vamos com calma! Você está tocando na minha mão, agora é só deixar eu te pegar no colo, não precisa ter pressa. – ela assentiu e respirou mais fundo que das outras vezes e ao me olha vi um brilho em seu olhar que nunca imaginei ver e aquele olhar me trouxe uma grande esperança.

 

      Ela se afastou indo para a mesma posição de saia do circulo, os garotos só observavam sem nada falar então eu me preparei para recebe-la, seu pulo foi perfeito e ao segura-la em meus braços a girando não pude conter meu sorriso, suas pernas encaixadas em escala aberta sobre meus quadris causaram  sensações eróticas e arrepios que tive de conter, ela me encarava e seu olhar continha um pouco de medo, mas ela continuou firme e sem tentar se afastar. Assim que completei as duas voltas necessárias para aquela parte da coreografia á coloquei no chão e encostei minha testa na dela. Meu sorriso poderia ser maior que meu rosto, se isso fosse possível.

- você foi maravilhosa. – sentia sua respiração tão próxima de mim estava me enlouquecendo ainda mais, tanto que tive de me afastar antes que á beijasse ali mesmo na frente dos outros, me afastei ainda segurando sua mão tremula.

 

- isso foi perfeito! – disse Anne se aproximando de nós.

 

- você está se sentindo bem Maya? – Dong perguntou, todos sorriam felizes, ela olhou nossas mãos e depois olhou para todos, seu olhar era de surpresa e admiração.

 

- eu... estou bem... – ela me olhou e de repente um grande e belo sorriso surgiu, um sorriso que fazia seus olhos brilharem como lindos diamantes negros, os rapazes gritaram e aplaudiram, Anne chorava emocionada e eu a olhava petrificado com a surpresa do que estava vendo. Aquele ser era um anjo, ela não era só uma mulher, e sim, uma bela fada que tinha sido ferida e agora queria se recuperar e voltar a viver.

 

- acho que isso merece uma comemoração! – disse Kwangmin. Todos concordamos e Maya continuava a olhar nossas mãos juntas e com toda a certeza eu não á soltaria agora.


Notas Finais


Boa Leitura :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...