História Você Faz Isso Real - Camren - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Camz, Lauren Jauregui, Lolo
Visualizações 992
Palavras 5.451
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


bem glr Você Faz Isso Real ficou com os dias de postagem Segunda e Quinta...

o que vcs estao achando das músicas da nossa latina master?

Capítulo 4 - Uma Nova Vida


Pov Lauren

Você já sentiu que conhecia uma pessoa a vida toda quando na verdade só há conhecia há horas. Assim que me senti desde quando Lucca me abraçou e Camila me deu seu primeiro sorriso, é como se eles fossem à parte que faltava na minha vida e que alguma forma eu preciso proteger ambos e cuidar para que tenham tudo que a vida sempre os negou. Nesse momento me dirijo em direção a delegacia para cumprir minhas promessas, levar o garoto ate sua mãe e libertar a mulher do sorriso que trouxe algum significado a minha vida. Louco né? Mas meu pai dizia que vida é feita de momentos e que às vezes os perfeitos passam por você e simplesmente você os perde e sinceramente não estava mais disposta a viver uma vida calculada seria apenas momentos como esse agora que ouço o garotinho me contar sobre seu dia na escola.

– Hoje aprendemos a somar e as vogais. – Ele me parece empolgado com a escola.

– Você gosta de estudar Lucca?

– Sim tia eu gosto muito. Aprender é divertido e minha mãe diz que tenho que estudar para ser alguém na vida.

– Sua mãe esta certa, conhecimento é poder e quanto maior melhor.

– Eu quero ser medico quando crescer, curar as pessoas.

– É uma linda profissão Lucca.

– Meu pai diz que perda de tempo. – O garotinho abaixa a cabeça e me parece triste.

– Não fique assim. Olha às vezes os pais não entendem os filhos, mas se isso que você quer não desista dos seus sonhos. – Eu tento encoraja-lo. Pensando que tipo de pai diria algo tão duro a seu filho? medicina é uma carreira difícil mais admirável. Acho que esse cara simplesmente não merece ser pai de anjinho feito Lucca se fosse meu filho daria todo apoiou do mundo.

– Você e seu pai se dão bem? – Pergunto querendo saber mais sobre ele.

– Ele é um bom papai. Leva-me para ver o basquete e sempre vamos ao parque, mas ele não é carinhoso com a mamãe. Às vezes ele demora em voltar para casa e se esquece de ir à escola quando os papais devem ir.

O menino parecia nutrir grande amor pelo pai mais também havia grande decepção na sua jovem vozinha. Tudo que eu queria era pegar ele no colo e lhe abraçar e dizer que ninguém mais o decepcionaria, porém certas coisas estavam fora do meu alcance.

– Sei que ele deve ter seus motivos para não estar lá.

– Talvez, mas ele nunca diz quando eu pergunto. – Ele abaixou à cabecinha e vi uma lagrima rolar pelo seu rostinho. Eu virei para ele e o abracei era tudo que podia fazer naquele momento.

– Tia promete que ninguém vai me tirar da minha mãe. – Ele disse em meio ao choro.

– Eu prometo meu príncipe ninguém nunca ira separar você da sua mãe.

– Obrigado.

Foi a primeira vez que senti isso um sentimento inexplicável e que não sabia definir bem o que era só sabia que jamais decepcionaria essa pequena vida em meus braços.

Depois dele se acalmar, seguimos para delegacia no caminho liguei para Ally minha assistente ela estava estagiando comigo há um tempo e sei que seria perfeita para cuidar do menino enquanto eu resolvia o problema de sua mãe. Meia hora depois chegamos e Ally já me esperava em frente à delegacia.

– Ally obrigada por vir.

– Dra. Jauregui é um prazer no que posso ajuda-la?

– Preciso que cuide de um garotinho por algumas horas. A mãe dele é minha cliente e não acho que seja prudente ele entrar em uma delegacia, afinal não é local para uma criança.

– Será um prazer, eu adoro crianças onde ele esta?

– No meu carro. Me de apenas uns minutos para que possa explicar a situação para ele. – Voltei ao carro onde Lucca aguardava impaciente.

– Ei pequeno, preciso que você espere aqui enquanto eu vou buscar sua mãe.

– Vou ficar aqui sozinho? Porque não posso ir? – Ele me bombardeou de perguntas.

– Fique calmo tudo ficara bem, só que a delegacia não lugar para menino e você não ficara sozinho. Minha assistente ficara com você ate eu voltar.

– Tia, Lauren estou medo. – Partiu-me o coração ver sua reação.

– Não precisa ter medo meu amor eu te fiz uma promessa lembra e se te deixa mais calma fique com meu celular qualquer coisa a Ally ligara para mim. Entreguei o aparelho a ele que pareceu ficar mais tranquilo.

Ele e Ally se entenderam rápido e eu pude finalmente ir resolver o caso de Camila. Cheguei a tempo porque o delegado já havia levado ela a sua sala para começar o interrogatório, bom o nome Jauregui tem seu peso e entrei facilmente na sala de interrogatório rapidamente. Cheguei à sala no momento em que o delegado sacana tentava intimidar Camila e conhecendo bem seus métodos e a reputação dele Camila seria uma presa fácil.

– Delegado Robert não estava pensando em interrogar minha cliente sem sua advogada presente não é? – Ele ficou surpreso e Camila me olhou totalmente aliviada. E aquele sorriso incrível se fez presente novamente como era bom vê-la sorrir assim. Mas por hora admirar sua beleza tinha que ficar em segundo plano eu preciso tira-la daquele lugar.

– Claro que não Dra. Jauregui estávamos apenas aguardando sua chegada. – Robert me respondeu e dei-o meu olhar mais irônico possível. Olhei para Camila e tudo que queria era acalma-la.

– Camila se acalme vai ficar tudo bem. – Mas sua maior preocupação parecia ser seu filho.

– Lauren onde esta meu filho? – Ela me questionou.

– Se acalme ele esta com minha secretaria no carro, achei que este não seria um lugar apropriado para ele.

– Obrigado.

– De nada agora vamos te tirar daqui. – O interrogatório começou e Camila contou tudo o que sabia sobre o namorado cafajeste dela. Minha vontade era de encontra esse cara e dar nele uns bons socos como podia fazer sofrer uma família tão doce, ele não merecia nem o filho nem a mulher que tinha.

Depois de mais de uma hora de interrogatório Robert parecia irredutível e debatia arduamente eu tinha feito uma promessa e ia tirar Camila dali ainda hoje.

– Robert minha cliente não possui ficha criminal e nem mesmo passagem pela policia. Ela ré primeira, portanto não há porque mantê-la aqui, sabemos bem que ela pode responder em liberdade enquanto o processo corre. Deveria ir à caça do namorado dela como ela disse os entorpecentes pertencem ao individuo que se aproveita da boa índole de minha cliente para esconder a droga em seu carro. E com ficha corrida dele que é extensa sabemos bem que ela não é culpada.

– Dra. Jauregui eu tenho total conhecimento da lei, só que sua cliente foi presa em flagrante e só pode sair mediante a fiança ate lá ela tem aguardar um avara de liberdade direto do juiz para que possa deixa-la ir. – Bom se caso era fiança eu pagaria e tiraria Camila dali simples e rápido. Antes de dizer que pagaria o valor vi Camila se levantar ela parecia pálida, tão rápido quando ela levantou ela veio ao chão. Eu apenas corri ao seu socorro gritando seu nome em desespero.

– Camilaaaaa...

Peguei em meus braços ela estava branca feito papel havia desmaiado precisava de medico urgente.

– Robert agilize agora a fiança eu preciso leva-la ao hospital. – Ele saiu correndo vendo que situação era grave.

– Vamos lá Camila fica comigo, eu ainda preciso do seu sorriso na minha vida querida. – Rapidamente sai com Camila em meus braços em direção ao meu carro e Lucca veio correndo para saber o que estava acontecendo.

– Tia o que houve com minha mãe?

– Ela desmaiou, vamos leva-la ao medico se acalme tudo ficara bem. – Ele começava a chorar e eu nem ao menos percebi que lagrimas desciam do meu rosto involuntariamente. Não poderia perdê-la não agora que acabei de encontra-la, a pessoa que trouxe de volta luz a minha vida faria o impossível para que ela ficasse bem não importava o preço estava disposta a pagar.

– Ally fique na delegacia e cuide da fiança dela eu vou para o hospital central.

– Tudo bem Dra. Jauregui vá tranquila eu cuidarei de tudo.

– Me mantenha informada ok. – Sai arrancando com minha Mercedes em direção ao hospital. Ao chegar rapidamente Camila foi atendida por um medico de minha confiança mais uma vez o nome Jauregui tinha seu diferencial. – Christopher, preciso que ela fique bem.

– Farei o possível Lauren.

– Não Christopher você não esta entendendo, faça o impossível. – Ele me olhou assustado e saiu com a maca levando Camila pelas portas adentro do hospital. Agora eu só podia esperar e tentar acalmar o garotinho que estava no canto ainda com rosto vermelho de tanto chorar. Fui ate o abracei pela terceira vez aquele dia e beijei sua cabeça apenas sussurrando.

– Tudo vai ficar bem querido eu prometo. – Ele não disse nada apenas se aninhou mais em meus braços e por lá ficou. Cerca de vinte minutos depois Christopher retornou com noticias e por Deus foram os vinte minutos mais longos da minha vida tinha que estar tudo bem.

– Lauren fizeram alguns exames aparentemente ela esta bem, ainda estou aguardando o resultado de alguns exames restantes mais parece que foi apenas cansaço. Ela no momento esta no quarto apenas dormindo. Se quiserem podem ir vê-la já.

– Sim queremos vê-la agora mesmo.

Peguei Lucca pela mão e acompanhamos o medico ate o quarto. Deparei-me com uma das visões mais lindas depois do sorriso dela, era vê-la dormir serena e tranquila parecia um anjo.

– Lauren vou deixar vocês a sós assim que tiver os resultados restantes eu volto para informa-los. – Obrigado. Christopher saiu e ficamos apenas eu e Lucca no quarto.

– Tia Lauren minha mãe vai ficar bem não é? – O garoto me perguntou quebrando o silencio.

– Sim ela vai ficar bem pequeno, só esta dormindo. – Ele se aproximou da cama querendo constatar se era verdade e percebeu a respiração da mãe ressonando em um sono tranquilo e pareceu ficar mais tranquilo.

– Vamos só esperar ela acordar. Você esta com fome? – Ele parecia não ter se alimentado desde que saiu da escola e mesmo não sabendo a rotina de uma criança acredito que mais de três horas sem comer nada não faria bem ao garoto.

– Sim estou só tomei o café da manhã. – Ouvir aquilo doeu ele estava praticamente o dia sem comer nada.

– Puxa pequeno porque não me disse nada.

– Não queria incomodar. – Ele abaixou a cabeça parecendo envergonhado.

– Ei sempre que quiser algo não se acanhe em me pedir, principalmente se estiver com fome ok?!

– Esta bem! – Ele parecia menos tímido agora.

– Quero que fique aqui com sua mãe, vou à lanchonete comprar um lanche para você.

– Obrigado tia Lauren.

– Por nada Lucca. Sai do quarto o deixando sozinho alguns minutos com sua mãe.

(...)

Na lanchonete do hospital optei por um sanduiche e suco de laranja algo saudável para uma criança. Retornei ao quarto uns dez minutos depois e para minha surpresa e alivio encontrei Camila acordada.

– Vejo só quem resolveu acordar. – Falei tentando quebrar a tensão. E sorriso que recebi fez meu coração disparar não sabia o que era essa sensação só sabia que queria sentir mais e descobrir o que era.

– como vim parar aqui? O que houve? – Ela me questionou nervosa.

– Ei tenha calma Camila uma pergunta de cada vez. Primeiro você passou mal na delegacia desmaiou e eu te trouxe para hospital, você fez alguns exames há algumas horas e estamos aguardando os resultados.

– Eu não sei como agradecer senhora Lauren. – Eu rir por dentro senhora, bom tinha que cortar esse tratamento rapidamente ou me sentiria uma velha perto de Camila.

– Primeiro esqueça o senhora apenas Lauren. – Virei-me para Lucca para lhe entregar seu lanche.

– então meu príncipe te trouxe o jantar sente-se ali e vá comer – ele correu ate mim com uma felicidade lhe entrei o sanduíche e o suco ele foi se sentar na cadeira ao lado da cama e antes de comer apenas agradeceu e sorriu

– Obrigado tia Lauren.

– De nada meu anjo, bom apetite. – Lembrei-me que Camila também precisava se alimentar.

– Camila você esta com fome? Posso pedir, a uma enfermeira para trazer algo. – Ela relutou com ideia o que me deixou chateada.

– Não esta tudo bem, apenas queria saber se ao sair daqui vou ser presa novamente. – Ela estava era preocupada se retornaria a cadeia. Era com alegria que lhe contei tudo e aconselhei como ela deveria agir daqui para frente

– Não Camila você esta livre. Vai responder o processo em liberdade, meu conselho é fazermos um acordo com á policia e você vai testemunhar contra seu namorado assim tudo se resolvera e a acusação sobre você será retirada.

– Lauren ele é pai do meu filho não posso fazer isso. – Apesar do canalha ser pai do menino ao qual eu já começava a ter uma afeição não havia outro caminho. Não podia mentir para ela.

– Camila se você não fizer isso eles iram te prender novamente e podem te acusar de cúmplice. Se você se importa mesmo com seu filho faça isso.

– Tudo bem, já que não tenho escolha. E quanto à fiança quem pagou?

– Isso não importa o que importa e que você esta livre e não precisa voltar para aquele lugar. Não se preocupe com dinheiro ok? – Eu não me importava com dinheiro só importava que ela e Lucca ficassem bem.

– Lauren foi você quem pagou? Eu juro que vou te pagar.

– Camila esqueça isso apenas descanse. – Era louco eu sei, mas Camila despertava, em mim sensações que não sabia explicar mais tinha certeza que queria viver intensamente. Christopher interrompeu entrando sem avisar no quarto.

– Olá senhoras parece que paciente acordou.

– Olá Christopher, então já tem algum resultado dos exames dela? – Eu estava preocupada queria saber logo o que Camila tinha.

– Lauren se acalme esta tudo bem com paciente ela apenas precisara de alguns cuidados no seu estado nada mais. – Estado? que estado? odeio quando médicos enrolam para dizer logo a verdade.

– Que estado Christopher deixe de mistérios e fale logo. – Ele se virou para Camila para dar a noticia.

– Camila parabéns você esta grávida. De pouco mais de oito semanas ao que parece por isso o desmaio, o bebê esta saudável ainda precisamos fazer um ultrassom mais de resto esta tudo bem. – Uma gravidez era a ultima coisa que eu podia imaginar, mais ao menos não era nada grave e podia me sentir mais tranquila. Porém Camila me pareceu triste com á noticia. Vi um medo grande em seus olhos, apenas fui ate ela a tentando acalma-la pela milésima vez só hoje.

– Ei xiiii... Fique tranquila vai dar tudo certo. – Abracei forte. Ela falava com dificuldade e as palavras saiam cortadas.

– Como vou cuidar de mais um filho Lauren eu não posso... Eu... Eu. – Fiz ela olhar diretamente em meus olhos, ela precisava ter certeza e confiar em mim. Eu não iria deixar ela e Lucca sozinhos.

– Camila olha para mim, você não esta sozinha ok? Eu estou aqui com você e prometo que não vou deixar vocês, vou te ajudar no que precisar. – Lucca correu a nós querendo oferecer apoio. E subiu na cama se juntando ao abraço.

– Mamãe eu vou ajudar a cuidar do meu irmãozinho não chora, por favor. – Esse garoto era mesmo um amor. Eu apenas confirmei mais uma vez que não a deixaria pousando a mão sobre sua barriga.

– Nós vamos Lucca.

– Lauren por que esta fazendo isso tudo sem nem ao menos me conhece direito? – Eu não tinha essa resposta só sei que estava feliz ali com ela e Lucca em meus braços.

– Eu não sei Camila, apenas sei que é o certo a se fazer. Sinto isso no meu coração e não vou te abandonar.

Pov Lauren

Você já sentiu que conhecia uma pessoa a vida toda quando na verdade só há conhecia há horas. Assim que me senti desde quando Lucca me abraçou e Camila me deu seu primeiro sorriso, é como se eles fossem à parte que faltava na minha vida e que alguma forma eu preciso proteger ambos e cuidar para que tenham tudo que a vida sempre os negou. Nesse momento me dirijo em direção a delegacia para cumprir minhas promessas, levar o garoto ate sua mãe e libertar a mulher do sorriso que trouxe algum significado a minha vida. Louco né? Mas meu pai dizia que vida é feita de momentos e que às vezes os perfeitos passam por você e simplesmente você os perde e sinceramente não estava mais disposta a viver uma vida calculada seria apenas momentos como esse agora que ouço o garotinho me contar sobre seu dia na escola.

– Hoje aprendemos a somar e as vogais. – Ele me parece empolgado com a escola.

– Você gosta de estudar Lucca?

– Sim tia eu gosto muito. Aprender é divertido e minha mãe diz que tenho que estudar para ser alguém na vida.

– Sua mãe esta certa, conhecimento é poder e quanto maior melhor.

– Eu quero ser medico quando crescer, curar as pessoas.

– É uma linda profissão Lucca.

– Meu pai diz que perda de tempo. – O garotinho abaixa a cabeça e me parece triste.

– Não fique assim. Olha às vezes os pais não entendem os filhos, mas se isso que você quer não desista dos seus sonhos. – Eu tento encoraja-lo. Pensando que tipo de pai diria algo tão duro a seu filho? medicina é uma carreira difícil mais admirável. Acho que esse cara simplesmente não merece ser pai de anjinho feito Lucca se fosse meu filho daria todo apoiou do mundo.

– Você e seu pai se dão bem? – Pergunto querendo saber mais sobre ele.

– Ele é um bom papai. Leva-me para ver o basquete e sempre vamos ao parque, mas ele não é carinhoso com a mamãe. Às vezes ele demora em voltar para casa e se esquece de ir à escola quando os papais devem ir.

O menino parecia nutrir grande amor pelo pai mais também havia grande decepção na sua jovem vozinha. Tudo que eu queria era pegar ele no colo e lhe abraçar e dizer que ninguém mais o decepcionaria, porém certas coisas estavam fora do meu alcance.

– Sei que ele deve ter seus motivos para não estar lá.

– Talvez, mas ele nunca diz quando eu pergunto. – Ele abaixou à cabecinha e vi uma lagrima rolar pelo seu rostinho. Eu virei para ele e o abracei era tudo que podia fazer naquele momento.

– Tia promete que ninguém vai me tirar da minha mãe. – Ele disse em meio ao choro.

– Eu prometo meu príncipe ninguém nunca ira separar você da sua mãe.

– Obrigado.

Foi a primeira vez que senti isso um sentimento inexplicável e que não sabia definir bem o que era só sabia que jamais decepcionaria essa pequena vida em meus braços.

Depois dele se acalmar, seguimos para delegacia no caminho liguei para Keana minha assistente ela estava estagiando comigo há um tempo e sei que seria perfeita para cuidar do menino enquanto eu resolvia o problema de sua mãe. Meia hora depois chegamos e Keana já me esperava em frente à delegacia.

– Keana obrigada por vir.

– Dra. Jauregui é um prazer no que posso ajuda-la?

– Preciso que cuide de um garotinho por algumas horas. A mãe dele é minha cliente e não acho que seja prudente ele entrar em uma delegacia, afinal não é local para uma criança.

– Será um prazer, eu adoro crianças onde ele esta?

– No meu carro. Me de apenas uns minutos para que possa explicar a situação para ele. – Voltei ao carro onde Lucca aguardava impaciente.

– Ei pequeno, preciso que você espere aqui enquanto eu vou buscar sua mãe.

– Vou ficar aqui sozinho? Porque não posso ir? – Ele me bombardeou de perguntas.

– Fique calmo tudo ficara bem, só que a delegacia não lugar para menino e você não ficara sozinho. Minha assistente ficara com você ate eu voltar.

– Tia, Lauren estou medo. – Partiu-me o coração ver sua reação.

– Não precisa ter medo meu amor eu te fiz uma promessa lembra e se te deixa mais calma fique com meu celular qualquer coisa a Keana ligara para mim. Entreguei o aparelho a ele que pareceu ficar mais tranquilo.

Ele e Keana se entenderam rápido e eu pude finalmente ir resolver o caso de Camila. Cheguei a tempo porque o delegado já havia levado ela a sua sala para começar o interrogatório, bom o nome Jauregui tem seu peso e entrei facilmente na sala de interrogatório rapidamente. Cheguei à sala no momento em que o delegado sacana tentava intimidar Camila e conhecendo bem seus métodos e a reputação dele Camila seria uma presa fácil.

– Delegado Robert não estava pensando em interrogar minha cliente sem sua advogada presente não é? – Ele ficou surpreso e Camila me olhou totalmente aliviada. E aquele sorriso incrível se fez presente novamente como era bom vê-la sorrir assim. Mas por hora admirar sua beleza tinha que ficar em segundo plano eu preciso tira-la daquele lugar.

– Claro que não Dra. Jauregui estávamos apenas aguardando sua chegada. – Robert me respondeu e dei-o meu olhar mais irônico possível. Olhei para Camila e tudo que queria era acalma-la.

– Camila se acalme vai ficar tudo bem. – Mas sua maior preocupação parecia ser seu filho.

– Lauren onde esta meu filho? – Ela me questionou.

– Se acalme ele esta com minha secretaria no carro, achei que este não seria um lugar apropriado para ele.

– Obrigado.

– De nada agora vamos te tirar daqui. – O interrogatório começou e Camila contou tudo o que sabia sobre o namorado cafajeste dela. Minha vontade era de encontra esse cara e dar nele uns bons socos como podia fazer sofrer uma família tão doce, ele não merecia nem o filho nem a mulher que tinha.

Depois de mais de uma hora de interrogatório Robert parecia irredutível e debatia arduamente eu tinha feito uma promessa e ia tirar Camila dali ainda hoje.

– Robert minha cliente não possui ficha criminal e nem mesmo passagem pela policia. Ela ré primeira, portanto não há porque mantê-la aqui, sabemos bem que ela pode responder em liberdade enquanto o processo corre. Deveria ir à caça do namorado dela como ela disse os entorpecentes pertencem ao individuo que se aproveita da boa índole de minha cliente para esconder a droga em seu carro. E com ficha corrida dele que é extensa sabemos bem que ela não é culpada.

– Dra. Jauregui eu tenho total conhecimento da lei, só que sua cliente foi presa em flagrante e só pode sair mediante a fiança ate lá ela tem aguardar um avara de liberdade direto do juiz para que possa deixa-la ir. – Bom se caso era fiança eu pagaria e tiraria Camila dali simples e rápido. Antes de dizer que pagaria o valor vi Camila se levantar ela parecia pálida, tão rápido quando ela levantou ela veio ao chão. Eu apenas corri ao seu socorro gritando seu nome em desespero.

– Camilaaaaa...

Peguei em meus braços ela estava branca feito papel havia desmaiado precisava de medico urgente.

– Robert agilize agora a fiança eu preciso leva-la ao hospital. – Ele saiu correndo vendo que situação era grave.

– Vamos lá Camila fica comigo, eu ainda preciso do seu sorriso na minha vida querida. – Rapidamente sai com Camila em meus braços em direção ao meu carro e Lucca veio correndo para saber o que estava acontecendo.

– Tia o que houve com minha mãe?

– Ela desmaiou, vamos leva-la ao medico se acalme tudo ficara bem. – Ele começava a chorar e eu nem ao menos percebi que lagrimas desciam do meu rosto involuntariamente. Não poderia perdê-la não agora que acabei de encontra-la, a pessoa que trouxe de volta luz a minha vida faria o impossível para que ela ficasse bem não importava o preço estava disposta a pagar.

– Keana fique na delegacia e cuide da fiança dela eu vou para o hospital central.

– Tudo bem Dra. Jauregui vá tranquila eu cuidarei de tudo.

– Me mantenha informada ok. – Sai arrancando com minha Mercedes em direção ao hospital. Ao chegar rapidamente Camila foi atendida por um medico de minha confiança mais uma vez o nome Jauregui tinha seu diferencial. – Christopher, preciso que ela fique bem.

– Farei o possível Lauren.

– Não Christopher você não esta entendendo, faça o impossível. – Ele me olhou assustado e saiu com a maca levando Camila pelas portas adentro do hospital. Agora eu só podia esperar e tentar acalmar o garotinho que estava no canto ainda com rosto vermelho de tanto chorar. Fui ate o abracei pela terceira vez aquele dia e beijei sua cabeça apenas sussurrando.

– Tudo vai ficar bem querido eu prometo. – Ele não disse nada apenas se aninhou mais em meus braços e por lá ficou. Cerca de vinte minutos depois Christopher retornou com noticias e por Deus foram os vinte minutos mais longos da minha vida tinha que estar tudo bem.

– Lauren fizeram alguns exames aparentemente ela esta bem, ainda estou aguardando o resultado de alguns exames restantes mais parece que foi apenas cansaço. Ela no momento esta no quarto apenas dormindo. Se quiserem podem ir vê-la já.

– Sim queremos vê-la agora mesmo.

Peguei Lucca pela mão e acompanhamos o medico ate o quarto. Deparei-me com uma das visões mais lindas depois do sorriso dela, era vê-la dormir serena e tranquila parecia um anjo.

– Lauren vou deixar vocês a sós assim que tiver os resultados restantes eu volto para informa-los. – Obrigado. Christopher saiu e ficamos apenas eu e Lucca no quarto.

– Tia Lauren minha mãe vai ficar bem não é? – O garoto me perguntou quebrando o silencio.

– Sim ela vai ficar bem pequeno, só esta dormindo. – Ele se aproximou da cama querendo constatar se era verdade e percebeu a respiração da mãe ressonando em um sono tranquilo e pareceu ficar mais tranquilo.

– Vamos só esperar ela acordar. Você esta com fome? – Ele parecia não ter se alimentado desde que saiu da escola e mesmo não sabendo a rotina de uma criança acredito que mais de três horas sem comer nada não faria bem ao garoto.

– Sim estou só tomei o café da manhã. – Ouvir aquilo doeu ele estava praticamente o dia sem comer nada.

– Puxa pequeno porque não me disse nada.

– Não queria incomodar. – Ele abaixou a cabeça parecendo envergonhado.

– Ei sempre que quiser algo não se acanhe em me pedir, principalmente se estiver com fome ok?!

– Esta bem! – Ele parecia menos tímido agora.

– Quero que fique aqui com sua mãe, vou à lanchonete comprar um lanche para você.

– Obrigado tia Lauren.

– Por nada Lucca. Sai do quarto o deixando sozinho alguns minutos com sua mãe.

(...)

Na lanchonete do hospital optei por um sanduiche e suco de laranja algo saudável para uma criança. Retornei ao quarto uns dez minutos depois e para minha surpresa e alivio encontrei Camila acordada.

– Vejo só quem resolveu acordar. – Falei tentando quebrar a tensão. E sorriso que recebi fez meu coração disparar não sabia o que era essa sensação só sabia que queria sentir mais e descobrir o que era.

– como vim parar aqui? O que houve? – Ela me questionou nervosa.

– Ei tenha calma Camila uma pergunta de cada vez. Primeiro você passou mal na delegacia desmaiou e eu te trouxe para hospital, você fez alguns exames há algumas horas e estamos aguardando os resultados.

– Eu não sei como agradecer senhora Lauren. – Eu rir por dentro senhora, bom tinha que cortar esse tratamento rapidamente ou me sentiria uma velha perto de Camila.

– Primeiro esqueça o senhora apenas Lauren. – Virei-me para Lucca para lhe entregar seu lanche.

– então meu príncipe te trouxe o jantar sente-se ali e vá comer – ele correu ate mim com uma felicidade lhe entrei o sanduíche e o suco ele foi se sentar na cadeira ao lado da cama e antes de comer apenas agradeceu e sorriu

– Obrigado tia Lauren.

– De nada meu anjo, bom apetite. – Lembrei-me que Camila também precisava se alimentar.

– Camila você esta com fome? Posso pedir, a uma enfermeira para trazer algo. – Ela relutou com ideia o que me deixou chateada.

– Não esta tudo bem, apenas queria saber se ao sair daqui vou ser presa novamente. – Ela estava era preocupada se retornaria a cadeia. Era com alegria que lhe contei tudo e aconselhei como ela deveria agir daqui para frente

– Não Camila você esta livre. Vai responder o processo em liberdade, meu conselho é fazermos um acordo com á policia e você vai testemunhar contra seu namorado assim tudo se resolvera e a acusação sobre você será retirada.

– Lauren ele é pai do meu filho não posso fazer isso. – Apesar do canalha ser pai do menino ao qual eu já começava a ter uma afeição não havia outro caminho. Não podia mentir para ela.

– Camila se você não fizer isso eles iram te prender novamente e podem te acusar de cúmplice. Se você se importa mesmo com seu filho faça isso.

– Tudo bem, já que não tenho escolha. E quanto à fiança quem pagou?

– Isso não importa o que importa e que você esta livre e não precisa voltar para aquele lugar. Não se preocupe com dinheiro ok? – Eu não me importava com dinheiro só importava que ela e Lucca ficassem bem.

– Lauren foi você quem pagou? Eu juro que vou te pagar.

– Camila esqueça isso apenas descanse. – Era louco eu sei, mas Camila despertava, em mim sensações que não sabia explicar mais tinha certeza que queria viver intensamente. Christopher interrompeu entrando sem avisar no quarto.

– Olá senhoras parece que paciente acordou.

– Olá Christopher, então já tem algum resultado dos exames dela? – Eu estava preocupada queria saber logo o que Camila tinha.

– Lauren se acalme esta tudo bem com paciente ela apenas precisara de alguns cuidados no seu estado nada mais. – Estado? que estado? odeio quando médicos enrolam para dizer logo a verdade.

– Que estado Christopher deixe de mistérios e fale logo. – Ele se virou para Camila para dar a noticia.

– Camila parabéns você esta grávida. De pouco mais de oito semanas ao que parece por isso o desmaio, o bebê esta saudável ainda precisamos fazer um ultrassom mais de resto esta tudo bem. – Uma gravidez era a ultima coisa que eu podia imaginar, mais ao menos não era nada grave e podia me sentir mais tranquila. Porém Camila me pareceu triste com á noticia. Vi um medo grande em seus olhos, apenas fui ate ela a tentando acalma-la pela milésima vez só hoje.

– Ei xiiii... Fique tranquila vai dar tudo certo. – Abracei forte. Ela falava com dificuldade e as palavras saiam cortadas.

– Como vou cuidar de mais um filho Lauren eu não posso... Eu... Eu. – Fiz ela olhar diretamente em meus olhos, ela precisava ter certeza e confiar em mim. Eu não iria deixar ela e Lucca sozinhos.

– Camila olha para mim, você não esta sozinha ok? Eu estou aqui com você e prometo que não vou deixar vocês, vou te ajudar no que precisar. – Lucca correu a nós querendo oferecer apoio. E subiu na cama se juntando ao abraço.

– Mamãe eu vou ajudar a cuidar do meu irmãozinho não chora, por favor. – Esse garoto era mesmo um amor. Eu apenas confirmei mais uma vez que não a deixaria pousando a mão sobre sua barriga.

– Nós vamos Lucca.

– Lauren por que esta fazendo isso tudo sem nem ao menos me conhece direito? – Eu não tinha essa resposta só sei que estava feliz ali com ela e Lucca em meus braços.

– Eu não sei Camila, apenas sei que é o certo a se fazer. Sinto isso no meu coração e não vou te abandonar.

Eu a beijei na testa foi um gesto involuntário e ela se aconchegou mais nos meus braços. De novo aquela sensação no estomago um friozinho estranho, mas me fez sorrir. Lucca permaneceu sobre nós e logo senti que Camila havia adormecido o menino acompanhou sua mãe para reino de morfeu. Talvez fossem me julgar aquele não era o meu lugar. Eu tinha nos braços uma mulher grávida e garotinho que haviam chegado na minha vida de forma inesperada mas que me faziam mais feliz que qualquer outra pessoa que estava na minha vida há anos. Seja como fosse daqui para frente eu estarei lá por eles e pra eles e ninguém no mundo poderia mudar isso.

Eu a beijei na testa foi um gesto involuntário e ela se aconchegou mais nos meus braços. De novo aquela sensação no estomago um friozinho estranho, mas me fez sorrir. Lucca permaneceu sobre nós e logo senti que Camila havia adormecido o menino acompanhou sua mãe para reino de morfeu. Talvez fossem me julgar aquele não era o meu lugar. Eu tinha nos braços uma mulher grávida e garotinho que haviam chegado na minha vida de forma inesperada mas que me faziam mais feliz que qualquer outra pessoa que estava na minha vida há anos. Seja como fosse daqui para frente eu estarei lá por eles e pra eles e ninguém no mundo poderia mudar isso.


Notas Finais


me digam oq tão achando...
até segunda glr rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...