História Você foi o melhor pra mim - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Romance
Visualizações 15
Palavras 759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpem os erros.

Capítulo 28 - Capítulo 28


CHRIS POV.


Depois que terminou a aula nos despedimos do pessoal e fomos para a minha casa, queria passar a tarde com a Ju. Chegando em casa encontro meus pais na sala conversando, quando nos aproximamos ele se calaram.

Chris: -OI mãe tudo bem?– disse e a Ju apertou minha mão, olhei pra ela e apontou para o meu pai com os olhos – Oi pai

Ju: -Boa tarde Sr e Sra borges – acenou pra eles

Mae: -Oi meninos tudo bem sim filho, Vocês já almoçaram? E Ju pode nos chamar só pelo nome – ela sorriu e assentiu

Chris: -Já almoçamos sim, mãe eu vou subir qualquer coisa é só chamar – ela assentiu, quando estávamos subindo escuto meu pai falar

Pai: -Chris depois eu quero falar com você – revirei os olhos e subi com a JU para o meu quarto

Ju: -Porque você não se dá bem com o seu pai? –Deixou a mochila na cadeira e sentou na cama. Tranquei a porta deitei com a cabeça em seu colo

Chris: -Sempre nos demos bem, mas depois que eu comecei a usar drogas ele ficou assim comigo

Ju: -Já tentou conversar com ele? – perguntou mexendo no meu cabelo

Chris: -Não adianta, as vezes eu acho que ele não me considera mais como filho, sei lá

Ju: -Para de besteira ele te ama do jeito dele mais ama – me deu um selinho

Chris: -Vamos mudar de assunto que é melhor. Vou pegar o violão vamos cantar um pouco – disse levantando para pegar meu violão – Que música você quer cantar? – Sentei na sua frente com o violão

Ju: -Me dá aqui que eu toco e você me companha – disse pegando o violão

Chris: -Melhor ainda, adoro te ver tocando – ela sorriu e começou a tocar


MUSICA ON.

Ju: -Diz que pensa tanto em mim

Que tá querendo me ver

Diz que tá me lembrando bastante

Acredito em você


Chris: -Tô sabendo de tudo

Tô lendo seus recados

Minhas fotos que você curtiu

Tô seguindo você


Ju e Chris: - E aí, o que é que a gente vai fazer?

Diz aí, se você quer e eu também tô querendo você

Tantos sorrisos por aí, você querendo o meu

Tantos olhares me olhando e eu querendo o seu

Eu não duvido, não que não foi por acaso

Se o amor bateu na nossa porta, que sorte a nossa...


MUSICA OFF.


Ju: -Você canta muito, você já pensou em fazer faculdade de música ou algo do tipo? – me deu um selinho e colocou  o violão em cima da cama

Chris: -Obrigado pequena, você também canta muito. Acho que eu vou fazer faculdade de música mesmo e você? –

Ju: -Eu ainda tenho dúvida entre música e fotografia – disse pensativa

Chris: -Você é fera nas duas coisas, a que você seguir carreira pode ter certeza que vai ser a melhor – ela sorriu e a puxei juntando nossos lábios


[...]


Já estava com as coisas todas arrumadas para ir para o aeroporto. Terminei de me arrumar e abracei a Ju por traz, ela estava sentada na cama mexendo no celular.

Ju: -Avisei para o pessoal no grupo que você vai resolver um problema pra mim – disse bloqueando o celular e virando pra me encarar

Chris: -Obrigado pequena, eu prometo que vou tomar cuidado e volto o mais rápido possível – disse e ela me abraçou escondendo o rosto na curva do meu pescoço

Ju: -Vou sentir saudade de ficar assim sentido seu cheiro que eu tanto amo – disse abafado

Chris: -Vai se rápido, vamos eu vou te deixar em casa antes de ir para o aeroporto – ficamos uns cinco minutos discutindo porque ela não queria que eu a levasse em casa, mas eu consegui convencer a mesma.

Parei o carro dela em frente ao seu prédio. Desci abri a posta pra ela que sorriu em agradecimento e pegue minhas coisa na parte de traz.

Chris: -Vou indo – disse me aproximando dela e a abraçando – fica bem, qualquer coisa pode me ligar não importa o horário – sai do abraço e segurei seu rosto com as duas mãos fazendo ela me olhar – Eu te amo minha pequena – juntei nossos lábios em um beijo lento onde  transmitíamos todo o amor que tínhamos um pelo outro. Encerrei o beijo com vários selinhos

Ju: -Eu te falo o mesmo, pode me ligar a hora que for e toma muito cuidado – me deu mais um abraço – Eu te amo meu marrento vai logo antes que eu te prenda aqui – sorrimos, lhe dei mais um beijo e peguei um taxi.

Aí vou eu Los Angeles, nem acredito que estou indo ver os caras que fizeram aquilo com o Arthur ser presos.




Notas Finais


Acho que deu pra recompensar os dias que fiquei sem postar. Até breve
BEIJOSS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...