História Você me pertence - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Ichigo Kurosaki, Rukia Kuchiki
Tags Bleach, Ichigo, Princesa, Rukia
Exibições 236
Palavras 1.457
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi meus amores mais uma história para vocês...

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Você me pertence - Capítulo 1 - Capítulo 1

-Princesa seu pai irá me matar se souber o que ando fazendo com a filha dele. -Renji a repreendeu por rastar-lo para o jardim de sakurá. A noite estava fria e quieta, os soldados que vigiavam o castelo já havíamos se recolhido para a troca de turnos.  

-Ate parece que não gosta. -ela o respondeu entre sorrisos o puxando para mais fundo do amplo jardim. -Ainda temos alguns minutos antes que os guardas voltem.

-Você vai acabar me matando, mulher. -ele disse a puxando para mais perto roubando um beijo antes que ela o empurrasse. -Eu te amo.

-Não ama não. -fingiu tristeza se encostando na árvore atrás de sí.

-Por que diz isso? -Renji segurou sua mão a levando as lábios.

-Se me amasse mesmo já teria pedido minha mão ao meu pai. -Rukia o olhou nos olhos, mas ele fitou o chão. -Viu? -ela se afastou outra vez cruzando os braços. Com rapidez Renji abraçou sua cintura por trás beijando seu pescoço. Ela gemeu baixou.

-Você sabe a resposta dele amor. Eu sou apenas um guarda.

-Não é apenas um guarda. -ela falou seria virando-se para olhar-lo. -É o oficial em que meu pai confia a vida. Ele confia em você. -Rukia segurou lhe o rosto entre as mãos o beijando com urgência. Ela o amava e o queria como marido. De certa forma lá no fundo ela sabia que Renji estava certo, seu pai não a casaria com ele. Havia alguns meses que havia descoberto que seus pais estavam planejando um trato com o reino de Karacura e queriam confiar lhe a mão ao sucessor do trono. Ela sabia pouco sobre aquele reino envolto por montanhas ingrimes e árvores altas.

-Rukia. -Renji a chamou acordando-a de seus pensamentos. Ela o olhou melancólica, ele podia sentir que algo estava errado. -Algo que queira me contar?

-Não. -ela lhe deu um selinho rápido voltando a correr para fora do jardim deixando Renji sozinho.

-Vou perder você amor. -falou para si mesmo vendo a silhueta dela desaparecer entre as flores. Renji havia conversado com seu rei naquela manhã fatídica e como esperado ele negou lhe a mão da princesa com veemência sem lhe explicar os motivos para tal ato. Estava perdido. Se negou mentalmente jurando não dizer nada a ela quando a visse naquela noite. -Droga. -socou o tronco com força fazendo a árvore tremer deixando cair sobre seus cabelos soltos lindas pétalas róseas de sakurá.

**********

-Solbe que irá se casar, Kurosaki-sama. -Orihime conseguiu dizer entre gemidos. Ichigo a penetrou com força revirando seus olhos com prazer. Modiscou seu pescoço deixando marcas avermelhadas na carne alva. Ela sentiu dor ao sentir o membro dele entrar mais fundo dentro dela. Ele girou ainda dentro a colocando no comando, Orihime começou com movimentos lentos de sobe e desce atiçando-o. -Não vai me responder?

-Não converse baboseiras nessa hora. -Ichigo fechou os olhos soltando um gemido ao dar uma tapa na bunda da mulher que gritou de dor e prazer. Ela intensificou os movimentos o sentimento pulsar.

-Inoue. - ele lhe gritou o nome chegando ao clímax derramando-se dentro dela. Sentindo o líquido quente a invadir Inoue gozou forte tremendo de prazer naquele membro forte.

-É disso que eu precisava. -ele falou aliviado limpando o suor da testa. Passou as mãos pelos cabelos bagunçando-os. - Você é incrível. - a elogiou.

-Kurosaki-kun. -ela tentou chamar sua atenção. Sempre fora assim, Ichigo sempre deixou bem claro a sua intenção para com ela. Apenas sexo! Somente sexo. Inoue nunca deveria pensar em amor, em paixão ou carinho. Como futuro rei de Karacura ela não podia pensar nesse homem como seu, ele não podia se casar nem desposar-la. -Ichigo.

Ele se virou ainda nú. O Kurosaki era simplesmente perfeito da cabeça aos pés. Seu corpo masculino era definido com músculos perfeitamente delineados. Seu rosto bronzeado destacava seus olhos castanhos dourados e os cabelos alaranjados rebeldes eram macios e cheirosos. As mãos grandes e firmes sabiam o que tocar e como tocar o corpo de uma mulher.

-Deve ser só fofoca dos servos que não tem o que fazer. -disse serio levando-se agarrando sua calça o vestindo amarrando-o com firmeza. -Não tenho intenção de me casar tão cedo. -vestiu por fim a camisa de linho.

-Hum. -sussurrou baixo se virando na cama cobrindo o corpo esbelto com o lençol macio. -Vai para a festa lá embaixo?

-Vou sim, da um passada para cumprimentar os soldados pela vitória de hoje. -ele empurrou a porta dupla com as duas mãos saindo por elas.

Ela sabia o que fazer, não poderia está ali quando ele voltasse. Isso a irritava, mas não tinha que reclamar. Ela não era sua esposa ou prometida, Ichigo nunca a chamou de amor, nunca tinha a beijado com carinho. Inoue suspirou cheirando o travesseiro fofo  tentando absolver o cheiro dele.

**********

-Ei Kurosaki. -Ishida o comprimentou arrastando-o para dentro de uma taverna qualquer. -Venha beber comigo amigo.

Ishida estava bêbada tropeçando nas próprias pernas. Ichigo o sustentou antes que caísse. -Soube que irá se casar.

Uma mulher sorridente veio ate eles servindo dois copos cheios de cerveja. Ishida tomou um gole cheio limpando a espuma dos lábios.

-Por que todos estão me falando isso hoje? -Ichigo bebericou um pouco do líquido borbulhante. -Meus pais não fariam uma transação dessas sem me dizer nada.

-É se eu fosse você iria tirar as coisas a limpo. -bebeu mais um pouco. -Imagina só o grande mulherengo Kurosaki Ichigo se casando. -Ishida gargalhou alto. -Estão dizendo que a família nobre do reino vizinho estão passando por dificuldades financeiras e por isso estão oferecendo a mão da filha para se casar com o herdeiro do reino de Karacura.

Ichigo escutava com interesse as palavras do amigo e a raiva crescia como fogo no seu interior. Seu pai estava ficando louco ao pensar que o forçaria à se casar. Ele conhecia muito bem o reino vizinho. Conhecida como reino Kuchiki um lugar bom de se viver, com lindas árvores frondosas de sakurá até onde a vista alcançar. O rei era orgulhoso não aceitava impertinências de seus servos. Pouco sabia de sua esposa de saúde frágil e sem falar da princesa Kuchiki Rukia. Vários cavalheiros suspiravam por aquela mulher, juravam amor a ela sem ao menos saber se ela a merecia. Ele se levantou bruscamente derrubando os copos de cerveja. Ishida conseguira por pouco aparar o seu no ar logo bebendo como se fosse água.

-Vou tirar essa história a limpo agora. -Ichigo disse deixando o amigo a olhar-lo boquiaberto. Será que havia falado de mais?

-Ah! Que se dane. -Ishida suspirou melancólico.

Com passadas rápidas Ichigo entrou na sala do reino, mas seu pai não estava ali para receber-lo. Pensou rápido deduzindo que o velho já deveria está dormindo a essa hora da noite. Pensou em sua mae, sabia que ela amava ver suas rosas antes de se deitar então não custaria nada perguntar a ela.

Subio as escadas correndo, saindo pela porta da cozinha se deparando com o imenso caminho de rosas vermelhas e amarelas.

-Mãe! -ele a chamou com impaciência. Ela lhe acenou com felicidade entre o caminho circular formada pelas rosas cheirosas. -Tenho uma pergunta muito seria a lhe fazer.

-Diga meu filho, estou ouvindo. -sem cerimônia ela lhe entregou a cestinha de palha transada.

-Que droga é essa de casamento arranjado? -ele perguntou furioso.

-Bem já esperávamos essa sua reação filho. -como cuidado ela cortou o ramo da rosa logo o colocando na cestinha. -Você já está na idade de se casar meu bem, com a sua idade seu pai já me desposava.

-Mas essa escolha é minha. -ele tentava se acalmar, mas a situação era tensa afinal era sobre sua vida que eles estavam planejando sem perguntar-lo se era a favor.

-Calma amor. -ela se levantou e acariciou o rosto do filho admirando o homem que ele se tornara. -Sei que é difícil, mas são coisas que não podemos deixar para depois. Seu pai logo lhe passará a coroa e queremos que esteja preparado para essa responsabilidade. A princesa que te escolhemos é encantadora e linda querido.

-E por que tenho que me casar? Posso governar sem uma rainha. -ele disse tentando contornar a situação. Mas sua mãe riu voltando sua atenção para as rosas.

-Sim até que poderia. -ela disse depositando outra rosa na cestinha. -Mas um rainha será seu pilar, sua conselheira e amiga, ela será a mulher em que você poderá se apoiar quando não tiver mais ninguém.

Ichigo desistiu, sua mãe nunca mudaria de opinião e sem falar de seu pai que sempre o importunava pedindo netos. Sua vida estava decidida a única coisa que poderia esperar era que essa tal de Rukia fosse uma bela mulher.




Continua….




Notas Finais


O que acharam kkkk pf não deixem de comentar pq isso nos incentiva a escrever.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...