História Você mudou tudo em mim - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Lacey (Belle), Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma, Regina, Swan Queen, Swanmills, Swanqueen
Exibições 297
Palavras 2.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Ficção, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha quem está de volta? Sim, eu!
Estou tentando ficar em dia, estou tentando.
Enfim meus amores, espero realmente que gostem desse capítulo. E logo avisando talvez eu demore para postar outro capítulo por que vou entrar em semana de provas, ai fica difícil. Mas juro que vou tentar.
Um beijo amores mío, e até a próxima.
Boa leitura.
- Swen.
Ps: Quero agradecer pelos 174 favoritos, fico muito mais muito grata. Muito obrigada!

Capítulo 15 - Não fuja do inevitável


Pov. Emma Swan.

 

O que eu fiz? penso assim que retorno a consciência. Regina está pegando suas roupas e vestindo-as novamente, começando pelo seu sutiã. Sinto um embrulho no meu estomago. Isso confirmava o que eu estava com medo de falar em voz alta, ainda gosto dessa mulher. Ainda gosto de Regina.

Ela parece procurar meus olhos por que toca em meu ombro coberto por minha blusa branca, mas estou de costas para a mesma fazendo um coque em meus cabelos loiros. 

— Você está bem? - Regina sussurra no meu ouvido, envolvendo-me em seus braços. Fecho os olhos sentindo sua voz rouca, e seu hálito quente próximo a minha orelha.

— Sim. - arfo, agora abrindo os olhos.

— Tem certeza? - pergunta puxando meu quadril para próximo do seu. Colando minha bunda, em seu sexo coberto apenas por aquela mesma calcinha vermelha. — Posso te fazer ficar bem. - sibila de forma erótica.

Ela lentamente sobre suas mãos pela minha barriga levantando juntamente minha blusa branca. Começo a respirar com dificuldade. Como consegue fazer isso comigo? Ela fala mais algumas coisas em sussurros, e depois lambe meu lóbulo, mordendo-o suavemente, fazendo sentir aquela boa sensação de cada pelo do meu corpo arrepiarem ao sentirem seu hálito quente, contra minha pele. Fecho os olhos novamente entregando-me ao prazer por um segundo, mas assim que sou tomada pela escuridão que é estar de olhos fechados, tudo que consigo ver é o rosto de Ariel. Linda, e parecendo divinamente inocente. A culpa toma conta de mim, me fazendo afastar rapidamente de Regina.

— Eu não posso. - falo em um susto, e Regina parece não entender.

Abaixo minha blusa que á essa altura, já estava na altura dos meus seios.

— Por causa da sua namorada? - Regina pergunta, subindo o vestido sobre meu corpo. Cobrindo sua semi-nudez 

Sento na cadeira á frente a mesa, girando-a para ficar de frente para a mesma. Regina está agora devidamente vestida, mas ainda sim parece chateada.

— Ariel, não merece que eu faça isso. - digo, sentindo um aperto no coração. — Ela esteve ao meu lado quando você se foi... e quando você... - hesito, mas ela parece perceber o que eu quis dizer.

Regina se aproxima de mim sentando na cadeira ao meu lado, me olhando atentamente.

— Quando eu contei seu segredo. - diz, e depois morde as bochechas por dentro da boca. 

Apenas respiro fortemente assentido. Ela abre um meio sorriso bem triste, e diz em alto de bom som:

— Desculpa. - arregalo os olhos com esse pedido. — Desculpa por ter te magoado... Desculpa por ter trazido todo esse sofrimento a tona. Desculpa por ter ido embora sem dizer tchau. Desculpa por te deixar aqui sozinha, eu estava com medo que você não conseguisse me perdoar. E acima de tudo, desculpa por não ter falado que gostava de você, quando eu sabia que gostava.

Ela me olha no fundo dos olhos, e sinto que tudo que está dizendo é verdade. Eu posso saber que é verdade. 

— Obrigada. - é tudo que consigo dizer, diante a esse pedido.

— Eu entendo se você ficar com ela.

— Mas eu não quero. - rebato depressa, sem poder me controlar.

— O que você quer então? - Regina fala suavemente soletrando as palavras, com sua voz rouca incrivelmente sexy.

Sorrio percebendo que essa conversa está virando outra coisa. Algo erótico. Com Regina é sempre assim, ela sempre consegue transformar uma simples conversa em algo sexy. E isso é umas das coisas que gosto nela, esse desejo insaciável. 

— Não! - repreendo sorrindo. Não querendo levar essa conversa para esse lado.

— Não? - pergunta sendo irônica. 

Esse sorriso malicioso em seus lábios. Como eu amo!

— Não. - repito, com um sorriso bobo nos lábios. Não podia evitar me sentir incrivelmente bem com ela. — Eu só não posso... - me justifico, voltando a lembrar de Ariel.

Ela aproxima seu corpo do meu, aproximando nossos lábios. Meu coração acelera com esse aproximação.

— Vai dizer que você também não quer estar comigo? - sinto seu hálito de menta próximo a minha boca. Começo a respirar com dificuldade, mordendo inconscientemente o lábio inferior com força. — Vai dizer que não sente seu corpo em chamas, quando eu te toco assim? - seus dedos acariciam meu braço, lentamente. — Vai dizer que não se excita quando eu te beijo? E vai dizer que não me deseja tanto quanto eu te desejo?

Seus lábios suavemente selam com os meus, em um beijo doce, mas excitante ao mesmo tempo.

— Não faz isso... - peço baixinho assim que nossos lábios se separam, não tendo certeza se quero que ela pare.

Regina sorri, e mordo o lábio inferior novamente. Essa mulher é o satanás.

— Diz... - sussurra com a voz rouca, próximo aos meus lábios. Fecho os olhos novamente. Eu a quero tanto que parece coisa de louco. 

Regina se inclina tirando meus cabelos loiros, da frente da minha orelha e pescoço. E sussurra novamente em meu ouvido, beijando-o logo depois.

— Diz... Diz que não sente. - provoca, passando seus lábios e mordendo meu lóbulo, respirando de forma ofegante. — Diz que não sente esse desejo...

Não consigo aguentar. Meu corpo vibra por ela. É claro que sinto esse desejo.

— Você sabe o que eu sinto, Regina.

— Sei? - pergunta com uma voz de uma adolescente mimada.

— Sabe... Sabe que meu corpo inteiro implora por você. - digo sem pensar, controlada pelos seus beijos que começaram a descer sobre meu pescoço pálido. Chupando, e mordiscando o local.

Regina invade minha boca com a sua língua, em um beijo totalmente surpresa. Puxando meu cabelo, me fazendo gemer baixinho com a dor excitante. Que droga, não consigo resisti-la. A mesma cessa seus beijos, me confundindo. O que ela está fazendo?

— Você não pode me beijar, tem namorada. - fala com um sorriso malicioso nos lábios.

Que vadia! Me deixou querendo mais.

Ela se levanta e vai até sua mesa, voltando a mexer no seu computador como se nada tivesse acontecido. Faço o mesmo. Mesmo sentindo meu sexo pulsar dentro da minha calça, implorando por ela.

Me convenço no final que foi melhor assim, e volto a trabalhar.

 

**

 

Quando cheguei em casa, Ruby estava me esperando para termos uma noite das garotas. Ruby tinha dessas de grudar comigo, ainda mais agora que não tenho tempo para nada. Quando abro a porta, e lá está ela sentada no sofá vestida em um pijama rosa com ursinhos, assistindo nosso seriado favorito: Orange Is The New Black.

Abro um sorriso em vê-la e a mesma sorri também.

— A Alex estava sendo enforcada, mas graças a Deus a Loli salvou ela. - diz entusiasmada, me contando um pouco da série assim que ponho os pés em casa.

— Sério?  Aquela que estava perseguindo ela? - pergunto, querendo saber mais. Sentando-me em meu sofá ao lado da minha amiga. Colocando as chaves, em cima da mesinha de centro.

Ruby pausa o episodio, e me conta tudo o que eu perdi. Escuto atentamente cada detalhe, mas acabo me perdendo em meus pensamentos. Regina. Ariel. Por que só Deus sabe, o quanto gosto dessa morena, mas Ariel foi tão boa comigo. Eu não quero machucá-la. Mas quem eu desejo e quero ao meu lado, é Regina. Que confusão!

— Emma? Está me ouvindo? - Ruby chama minha atenção balançando as mãos na frente dos meus olhos.

— Estou. Desculpa. - peço, sacudindo a cabeça para afastar esses pensamentos. Eu não queria escolher. Por que tenho medo de seguir meu coração e escolher Regina, e logo depois ela me magoar como fez antes. Ariel nunca faria isso. Nunca me magoaria, e disso eu tenho certeza. — Então... a Crazy Eyes fugiu com aquela doidinha? 

Me envolvo no assunto novamente, mas quem consegue enganar Ruby? Ela é mestre em saber quando estou mentindo, ou escondendo algo. Acho que me conhece melhor que eu mesma. Por isso é minha melhor amiga.

— Fugiu. - responde curta, aproximando-se de mim. — Agora, diz. O que a Regina fez? 

Me assusto, com os olhos arregalados. Não fala dela assim de surpresa não, penso. Meu bobo coração começa a acelerar dentro do meu peito, só de ouvir seu nome.

— Nada. - minto.

Ruby me olha como quem diz: "Não mente para mim". 

— Ta bom. - me rendo. Se eu não falar, ela vai acabar descobrindo de algum jeito. Ela sempre descobre. — Eu, e a Regina... transamos na sala dela.

Ela me olha boquiaberta, com a minha confissão.

— Mas você não estava namorando, a ruiva sem graça? - pergunta, e eu semicerro os olhos pelo modo que ela fala da Ariel. Ruby não gosta da mesma, desde que comecei a namorar com ela. Minha amiga insiste em dizer, que seu santo não bate com o dela. Já se viu uma coisa dessa? A Ruby tem dessas. Fala que Ariel, é sem graça, que nem sabe como estou namorando-a. Eu digo que é implicância de Ruby, ciúmes de mim. Ela sempre foi muito protetora. — Você não fez isso. - ela arregala os olhos, sabendo que traí Ariel.

Faço que sim com a cabeça, com hesitação. E ela ri, com certa ironia e orgulho. 

— Olha só, a doce Emma... 

Sorrio enrubescendo. Não me sentia orgulhosa pelo que fiz, apenas ri por que Ruby é uma doida tarada. Que gosta de me ver perdendo o controle. 

— Sua boba. - brinco sorrindo, e depois ficando séria com os olhos perdidos na tevê no pause. 

— Me conta como foi...

— Eu ainda gosto dela. Eu sabia que isso eventualmente iria acontecer, que perceberia que ainda não á esqueci. - confesso, ainda com olhos perdidos. — E, sabe Ruby... Ela disse que gosta de mim. - sorrio ao lembrar. — E pediu desculpas por tudo que fez. Eu não podia estar mais feliz por isso...

— Mas...?

— Mas estou com medo. E ainda tem a Ariel. - mostro os problemas, e Ruby me olha com ternura.

— Medo de que, amiga? - pergunta.

— De me machucar. E ainda tem Ariel... Ela... Eu não quero magoá-la.

— Ariel sabe que você ainda tem sentimentos pela gostosa Mills. - não posso deixar de sorri do apelido idiota de Ruby. — E Emma, você só vai saber se tentar. Se machucar é inevitável. Um dia a vida nos pega de jeito. Pelo menos tente ser feliz antes disso. Você mais do que ninguém merece ser feliz. Se ela te faz feliz, o que você ainda está fazendo longe dela? - me incentiva.

Sorrio ainda me sentindo confusa. Mas Ruby tem razão.

 — Eu estou com tanto medo. - confesso, agora fitando a mulher de mechas vermelhas.

— Eu sei que está... - Ruby sempre me apoia em tudo, e eu amo muito isso nela. — Ela te machucou muito, está tudo bem. É normal sentir medo. Mas você acredita no pedido de desculpas dela? - me pergunta.

Penso em pouco, e respondo. — Sim.

— Então está resolvido. Você fica com a gostosa Mills, e larga a ruiva sem graça. - sorri, erguendo os ombros e depois pega o controle em cima da mesinha de centro. — E se não der certo, estou aqui ao seu lado. Tenho outro pijama de ursinho e deixo você usar. A gente assiste Orange Is The New Black, e eu compro um potão de sorvete para você comer sozinha. Também deixo você chorar no meu ombro, e te dou quantos abraços quiser.

Sorrio me sentindo tão grata de tê-la. 

— Obrigada, Ruby. - digo, realmente agradecida.

— De nada. - ergue os ombros. — Eu sei que sou a melhor amiga do mundo.

— É sim... - digo sorrindo.

 Voltamos a assistir, e Ruby acabou dormindo no sofá. Eu não conseguia dormir por que meus pensamentos insistem em invadir minha cabeça. Será que devia tentar com a Regina? Mas e Ariel? Sinto do fundo do meu coração que é Regina que quero. Está resolvido. Regina.

Meu celular vibra me assustando, vejo na tela e é Regina. Meu coração começa a acelerar como a de uma adolescente.

— Regina. - atendo, sentindo meu coração quase sair pela boca.

No mesmo momento ela desliga, não entendi o por que disso então retorno a ligação.

— O que houve? Queria algo comigo? - estou preocupada. Mas ansiosa.

— Não. 

— Então o que houve? - pergunto começando a ficar mais preocupada.

Regina suspira profundamente.

— Você a ama? - pergunta e logo percebo que refere-se á Ariel.

Fico calada por uns segundos, escutando a mesma respirando.

— Por que? - é o que consigo perguntar. Nem sei por que perguntei, tudo que eu queria dizer era que escolhia ela. Que não amo Ariel, mas as palavras saiam da minha boca sem que eu pudesse detê-las.

— Você a ama? - repete.

— Eu não sei. - respondo isso, mas o que eu queria dizer era que: não. Meu coração acelerado, machuca meu peito. O que estava acontecendo comigo? Será que o medo era maior que eu?

Fico calada, e ela também.

— Eu não sou para você, Emma. - fala, quebrando o silêncio. — Eu não a mereço, mas Ariel merece. 

— Como assim? - pergunto, mas ela já tinha desligado o telefone. Por que Regina disse isso? E novamente ela volta a me confundir.

Reviro os olhos, e penso: O que ela quis dizer com: "Eu não sou para você."?

 

 

Parece que na hora que nossa Cisne finalmente iria escolher sua Rainha, a mesma recuou. O que aconteceu Rainha? Não me diga que irá fugir do inevitável de novo? Não tenha medo de gostar. O amor tem suas dores, mas no fim vale a pena. Vamos meninas, fiquem juntas. Não aguentamos mais esses joguinhos. E nessa história toda parece que a única boba é Ariel. Mas e aí Cisne, o que vai fazer? Vai escolher passear com uma Rainha das Trevas? Ou navegar com uma Sereia Mucha? 


Notas Finais


O que acharam meus amores? Espero que tenham gostado.
Um beijão, e até a próxima.
- Swen.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...