História Você não é quem eu procuro - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Exibições 134
Palavras 710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Esse foi mais voltado para Adrien

Capítulo 2 - Primeiro dia - Parte II


Adrien dormia profundamente. E mesmo com seus cabelos loiros levemente bagunçados, ele permanecia fofo. Não havia dormido bem naquela noite, ou melhor, em noite nenhuma, o garoto sofria de uma vida cansativa e estressante, e isso afetava seu sono, mas sempre mantinha a postura, oara que seu pai não duvidasse de nada.

Eram sete horas em ponto quando Nathalie foi acordá-lo.

-Adrien, Adrien!- O chamou.

-Ahn... Oi?- Levantou. O mesmo não parecia ter acordado com sono, como realmente acontece com todo mundo.

-É melhor ir se arrumar rápido se quiser ir pra escola hoje.- Nathalie diz olhando sua prancheta.- Ou quer que seu pai acorde e...

-Ah, não não. Eu já vou me arrumar.- Disse animado.

-Certo, não demore.- Ela diz saindo do quarto.

Assim que a mesma fechou a porta o loiro se joga na cama e bufa. Fitou aquele teto que se encontrava tão longe, e levantou a mão como se pudesse alcançá-lo.

Nunca entendeu o por quê de precisar de um quarto daquele tamanho, sendo que ele era apenas um. Nunca entendeu o por quê de ter que fazer todas aquelas atividades. Nem o por quê de seu pai ser tão "protetor". Gabriel Agreste era tão obcecado por seu filho que o privava até mesmo de ir pra escola.

Tomou coragem e levantou da cama. Se dirigiu até o banheiro, onde tomou um banho de dez minutos. Se vestiu e foi até a sala de jantar, onde seu café se encontrava na grande mesa de vidro, que por sinal, era uma mesa enorme! Qual o sentido de tê-la ali? Sendo que era apenas para Adrien e seu pai?

Adrien morava longe da nova escola, praticamente do outro lado da cidade. E dependendo do trânsito eram uns vinte minutos de sua casa até lá. Saiu de casa às "7:25" e chegou na nova escola às "7:45".

O mesmo queria ir até a nova sala de aula, mas ficou "preso" na sala do "diretor puxa-saco". O mesmo conversava com Nathalie sobre Adrien e outras coisas. O loiro nem se quer prestou atenção na conversa, apenas rodou a sala com seus olhos.

E assim que Nathalie saiu. O diretor começou a dizer que era uma honra recebê-lo naquela escola, ou melhor dizendo: Era uma honra receber um Agreste naquela escola.

Adrien achava engraçado o jeito que o diretor falava como se algo desse errado se não falasse as palavras certas. Era muito divertido.

Passados alguns (muitos) minutos o sinal tocou indicando que as aulas haviam começado, então o diretor parou de falar e finalmente resolveu levar Adrien até sua sala.

E enquanto era apresentado a turma, Adrien passa rapidamente seus olhos pela classe, mas não prestou muita atenção nos rostos das pessoas. Logo se concentrou nas palavras do diretor, que saiu.

-Adrien, sente-se ali, ao lado de Nino.- Disse a professora.

A classe estava praticamente em silêncio se não fosse pela professora falando e alguns sussurros de alunos conversando.

No intervalo...

Adrien arrumava suas coisas quando Nino puxa assunto.

-Ei, cara, e aí?- Disse o moreno.

-Oi.- Adrien responde.

-Você é mesmo filho do Agreste? Aquele Agreste? O cara ricão?

-Sim.- Adrien achava engraçado o modo como Nino falava.

-Nossa mano, que massa! Você tem sorte, hein.

-Você acha?

-Claro, ué. Você deve ter uns videogames da hora.- Adrien parecia surpreso com o verdadeiro motivo de Nino, ele não parecia ser uma pessoa interesseira como o resto das outras que conheceu.

-Na verdade não. Meu pai não deixa eu triscar nessas coisas.

-MAAAAN, como assim? Você não tem videogame!? Como você viveu até aqui?- Adrien ri.

Os dois sairam conversando da sala até o pátio. Adrien estava feliz por ter achado um novo "amigo" se assim poderia chamá-lo.

-Nino!- Diz Alya chamando atenção dos mesmos.

-Ah, oi Alya, oi Marinette.- Diz Nino.

-Oi.- As duas dizem.

-Vem com a gente, nós podemos fazer vaquinha na cantina.- Diz Alya e todos começam a rir. Até que Marinette percebe a presença de Adrien.

-Hm... Adrien, certo?- Diz a azulada.

-Sim.

-Pode vir com a gente, se quiser.

-A-Ah... Claro.- Gagueja o loiro. Se era estranho ele gaguejar? Era.

Todos seguiram até a cantina e como combinada fizeram a "vaquinha do lanche". Sentaram em uma mesa perto da parede e começaram a conversar.


Notas Finais


Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...