História Você não está sozinho - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Vegeta
Tags Bulma, Chichi, Colegial, Dragon Ball, Drama, Drogas, Goku, Vegeta
Exibições 54
Palavras 1.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Encontro entre pai e filhos


Na casa de vegeta, seripa tinha acabado de chegar de mais uma cansativa faxina, ela estava abrindo a porta sentiu alguem segurar lhe o braço, ela virou no mesmo instante e viu que quem estava segurando seu braço era um homem pálido ele disse:

-- preciso que a senhora me acompanhe é muito importante

-- por que? Que é você?

-- a senhora não precisa saber quem eu sou, so precisa saber que meu chefe quer ve-la

-- quem é seu chefe?

-- me acompanhe que a senhora descobrirá!

Seripa segui o homem que parecia ser um segurança, ele a levou ate um carro preto que estava parado na outra esquina, ela ficou um pouco receosa mas contínuo caminhando. Quando se aproximou o segurança abriu a porta e disse:

-- entre por favor!

Seripa, olhou para trás e depois para o segurança, e depois entrou no carro, ela olhou para a pessoa que estava sentada a seu lado e pronunciou as seguintes palavras:

-- n-nao é possível... N-nao pode... Ser vo...cê - ela balançava a cabeça em sinal de negação

-- seripa, eu sei que é difícil mas...

Ele não conseguiu terminar de pronunciar porque ela desmaiou e ele a acudiu.

Alguns minutos depois seripa abriu os olhos e percebeu que o carro estava em movimento, percebeu também que estava com a cabeça encostada no ombro do causador de todos os problemas que ela tinha. na mesma hora ela se levantou assustada e disse;

-- pare o carro agora

-- meu amor, se acalme, por favor! 

-- Eu não irei me acalmar para este carro agora ou eu abrirei a porta e irei me a jogar!

-- por favor, não faça isso, eu só quero conversar!

-- ah, agora você quer conversar, por que não fez isso antes de me abandonar com dois filhos pequenos! Vegeta saiyajin

-- seripa, eu me arrependo de ter abandonado vocês, eu era muito imaturo.

-- quantas desculpas você vai inventar? eu  também era imatura, mas tive que amadurecer pelo bem dos meus filhos tive que cria-los sozinha sem a ajuda de ninguém!

-- eu me arrependo muito, se pudesse voltaria no tempo e não cometeria essa bobagem.

-- mas você não pode!

-- mas posso tentar recompensa-los, eu consegui abrir minha própria empresa e agora eu posso dar a vida que vocês merecem.

-- quer dizer que em todos esses anos você conseguiu realizar seu sonho de enriquecer.

-- sim, os jornalistas não sabem que eu cheguei na cidade e por isso que consegui vir te encontrar.

-- Vegeta por favor não me procure mas, os meus filhos não precisam sofrer mas do que já sofreram

-- nossos filhos!

-- por favor, me leve de volta e depois vá embora!

-- seripa, não me peça para ir embora, eu quero você e os meninos do meu lado.

-- não sera possível, agira vamos

-- tudo bem te levarei para casa mas não Resistirei de ter você ao meu lado novamente.

Depois dessas palavras seripa ficou em silêncio, ela ainda amava muito aquele homem. e por isso precisava pensar no que fazer. Ela teria que contar ao seu filho Vegeta sobre a chegada do pai dele. Ela sabia que não seria uma tarefa fácil já que vegeta não gostava que falasse do seu pai na sua frente, ele odiava o fato de seu pai ter o abandonado quando ele ainda era uma criança.

Quando chegaram perto da Esquina onde seripa morava, vegeta disse:

-- seripa, por favor! Pense no que conversamos.

-- vou pensar, mas quero te pedir um favor!

-- qual favor?

-- não se aproxime dois meninos, principalmente do Vegeta.

-- mas porque?

-- o tarble é só uma criança não entende o que aconteceu. E o vegeta não aceita o fato de você ter ido embora.

-- entendo, mas eu vou querer velos, nem que seja de longe!

-- Tome cuidado por favor!

Seripa saiu do carro e foi em direção a sua casa, enquanto caminhava foi pensando nas palavras de Vegeta, O que ela iria fazer? Como iria contar para os seus filhos que depois de 8 anos o pai dele já havia voltado? Esses pensamentos estavam inundando a mente dela só tinha percebido que estava na frente da porta de sua casa depois de alguns minutos. Abriu a porta e entrou na pequena casa, olhou em volta e percebeu que havia alguém na cozinha. Ela caminhou até lá e viu que era seu filho mais velho. Ele a olhou e perguntou:

-- porque a senhora está com essa cara? parece preocupada!

-- por que você está em casa à essa hora?

-- um de meus professores faltaram! e eu fui liberado mais cedo. A senhora não respondeu à minha pergunta!

-- eu tenho que conversar com você, e é muito sério o que eu tenho pra dizer!

-- pode falar mãe!

Seripa se sentou e respirou fundo olhou para o filho criou coragem e disse de uma vez só:

-- seu pai voltou e quer ver você e o       tarble!

-- o que? esse miserável voltou e quer me ver? Ele só pode estar louco se acha que eu vou permitir que ele se aproxime de nós.

-- Vegeta por favor, ele é seu pai ele cometeu um erros mais está Arrependido agora!

-- não me interessa, ele não vai se aproximar de mim e nem do meu irmão.

-- seu irmão pode querer conhecê-lo, ele vive perguntando do pai!

-- eu Eu já disse que não permitirei que ele se aproxime do meu irmão.

-- Vegeta É uma decisão do tarble conhecer o pai ou não! Se ele quiser conhecê-lo você não poderá fazer nada!

-- eu odeio esse homem porque ele voltou estávamos muito bem sem ele.

-- Vegeta se acalme por favor

-- eu vou ir buscar meu irmão na escola, está muito cedo para tomarmos qualquer decisão sobre esse assunto.

-- você não vai trabalhar

-- vou, mais ainda é cedo! dá tempo de busca-lo na escola.

-- tudo bem, você que sabe.

Vegeta saiu de casa foi para escola de tarble, enquanto esteve dentro do ônibus foi pensando no que sua mãe tinha dito sobre o seu pai ter voltado. ele estava revoltado, não aceitaria que depois de 8 anos, seu pai volte como se nada tivesse acontecido. E de maneira nenhuma ele deixaria que seu pai e se aproximasse de tarble, ele era apenas uma criança.

Quando Vegeta chegou na escola as crianças já haviam saído, ele foi até o porteiro e perguntou:

-- Olá você poderia me dizer se um menino  parecido comigo já saiu!

-- sim, acabou de passar um menino muito parecida com você!

-- você poderia me dizer para onde ele foi?

-- Olha eu vi ele conversando com um cara que parecia insegurança ele estava todo vestido de preto.

-- onde ele esta?

-- acho que ele está ali na praça!

-- Tá bom, obrigado!

Vegeta foi correndo até a praça queria saber quem era o tal homem com quem Seu irmão conversava, quando chegou lá viu seu irmão sentado em um banco conversando com um homem. Vegeta ficou paralisado quando viu o homem ele reconheceria aquele rosto em qualquer lugar  era ele! era seu pai. Ele correu até o banco quando chegou Segurou o braço de tarble e disse:

-- nunca mais se aproxime de meu irmão!

-- filho por favor, eu quero conversar com você!

-- eu não tenho nada para conversar com você

-- não seja teimoso por favor eu quero me explicar

-- não tem nada para explicar você nos abandonou, E isso não vai mudar

-- Eu me Arrependo todos os dias de ter feito isso.

-- Seu seu arrependimento não vai mudar o que eu e minha mãe tivemos que passar por sua causa.

-- eu quero recompensar recompensa-los, por tudo o que vocês passaram, perdoe-me meu filho por favor.

-- Não, eu não te perdoo nunca, você nunca terá meu perdão

-- Vegeta, por favor não fale assim com ele, ele é nosso pai!

-- não se meta tarble

-- É claro que eu vou me meter, ele está arrependido! eu já perdoei faça isso também você vai se sentir melhor!

-- tarble vamos embora!

-- tchau papai!

-- tchau meu filho!

-- vamos tarble!

Vegeta e tarble voltaram para casa, vegeta estava nervoso por tarble ter conversando com o pai, mas o que o estressava era a ideia de que o irmão tinha perdoado o homem que havia causado tanto mal para sua familia.
   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...