História Você Se Lembra? - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Taegi, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 596
Palavras 2.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores ☆*:.。.o(≧▽≦)o.。.:*☆

Nesse capitulo frases em NEGRITO junto com ITÁLICO serão lembranças ok?

Boa leitura (⌒▽⌒)☆

Capítulo 22 - More Than A Simple Kiss


Fanfic / Fanfiction Você Se Lembra? - Capítulo 22 - More Than A Simple Kiss

Jungkook's POV

Uma semana se passou, minha mente parece borbulhar memórias a cada instante, porém foram mais coisas da faculdade e pouco relacionado a Jimin, não acho que obtive coisas muito importantes ao meu ver, mas como o hyung costuma falar, cada nova lembrança é um grande passo, então comecei a pensar que ele tem razão, cada pequena coisinha que eu relembro já é importante.

Não posso deixar de falar sobre o modo como Jimin se emocionou quando contei sobre ele ser a causa d'eu ter descoberto meu talento para fotografias, o modo que ele ficou feliz me deixou alegre também, sem contar o tempo que ficou abraçado a mim depois que terminei de lhe contar a história, quase pedi para ele não me soltar mais, essas sensações de dependência e vontade me assustam.

Desde anteontem o hyung está estranho, falou pouco comigo e ficou trancado em sua sala ensaio, acabo pensando que ele deve estar cansado, não da faculdade ou dos ensaios, mas de mim, o quanto não deve ser horrível ter que aguentar uma pessoa sem meestalosque é quase um peso morto, eu sei o quanto eu e Jimin éramos um casal ativo, mas eu não posso dar mais isso a ele, não quero me culpar pela minha condição, pois não é algo que eu poderia evitar, foi um acidente, porém ainda sinto que só estou dando trabalho ao Jimin, não sou suficiente para ele, não mais.

Sei o que o Jungkook de antigamente era uma pessoa incrível, ótimo filho, amigo, namorado, super talentoso e cativante, mas eu não sou mais ele e nem sei como ser, fico pensando que todos a minha volta só esperam que eu volte a ser ele, pois o que sou agora não é mais o que todos gostavam.

É errado que eu sinta inveja de mim mesmo?

Até prefiro me iludir e pensar que o motivo do Jimin estar estranho é outro, pois não quero que ele se canse de mim, não agora que comecei a gostar dele, e sim, tenho certeza que estou me apaixonando, porém o que pra mim é o início de algo, para ele é algo velho, o outro Jungkook teve tudo primeiro, Jimin não sentiria comigo aquela ansiedade e forte desejo de um início de namoro, não como eu sinto a cada simples selinho que me dá, parece que meu corpo inteiro esquenta e anseia, já com ele deve ser apenas um contato frio e comum.

É estranho que eu me refira a mim mesmo do passado como se fosse outra pessoa, mas é assim que me sinto, como se o Jungkook com memórias fosse o meu irmão gêmeo, ele é idêntico a mim, mas não sou eu, e ao mesmo tempo sou eu, é uma coisa confusa que chega a dar um nó no cérebro, porém minha mente está assim, mais bagunçada a cada dia, eu só queria poder me decifrar e entender Jimin também, porém enquanto algumas de minhas perguntas são respondidas, outras dúvidas surgem, me sinto em um loop infinito em que as respostas nunca são suficiente, pois acabo sempre voltando ao inicio de tudo.

[...]

- Jiminie? Posso entrar? - O chamei na porta da sala de prática.

- Entra. - Respondeu sem me olhar, ainda executando alguns passo em frente ao enorme espelho que tem aqui.

- Eu quero te perguntar algo. - Pronunciei meio inseguro.

- Pergunte. - Andou até a caixa de som para desligar a música.

- Tem alguma coisa acontecendo com você? - Questionei ainda incomodado com aquela expressão séria.

- Comigo? Que eu saiba não, por que? - Ele perguntou me olhando desentendido.

- É que está agindo estranho desde anteontem. - Expliquei vendo sua expressão suavizar.

- Não é nada, não precisa se preocupar. - Jimin respondeu indo até um frigobar que tem no canto do cômodo, para pegar uma garrafa de água. 

- É alguma coisa sim, eu sei. - Fui até ele. - É por minha causa? Seja sincero.

- Ok, tem a ver com você, mas não é sua culpa. - Falou sem me fitar.

- Me diga, eu não quero ficar aqui fazendo mil e uma suposições do porquê você está assim, só me sinto ainda mais culpado agora que falou que tem a ver comigo. - Declarei colocando minhas mão em seu ombro para que ele me encarasse, Jimin abaixou a cabeça.

- É que... Hoje é nosso aniversário, faz sete anos que eu te pedi em namoro. - Contou dando um suspiro ao fim de sua fala, me afastei dele.

- Desculpe. - Pedi cabisbaixo, me sentia pior agora.

- Não Kookie, não tinha como você saber. - Jimin veio para perto de mim novamente, segurando minha mão. - Eu que tenho que pedi desculpas, acabei agindo estranho esses dias, é porque uma parte de mim esperava que seria como antes, que eu acordaria e receberia um café na cama e você me diria todos os passeios que planejou para a gente, eu acabei ficando chateado comigo mesmo por achar que aconteceria algo assim, e por ter criado expectativas quase impossíveis em minha mente.

- Podia ter me contado isso antes. - Reclamei um pouco exasperado, eu poderia muito bem ter feito essas coisas se ele tivesse me falado.

- Não seria algo sincero se eu te contasse Kook, não queria que você sentisse a obrigação de me fazer algo. - Falou tentando me fazer entender, mas mesmo assim que queria que ele tivesse me dito.

- Mas mesmo assim Jimin, eu poderia...- Tentei lhe dizer, porém Jimin me cortou.

- Não Kook, essa data sempre foi muito importante para mim e para você, mas agora... - A frase de Jimin morreu no fim, ele suspirou, soltei sua mão.

- Não seria importante para mim só porque não tenho minhas memórias? - Concluí sentindo meus olhos arderem, me sinto mais sensível esses dias, talvez minha mente esteja tão confusa que está bagunçando até meus sentimentos.

- Espera, eu não quis dizer isso, é que... - Eu não deixei que Park terminasse sua fala.

- Já entendi Jimin, eu não sou o seu Jungkook, você não iria querer passar essa data comigo e sim com ele. - Proferi me afastando dele, estava me sentindo tão angustiado agora, a vontade de chorar aumentava, por que sinto que estou o perdendo?

- Por que está falando como se você fosse outra pessoa? Kook você é o meu noivo, essa amnésia é algo passageiro, logo você... - Jimin tentou me tocar novamente, mas andei para longe.

- Logo eu vou ter minhas lembranças de novo e voltar a ser o cara que você realmente ama. - Manifestei começando a me irritar, não esperava que a conversa tomaria esse rumo.

- Como assim? Eu te amo agora da mesma maneira que amava antes de sua amnésia, nada mudou em relação aos meus sentimentos. - Explicou parando na minha frente.

- Não consigo acreditar nisso Jimin, você só quer tanto que eu recupere minha memória porque não consegue me amar assim como estou agora. - Eu falei supondo, Jimin me olhou parecendo bem surpreso com minhas palavras.

- Não tire conclusões precipitadas Jungkook, eu o amo, e continuaria apaixonado não importando qual fosse as sequelas desse acidente. - Declarou franzindo o cenho.

- Jimin, a parte de mim que está apaixonada por você acredita nisso, mas tem a outra que só se sente insuficiente e acha que só está falando isso para que eu não me magoe. - Expus como me sinto, Jimin chegou mais perto quando percebeu que eu havia abaixado a guarda.

- Ei. - Sua mão macia tocou a lateral de meu rosto, fechei os olhos. - Já que não consegue acreditar completamente, eu posso te fazer sentir o quanto te amo.

- Como? - Perguntei confuso com sua proposta.

- Assim... - Seus lábios carnudos tocaram os meus, mas não a acho que Jimin pretendia me dar outro selinho casto.

A ponta de sua língua tocou meu lábio inferior, ele estava me pedindo consentimento, apenas parei de pensar tanto em consequências ou em meus próprios medos e abri minha boca, permitindo do aquele músculo quente e úmido adentrasse minha cavidade bucal, ofeguei, é tão bom que não consigo explicar a sensação em palavras, Jimin sorriu contra meus lábios e iniciou o ósculo, meu coração martelava rapidamente, me arrependo de não ter tomado a iniciativa para isso antes.

Minhas mãos foram até seus cabelos, deixando os dedos passearem por ali enquanto nossas bocas se chocavam e línguas trabalhavam, as palmas de Jimin foram para minha cintura, seu corpo grudou ao meu, o ar esquentava gradativamente e imagens de Jimin começaram a brotar em minha mente, não eram lembranças que eu já tinha tido antes, eram coisas novas, as imagens começavam a ficar mais nítidas de acordo com a intensidade que o beijo tomava.

Estávamos deitados em nossa cama, sua cabeça repousada em meu peito, ele sorria.

Separamos nossos lábios por falta de ar, mas logo ele me empurrou contra a parede, um novo ósculo começava, ele estava afoito, eu também, suas mãos passeavam por meu corpo e com isso eu sentia mais calor, os estalos do beijo são excitantes, eu poderia derreter em seus braços, Jimin sabe como me pôr sobe seu controle.

Ele corria na minha frente, estávamos no parque, seus cabelos estão da cor cinza.
Oh! Ele fica bem com essa cor.

Com nossos lábios ainda colados, Jimin me prensa com mais força contra o concreto, sinto um leve arrepio quando sua mão adentra minha camiseta, ele toca minhas costas com as pontas de seus dedos frios, e eu mantenho nossas línguas dançando juntas, sua boca parece ter sido moldada para estar contra a minha e eu não me importo o quão clichê isso deve ter soado.

Estamos na escola, eu seguro sua mão por baixo da mesa para ninguém ver, ele corou.

O beijo se finda, mas sua boca apenas muda de alvo, agora ele vai ao meu pescoço, porém não beija ou suga a pele, Park percorre a extensão com a ponta da língua, eu arfo, Jiminie desce um pouco a manga da minha camiseta, expondo meu ombro, ele pressiona seus lábios ali, distribuído selares, escolhe um local e disfere uma mordida, eu não consigo evitar um gemido de satisfação, a leve dor é prazerosa.

Apenas um lençol fino cobre sua nudez, os primeiros raios solares entram pela janela batendo contra seu rosto, preciso tirar uma foto disso.

Meu ombro direito queima devido a pressão de seus dentes, não satisfeito, Jimin começa a chupar a pele, solto um grunhido, ele arrasta os seus dentes pelo meu pescoço, o arrepio é inevitável, Jimin coloca sua mão em meu abdômen por dentro da roupa e passa as unhas com um pouco de força, o hyung parece conhecer todo o meu corpo muito bem, sabe os pontos sensíveis, estou a sua mercê.

As estrelas iluminam o céu, eu e ele estamos dançando lentamente, a vista é linda e seu sorriso mais ainda.

Park inicia uma trilha de beijos por meu ombro e pescoço, até sua boca estar perto de minha orelha, ele morde a cartilagem  e sussurra:

- Me toque Jungkook. - Segura minha destra e a leva até debaixo de sua blusa, meus dígitos tocam a derme nua de sua cintura. - Eu quero te sentir. - Seu peito gruda ao meu e sinto sua perna sendo colocada entre as minhas. - Faça o que tem vontade. - Sua voz rouca e baixinha ao pé do ouvido deixa minha pele eriçada, ele gosta de me causar isso. - Você pode sentir o quando eu te amo, me faça te sentir também.

Estou parado em meio a chuva, com os olhos fechados, sinto as gotas geladas em minha pele, seu corpo se abraça ao meu, não sinto mais frio.

Sua última frase ultrapassou o meu limite de auto controle, tiro minha mão de dentro da sua roupa e reverto nossa posição rapidamente, lhe prensando contra a parede, Jimin chega a ofegar pela surpresa do movimento, aproximo nossos lábios e início um novo beijo lento que ele corresponde rápido, sua pele está quente, suas mão apertam meu corpo como se eu fosse fugir dele a qualquer instante, tão afoito e cálido, eu não quero parar.

Estamos deitados no tapete da sala, escutando música, ele canta baixinho, sua voz é linda.

Eu separo nossos lábios, ele inclina a cabeça para o lado, deixando a pele branquinha de seu pescoço exposta para mim, indicando o que quer que eu faça, dou um beijo leve ali o escutando suspirar, após isso inicio uma sucção no local, deixando uma linda marquinha arroxeada, repito isso em mais alguns cantos de seu pescoço o deixando marcado e avermelhado, Jimin geme baixinho, minha mente continua a trabalha com imagens que não consigo interpretar o porquê de estarem aparecendo agora, assim do nada.

Estamos discutindo, ele falou algo que me magoou, eu saio pela porta de frente, ele não me segue.

Park está ofegante, assim como eu, sinto sua ereção contra minha perna, não posso fingir que também não há um volume se formando dentro do meu jeans, passo as mãos por sua cintura o trazendo mais para mim, volto então a iniciar outro ósculo molhado e desejoso, coloco minha perna entre as dele e esfrego meu joelho em seu falo ereto, me delicio com os gemidos manhosos que ele faz soar entre meus lábios, esse beijo me transmitia muitos sentimentos, são tantas sensações que acabo me perdendo, paixão, alegria, carinho, saudade... 

Saudades? Mas como?

Dirigindo numa estrada mal iluminada, lágrimas borram minha visão, não consigo prestar atenção na pista, uma carreta me fecha... O carro está girando no ar.

Um clarão forte vem em minha mente fazendo com que eu me afaste de Jimin pelo susto, ele arregala os olhos surpreso com meu afastamento bruto e repentino, nem eu sei porquê parei tudo, minha cabeça começa a doer um pouco, nossas respirações descompensadas são o único som do ambiente, o que foram essas imagens que pareciam em meus pensamento? Por que isso começou enquanto eu beijava Jimin? Como posso ter sentido saudades de algo que eu nem lembrava qual era a sensação? Não consigo raciocinar direito em meio ao que acabou de acontecer, minha mente está virando um redemoinho de perguntas.

- Desculpe Kookie, eu me deixei levar, acho que fui longe demais. - Jimin diz, seu rosto se torna completamente corado.

- N-não hyung, está tudo bem, eu também queria. - Repondo desviando meu olhar para o chão, pois olhar sua figura suada, ofegante, com marcas roxas no pescoço, uma ereção marcada pela calça e seus lábios vermelhos e entreabertos é algo muito chamativo e erótico para mim no momento.

- Então por que parou? - Me encarou confuso, acabo ficando sem saber o que lhe dizer para me explicar, então falo a coisa mais óbvia que vem a minha mente.

- Apenas não me sinto pronto ainda, desculpe. - É claro que já estou pronto para até mais do que isso, porém essas pequenas recordações que surgiram enquanto eu o beijava me assustaram.

- Não, está tudo bem. - Ele me tranquilizou, andou até estar de frente para mim, levou as pontas dos dedos até me queixo, levantando meu rosto. - Eu te amo, não fique colocando coisas na sua cabeça e muito menos duvidando do que sinto.

- Certo, não farei mais, sei que me excedi. - Proferi o vendo sorrir e em seguida me dar um selinho.

- Vou fazer algo para comermos, daqui a pouco te chamo ok? - Disse e eu assenti, Jimin se retirou da sala e eu o acompanhei com o olhar.

Fiquei parado ali no centro do cômodo, suprimo meus lábios relembrando dos toques e sensações que senti á uns segundos atrás, foi tudo tão bom, eu teria ido até o fim, mas minha consciência tinha que me trair bem naquele instante, interessante pensar assim agora, já que á pouco tempo atrás eu teria medo de tentar qualquer toque mais ousado, mas Jimin me trás confiança, e isso só está aumentando a cada dia que passa e a cada coisa nova que minha mente me mostra.

Não posso me esquecer que hoje ainda é nosso aniversário, Jimin ficou bem mal por estar passando essa data sem mim de certa forma, ele pode dizer que está tudo bem, mas eu sei que não está, já perdemos a manha e um pedacinho da tarde, porém ainda temos a noite inteira, tenho que planejar algo, porém não sei por onde começar e nem o que devo fazer, preciso da ajuda de alguém, e já sei de quem. 

Pego meu celular e ligo para a pessoa que mais deve conhecer a mim e meu noivo para indicar um programa que agrade tanto eu quanto a Jimin.

- Alô? Jin hyung? Aonde você levaria alguém em seu aniversário de namoro?
 


Notas Finais


Quem entendeu o que aconteceu com o Kook durante o beijo vêm cá, me abraça (つ✧ω✧)つ
E quem não entendeu pode perguntar nos comentários que eu explico ヽ(>∀<)ノ

E sim, foram 22 capítulos para ter um beijo descente entre esses dois uahushaushasu (excluindo os momentos de flashback claro)

Até o próximo, beijos σ(≧ε≦σ) ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...