História Você Se Lembra? - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Taegi, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 725
Palavras 2.593
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hii ヾ(@^∇^@)ノ
🎉 FELIZ DIA DAS CRIANÇAS POVO 🎉
Não sei vocês, mas eu me considero uma criança mentalmente... Só que quando falei pra minha mãe que eu merecia um presente... Ela riu na minha cara e me mandou ir lavar a louça... Magoei ಥ_ಥ
E também é aniversário do Jimin (na Coréia) to bem coisadona hoje, sempre fico tão feliz nos aniversários deles, minha mãe fica rindo da minha animação... Essa mulher adora praticar um bulliyng comigo.

Boa leitura \(≧▽≦)/

Capítulo 7 - Dance With Me


Fanfic / Fanfiction Você Se Lembra? - Capítulo 7 - Dance With Me

Jimin's POV

Passei todo o caminho de volta pra casa ansioso, sentia minhas mãos suarem, estava nervoso para contar a Jungkook o que venho escondendo dele, não é justo com ele a maneira como estou agindo, Jeon tem que saber que somos noivos e não amigos, mesmo que eu já saiba que a reação dele não será tão receptiva, entendo isso, qualquer um se sentiria traído ao saber que a pessoa em que ele mais confia, vem omitindo algo muito importante. 

Eu errei e continuo errando em manter essa mentira.

Decidi que teria essa conversa após o almoço, porém essa refeição já tinha passado a um tempo e eu ainda não tinha tomado coragem de dizer-lhe, no momento estávamos na sala, ele deitado no tapete escutando músicas em seu celular, eu tinha lhe mostrado sua playlist favorita, Jungkook grudou naquele celular e nem me dava atenção mais, não que isso estivesse me incomodando, apenas queria encontrar uma brecha para iniciar o assunto que tanto venho guardando. 

Pensando bem, não vai existir um momento perfeito para falarmos disso, eu tenho que contar, não há outra alternativa, vou aproveitar que ele está relaxado e concentrado em suas músicas e soltar tudo que escondi dele.

- Jimin hyung? - Kook me chama se levantando do chão e vindo se sentar ao meu lado no sofá. - Essa música, eu me lembro dela. - Ele conta sorrindo, tirando os fones do celular e aumentando o volume.

Eu sei muito bem que canção é essa, pois é uma de minhas favoritas, eu e Jeon criamos uma coreografia para ela, já que dança é uma paixão que compartilhamos, a única diferença é que pra ele sempre foi apenas mais um hobby, já pra mim é uma profissão, lembro do quanto fui ridicularizado por algumas pessoas de minha família, quando falava do meu sonho de seguir carreira na dança, mas Jungkook sempre estava ali do meu lado, me dando forças para nunca desistir.

Ele dizia que quando eu chegasse ao topo, as pessoas que desacreditaram em mim veriam como estavam erradas e se arrependeriam de não ter me apoiado desde o inicio, Kook sempre foi muito mais do que um amigo, confidente e amante, ele é meu ponto seguro, a pessoa que me faz acreditar que sou capaz de alcançar todos os meus objetivos, e agora estou mentindo pra ele, a culpa vai acabar me deixando louco se eu não me livrar dela de uma vez. 

Sou tirado de meus devaneios pela voz doce de Jungkook cantarolando a tal música que havia vindo me mostrar, isso me dá uma ideia, se ele pode lembrar da letra da canção, quem sabe também não se lembre da coreografia que críamos. 

- Ei Kookie, você se lembra disso? - Me levantei do sofá e fiz alguns movimentos presentes da parte do refrão na coreografia, Jeon me olhava curioso.

- Não sei ao certo. - Deixou o celular com a música ainda tocando sobre o sofá e se pôs ao meu lado, parecia estar inseguro.

Sorri o incentivando e continuei a executar os passos da dança, era uma coreografia bem simples, com movimentos leves e lentos, ele me acompanhou ainda meio acanhado, mas logo estava se soltando, Jungkook parecia se lembrar de toda a coreografia, aquilo estava adormecido no subconsciente dele, só bastou copiar alguns dos meus passos para que acordasse e seu corpo se movimentasse num impulso, como que por instinto, já conseguiu seguir sozinho, sem precisar de mim para guiar, eu não parava de sorrir.

Será que com as outras lembranças vai ser assim também? Ele só precisara puxar em sua memória o que fazia e botar em prática? Como por exemplo, pessoas que tem percas de memória muito piores do que a de Jungkook, aquelas que esquecem do próprio nome, podem ainda sim, escrever sua assinatura, pois a assinatura é algo que fazemos durante toda a vida, aquilo fica preso em sua mente, armazenado no "banco de dodos" de seu subconsciente e é executado quase todos os dias, então quando for pedido, a pessoa conseguirá assinar seu nome, quase que involuntariamente. Não sei se isso pode funcionar para tudo o que a amnésia levou, mas já é um grande passo e uma boa quantidade de esperança que nos invade.

A música chegou ao fim e a próxima canção da playlist iniciou, essa era uma batida mais eletrônica, com uma coreografia mais animada, porém não muito complicada, era uma de minhas preferidas para executar.

Eu o observei fechar os olhos e cantar a letra da música enquanto fazia os movimentos com leveza e facilidade, algo costumeiro para mim, era incrível como Jungkook conseguia pegar uma coreografia rapidamente, ele realmente tem um grande talento, uma pena que esse não seja sua vocação, tenho certeza que ele se daria muito bem nesse ramo se quisesse.

Ele percebe que fiquei parado, caminha até mim sorrindo, segura minha mão e faz meu corpo rodopiar no próprio eixo, para em seguida me puxar contra seu peitoral, chocando nossos corpos, soltei uma risada pela surpresa do movimento, ele me acompanha, rindo também.

Afastamos o sofá do meio da sala para termos mais espaço, pulamos para a próxima canção animada da lista e nos soltamos, Kook as vezes parecia se perder durante a coreografia, mas era só olhar o que eu estava fazendo que retornava a acertar nos passos, me encanta vê-lo dançar, ele parece tão confiante, seguro de si, como se conseguisse liberar todas as suas frustrações na dança, isso é algo bonito de ser apreciado.

Ficamos entretidos entre a dança e risadas divertidas que nem notamos a música chegar ao fim e uma nova se iniciar, essa tinha um ritmo sensual e uma letra sugestiva, fui até o celular para trocar a canção, mas Jeon me impediu.

- O que foi hyung? Aonde vai? - Questiona segurando meu braço.

- Trocar a música. - Repondo simples, ele franze o cenho.

- Por que? - Diz desentendido.

- A coreografia dessa tem que ser feita por um casal. - Lhe expliquei, lógico que não tínhamos problemas em realiza-la antes, mas agora não posso simplesmente puxar Jungkook para uma dança provocativa.

Certo? 

- Exatamente, tem duas pessoas aqui não é? - Kook fala, ele quer mesmo executar essa coreografia?

- É, mas...

- Que foi hyung? Tem medo de descobrir que sou mais sexy do que você? - Ele provoca, sorrio de lado.

- Isso foi um desafio? - Lhe encaro levantando as sobrancelhas.

- Depende da forma que interpretou. - Ele rebate.

- Jungkook, não brinque comigo. - Aviso com um sorriso sútil nos lábios.

- Eu não gosto de brincar hyung. - Se aproxima sussurrando em meu ouvido. - Prefiro jogar. - Sua voz rouca fez os pelos de minha nuca se eriçaram.

O que deu nesse garoto?

Posso confirmar agora que o lado provocador de Jungkook continua intacto em seu consciente, bom saber, posso ter a certeza que sua personalidade não foi mudada devido a amnésia, o meu menino continua aqui, só precisa ser acordado dentro de sua própria mente.

- Vamos jogar um pouquinho então. - Respondo provocador e vou até o celular, voltando a música desde o seu início. 

Nos posicionamos um de frente para o outro, começamos os primeiros movimentos ainda sem se aproximar do corpo alheio, a dança provocativa era excitante, não posso negar, suas mãos finalmente vieram a minha cintura, segurando com firmeza, quase ofeguei, estava com saudades disso, de sentir seus toques.

Ele me guiou pela sala, sua mão desceu pelas minhas costas e parou sobre minha lombar, me puxou pra frente, chocando nossos quadris, arfei, colocou sua perna entre as minhas e segurou a parte lateral da minha coxa, apertando a carne farta com firmeza, desceu a mesma mão até a parte de trás do meu joelho, enquanto fazia minha perna elevar-se lentamente, arrastando-a pela lateral de seu corpo, a pose sensual me instigava, não conseguia disfarçar o quanto aquilo estava me atiçando, porém ele parecia calmo, apenas seguindo a coreografia, eu estava queimando sobre sua pele.

A mão livre dele, em um movimento rápido, inclinou meu corpo pra baixo, segurei seus ombros enquanto mantínhamos o contato visual, meu corpo estava suspenso, Jungkook me segurava sem aparentar estar fazendo esforço algum, sua respiração bateu contra meu rosto, senti minhas bochechas esquentarem.

Jeon sorriu e me colocou de pé novamente, ele me virou de costas para si, seguindo a coreografia, rebolou sua pélvis contra minhas nádegas, segurei um gemido de satisfação, sinto suas mãos descerem por minhas costelas, em um movimento lento e provocante, mordi o lábio inferior e comecei a suar, não consigo evitar, a tesão parece palpável no ar, deixei que minha cabeça tombasse pra trás, sendo apoiado por seu ombro, levei minha mão para a parte de trás de sua cabeça e segurei seus fios de cabelo, enquanto balançava meus quadris para os lados, sendo apoiado por suas mãos, que pararam sobre minha cintura, o cheio amadeirado de seu perfume parecia me entorpecer.

Minha pele arrepiada em contato com a dele só piora meu estado de excitação, Kook rodou meu corpo mais uma vez, agora estávamos frente a frente, seu olhar mantinha uma falsa inocência que me deixava perdido, parecia o meu noivo ali, o Jungkook que conheço desde os treze anos, não o rapaz que perdeu a memória e pensa que sou seu melhor amigo. 

O ritmo se torna mais rápido, a música está em sua última estrofe, a coreografia chega em seu clímax, sinto meu corpo suar e ansiar por mais, um último movimento de seus quadris quase me faz gemer, noto que minha calça parece mais apertada, não precisei olhar para baixo para ter a certeza da ereção que se formou, meu rosto enrubesce, me livro de seus toques rapidamente, virando de costas e parando de dançar, uma outra música se dá início.

- Hyung, o que foi? Não que mais dançar? - Sua voz mesclada com a respiração ofegante devido ao esforço físico quebra o ar.

- E-estou cansado, po-podemos dançar n-novamente o-outra hora.- Me xingo mentalmente pela forma que gaguejei.

- Ah claro, depois retornamos. - Kook diz indo até o celular e desligando a música. - E então hyung? Eu dancei bem? - Sua voz vem carregada de ansiedade.

- Sim, claro, você foi ótimo. - Respondo de forma nervosa, o volume na parte da frente de minha calça ainda não diminuiu, preciso sair da vista dele antes que perceba o que me causou. - K-Kookie eu vou tomar b-banho, já volto.

Digo ainda me embolando com as palavras e corro para fora da sala, escuto sua voz me chamar, possivelmente estranhou minha ação, entro em meu quarto trancando a porta, bato as costas contra a mesma e escorrego por ela até me sentar no chão, relembrando o que acabamos de fazer na sala, como ele pode agir de uma maneira tão sexy e continuar com uma expressão tão inocente? 

Dançar com Jungkook novamente foi uma ótima sensação, me sinto até mais vivo, por assim dizer, a última coreografia foi intensa, parece que ainda posso sentir a pressão de seus dedos sobre minha pele, e pensar nisso só faz meu membro pulsar e clamar por um alívio.

Levanto do chão e começo a andar em círculos, me recuso a me tocar, sempre tive vergonha de fazer isso, mesmo que seja algo íntimo que ninguém ira presenciar, eu poderia tomar um banho gelado, mas está um dia muito frio, não quero passar por uma sessão de congelamento.

Não resta alternativas, terei que fazer.

Desabotoei minha calça e a desço por minhas pernas, jogo em qualquer canto e me deito sobre a cama, ainda com o rosto fervendo pelo constrangimento, olho para minha própria ereção marcada pelo fino pano da cueca boxer, levo minha mão até lá, suspirando logo ao primeiro toque, me sinto tão sensível.

Massageio meu falo, sentindo pequenos espasmos passarem por meu corpo, não aguento muito tempo naquela leve tortura e me livro da cueca, a jogando no mesmo lugar da calça, tomo meu membro duro entre os dedos, uma grande quantidade de pré-sêmen vaza pela fenda, mordo o lábio com força para não soltar gemidos.

A imagem de Jungkook vêm a minha mente.

Início movimentos pra cima e pra baixo, sentindo meu baixo ventre repuxar em excitação, minha mente parece trabalhar contra mim, já que cada segundo mais visões pecaminosas de Jungkook aparecem em meus pensamentos, espremo meus lábios tentando não chamar seu nome.

Sinto o suor escorrer por minha testa quando acelero os movimentos, com a mão livre, acaricio meus testículos, deixando que pequenos suspiros e gemidos contidos escapem por meus lábios.

- Hmmm K-Kookie aah - Percebo seu nome sair ser permissão, mas não está fácil me controlar.

Eu preciso de mais.

Diminuo a masturbação em meu falo, pressionando o polegar da mão esquerda na glande inchada e espalhando o pré-gozo pela pele sensível, enquanto levo os dedos da outra mão até meus lábios, os sugando, deixando molhados pela saliva, em seguida, afasto minhas pernas e levo o indicador até minha entrada, solto um soluço ao sentir me penetrar, meu corpo parece queimar.

Já insiro o segundo dedo, começando um vai e vem lento, meu canal pulsa, as paredes internas parecem esmagar meus dedos, imagino como Jeon se sentia ao estar dentro de mim, consigo ser mais apertado do que ele.

Percebo que estou perto do ápice, estímulo minha entrada com mais rapidez, rebolando meu quadril contra os dedos em busca de mais contato, minha outra mão continuar a se movimentar por minha extensão, reviro os olhos e os gemidos se tornam auditivamente mais altos, minhas costas se curvam sobre a cama quando finalmente consigo atingir minha próstata, giro meus dedos por meu canal, mirando naquele lugar mais vezes, me sinto em êxtase.

Puxo o ar entre os dentes percebendo meu corpo ficar mais ansioso por estar perto do limite, abro mais minhas pernas me deixando mais exposto, aumentando a velocidade de meus dedos, sem nunca para a masturbação em meu membro, solto palavras desconexas entre os gemidos e arfadas, fecho meus olhos me concentrando apenas na sensação de prazer. 

- Aaaah K-Kook.... Hm P-por favor aaah. - Clamava entre gemidos por uma ajuda que eu sabia que não viria.

Meu corpo tencionou, senti a pele arrepiar e minha coluna arqueou sobre o colchão, um grunhido alto fluiu por minha garganta, finalmente atingi meu ápice, senti o liquido quente escorrer por minha mão, mas estava muito inerte em minha nuvem de prazer para me importar com a sujeira que estava fazendo sobre o lençol.

Fico olhando para o teto tentando normalizar minha respiração, até que escuto três batidinhas na porta me fazendo dar um pequeno pulo de susto.

- Hyung... Tá tudo bem? E-escutei uns barulhos... - Ouço a voz de Jungkook do outro lado da porta, ele parece hesitante.

- E-estou bem, não foi nada. - Meu rosto queima pela vergonha, será que ele ouviu eu chamar por seu nome?

- Ah...Ok...E-eu estou fazendo um lanche, você vai querer? - Kook parece não ter acreditado no que falei, mas para minha sorte, preferiu mudar de assunto.

- Quero sim, já estou indo lá. - Respondo e escuto seus passos e afastando pelo corredor.

Ainda olhando para o teto branco, começo a me sentir sujo de alguma forma por ter me tocado pensando nele, eu devia ter me controlado, mas quando se trata de Jungkook fica difícil, ele sempre teve um grande poder sobre mim, mesmo sem ser de propósito.

Jeon sempre ganha em seu próprio jogo
 


Notas Finais


Oops, parece que o Jimin não conseguiu contar de novo ^w^ hihihi

Isso da pessoa com perca de memória grave conseguir assinar o próprio nome foi algo que vi em uma série de tv, não posso dar a certeza de que se aplica na vida real, mas como era uma série de investigação criminal, acredito que aconteça assim mesmo.

Bye Bye ( ˘ ³˘)♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...