História Você se lembra de mim...? - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Asahi Azumane, Chikara Ennoshita, Daichi Sawamura, Hajime Iwaizumi, Ittetsu Takeda, Kei Tsukishima, Keishin Ukai, Kenma Kozume, Koushi Sugawara, Lev Haiba, Personagens Originais, Ryuunosuke Tanaka, Shouyou Hinata, Tadashi Yamaguchi, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa, Yaku Morisuke, Yuu Nishinoya
Tags Asanoya, Daisuga, Iwaoi, Kagehina, Kiyoko X Yachi, Kuroken, Lemon, Levyaku, Oihina, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi hasuhasuhas
Bem... o capítulo ficou curto, sorry ;w;
Desculpe qualquer erro , eu nunca dou uma revisada no capítulo,ka
Peço que leiam as notas finais, por favor!

Capítulo 8 - Capítulo 8



 -Lev ONN-

  - Vamos entrar? - Pergunto procurando as chaves em minha mochila.
  - Lev, se você dormir com um bichinho de pelúcia saiba que não vou deixar você levá-lo! - O menor fez eu me perder em meio ao molho de chaves com o comentário maldoso.
  - H-hey! - Revido, virando para ele.
   Fitei alguns segundos sua feição irritada e abri a porta.
  - Mii-Chan , cheguei! - Falei jogando as chaves na estante ao meu lado.
   Um semblante pequeno apareceu na porta do meu quarto.
  - Vem cá bebê! - Me agacho para pegar o gato.
  - Que fofinha, o nome dela é qual? Mii? - Yaku perguntou passando a mão pela pelagem cinza da gatinha que estava a sua frente.
  - Não, o nome dela é Miwa - Sorri para o menor.
  - Espera, esse nome não é da...? - Yaku olhou para mim.
  - Exato, o nome da sua namorada que foi para os Estados Unidos! Eu iria dar ela para você no dia do seu aniversário, mas acabou que tive que viajar para a Itália naquele dia...
  - Ah, obrigado! Eu não sabia que faria isso por mim - Ele pulou em mim e me abraçou.
  - Mas é claro que eu faria! Você tava super para baixo desde aquele dia , então queria fazer alguma coisa, quer ficar com ela pra você? - Perguntei para ele.
  - Eu tava pensando em algo melhor, sabe 
  - E o que seria? - Me agachei para conseguir ouvi-lo com mais clareza
   Ele chegou mais perto de mim e roçou nossos lábios, me puxando para mais perto ainda, agarrando minha cintura.
  - Eu queria ficar com você.
   Meu rosto ficou em cinquenta tons de vermelho, enquanto ele , agora, realmente me beijou.
   Sua língua pediu passagem, e eu estava um pouco tímido por ser meu primeiro beijo.
   Concedi a passagem para a mesma, que, começou a se enrolar na minha, começando uma dança meio lenta e desengonçada.
   Ele quase engoliu minha língua e eu acho que eu mordi a dele umas duas vezes, por ai.
   Nos separamos quando o ar começou a faltar, ainda ficamos conectados por um fiozinho de saliva que saía de nossas bocas.
  - Nós somos bem patetas em questão de beijos, uh? - Comentei botando minha mão em minha nuca, soltando uma risadinha.
  - Pois é né? Temos que praticar mais - Yaku sorriu para mim, queria pegar meu celular, tirar uma foto e colar na testa.
   Coloquei ração e troquei a água da Miwa, indo em direção ao meu quarto para pegar minhas roupas.
   Peguei uma sacola no caminho, abri a porta do meu quarto e vi vários livros e roupas jogadas por todos os cantos. Eu definitivamente tenho que arrumar isso!
   Abri meu guarda-roupas, fazendo uma ''mini-seleção'' das minhas roupas preferidas.
  - Senhor Haiba Lev! - Puta que pariu, agora fodeu - O que é isso?
  - Isso o que, Yaku? - Olhei para ele com cara de defunto.
  - Desde quando não limpa seu quarto? - Ele revidou juntando as roupas e dobrando elas.
  - Não precisa fazer isso, quando eu voltar eu faço! - Falei tirando minhas roupas das mãos daquele anão maníaco por limpeza.
  - Não, eu sou obrigado a fazer isso - Ele se jogou no chão juntando os livros e outras coisas, parece que não vai desistir tão cedo.
  - Então tá - Falo entre suspiros, ajudando ele a arrumar.
  .
  .
  .
  .
  .
  .
  .
  .
 
   Quando terminamos de arrumar tudo, finalmente pudemos sair da minha casa.
  - Yaku, como pode você ser tão viciado em limpeza? - Pergunto começando a balançar minha bolsa.
  - Sei lá. 
   Olhei para o lado, ouvido as pessoas ao meu redor começarem a correr.
  - O que está acontecendo moça? - Pergunto a uma pessoa que estava correndo também.
  - Um prédio está desmoronando! Saía daqui, pivete suicida! 
   Um prédio... o que?
   Olho para Yaku para falar para irmos mais rápido, porém , senti algo me atravessar por inteiro. 
   A dor foi tanta que não consegui nem falar nada, apenas ir fechando os olhos bem devagar.
  - LEV?!? - Yaku gritava desesperado.
   O cheiro de sangue,os gritos de desespero e a dor imensa me paralisavam.
   Só queria que tudo aquilo acabasse de uma vez.
   Ia falar para o menor que tudo estava bem, mas uma parte da construção desmoronou em cima dele também.
   De repente, vi uma luz quase que cegante e , do nada, tudo ficou preto novamente.
  .
  .
  .
  .
  .
  .
  .
    Sinto um leve tocar no meu rosto:
   - Hey, Lev? - Abri os olhos lentamente e vejo Yaku com uma expressão calma.
   - E-eh? Onde estamos? E a construção? O que houve? - Questionei desesperado.
   - Fiquei calmo - Ele sorriu - Agora poderemos ficar juntos, vê? - Ele bota a mão no peito, derramando algumas lágrimas.
    Olhei para todos os cantos, ninguém conhecido.
   - O que está acontecendo Yaku? - Perguntei novamente, esperando uma resposta válida dessa vez.
    O menor se levantou, estendendo sua mão.
   - Que tal caminharmos? Te explico tudo no caminho.
   - Claro - Dou um sorriso largo e pego a mão dele, me levantando também.
     Continuamos com as mãos dadas, andando pelas ruas de uma cidade que eu não conhecia.
   - Então... você se lembra de algo? - Ele perguntou se deitando em um campo florido lindo.
   - Não muito 
   - Do que se lembra, Lev? - Ele arrancou uma das flores , botando atrás da minha orelha e depois sorrindo.
   - Gritos, cheiro de sangue, desespero... a... construção caída - Respondo enquanto paralisava novamente - ESTAMOS MORTOS? 
   - Shhh - Botou o dedo indicador na minha boca - Não pode ser tão ruim assim! - Se levantou novamente, me puxando junto, começando a rodar e a dançar - Aqui é maravilhoso, não precisamos de mais nada, e... - Juntou nossas mãos - Podemos ficar juntos agora, Lev! - Ele deu um sorriso de canto, selando nossos lábios.
   - Isso... é estranho - Falo meio confuso, logo após de  separarmos nosso lábios - Mas, por você eu posso me acostumar - Olho ao redor, pegando uma flor e botando atrás da orelha de Yaku, igual ele fez comigo - Me concede essa dança? - Me curvo, estendendo o braço
    O menor da uma risadinha quase inaudível.
   - Claro - Pegou minha mão e começamos a dançar em um ritmo calmo, enquanto as folhas de sakura caíam, deixando o momento mais apaixonante.
  
  Continua...
 


Notas Finais


Oi , rsr
Bom, eu tava pensando " E quando o Hinata voltar para o castelo?"
E bem... também pensei em uma punição,mas, eu acho que seria muito clichê uma "punição sexual"
Mas, se vocês quiserem, eu posso fazer sim uma punição assim, mas eu acho que seria chato um lemon atrás do outro
Porém se vocês querem eu faço, tanto porque eu quero fazer um lemon bem mais complexo que o outro e tals
E, tenho que concordar que, também adoraria fazer uma punição assim mesmo achando muito clichê 7w7


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...