História Você se lembra, Jimin? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 52
Palavras 4.128
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem, é a primeira vez que posto alguma coisa aqui, espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Você se lembra, Jimin? - Capítulo 1 - Capítulo Único

Às vezes parece que a nossa história não teve um início, um começo como a maioria das outras histórias, porque você sempre esteve lá Park Jimin. Não teve um momento da minha vida sem você. Acho que nunca existiu uma Kim Seoyun sem Park Jimin. Porque toda a minha vida sempre envolveu você.

Lembro de quando éramos crianças, devíamos ter uns quatro, cinco anos e brincávamos no quintal da minha casa, sempre correndo e felizes. Brincávamos de qualquer coisa, e estávamos sempre na casa um do outro. E o seu sorriso sempre foi encantador. Era tão divertido quando podíamos brincar juntos, até na hora do chá você me acompanhava. Qualquer coisa com você era divertida.

Lembro do SeokJin conversando animado com o seu irmão e de como nós sempre fomos todos próximos. E mesmo vocês não tendo o mesmo pai, você sempre foi e será o irmão do Yoongi, já que ele sempre amou e cuidou de você. Vocês nasceram para ser família.

Sua mãe e o seu pai decidiram começar essa família de três pessoas que logo virou quatro, e foi a melhor coisa do mundo. Afinal quando eles decidiram virar uma família, vocês viraram meus vizinhos. Os melhores vizinhos que eu poderia querer. E agradeço a escolha da vizinhança.

Como também consigo me lembrar dos primeiros dias de aula, nesses dias você sempre segurava a minha mão para me passar segurança. Você se lembra Jimin? Sua presença sempre me fez bem, até quando nos puseram em salas diferentes e você fez novos amigos. Mesmo em outra turma você sempre cuidou de mim. Nunca me senti sozinha por sua causa. A sua mãozinha pequena em contato com a minha era a melhor sensação do mundo. Nossas mãos foram feitas para se encaixar.

Lembro de quando senti seus lábios pela primeira vez, e de como a sensação era boa. O nosso primeiro beijo, quando começamos a descobrir o mundo. Fomos felizes em todos esses momentos, menos quando seu irmão abriu a porta sem avisar e nos pegou ali no chão do quarto, recostados na cama e nos beijando. E para melhorar toda essa situação o SeokJin estava atrás, foi a primeira vez que achei que te tirariam de mim.

O meu mundo não existia sem Park Jimin.

Podia ser um momento inocente para nós dois aos 14 anos, mas para todo o resto era algo surreal, afinal pensaram, as crianças cresceram. Mas acredito que quando aumentaram a vigilância em nós dois foi quando mais quisemos ficar juntos. E eu não sei dizer quando meu amor por você começou a surgir, mas eu sei que já te amava quando tudo começou. Lembro do garotinho de bochechas redondinhas e com o sorriso mais fofo que eu já tinha visto. É apenas amor que sinto quando penso em você.

O jeito como seus olhos se fechavam quando você sorria, e o seu sorriso fofo. O caimento do seu cabelo, e de como você ficava bonito sem óculos, e de como era adorável quando ficava com vergonha. Sempre que penso no nosso início e lembro de você, Jimin, nossa, me espanto como consegui conquistar seu coração.

Depois desse primeiro beijo o nosso namoro não demorou a acontecer, talvez um pouco pelas nossas inseguranças ele tenha demorado mais do que gostaríamos. Me pergunto o porquê essa sua cabecinha oca você chegou a desconfiar que eu talvez não gostasse de você, como se isso fosse humanamente possível. Mas você estava certo, eu não gostava de você, eu já te amava. Eu sempre fui louca por você.

Você consegue se lembrar, Jimin? Para mim parece que o tempo não passou.

E quando finalmente estávamos namorando, nossas famílias pareciam felizes com a união. Todos sabiam que nós nos amávamos e ficaram felizes, já até faziam planos para o nosso casamento. Eu sempre quis ficar para todo o sempre com você, e imagino que você também. Eu não conseguia olhar para trás e não ver você, e não olhar para frente sem imaginar você.

Como eu disse, Kim Seoyun e Park Jimin foram feitos um para o outro. O nosso destino era esse. Fico feliz que você nunca lutou para mudar isso.

Sabe quando você me apresentou JungKook e Taehyung? Ah, eu me lembro bem, você parecia todo orgulhoso. Pessoal essa é a minha namorada, foi muito fofo o jeito como você ficou vermelho. Sempre lindo meu Park Jimin. Foi divertido conhecer seus novos amigos.

Mas quando você é JungKook começaram a fazer aquelas aulas de dança e ficaram amigos de um sunbae, o Hoseok e tão logo vocês ficaram amigos, fiquei feliz, mas admito que tive ciúmes. O mundo estava começando a ficar grande para nós dois. Eu não gostava das suas colegas de turma. Elas tinham o privilégio de ver a sua dança magnífica, e desfrutar esses momentos com você. Mas o seu sorriso a cada vez que voltava das aulas e me contava o progresso, qualquer coisa no mundo não pagaria isso. Nada era tão valioso quanto aquele sorriso.

Ficar sentada naqueles degraus esperando você toda noite e ouvir o seu progresso, é algo do qual eu sinto falta. E depois nós nos beijaríamos e o meu pai abriria a porta e diria, calma crianças. Jimin, essas pequenas coisas me fazem falta agora.

Mas tivemos algumas das primeiras discussões por causa disso, meu ciúme de você. Só você não sabia o quão bonito era. Mesmo se escondendo atrás dos óculos eu conseguia ver o homem incrível que você sempre foi. E infelizmente não era só eu, também nunca gostei da Dawon, a irmã do Hoseok. Desculpa, Jimin, mas eu não gostava dessas garotas que sorriam muito para você. Eis os males de namorar um homem bonito como Park Jimin.

O pior de tudo foi quando você começou a malhar, dançar e malhar. Às vezes saiam só vocês três, SeokJin, JungKook e Jimin para malhar, e eu jogava videogame com Yoongi e o Namjoon. E às vezes, só as vezes mesmo, que conseguia passar um tempo com Taehyung sem discutir, sempre fomos como água e óleo. Não parecíamos suportar a existência um do outro. Mas vocês eram tão amigos que nós nos esforçávamos para conviver, eu ainda não acredito que nós não nos matamos.

E você conseguia ter ciúme do Namjoon, que era um grande amigo do seu irmão apenas porque ele disse que eu tinha bom gosto para livros. Disse que também teria do Taehyung se não soubesse que eu te amava. Afinal, você era um garoto bobo e inseguro. Como se depois de olhar para você eu fosse conseguir olhar para outra pessoa.

Sempre saímos com os garotos, parecia que não queríamos abrir o nosso mundo para mais ninguém. O nosso pequeno mundo era incrível e feliz.

Só que mesmo assim eu fiz algumas amigas no colégio, e os garotos queriam se aproximar delas, mas eu não fiz esforço para ajudá-los, principalmente Taehyung, talvez se não fosse por você, Jimin, nós teríamos nos matado. Eu não os ajudava porque não sentia que eles seriam tão felizes quanto nós.

E conforme o tempo passava e as suas neuras com a aparência surgiam você só ficava mais e mais bonito. Você Park Jimin, você só melhorava. E como se fosse possível, eu amava você mais ainda. Sempre que penso no quão bonito você conseguia ficar, me impressiono em como você conseguia ainda ver apenas a mim.

Jimin, sabe qual momento eu me lembro de maneira mais clara? Adivinha.

Sim, foi quando tivemos nossa primeira vez, que acredito que apesar de tudo foi ótima. Apesar do nosso nervosismo, e de algum milagre divino você ter ficado sozinho em casa, mesmo com os nossos medos e erros de principiantes, eu não mudaria nada. Foi incrível ter tido esse momento com você.

Acho que vou agradecer para sempre seus pais decidirem jantarem juntos para manter a chama do casamento, e o Yoongi sumir feito mágica da sua casa. Mesmo que eu acredite que você pediu isso a ele, e que deve ter negociado bastante.

Agora tínhamos um novo jeito de demonstrar amor. Que acabou acontecendo mais algumas vezes na sua casa. E em salas de vídeo, que talvez não fossem o local ideal, mas não nos importávamos. Sempre que os seus pais saiam para jantar e manter a chama do casamento aceso, nós ficávamos a sós na sua casa. Eu nunca vou entender como convencia o Yoongi a ficar fora. Você é o melhor, Jimin.

Mas também graças a essa nova forma de amor que tínhamos encontrado que as nossas vidas mudaram, você se lembra? Eu me lembro como se fosse hoje, é uma memória muito fresca para mim. Lembro do resultado daquele exame, no qual nosso amor se dividiu e virou uma terceira pessoa. Agora seriamos três, Jimin, nós ficamos assustados e felizes. Mas ter um bebê no ensino médio não eram os planos que os nossos pais tinham.

Meu pai quase nos matou, lembro de como você impediu que ele tocasse em mim e saímos da minha casa, eu dormi uma semana na sua. Você sempre secou as minhas lágrimas. Eu nunca serei capaz de te agradecer o suficiente por cuidar de mim, por cuidar de nós, Jimin. Seus pais foram compreensivos apesar de tudo, enquanto o meu pai queria apenas nos matar.

Nossos amigos nos apoiaram, eu fiquei impressionada quando até mesmo Taehyung me abraçou quando contamos a eles sobre a gravidez. O problema foi quando tivemos que sair de casa. Foi difícil, mas você cuidava de mim, e eu nunca serei capaz de te pedir perdão o suficiente por ter estragado tudo, Jimin, por favor me perdoe por isso.

A nossa vida com empregos de meio período mais a escola, viver na casa que o Yoongi conseguiu para nós dois, isso era difícil mas valia a pena porque era com você. Seu irmão sempre nos ajudando. Nossos amigos eram as pessoas com as quais sempre poderíamos contar, e eu estava feliz com isso.

Se eu pudesse imaginar que subir numa escada podia estragar tudo, Jimin, te juro, nunca teria subido nela. Mas precisávamos do dinheiro extra, então eu não me importava de trabalhar em dois lugares diferentes, e nem de guardar coisas em lugares altos, porque nós nos sairíamos bem, mas o cansaço abate todo mundo. Me desculpe por ter escorregado, Jimin, me desculpe por acabar com a nossa família.

Quando perdemos o bebê e os nossos pais foram desesperados ao hospital descobrir o que havia acontecido, você chorava tanto quanto eu. Nem que meu pai quisesse ele conseguiria brigar conosco, nossos corações estavam partidos. Por causa de um escorregão a nossa família teve que esperar. Me desculpe, Jimin.

Quando voltamos para casa e largamos os empregos extras, já que você queria cuidar de mim o tempo todo, eu nunca vou entender como você não me odiou depois daquilo. Eu me odiei por muito tempo, mas eu não queria te perder. Então resolvemos estudar e nos casar.

Nós dois fomos malucos de novo, e decidimos ficar juntos de novo depois do colégio. Sabe Jimin, eu nunca fui tão feliz como fui naquele período. Nós dois trabalhando e conseguindo manter aquele quartinho, até o casamento. E quando nossos pais se juntaram e nos ajudaram a comprar a nossa casa, eu amo cada pedaço dela, porque tudo ali lembra você.

Cada pequeno cantinho dela foi feito com amor, e em cada espaço nós fizemos amor. Era o nosso espaço, nosso lar. Nossos amigos presentes no nosso casamento simples, mesmo que os nossos pais quisessem nos impedir, eles não conseguiriam. Eu fico feliz de ter casado com você.

Lembro dos abraços de cada um, Jimin, obrigada por ter me feito tão feliz. Mas com pouco tempo você teve que ir para o exército, depois dos garotos, mas você foi. Eu senti sua falta a cada minuto. Ficar longe do meu Chim Chim era horrível. Era eu e a nossa casa.

E quando você voltou nós matamos a saudade e logo transformamos a nossa família em três de novo, e você ficou tão feliz, nossos amigos, todo mundo parecia feliz e assustado. Eu lembro da cara dos nossos pais, porque por mais que nós fossemos ter um bebê e fosse bom, eu teria que trancar a faculdade. E nós tivemos que nos planejar.

Você arranjou um bom trabalho e estudava conforme podia, e logo nós éramos três na casa, nosso pequeninho que era tão fofo quanto você, Park Jihyun que sempre foi a sua cara, Jimin, desde quando nasceu. O rosto fofo e os olhos pequenos, e o seu sorriso doce. Além das mãozinhas, com seu irmão gostava de dizer. Nossos amigos diziam que ele era só seu, porque tudo nele lembrava você. Você se lembra disso, Jimin?

Nós tivemos os dois anos mais felizes das nossas vidas, eu nunca fui tão feliz como fui naqueles dois anos com nós três ali. Mesmo que a gente discutisse as vezes, você estava sempre ali para mim. E Jimin, eu sinto tanta falta disso. Eu sinto falta da sua voz, eu sinto falta do seu abraço, do seu cheiro, do seu toque, eu sinto tanta falta de você.

Jimin, eu estou sentindo sua falta nesse exato momento, acho que nunca vai ter um momento que eu não sinta a sua falta. Eu nunca vou deixar de amar você.

A nossa vida podia não ser a mais cheia de luxos, mas eu amava viver cada segundo dela com você, você se esforçou tanto para que eu pudesse concluir os estudos, e eu fiz o meu melhor, eu juro. Mas eu ainda preferia você aqui comigo.

Eu lembro tão bem daquele dia, eu lembro de como esse dia ainda me machuca, e de como um dia de sol nunca mais vai ter o mesmo efeito sobre mim. Eu nunca mais vou gostar de dias ensolarados, eu nunca mais vou gostar do dia 26 de abril, nunca mais. Meu coração ainda pesa demais nesse dia. Eu vou odiar esse dia para todo sempre.

Lembro de como nós nos despedimos com abraços e beijos, e de como você estava radiante, eu nunca vou perdoar o mundo por te tirar de mim. Eu nunca mais vou perdoar aquele maldito que bateu em você, eu nunca vou perdoar. Em alguns minutos levaram de mim o motivo para acordar todos os dias, tiraram o amor da minha vida de mim.

Lembro de chegar em casa e encontrar os garotos brincando com o Jihyun, e lembro também do meu desespero quando me explicaram o que havia acontecido com você. Eu não queria viver num mundo que você não existia, Park Jimin. Porque não existe Kim Seoyun sem Park Jimin. Eu nunca gritei tanto na minha vida, nem quando dei à luz. Porque quando o bebê nasceu você estava lá.

Só me lembro de acordar no hospital, e quando acordei não foi o seu rosto que vi lá. Eu nunca desejei tanto que alguém me dissesse que foi apenas um pesadelo. Eu nunca desejei tanto te ver.

A resposta de tudo na minha vida era Park Jimin, toda a minha vida era voltada a te amar, a viver com você, não tinha como simplesmente viver num mundo no qual você não existia. E eu não queria me acostumar que não ia mais ver o seu sorriso pela manhã. Que a sua voz não ia mais embalar o meu sono, e nem a sua cantoria no chuveiro ia mais existir. A sua dança desajeitada com o nosso pequeno Jihyun, tudo isso ia desaparecer ...

Acho que quando você se foi, uma parte minha foi junto.

Nossos pais que tiveram que cuidar de tudo, eu não servia de nada sem você, não tinha nada nesse mundo que eu conseguisse fazer além de chorar. Eu só queria estar com você. No seu velório, eu não tinha mais forças para gritar, eu não quis me aproximar daquele caixão, porque aquele não era o meu Park Jimin. Park Jimin não existia sem aquele sorriso fofo. E você não estava sorrindo ali.

Lembro dos nossos amigos me olhando sem saber o que fazer, e lembro de Taehyung correr para me abraçar quando chegou de Daegu para o velório, eu nunca precisei tanto do abraço de alguém como naquele momento. E lembro também dos gritos que ele abafou apertando meu rosto contra o seu peito, eu queria ter ido junto com você.

Eu não conseguia olhar para trás e não te ver, como eu ia olhar para frente e não ver mais você? Isso não era justo. Não era assim que a nossa história deveria ser.

Lembro dos meses de luto, de puro choro e de desespero. De não ter forças nem para cuidar do Jihyun e de me trancar em casa, apenas desejando que você abrisse aquela porta e dissesse que tudo não passou de uma brincadeira. Mas você não fez isso. Porque você não fez isso, Jimin?

Eu apenas queria que tudo aquilo acabasse e você me beijasse, e falasse que tudo ia ficar bem.

Meus pais ficaram com o Jihyun uns dias enquanto eu me afundava naquela casa, só tinha uma pessoa capaz de tirar qualquer reação de mim, e esse era Kim Taehyung, o maldito que eu nunca matei por sua causa. Se não fosse por causa dele, Jimin, talvez nós estivéssemos juntos agora. Mas ele sempre repetiu que você não ia ficar feliz se eu deixasse o Jihyun sozinho.

Todo mundo queria que eu superasse a perda, a sua ausência, mas eu não estava conseguindo, e eu estava brigando com tudo mundo, Jimin, eles queriam que eu tentasse agir como se você nunca tivesse existido, e eu nunca conseguiria fingir que eu nunca te amei.

Meu irmão mudou para cá e me ajudou com o Jihyun nos primeiros meses, eu precisava de alguém, eu não podia ficar só. Aquela casa não era a mesma sem você. Conforme o tempo ia passando e eu ia ficando mais forte ou menos deprimida, e as pessoas achavam que eu estava bem, meu irmão começou a procurar um jeito de se mudar.

Ainda jantávamos em grupo as sextas-feiras, como você gostava. Ouvia as piadas ruins do SeokJin, ouvia o Yoongi reclamar que ela não sabia contar uma mísera piada. E eu ria, sempre éramos nós dois que riamos, mas agora era só eu. E as vezes Hoseok e JungKook sorriam para mim, tentando me passar uma segurança. Perto dos garotos eu me sentia perto de você.

Eu não sei bem quando as coisas começaram a mudar, e o maldito Kim Taehyung ir a nossa casa brincar com o Jihyun e conversar comigo, ele era a pessoa que mais me dava broncas no mundo todo, e eu queria matá-lo. Mas perto dele eu sentia que a Seoyun de antes ainda vivia. Acho que por isso nunca reclamei da presença dele ali.

Depois de mais de um ano assim, um dia que eu estava agradecendo a ele por cuidar do pequeno, quando eu mesmo estava exausta do trabalho, e ele também, eu não sei o que houve. Talvez tenha sido você cansado de me ver sofrendo que interferiu, não? Afinal você sempre tentou nos tornar próximos. Talvez a luz, talvez o vinho, talvez tudo, ou simplesmente porque era assim que as coisas deveriam acontecer, mas nós nos beijamos na cozinha.

Jimin, talvez você não goste que eu conte que beijei outro cara na nossa cozinha, mas você sabe que eu nunca esconderia nada de você.

Eu e o maldito Kim Taehyung trocamos um beijo calmo, e tranquilo na nossa cozinha. E sabe, Jimin, até que ele não é tão ruim assim. Você tinha razão nisso, ele apesar de me irritar profundamente, e de eu achar que nunca seria capaz de amar de novo, depois de mais de um ano estava beijando o seu amigo na nossa cozinha.

Jimin, eu me casei com ele uns meses depois. Eu nunca me imaginei vivendo com outra pessoa que não fosse você, e isso ainda é estranho para mim. A sua família é incrível e amorosa demais comigo, e eu não falo só do Yoongi, eu falo do seu pai e da sua mãe também. Eles ainda têm aquele seu pôster dançando na cafeteria. Eu não vou muito lá, o lugar me faz pensar demais em você, e talvez eu nunca consiga aceitar a ideia de que você não vai voltar para casa sorrindo mais.

O Jihyun vem comigo sempre te trazer flores, sabia? Ele gosta muito de comprar flores para você. Ele chama o Taehyung de pai, eu nunca o impedi, ainda mais porque ele sempre fala de você, ele sempre fala do papai Jimin que virou uma estrela. Eles até olham para o céu e acenam para você. Eu fiz isso ontem, espero que você tenha nos visto acenar.

Jimin, você está bem? Eu fico aqui falando e falando e nunca escuto uma resposta sua. É até estranho, mas se eu não falar com você, parece que falta algo na minha vida. O meu psicólogo não me impediu de falar com você. Disse que devo te transformar numa lembrança boa.

Você nunca será apenas uma lembrança boa, Park Jimin.

O Taehyung vai vir com o Jihyun me buscar, ele vai chamá-lo de papai, e falar com você papai Jimin. Não tenha ciúmes do Taehyung, ele não roubou o seu lugar, ninguém nunca vai conseguir isso, ele apenas está cuidando de nós.

Mas Jimin, tem um motivo especial para eu ter vindo aqui hoje, não é que eu não estivesse com saudades, eu estava, mas eu vim te contar isso antes de contar para os outros. Taehyung e eu vamos ter um bebê.

Você vai ficar bem com a notícia?

Eu não sabia se devia vir aqui e te contar, ou melhor, eu queria te contar, mas não sabia como, mas eu queria que você fosse o primeiro a saber. Eu ainda não contei ao Taehyung, vou contar no jantar. Hoje é sexta-feira, vamos jantar todos juntos. Ele vai ficar muito surpreso, você disse uma vez que ele adora surpresas.

Normalmente eu venho aqui e falo sobre as nossas lembranças, e nunca comento nada de atual. Eu não posso fazer isso com você, não é? Nós nunca escondemos nada um do outro. E não quero começar a fazer isso agora.

Jimin, eu sinto sua falta todo dia, e o Taehyung sabe disso, ele nunca disse que queria tomar o seu lugar. Sabe, quando nós demos aquele beijo na cozinha foi estranho, bom e perturbador. Ele disse que não estava tentando roubar o seu lugar, nem que estava se aproveitando de nada. Até pediu desculpas por ter me beijado.

Jimin, fui eu que o beijei de novo, e admito, eu não deixei de te amar, mas também aprendi a amar aquele maluco. E por isso nós nos casamos e decidimos fazer uma família.

Eu nunca vou deixar te amar, e a nossa família nunca vai deixar de existir. Mesmo que eu forme uma família com ele, as nossas lembranças, os nossos momentos, a nossa vida juntos nunca poderá ser apagada. E quem sabe um dia a gente possa realmente viver o nosso amor.

Ah, Jimin, eles chegaram, preciso me recompor, só um instante.

E me diga, como você está? Eu espero que bem, imagino que deve estar solitário aí, mas eu vou voltar e te visitar mais vezes. E por favor, guarde o meu segredo, só vou contar a ele hoje à noite.

Me desculpe por ter ficado um tempo sem vir, é que eu não conseguia me desprender de você, e o Jihyun precisava da mãe dele. Mas eu nunca me esqueci de você, nem por um segundo.

Jihyun colocou flores ali, e acenou para o céu, dando um oi para o seu papai Jimin.

Até logo, Jimin.

E eu sai dali de mãos dadas com o meu marido que carregava o Jihyun em seus braços, o pequeno Jimin, já que o Jihyun é tão parecido com ele, estava com seis anos agora. Por mais que eu não tenha mais o Jimin comigo, ainda tenho uma parte dele aqui. E o nosso amor todo dentro da minha mente. Eu nunca serei capaz de esquecê-lo.

Enquanto nós nos afastávamos dali eu sentia meu coração ficando mais leve, conversar com o Jimin sempre havia me feito bem, e mesmo agora não era diferente. O sorriso do Taehyung era compreensivo, ele sabia que conversar com o Jimin fazia bem para mim.

Mesmo que fossemos água e óleo estávamos encontrando um equilíbrio. Talvez a nossa história nunca chegue a ser digna de um filme, mas é uma vida boa para nós dois. Uma história no qual duas pessoas se juntam e tentam viver um amor curando as cicatrizes um do outro.

Sorrimos para o céu e continuamos de mãos dadas.

Obrigada por tudo, Jimin.


Notas Finais


Obrigada por ter lido, espero que de alguma maneira você tenha gostado do que leu.
Espero vê-los em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...