História Você vai estar aqui quando eu acordar? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun
Tags Chanhun, Hunhan, Kaisoo
Exibições 70
Palavras 3.411
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii gente, como vão? :3

Estou animada para postar esse cap, principalmente pq ele liga uma séééries de coisas muito importantes! Estão prestem bem atenção, nenhum detalhe deve ser jogado fora ;) Foi corrigido, mas se tiver algum erro, relevem <3
Leiam as notas finais ok?
Boa leitura ♥

Capítulo 3 - Dois - Não me deixe sozinho


Fanfic / Fanfiction Você vai estar aqui quando eu acordar? - Capítulo 3 - Dois - Não me deixe sozinho

  Era inicio de mais uma monótona segunda-feira. Aonde todos os alunos iam arrastando-se até a escola. Todos exceto um.

   Park Chanyeol estava animado, pois poderia finalmente se encontrar com Soomin, e acordar ao lado de seu irmão sempre o deixava com uma sensação de paz no peito. Chegara cedo à sua sala de aula encontrando lá seu melhor amigo com o rosto enfiado em algum livro.

   - Kyungsoo bom dia! – desejou animado.

   - Só se for para você – respondeu sem levantar o olhar para o amigo.

   - Tão doce – riu beijando a bochecha do mais novo, rindo mais ainda pela cara de nojo do mesmo – porém você não vai conseguir  acabar com meu bom humor hoje.

   - Infelizmente, mas posso saber o motivo de tanta euforia?

   - Soomin – respondeu com um sorriso no rosto.

   - Aquela garota mimada e metida à bonita que adora chamar atenção de todo mundo e que você fica igual um bobo apaixonado? – indagou sem pausas enquanto lia mais algumas frases do seu romance favorito – Ah sim.

   - Ei! Não fala assim dela. – falou a defensiva – Você nem a conhece.

   - Nem você Chanyeol – olhou para o mais alto a primeira vez com seu olhar observador – se você quer se apaixonar por alguém pelo menos a conheça antes, depois disso, quem sabe, você até poderá ganhar meu respeito, ok?

   - Aish você é tão mau.

   - Não posso fazer nada se a verdade dói, Chan – voltou sua atenção para seu livro – Como foi seu aniversário?

   - Ah foi muito bom! – animou-se novamente – Sehunie e eu fomos a um parque bem legal, comemos muitas besteiras e depois ele foi dormir comigo.

   - Por causa dos trovões?

   - Sim – respondeu cabisbaixo – ele sempre teve medo de trovões. Lembro-me de quando ele era bebê e acordou chorando no meio da noite. Meus pais não ouviram, mas eu sim, então fui até o quarto dele e aos poucos ele foi se acalmando enquanto ninava ele – sorriu ao lembrar – é assim até hoje, só que agora ele vem por conta própria.

   - Você nem parece mais aquele garoto de seis anos atrás que quase morreu ao saber que teria um irmão. – sorriu para o amigo.

   - Ainda bem – finalizou Chanyeol ao ouvir o sinal bater. Virou-se imediatamente para frente esperando impacientemente a loira dos seus sonhos aparecer, fato que não demorou a acontecer.

   Soomin entrou sorridente na sala acompanhada de outras amigas, contudo Chanyeol só enxergava a ela e quando a mesma sorriu e acenou para si pensou que iria explodir de felicidade ao mesmo tempo em que o baixinho atrás do maior bufou irritado.

   Após a entrada do professor a primeira aula do dia se iniciou.

 

.*.*.*.*.

 

   - Omma a senhora está bem? – indagou Sehun ao ouvir os soluços um tanto altos de sua mãe.

   - Você deveria estar no seu quarto brincando – respondeu seca.

   - Eu cansei, sem o Channie é chato – falou entrando no quarto – o que aconteceu mãe?

   - Coisas de adulto meu bem, não se preocupe.

   - Hum ok. – falou abraçando a mulher a sua frente – Papai volta logo?

   - Não sei filho, seu pai está ocupado demais.

   - Como sempre...

   - Sim meu amor, como sempre e não é uma coisa que vai mudar tão cedo. – disse cansada dessa história. – Sente falta dele?

   - Sinto e muita. – respondeu baixinho. – A senhora não?

  - Sinto, mas essa é uma longa história. Que tal procurarmos algo para fazermos? – mudou de assunto.

   - Não quero fazer nada sem o hyung – falou emburrado.

   - Ele está na escola agora e só vai chegar mais tarde filho.

   - Não tem problema, eu espero.

   - Aish menino difícil.

 

.*.*.*.*.

 

   Chanyeol não viu Soomin nem no intervalo nem nos últimos horários o que o entristeceu o resto da manhã e que irritou – ainda mais – Kyungsoo.

   - Eu não acredito que você está triste por causa daquela loira falsa – disse descrente.

   - Ela é loira de verdade ok?

   - Como posso ser amigo de um ser tão idiota como você hein?

   - Magoou – fez biquinho.

   - Foi mau cara – acariciou os braços do amigo – quer passar o resto da tarde lá em casa?

   - Não dá para mim – falou coçando a cabeça – o Sehun está me esperando em casa.

   - Tudo bem então, cuida bem do pequeno! – falou colando um pequeno sorriso nos lábios fartos – Até amanhã Chan.

   - Até Kyung!

   Caminhou a passos lentos até o portão de saída quando uma voz fina o chamou.

   - Chanyeol oppa!

   - S-soomin – coçou a garganta – Tudo bem?

   - Tudo sim – sorriu para o maior.

   - Você sumiu.

   - Ah você percebeu! Sentiu minha falta?

   Os olhos do mais velho dobraram de tamanho. Abria e fechava a boca repetidas vezes, mas som algum saia pela mesma, até que ouviu a risada maravilhosa – na sua própria opinião – de Soomin.

   - Relaxa Chan, só estava brincando, mas então... - começou a garota – Queria saber se você quer ir assistir um filme comigo na minha casa.

   - Por que? – perguntou inocentemente.

   - Porque te achei legal.

   - Mas você nem olhava para mim...

   - Isso são detalhes. Achei você legal sem nem mesmo conversar com você.

   Para Chanyeol isso pareceu incrível.

   - Entendi. – sorriu feito bobo – Quando?

   - Hoje você está livre?

   - Tenho umas coisas para fazer...

   - Então deixa para a próxima vez. – falou a garota desanimada virando-se rumo à sua casa.

   - Soo espera! Acho que posso chegar mais tarde em casa.

 

~*~

 

   Chanyeol estava nervoso. Suas mãos suavam e sua cabeça coçava.

   Estava sentado no sofá da sala esperando a garota pegar alguns lanches para o filme. Sentia-se culpado por não ter ido para casa ver o irmão e por ter mentido para a mãe dizendo estar na casa do melhor amigo para um trabalho de última hora. Mentira que sua mãe acreditou fácil afinal o maior quase nunca mentia.

   Toda esta culpa diminuiu quando observou a menina colocar o filme na grande TV.

   - Escolhi um filme de romance Chan – falou sentando-se ao lado do maior – você gosta?

   - Gosto sim. – mentiu.

   Após algum tempo Chanyeol sentiu-se mais relaxado. O filme era chato, mas Soomin com a cabeça no seu ombro era o que importava.

   - Chan... – chamou a garota durante uma cena bem clichê onde os protagonistas se beijavam – Você quer me beijar?

   Chanyeol respondeu sem pensar duas vezes:

   - Quero.

   Dito essas palavras a menina levantou seu rosto e foi ao encontro dos lábios do maior. O beijo foi calmo. Basicamente um longo selar com leves movimentos assim como o dos protagonistas.

   Mas o fato que eles ainda não sabiam é que nessa história eles não eram os protagonistas.

 

~*~

 

   Chegou em casa saltitante três horas depois do seu habitual. Estava alegre por ter beijado pela primeira vez alguém tão linda como Soomin.

   Subiu correndo as escadas indo ao seu próprio quarto. Chegando lá encontrou um garotinho deitado em sono profundo sobre o tapete felpudo ao lado de vários carrinhos e motocicletas.

   - Sehunie, acorda pequeno.

   Ouviu um resmungo vindo do mesmo, mas nenhum movimento foi feito.

   - Ei baixinho.

   Viu os olhos miúdos de Sehun se abrirem aos poucos.

   - Channie – disse baixinho enquanto coçava os olhos – você demorou.

   - Estava ocupado Sehun-ah.

   - Tudo bem. – falou pegando seus brinquedos do chão.

   - O que você está fazendo?

   - Pegando meus brinquedos.

   - Por quê?

   - Porque você deve estar cansado para brincar comigo.

   - Não fala assim.

   - Tudo bem hyung. Estou cansado também. Até amanhã.

   E assim Sehun deixou o quarto do maior, abraçando seus brinquedos na esperança que com esse ato sua vontade de chorar passasse.

   Aquela foi a primeira vez que Chanyeol abandonou Sehun.

   Primeira de muitas.

 

.*.*.*.*.

 

   Uma semana tinha se passado desde o primeiro beijo de Chanyeol. Praticamente todos os dias o maior ia para a casa de Soomin com milhares de desculpas diferentes. Era o inicio de mais uma segunda-feira chata para os demais e incrível para o mais velho.

   Fazia alguns dias que o mais velho não dava muita atenção para o mais novo.  O que causou uma tristeza no coração pequeno do mesmo.

   Chanyeol foi direto para a sala de aula a procura do melhor amigo e quando o viu sorriu indo em sua direção.

   - Oi Kyung! – falou animado.

   - Oi.

   - O que você fez ontem? – perguntou sugestivo.

   - Nada demais.

   - Não vai me perguntar o que eu fiz?

   - Não.

   - Mas vou contar mesmo assim. – animou-se mais. – Ontem eu e Soomin fomos ao cinema. Assistimos a um filme de romance e comprei um balde gigante de pipoca, mas tive que jogar um monte fora depois porque ela ficou com medo de comer e engordar. Tomamos sorvete, quer dizer eu tomei, mas ela adorou quando o gosto do sorvete ficou na minha boca quando ela estava me beijando.

   - Vocês foram assistir a um filme de romance? - encarou o maior vendo-o concordar com a cabeça – Você nem gosta de filme assim Chanyeol!

   - Quem disse? – respondeu na defensiva.

   - Ah ninguém! Achei que ser seu melhor amigo desde sempre me garantia conhecer algumas coisas de você. – respondeu com ironia.

   - Nada a ver Kyungsoo! Eu gosto de filmes assim e ela é perfeita para mim. É carinhosa, se preocupa comigo, é meiga e é uma namorada perfeita.

   - E o Sehun? – perguntou o mais baixo encarando o amigo.

   - O que meu irmão tem a ver com essa conversa? – ficou sério.

   - Ah nada, é só que desde quando esse menino nasceu escuto você falar dele todos os dias, ora pessoalmente, ora virtualmente ou por ligação. Não é a toa que eu devo ser a segunda pessoa que mais conhece aquele garoto. Desde que aquela menina entrou na sua vida você esqueceu o principal motivo para você ser o que você é e cabe a eu lembrar-te que esse motivo se chama Park Sehun e nesse exato momento deve estar dormindo encolhido em sua cama. Se para mim isso já é confuso imagina para um menino de seis anos!?

   Chanyeol refletiu sobre as palavras do amigo, mas uma pessoa desviou sua atenção.

   - Você está viajando Kyung, agora tenho que ir.

   - Claro quem é um amigo de uma vida toda perto de uma namoradinha de uma semana?

   - Como assim?

   - Nada Chanyeol, vai lá.

 

.*.*.*.*.

 

   - Soo-ah você vai adorar minha mãe. Ela vai gostar muito de você – começou Chanyeol.

   - Legal – falou a garota entretida em olhar roupas nas vitrines das lojas no caminho da casa do maior.

   - Ah eu também tenho um irmão! – continuou – Ele tem seis anos agora e daqui a pouco vai entrar lá na escola, nós dois estamos muito animados porque assim vamos ficar mais próximos, pelo menos esse era nosso plano. Ele acabou se afastando um pouco de mim meio sem motivo, sabe? Mas acho que é só um momento ru-

   - Chan oppa! Compra esse colar para mim?

   - Ah tudo bem, mais tarde eu volto aqui. – disse o mais alto desconcertado – Mas como eu estava falan-

   - As meninas vão ficar babando por eu ter um colar tão lindo como aquele. Não vão Chan? – perguntou à loira sem prestar a mínima atenção nas palavras anteriores de Chanyeol.

   - Uhum – respondeu cabisbaixo.

   - Sabia que você ia ser um ótimo namorado oppa. – beijou a bochecha do maior.

   - Soomin espera – puxou o braço da garota – sou um bom namorado só porque te dou as coisas? Então quer dizer que se eu parar de fazer o que você quer vai terminar comigo?

   - Que isso Chan? – respondeu indignada – Óbvio que não – mentiu.

   - Você gosta de mim mesmo Soo? – perguntou finalmente refletindo sobre as palavras do amigo.

   - Claro que gosto, agora para de paranoia.

   - Ok, desculpe.

   - Tudo bem. Como eu estava dizendo as meninas...

 

.*.*.*.*. 

   - Senhora Park? – a cozinheira da casa chamou.

   - Sim?

   - Estou muito preocupada com o menino Sehun.

   - O que ele tem Kim Na? – perguntou a mãe preocupada deixando as compras na cozinha.

   - Ele não saiu do quarto a manhã inteira, só tomou café porque eu levei para ele na cama. – começou. - Eu não sei se a senhora percebeu, mas o menino anda bem tristonho. Não ouço mais aquela risada alta dele vindo do quarto do irmão.

   - Obrigado por avisar.

 

~*~

 

   Toc.

   Toc.

   Toc.

   - Sehun? – chamou a mãe – Posso entrar?

   - P-pode. – respondeu com uma voz fraca, mas alta o suficiente para chegar até o ouvido dela.

   Entrou no quarto do filho e sentiu-se péssima ao ver seu pequeno filho com o nariz e olhos vermelhos, deitado sobre a cama.

   - O que aconteceu meu filho? – perguntou preocupada.

   - A-acho que o hyung não gosta mais de mim omma. – respondeu com os olhos miudinhos.

   - Não diga bobagens menino – sentou-se ao lado de Sehun – por que acha isso?

   - Ultimamente ele não brinca mais comigo e quase não conversa direito. A única coisa que ele faz é me cumprimentar e mexer no celular dele. – fungou um pouco – Um menino aqui da rua disse que todos os irmãos mais velhos se esquecem dos mais novos. E-eu acho que o hyung está se esquecendo de mim. – começou a chorar.

   A mulher ficou assustada. Seus dois filhos estavam passando por diversas coisas e ela nem tinha percebido. Ver seu filho mais novo se desmanchar em lágrimas e não saber o que fazer a apavorou.    

   Sentiu-se a pior mãe do mundo por ser tão cega, até em relação aos seus filhos.

   - Vem cá filho – abriu os braços para acolher seu pequeno – vou conversar com seu irmão.

   - N-não precisa omma. – gaguejou – O hyung deve estar muito ocupado para mim. Mesmo me deixando triste não quero força-lo a coisa alguma. – finalizou limpando suas próprias lágrimas com a manga do pijama que vestia.

   Ver seu filho de seis anos sendo mais racional que si foi o fim de qualquer estrutura que tentou construir.

   Saiu apressada do quarto do menor indo diretamente para o seu. Ignorou os chamados do filho para voltar a abraça-lo e trancou-se no próprio quarto esperando as lágrimas grossas descerem pelo seu rosto ainda jovem, o que não demorou a acontecer.

   Ajoelhou-se no chão e deixou toda barreira e todos os sorrisos falsos serem levados pelas lágrimas. Em uma medida desesperada foi até seu armário e dentro de um fundo falso pegou seu refúgio. Um líquido transparente que por algumas horas a faria esquecer-se do mundo.

 

~*~

   - Na Cheguei! – anunciou Chanyeol para a cozinheira.

   - Boa tarde, menino Chan – desejou sorridente – faz algumas horas que sua mãe chegou, está no quarto dela.

   - E o Sehunie? – perguntou curioso.

   - No quarto dele.

   - Ah ok. – respondeu olhando para baixo desviando do olhar reprovador de Na.

   - Posso saber quem é essa?

   - Sou Soomin – intrometeu-se a garota – namorada do Chan.

   - Namorada? – ergueu uma das sobrancelhas – Ele não me falou nada disso.

   - E por que ele falaria algo para você? – perguntou com um tom de superioridade.

   - Soomin vamos subir – puxou a garota pela mão – até depois Na.

   Subiu as escadas rapidamente levando Soomin junto a si. Achou um absurdo o modo como à menina tratou a cozinheira que sempre foi mais que isso para a família. Precisava ter uma conversa séria com ela quando chegassem ao seu quarto. Contudo, ao abrir a porta surpreendeu-se com a estrutura pequena do irmão.

   - Sehun o que está fazendo aqui? – perguntou Chanyeol surpreso, já que fazia dias que o irmão não o procurava.

   Pensando bem, nem ele procurava o mais novo e isso pesou em sua consciência.

   - Eu estava te esperando hyung – falou um pouco chateado pelo modo como o irmão o tratou.

   - Sehunie não é uma boa hora agora.

   - Mas hyung...

   - Por favor, Sehun.

   - Eu só queria...

   - Sai moleque! Não viu que ele quer ficar sozinho comigo? – falou assustando o garoto – Agora ele tem uma namorada, não precisa de você.

   - Hyung isso é verdade? – perguntou com lágrimas nos olhos.

   - Vai pro seu quarto Sehun. – ditou seco encarando o chão abaixo de si.

   Sehun saiu correndo em direção ao próprio quarto. Não queria que aqueles dois vissem as lágrimas que já escorriam por seu pequeno rosto.

 

   - Moleque chorão – começou Soomin – ele é tão bobinho que senti até dó dele por achar que você vai dar bola para ele comigo aqui.

   - CALA A BOCA! – gritou virando-se para a garota – VOCÊ NÃO SABE NADA SOBRE ELE E NEM SOBRE MIM! Você é ridícula por achar que alguém de classe mais baixa que a sua é inferior a você.

   - Chan...

   - Você a tratou como se ela fosse um animal peçonhento, mas você que é a cobra aqui nessa casa. Não sei como deixei você me controlar igual suas outras marionetes com esse seu sorriso podre. Tenho nojo de você.

   - Para de falar besteira amor – a garota tentou beija-lo, mas Chanyeol a deteve.

  - NÃO ME CHAME ASSIM! – gritou novamente – Não se dirija a mim nunca mais. Sai da minha casa agora.

   O rosto de Soomin tomou um tom vermelho de pura raiva.

   - Para de ser idiota seu ridículo orelhudo! – mostrou-se pela primeira vez para ele – Isso que você está fazendo é um favor para mim. Estar livre de você é uma recompensa! – exclamou dirigindo-se até a porta do quarto – Aliás, nem para beijar você serve.

   Com essas palavras Soomin deixou o quarto do maior.

   Chanyeol sentiu uma paz tomar-lhe o coração na mesma intensidade de quando acordou com Sehun encolhido em si dias atrás.

   Sehun.

   Devia desculpas ao irmão.

 

~*~

 

   Bateu na porta do irmão repetidas vezes, mas não ouviu som algum.

   Preocupado, o irmão mais velho colocou a cabeça para dentro do quarto avistando seu irmão sobre a cama com os ombros tremendo freneticamente.

   - Pequeno? – chamou baixinho.

   - Vai embora Chanyeol – falou com a voz abafada pelo travesseiro.

   - Não posso fazer você chorar, simplesmente não ligar e ir embora.

   - Foi à coisa que você mais fez essa semana.

   - Me desculpa baixinho. – disse sentando na cama do outro e tentando acariciar a cabeça do menor.

   - Não me chama assim e não encosta em mim! – falou se afastando do irmão mais velho.

   - Ok – respondeu cabisbaixo deitando-se no chão ao lado da cama – eu errei muito com a pessoa mais importante da minha vida, sabe?

   Silencio.

   - Essa pessoa anda me ignorando. Ela é baixinha e estressada, mas muito frágil também e por um tempo esqueci-me disso. Tratei essa pessoa como se ela já fosse adulta, porém ela é só uma criança, por mais que seja muito esperta. – contou encarando o teto – Tem algum conselho para eu tentar ter essa pessoa de volta?

   Sehun levantou o tronco da cama para olhar o irmão e ver seus olhos marejados, o que garantia a verdade em suas palavras.

   - Bolo com sorvete pode ajudar! – falou sorrindo.

   Chanyeol levantou em um pulo ao ver o sorriso do irmão, logo o puxando para um abraço apertado e cheio de saudade.

   - Desculpe, desculpe, desculpe não vou fazer isso de novo – beijou o rostinho do irmão ganhando como recompensa uma risada gostosa e sapeca – agora quem quer sorvete e bolo?

   - Eu! – respondeu subindo no colo do irmão.

 

.*.*.*.*.

 

   - Ai ela falou que nem para beijar eu sirvo – contou Chanyeol para o irmão enquanto “afogava as mágoas” no sorvete.

   - Aposto que é mentira Channie!

   - E como você sabe disso hein pequeno? – gargalhou.

   - Ah sei lá – respondeu enquanto se lambuzava de sorvete – só parece.

   - Continue pensando assim. – riu.

   - Chan... – chamou o pequeno – Você vai esquecer-se de mim um dia?

   - Como assim? – ficou sério.

   - Um menino disse que todos os irmãos mais velhos se esquecem dos mais novos e eu achei que você estava se esquecendo de mim...

   - Quem é esse menino? – perguntou raivoso.

   - Um lá da rua Channie.

   - Esquece o que esse menino disse e presta atenção no que eu vou te dizer. – falou mantendo-se sério – Não sei quem é esse menino nem quem é o irmão dele, mas com certeza ele não o ama como eu te amo.

  “Várias pessoas esquecem ou abandonam os outros todos os dias em algum lugar do mundo, mas eu, seu irmão, nunca irei fazer isso.”

   Sehun sorriu.

   Podia ver que seu irmão falava a verdade.

   E realmente irmãos não se amavam da mesma forma que Chanyeol e Sehun se amavam.


Notas Finais


--------------
1. Entãão, graças a tudo de bom o trailer saiu e aqui está essa maravilha feita por algum mais maravilhoso(a) ainda fauto-sama ♥ : (AVISO: usem a imaginação e coloquem olhos puxados e cabelos lisos nos meninos haha) https://www.youtube.com/watch?v=TRs5QktABg4
2. A musica que toca no trailer é essa aqui e a escolhi como "tema" da fic (se não fizer sentido agr, tenha certeza que depois alguns cap vai fazer) : https://www.youtube.com/watch?v=kTXB1_U8xB8
---------------
Então minha gente oq acharam dessa vez? Não deixem de me contar oq acharam dos personagens, Sehun sofrendo, Chan bobão e a Soomin vaca ok?
Ahhhh deu pra perceber que tem alguma coisa rolando com a mãe num deu? Calminha que no próximo explica tudinho sobre ela.
E vcs viram meu mozão lindo sendo amiguinho do Chan?? Desculpa, mas não podia deixar de colocar eeee alias ele é muito importante tbm ta? (além de ser lindo d+ e o amor da minha vida junto com outros ai, mas isso não vem ao caso)
Até a próxima atualização e obrg pelos comentários e favoritos!
Beijão! ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...