História Voice Of Love - Lutteo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Karol Sevilla, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Rey, Ruggero Pasquarelli, Sharon, Simón, Tamara, Yam
Visualizações 206
Palavras 1.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEMOREEEEEEEEEEEEI EU SEEEEI <3
MAS VOLTEI PRA FICAR, JURO <3

Capítulo 4 - Chapter Three - It attracts me


Eu consigo ver as estrelas pelo caminho,

você não consegue ver o brilho pela janela do avião?

Eu consigo sentir o sol todas as vezes que você está perto,

toda vez que você me toca eu me derreto!

[Beyoncé - Love on Top]

Chapter Three

Matteo Maurício Balsano

Acordo mais cedo do que o normal, estranhando o ambiente ao meu redor. Só então me dou conta que esse ambiente é o mesmo dos meus próximos 30 dias.

Desço e percebo que, pelo silêncio da casa, Luna ainda não tenha acordado. Uma estrela como ela com certeza parecia dormir até onze horas da manhã.

Não sei se peguei muito pesado com ela na tarde anterior, porém, eu precisava colocar tudo pra fora. Se ela achava que, além de me obrigar a viver aqui dentro dessa casa, eu iria admirá-la, não podia encontrar pessoa mais iludida.

Sou desperto pelo toque de ‘Toothbrush’ soar em meus ouvidos, revelando a imagem do treinador no meu celular.

— Alô, treinador? — cumprimento. — Aconteceu alguma coisa?

— Sim, Matteo Mauricio Balsano. Onde é que você se meteu? O treino começou faz meia hora, e só estamos esperando você chegar — avisou, e me repreendo mentalmente por ter esquecido de falar que eu ia ficar um mês fora.

Com toda a correria e a pressa de meu pai, me obriguei a ir sem nem avisar a todos. Minha mente se perguntava se eu teria avisado Âmbar, porém, o fato de ela ainda não estar me fazendo perguntas, confirmava que ao menos isso fiz.

— Treinador, mil desculpas, mas é que eu ganhei um concurso da famosinha Luna Valente, conhece? Então...

— Matteo, você sabe que as olimpíadas são daqui a três meses — alertou o treinador Augusto.

— Eu sei! Mas você mesmo disse que minha preparação já estava avançada das demais, e eu poderia ter um descanso se colaborasse. — Argumento, pensando em próximos tópicos que poderia usar.

— Exatamente: se colaborasse. Sair de fininho não é colaborar, Balsano. O jogo contra o Barcelona é no sábado, e se você não vier...

— Espera! — interrompo. — O jogo contra o Barcelona é nesse sábado? Não ia ser no próximo mês?

— Você está doido. Precisamos de você neste jogo, Matteo. Esqueceu da responsabilidade de ser o capitão do time? O que vão falar se o capitão do time não está presente nos poucos jogos antes das olimpíadas? — suspiro.

Ser o camisa 10 nem sempre é bom. Você tem a obrigação de estar presente, as pessoas esperam mais de você. E isso são poucos dos milhares motivos que me fazem querer desistir de ser o capitão.

— Está bem. Vou falar com a Luna, para ver se consigo estar presente para o jogo — digo, por fim, antes de desligar.

Escuto passos vindos da escada, e meus pensamentos são confirmados ao ver Luna descendo, junto a um robi dourado.

— Que horas são? — pergunta, esfregando os olhos.

— Não faço a mínima idéia. — Respondo seco, tentando mostrar o mínimo de emoções possível. — A gente usa o celular pra isso, sabe. Nem sempre as outras pessoas precisam fazer tudo por você.

— Idiota — resmunga, e vai em direção a cozinha. Vou atrás, mais por obrigação do que por vontade, afinal, precisava tomar café.

A mesa já estava incrivelmente arrumada, provavelmente pelos empregados e cozinheiros. Durante todo o meu café, fico pensando em formas de Luna me liberar para ir ao jogo. Se faltasse, era possível o treinador me chicotear.

Minha vida dependia da decisão de Luna, e isso me fazia a odiar.

Ligo para Nina, e peço para ela vir o mais rápido possível, pois se tinha uma pessoa que sempre sabe agir em qualquer situação, essa pessoa é a Nina.

Nina Simonetti

— Alô, Nina? — chamou uma voz ao telefone, que eu bem conhecia.

— Matteo? Já era hora de eu te salvar...

Matteo era meu melhor amigo desde os cinco anos, quando roubou meu toddynho. Ele raramente me ligava, somente quando tinha coisas muito urgentes, que não conseguia esperar. E ali parecia ser esse o caso.

— Zé graça você... — falou. — Mas preciso que você venha almoçar aqui.

— Algum motivo em especial? — zombo.

— Talvez. Aquela garota literalmente está me tirando do sério. Se ela continuar assim, juro que não respondo por meus atos.

— E... Como eu posso ajudar?

— Conselhos. — Me responde, como se fosse a coisa mais normal do mundo. — Somente conselhos.

— Sendo assim, acho que posso dar uma mão. Chego lá em 20 minutos.

(...)

Olho mais uma vez para a casa em minha frente, no outro lado da rua. Não era acostumada com tanto luxo, tanto que cresci tendo somente uma mãe.

Meu pai nos abandonou logo que soube que ela estava grávida, e, se não fosse por minha avó e meus tios a aconselhando, provavelmente ela optaria pelo aborto. Porém, nas palavras dela, eu sou a melhor coisa que já aconteceu com ela.

Com estes pensamentos, atravesso a rua meio zonza. Tanto que nem percebo que uma moto vem em alta velocidade na mesma direção, e quando me dou por conta, já não há tempo de sair. Fecho os olhos, esperando a dor da morte, quando ouço uma voz no outro lado do da rua.

— Cuidado! — Disse a voz masculina, e em seguida, só senti o impacto de outro corpo sobre o meu, me afastando da rua.

Suspiro aliviada, enquanto sou recoberta pelo corpo do individuo que me salvou da morte. Literalmente, eu devia minha vida a ele.

— Você está bem? — indagou, enquanto e ofereceu a mão para levantar.

— Sim... Eu estou, graças a você — sorrio tímida. — Sério, acho que eu estaria moída ali no meio, debaixo dessa moto.

— Deveria tomar mais cuidado — alertou ele. — O povo desse bairro acha que pode andar por ali como se fosse dono do mundo, e acaba por nem prestar atenção.

— Esta falando da Luna Valente Benson? — pergunto, e ele faz uma careta.

— Ela não dirige. — Estranho esse conhecimento por trás da cantora, mas resolvo nem perguntar. — Ah, ela é minha melhor amiga.

Paraliso. Ali, em minha frente, estava o melhor amigo de Luna Valente Benson. Ele já tocou aquela pele.

— Que educação a minha... Nem me apresentei — falou, mais par si mesmo do que para mim, olhando para o nada. — Prazer, Gastón Perida.

— Nina Simonetti, e o prazer é todo meu — respondo, o cumprimentando com a mão.

— E... O que um garota como você faz por aqui? —faço uma careta.

— Garota como eu?

— É. Aqui todo mundo é arrogante e chato, com exceção de Luna. E você parece tão simples, tão perdida...

— Eu vim ver o meu amigo, que ganhou um concurso e ta passando a morar um mês com a Luna. Não que eu queira me aproveitar da situação para conhecê-la, longe disso... — rimos, e ele finalmente mostrou seus dentes brancos e perfeitamente alinhados.

— Espera; Matteo Mauricio Balsano?

— Esse — confirmo.

— Eu estava vindo mesmo ver a Luna. Vamos juntos? — perguntou e afirmo com a cabeça.

Andamos em direção a manso que eu observava anteriormente. Notei algo de diferente em Gastón. Não sei se foi pelo fato dele ter me salvado, ou ter sido totalmente compreensivo comigo, mas ele precisa não se importar com absolutamente nada que acontece ao redor.

E é isso que me atrai.

NOTAS FINAIS


Notas Finais


JURO QUE NAO VOU DEMORAR, PROMETO <3
E agora pra comemorar a volta da fanfic, vou dar um desafio pra vocês...
22 comentários e eu faço maratona amanhã <3
Depende de voces amoreeeeeeeees <3
Beijos, amo voces


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...