História Volbloed - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Ficção, Romance, Romance Sobrenatural
Exibições 14
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ooi coisinhas,
Só pra avisar soltei a bomba e sai correndo.

Capítulo 21 - Meus amigos


As meninas vem até mim como corvos e me empurram para trás e eu caio de bunda no chão gelado o que faz meu corpo tremer de frio e dor, Margareth me traz para frente puxando meus cabelos e eu grito estrangulada.

 -Que porra vocês estão fazendo?-diz Jack com um brilho radical no olhar, tentando sem sucesso se desprender das correntes.

 -Oras filho, ela merece uma lição, no mínimo por ter fugido- o rei diz com aquela voz nojenta dele- Vamos minha princesas!

 -Claro papai- dizem elas em sincronia, e me olham com um olhar cruel. Jasmine aproxima seu rosto bem perto do meu e segura meu queixo virando meu rosto, o avaliando, cuspo na sua cara e ela solta um gritinho agudo e sai de perto de mim cambaleante, limpando o rosto com as mãos.

-SUA NOJENTA!-ela diz e agarra meus braços ressecados, apertando suas grandes unhas neles o que me faz dar um urro.

-Quem você pensa que é?-diz Margareth e eu fico quieta- RESPONDA! Quem você pensa que é? Tadinha...deve pensar que é alguém, mas Milena você não passa de uma puro sangue coitadinha, que depende dos outros para tudo, nem um namorado conseguiu ter por perto, onde estão seus amigos a propósito?-ela diz quase cuspindo na minha cara e eu tento não soltar o choro preso, sem sucesso nenhum.

-Para- digo com a voz baixa

-Isso nem começou -diz Jasmine e apoia seus pés no meu ombro com violência, com tanta força que ouço o mesmo se estralar e exalo o ar com força tentando aguentar.

-Peguem a tesoura!-dizem para o guarda que as obedece prontamente, Margareth pega a tesoura e a aponta para o meu cabelo- Sempre odiei seu cabelo. Ela pega uma parte do cabelo e ouço o som da lamina começar a cortar as madeixas negras que começam a se soltar e ir para o chão, sinto que meu cabelo está na nuca. -Linda! Hahahaahahahaha! Quem eu quero enganar? Está horrível!- diz Jasmine apertando minhas bochechas forte.

-Parem garotas!- diz Jack se pronunciando, tinha esquecido que ele estava aqui, ele está me vendo dessa forma, deve ter tanta dó de mim. Eu não gosto do sentimento de dó, não quero que ele tenha dó de mim! Não quero! Quero que ele me salve! Mas isso não vai acontecer.

-Papai cansamos de ser boazinhas! Podemos ir ao jardim?

-Obvio queridas, guardas levem Jack no trono dessa forma, vamos.

As meninas me arrastam pelos braços até o jardim, esfolando meu corpo, ou o que sobrou dele, o cheiro de ferrugem é meu melhor amigo e única companhia nesse momento. Passamos por um corredor onde tem um grande espelho e Jasmine pede para pararmos e aponta meu reflexo para mim no espelho. Me assusto, meus grandes olhos verdes estatelados e vermelhos com lagrimas escorrendo pelo rosto sujo, fios de cabelos no pescoço vermelho, meu corpo cheio de marcas em tons de vermelho e roxo, meu vestido antes branco agora esta sujo e rasgado,  estou deplorável, ouço soluços vindos de mim devido ao meu choro, será que essa tortura nunca vai acabar?

Elas me arrastam novamente rindo sem parar, eu me contorço de dor devido aos machucados, solto grunhidos de dor, Margareth chuta a minha coxa destra, meu corpo todo dói mais do que eu posso suportar por conta disso meu choro aumenta, não consigo conter meus gemidos de dor, elas me arrastam pela grande escada que dá acesso a um jardim sem vida, me jogam de qualquer jeito no que devia ser um gramado.

- Vocês estão machucando a garota! – Jack exclama tentando se soltar mas novamente a tentativa dele é falha.

Jasmine me levanta pelos cabelos me forçando a ficar de pé, engulo o choro não sei por qual motivo, acho que pela honra que me resta o melhor é me manter firme mesmo sabendo que elas vão acabar com a minha raça, olho para Jack que tenta se soltar de qualquer maneira, Margareth pega algumas coisas de sua bolsa, Jasmine vai pra trás de mim e empurra meu corpo para frente me fazendo cair de joelhos diante de Margareth.

- Ah querida Milena, você vai sofrer as consequências por ter me cuspido. - Jasmine comenta ajudando Margareth a escolher o que usaria.

- Olhe Jasmine, que tal essa?- Margareth pergunta segurando uma adaga dourada em suas mãos.

Jasmine toma a adaga das mãos de sua irmã e aponta ela em minha direção, elas cortam-me levemente na cintura, a ardência do corte percorre meu corpo, vejo o sangue caindo manchando as minhas vestes num rubro vivo por onde o sangue percorre, suspiro e por algum motivo minhas lágrimas se recusam a descer, meu corpo esta ferido mas minha alma não, encaro a Margareth que ri da minha situação atual.

 

Jasmine me desferiu um tapa no rosto, prendi o ar por longos segundos e depois o soltei rangendo os dentes de ódio dessas duas princesas demônias, uma única e solitária lágrima saiu do rosto de Jack isso me feriu mais do que o tapa da Jasmine, ele se sente exatamente como eu me senti quando eu o vi passar mal, em impotência, meus joelhos latejavam, e meu corpo ameaçava-me a cair a qualquer momento. O corte de Jasmine foi superficial mas o fato que eu não como a dias deixa o meu corpo fraco, Margareth chuta as minhas costelas fazendo eu gritar e finalmente sentir meu corpo se bater contra o chão.

Jasmine e Margareth pegam chicotes, batem três vezes em cada perna minha, o meu corpo eu já não sinto mais de tanta dor que eu sinto no momento, bem como minha fonte de lágrimas acabou eu gritava e urrava de dor, Margareth pega no meu rosto com força fazendo o meu corpo subir pra frente, Jasmine posicionou a adaga dourada contra o meu peito no lugar exato onde o coração esta, sabe o ditado ‘’A esperança é a ultima que morre?’’ bem ele esta errado pois a minha esperança morreu primeiro do que eu.

- PAREM! EU NÃO PERMITO QUE A MATEM!- Jack luta contra as correntes inutilmente, a única coisa que permito o meu corpo fazer é virar-me um pouco para vê-lo.

- Jack... eu...- minhas palavras não saem mas sorrio para ele e logo fechando os meus olhos.- eu... te a-amo Jack...

Ouço som de algo ser quebrado, e em seguida meu corpo atinge o chão, abro os olhos vendo Jack lutando com suas duas irmãs mais novas, seu pai se juntou a luta e contra seu próprio filho, Jack foi cortado diversas vezes pelas irmãs mas ele resistiu firme até conseguir derrubar seu pai.

Jack veio correndo em minha direção e me pegou no colo, ouço o coração acelerado do garoto que um dia foi meu, ele corre comigo até as prisões, não consigo me mover e nem sentir quase nada, obrigo os meus olhos a permanecerem abertos vendo o que ele pretende fazer. Ao chegar nas celas Jack fala para si mesmo um número umas cinco vezes se não me engano, ele chega a uma das prisões que é exato o numero que ele repetiu para si e lá estavam todos, todos os que me protegeram, todos os que lutaram por mim os meus amigos.


Notas Finais


Nada a dizer,
Nunca escutem Lana del Rey enquanto escrevem um capitulo porque dá nisso,
Beijinhos açucarados,
Foge Mirtty!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...