História Volta ao Mundo em 80 Histórias - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Tags Swanqueen
Exibições 83
Palavras 1.973
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom, pessoal...one nova pra vocês.
Esta foi escrita pela Barbara Bianchi, uma pessoa que gosto muito e que tem ideias sempre boas, várias foram as vezes em que me deu uma luz em algumas estórias.

A one dela foi baseada na música Carta de Larissa, da dupla Felipe e Ferrari e assim que me contou da ideia eu já quis postar aqui.

Capítulo 7 - The Past The Love The Memories - Por Barbara Bianchi


O link da Babi, onde ela pretende continuar a fic, hein:

(https://fanfiction.com.br/u/584759/)

 Segue o link do vídeo da música no YouTube. (https://www.youtube.com/watch?v=L9PxgARxKtA)

***********

 

- Tem certeza que essa é sua decisão final?! Porque eu juro pra você, Regina, que vou embora e te esqueço pra sempre.

- Nunca estive tão certa, Swan.

- Então, passar bem.

 

POV Regina

            Acordo ofegante, isso sempre acontece quando tenho esse sonho, se é que posso chama-lo assim. Há quanto tempo essa lembrança me atormenta? Há quinze longos anos.

            Passo minhas mãos pelo cabelo e resolvo tomar um banho, assim consigo disfarçar o incomodo que essas lembranças me trazem. Após um banho relaxante, desço para tomar meu café da manhã e como sempre já encontro a mesa posta. Robin, meu marido, sempre deixava tudo arrumado antes de sair para a editora.

            Ao me sentar, vejo em cima da mesa a nova edição da revista e como Robin sabe que gosto de dar uma lida nela, sempre deixa um exemplar para mim. Quando a peguei, não acreditei no que estava vendo. Era ninguém menos que a dona dos meus pensamentos, junto com sua esposa.

            As lágrimas caíram involuntariamente conforme fui lendo a reportagem, que contava como a Doutora Emma Swan lidava com a carreira de sucesso, o casamento com uma bela mulher e o nascimento do segundo herdeiro. Ao final da reportagem, não consegui impedir que o soluço causado pelo choro saísse e nem que as lembranças de tudo que passei com Emma me invadissem.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Há 15 anos atrás ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

POV Emma

           

            Era meu segundo mês em Boston e eu ainda não tinha me acostumado com o ritmo da cidade grande. Mudei-me para cá, para cursar medicina, meu sonho desde pequena e como consegui uma bolsa de estudos, não pensei duas vezes e deixei Westfield.

            Hoje, acordei com a sensação de que meu dia seria diferente. Na universidade, eu ainda não tinha muitos amigos, mas tinha uma pessoa que chamava a minha atenção. Nunca tive coragem de conversar com ela, já que a mesma estava sempre cercada de pessoas, mas eu prestava e muita atenção nela. Ela é linda, tem um sorriso como nunca vi igual, seu nome é Regina Mills, filha do governador do estado, Henry Mills.

            A aula transcorria normalmente, mas reparei que Regina me olhava o tempo todo. Quando o intervalo chegou, esperei praticamente todos saírem e quando ela estava saindo, a chamei:

            - Regina?! - Ela me olhou sorrindo e eu quase desmoronei. - Você gostaria de almoçar comigo?

            - Achei que este dia nunca chegaria,Swan.                       

            - Wow, confesso que não esperava por isso.

            Dando uma risada maliciosa ela me responde:

            - Você realmente não me conhece.

            Abaixei a cabeça e soltei uma risada tímida e saímos da sala. Após o almoço tive a certeza de que esse havia sido o primeiro de muitos almoços que teríamos.

            Com o tempo percebi que o que eu sentia por Regina cresceu e com a ela acontecia o mesmo, porém a mesma namorava há 3 anos Robin, um maldito filhinho de papai.

            Mesmo assim, depois de um tempo, pedi Regina em namoro e durante 6 meses suportei a imagem de casalzinho feliz que Robin e ela aparentavam ser. Numa noite em que Regina consegue vir passar comigo, resolvi dar um ultimato a ela sobre nossa situação:

            -Regina, você sabe que eu te amo, mas não dá pra continuar da maneira em que estamos. Eu queria poder não te forçar a nada, mas você realmente precisa escolher ao lado de quem quer ficar.

            Como Mills não me respondia, continuei:

            -Não precisa decidir nada agora, você tem o tempo que quiser pra pensar.

            Uma semana se passou e não tive contato com ela, estava respeitando o espaço dela e não queria pesar a barra, então deixei que me procurasse. Quando o final da segunda semana se aproximava, ela me chamou pra jantar, mas o tom usado por ela e a maneira que me tratou, colocou um certo medo em mim.

            Cheguei mais cedo no restaurante e fiquei aguardando sua chegada, para que fizéssemos os pedidos. Não tardou muito e ela chegou, linda como sempre, mas com um olhar sem brilho que me preocupou. Levantei para cumprimentá-la e ela simplesmente puxou a cadeira e se sentou. Com isso tive a plena certeza de que esse jantar não terminaria nada bem.

            Vi ela ajeitar a postura e me olhar sem demonstrar nenhuma reação, não sei dizer por quanto tempo ficamos com os olhos fixos uma na outra, mas quando resolvi começar uma conversa, Regina foi mais rápida e disse:

            - Emma, não estou aqui pra fazer rodeios, então vou direto ao assunto. Eu pensei muito em tudo o que você me disse naquele dia e cheguei à conclusão de que realmente não dá pra ficarmos da maneira que estamos e mediante isso, decidi o que fazer. Não espero que me entenda, mas que mesmo assim respeite minha decisão.

            Não tive tempo de processar o que ela me disse, nem de responder alguma coisa, pois ao terminar sua fala, Regina abriu sua bolsa e retirou um envelope de dentro, me entregando. Fiquei olhando pra ela com o envelope na mão, esperando a confusão do momento passar. Como ela viu que eu não tinha reação disse:

            - Ai dentro está a minha decisão final.

            Abri o envelope lentamente, com receio do que encontraria. Inúmeras possibilidades passaram pela minha mente, mas jamais o que realmente era. Um convite de casamento, dela com Robin.

            Meu mundo desabou, mas eu não queria mostrar tanta fraqueza, então engoli o choro, mas com a voz embargada perguntei a ela:

            - O que isso significa, Regina?

            - Ora Emma, o que um convite de casamento significa?! Obvio não acha. Irei me casar com o Robin em alguns meses.

A tristeza de antes se transformou numa raiva como jamais senti, esmurrei a mesa e encarei-a:

- Você só pode estar brincando comigo! Eu realmente fui usada por você, fui só uma aventura, um forma de saber se ficar com mulheres é interessante, é isso?

            Vejo Regina abaixar por um breve momento a cabeça e me responder:

            - Não Emma, eu realmente te amei, você me cativou desde o primeiro dia e eu cheguei a acreditar que teríamos um futuro juntas, mas sejamos sinceras, nós nunca seríamos aceitas, meu pai poderia ter problemas para se reeleger e minha mãe te julgaria por sua condição financeira. Por um momento eu pensei que ao seu lado eu enfrentaria qualquer coisa, mas com o tempo percebi que eu tenho muita coisa a perder se me arriscar num relacionamento que nem temos tanta certeza que daria certo.

            - Regina, eu sei que não tenho muito pra te oferecer, mas posso trabalhar pra comprarmos um lugarzinho só nosso. Eu não pago a faculdade mesmo, então com a ajuda do meu pai e meu emprego, conseguiremos viver bem.

            - Faça-me o favor! Não querendo te menosprezar, mas acha mesmo que uma pessoa acostuma com tudo do bom e do melhor, conseguiria morar num “lugarzinho” ?!. Não Emma, não conseguiria.

            - Então pra você vale mais o dinheiro do que estar com a pessoa que ama e que te ame também?

            - Sim, eu não quero me indispor com meus pais, nem perder a vida boa que eu levo e se pra continuar com tudo isso, eu precisar me casar com o Robin, mesmo não o amando, eu farei. Prova disso está na sua mão.

            - Tem certeza que essa é sua decisão final?! Porque eu juro pra você, Regina, que vou embora e te esqueço pra sempre.

- Nunca estive tão certa, Swan.

- Então, passar bem.

Me levanto rápido, pois sinto lágrimas prestes a cair e não queria dar a Regina o gostinho de me ver chorando.

Durante os meses que antecederam seu casamento, não tivemos mais nenhum contato e me doía a alma ver ela todos os dias na faculdade e saber que eu não a teria mais.

No dia do casamento dela, eu resolvi que ia visitar minha família, espairecer um pouco a mente com meus antigos amigos.

Ao sair de casa, uma parte de mim queria muito ir direto pra Westfield, mas a outra parte dizia que eu tinha que ir pelo menos na frente da igreja onde seria realizado o casamento.

Quando cheguei, estacionei o carro do outro lado da rua, assim teria uma vista do que acontecia. Os padrinhos já estavam posicionados do lado de fora, para jogar pétalas de rosas nos recém casados. Não precisei esperar muito e logo saiu Regina, de mãos dadas com Robin, sorrindo pros padrinhos e convidados. Quando eu estava ligando o carro pra sair dali, vi que Regina me olhou e seu sorriso se desfez, apenas dei a ela meu olhar de decepção e saí.

         

              Oito anos se passaram, hoje moro com minha esposa Ruby e nosso filho em Boston. A conheci no mesmo dia do casamento de Regina, no começo eu não queria nenhum tipo de relacionamento, mas Ruby foi tão amorosa e paciente comigo que foi impossível não me apaixonar por ela. Me mudei pra cá pois consegui uma ótima oportunidade de trabalhar no Massachussets General Hospital, como Doutora Chefe da área de Oncologia.

 

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Atualmente ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

           

POV Regina

 

            Eu ainda consigo sentir toda a dor daquele momento. Deixar Emma ir, foi a decisão mais difícil que já tomei na vida. Eu era imatura e realmente acreditei que por ter dinheiro eu conseguiria tudo o que quisesse. Ledo engano.

            Com o tempo eu fui me arrependendo ainda mais de ter escolhido Robin e o dinheiro ao invés do amor puro que Emma me oferecia. Eu até pensei em ir atrás dela, mas depois que acabou a faculdade nunca mais tive notícias dela, até agora.

            Confesso que sinto uma inveja grande da mulher que Emma escolheu pra casar e construir uma família. Pela revista soube que elas tem um filho e que sua esposa, Ruby, está grávida de uma menina. Eu realmente a invejo, ela tem o amor de Emma e ainda tem dois filhos, uma felicidade que nem Robin nem o dinheiro conseguiram me proporcionar.

 

            No final do dia, Robin chega do serviço e me avisa que na noite seguinte, terá uma jantar de lançamento da revista e que Emma estará lá. Não consigo esconder dele o quanto essa notícia me abala, uma vez que não sei como reagir com a presença dela depois de tantos anos, ainda mais junto de sua esposa e mais uma vez naquele dia, as lágrimas escorrem livremente.

 

            O jantar transcorria normalmente para todos os presentes, já eu estava que não me aguentava de tanto nervosismo. Céus, como Emma está linda, ainda mais linda do que eu me lembrava, seu sorriso estava radiante e seus olhos brilhavam cada vez que ela olhava pra esposa. Passei o tempo todo encarando-a, esperando um momento pra tentar falar com ela.

            A oportunidade veio quando a vi se levantando pra ir ao bar, não pensei nem meia vez e fui atrás dela. Quando cheguei bem perto, chamei-a:

            -Emma?!

            Vi ela virar o rosto lentamente em minha direção e me encarar com um olhar neutro, para depois dizer:

            - Desculpa, mas nós nos conhecemos?

            Não sei dizer o que senti quando ouvi isso dela.

Percebi que ela me reconheceu, mas que tinha cumprido sua promessa e me esquecido. Não respondi nada, apenas corri rapidamente pra fora, lágrimas banhavam meu rosto e tive a certeza que eu jamais seria feliz como ela era, que eu nunca mais teria o amor de Emma pra mim, mas que mesmo assim eu a amaria pra sempre e que só me restava lembrar dos momentos bons que passamos juntas. Porque Emma sempre seria, meu passado, meu amor e minhas memórias.

 

You will always be the heart in me

You will always be

The past the love the memories

 


Notas Finais


E aí, gostaram?
Final nada legal pro nosso casal né, mas Regina não soube bem o que escolher dessa vez.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...