História Vondy : o reencontro - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chávez, Christopher Uckermann, Dulce María, Maite Perroni, Rebelde, Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Personagens Originais
Tags Alfonso Herrera, Amor, Anahi, Chaverroni, Christian Chavéz, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Novela, Ponny, Rbd, Rebelde, Reencontro, Relação, Romance, Vondy
Exibições 56
Palavras 753
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa madrugada, leitores!!! Está aí mais um capítulo fresquinho dessa fic. Espero que gostem.

Capítulo 25 - Pedidos


Finalizaram o beijo com alguns selinhos e beijos no pescoço.
- Eu te amo, Dul! - Ucker afirmou, depositando vários beijos arrepiantes no pescoço da ruiva, fazendo a mesma dar alguns leves e quase impercetíveis gemidos. Ficaram alguns longos minutos alí, dançando algumas lindas e românticas canções, até decidirem voltar para o quarto, pois estavam tomados pelo cansaço.

- Boa noite, meu amor! Sonha comigo. - Christopher falou, dando um selinho na Dul.
- Não se preocupe, eu costumo sonhar com anjos! - ela respondeu, fazendo ele abracá-la forte.
- Eu vou indo, ninguém pode me ver aqui. É proibida a entrada de homens nos quartos femininos. - disse ele.
- Essa regra existe para os anjos também? - ela brincou.
- O pior é que existe. - ele deu um pequeno sorriso e saiu.

                              ****
- Dul, você não vai acreditar com quem fiquei o baile inteiro! - Anny chegou no quarto sorridente, nem conseguia disfarçar a tamanha alegria que sentia.
- Ai, Anny, eu estava dormindo. Será que não podia esperar até amanhã? - Dulce perguntou.
- Ela está assim desde que o Poncho resolveu chamá-la pra dançar! - May confessou.
- Que fofoqueira, May! Era eu quem deveria falar com a Dul. - Anny fez biquinho.
- E você, May? - Dulce perguntou.
- Eu... eu... eu não... não fiquei com ninguém. - May respondeu, nervosa.
- Tá bom, Maite Perroni, vamos fingir que acreditamos. - Dul jogou um travesseiro na amiga e começaram a guerra, rendendo à elas boas gargalhadas.
- E você, Dul? Com quem estava o tempo todo? - Anny perguntou, curiosa.
- Com o Ucker, claro! Esqueceu que estamos juntos? - Dulce deu um leve tapa na cabeça da Anny.

                             ****
- Que sorriso largo é esse, Alfonso? - Ucker perguntou, vendo o estado em que seu amigo estava.
- É que eu fiquei com a Anny! Ela beija bem e é muito linda e sexy! - Alfonso respondeu.
- Está apaixonado, Herrera? - Christian perguntou.
- Acho que sim, Chris! - disse ele.
- E porque não pede ela em namoro? - Ucker sugeriu. - Eu por exemplo, vou pedir a Dul em casamento.
- É verdade! Quem sabe não seja uma boa ideia? - disse ele, contente. - Mas será que a Anny vai aceitar namorar comigo? Será que a Dul vai aceitar se casar contigo? - Alfonso perguntou, duvidoso.
- Nunca vamos saber se não perguntarmos, concorda? - Ucker perguntou e Alfonso assentiu.

                             ****
No dia seguinte, Poncho acorda cedo, toma um banho frio para despertar o corpo e vai até a cantina do colégio e pede um café forte e sem açúcar para lhe dar coragem. Assim que termina de tomar seu café, repara que a mesma menina que não sai da sua cabeça estava vindo em sua direção, deixando ele completamente imóvel, sem saber o que fazer.

- Licença, Poncho! Está esperando alguém? - ela perguntou, estranhando o comportamento dele.
- É... eu? Nã... não, imagina. - ele respondeu, nervoso.
- É impressão minha ou você está nervoso? - Anny perguntou.
- Eu? Eu não, é impressão sua, Anny. - disse ele.
- E aí, Poncho? Conseguiu? - Ucker perguntou, chegando até a mesa onde estavam.
- Ucker! - ele repreendeu o amigo.
- Vocês viram a Dul? - Ucker questionou, mudando de assunto. - Eu precisava falar com ela.
- A Dul não saiu do quarto ainda, Christopher. - Anny afirmou.
- Obrigado, Anny, eu vou subir então! - Ucker agradeceu, saindo imediatamente.
- Eu também vou indo, Poncho! - Anny se levantou da cadeira para sair, mas Alfonso puxou o braço dela devagar, impedindo que ela passasse.
- Espera,Anny!  Eu tenho que te dizer uma coisa muito importante, que não dá pra adiar. - ele a encarou, sério, deixando Anahí um pouco tensa. - Eu gosto de você, Anny. E desde que ficamos, não parei de pensar em você. Quer ser minha namorada?
- Eu também gosto muito de você, Poncho! - Anny sorriu. - É claro que eu aceito. - ela pulou apaixonada nos braços dele.

                                ****
- Dul, será que eu posso entrar? - Ucker questionou.
- É claro, meu bebê! - Dulce permitiu. - ele se ajoelhou ao lado da cama dela e pegou em sua mão direita. - Quer se casar comigo? - Ucker perguntou, pegando uma pequena caixinha preta no bolso de seu paletó e tirando um anel e o colocou no dedo dela. - Então, aceita se casar comigo?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...