História Vos Protegant - NamJin OS - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Fluffy, Namjin, Stherchannn
Exibições 60
Palavras 2.956
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drabble, Fluffy, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIEEEE
Pois é, aqui estou novamente com uma NamJin :v
Bom, esse projeto saiu de repente, quando eu a Ajunnie (ignorem o apelido :3) vimos uma fanart juntas e falamos sobre fazer uma fic sobre ela... bom, ela meio que me obrigou a fazer ;-; Ajuhmma, desculpa ter estragado -3- eu tentei avisar.

Eu modifiquei um pouco as mensagens que NamJoon e Jin trocaram, mas a fic se iniciou toda nessas mensagens porque a fanart que vimos era Nam e Jin trocando mensagens... soooooooooooo~~

Boa leitura! Nos vemos lá em baixo!

PS¹: O nome da fic significa "Te protegerei", em latim.
PS²: O nome do capítulo significa "Proteção", também é latim.

Capítulo 1 - Praesidium


Fanfic / Fanfiction Vos Protegant - NamJin OS - Capítulo 1 - Praesidium

 

Jin ON

R
esmunguei algo ininteligível para a dona do estabelecimento e me afastei de seu abraço;  SooMin soltou um muxoxo em frustração, afastou-se de mim e apoiou o queixo no braço que estava no balcão, me olhando com um bico.

- Você nunca me dá uma chance, Jinnie... - ela resmungou. - Quando vai me deixar mostrar que eu sou realmente boa pra casar? Você não gosta de noonas?

- SooMin noona, não é isso... aliás, você é minha noona por alguns meses, apenas. - suspirei e resolvi abrir o jogo. Apoiei meu corpo no balcão, de lado, e a olhei com um sorriso gentil. - Eu já tenho alguém que gosto... e ele não é--

- Ele? Wahhh, Jin! Por que não me contou? - os olhos dela brilharam. - Você é gay?!

- Oh.. sim, sou. - respondi meio hesitante, desviando o olhar com medo de sua reação.

- Por isso que sempre elogia minhas roupas mas nunca diz que eu sou gostosa. - ela me olhou com um sorriso divertido.

Dei de ombros e voltei ao trabalho. SooMin nunca entenderia que eu, na verdade, gostava de outra pessoa, mesmo que fingisse estar feliz por mim gostar de alguém. Ela apenas não fazia meu tipo, pois era muito bonita, no auge dos seus vinte e um anos. Eu tinha vinte e não tinha nem metade da vivacidade dela.

[...]

Faltavam apenas quinze minutos para que eu pudesse ser liberado do trabalho quando puxei o celular do bolso ao receber uma mensagem. Franzi o cenho ao notar que o remetente era Yoongi... a última pessoa que me enviaria uma mensagem.

Yoongi: Vc sabe onde RM se enfiou?

Eu: Por que saberia? Achei que ele fosse passar o dia com você.

Yoongi: Ele sumiu, veio aq em casa e disse q ia buscar vc. Mas isso já tem umas 2hrs. Até achei q estavam fznd coisinhas.

Eu: Já perguntou para outra pessoa?

Yoongi: Não... cm eu disse: achei q ele ia ai no rstrnt, te buscar, então vc foi a 1° pessoa pra qm pgnt.

Eu: Oxe... enfim, vou falar com JiHo, você tenta contatar os outros... se não for se incomodar, Mr. Lazy.

Yoongi: Ah Jin... nao vem dar uma de RM agr. Ok eu vou flr com os minos. Jimin esta na ksa do Hobie, jnt com TaeTae e JK. Vou ver com ele.

Eu: Tá, vai la e fala com seu namorado.

Bloqueei a tela do meu celular e corri para dentro da área dos funcionários. Troquei de roupa - vesti uma calça jeans de lavagem escura bem justa com alguns rasgos pequenos nos joelhos e coxas; uma camiseta branca com palavras em preto, de manga longa, porém tecido fino; calcei o Converse High vermelho (presente de aniversário que ganhei de NamJoon) novamente e baguncei meus cabelos de cor escura, tão negros quantos meus olhos - e voltei a pegar o celular.

Conversei um pouco com JiHo e descobri que NamJoon estava falando com ele. Bebendo.

Eu: Joonie... fiquei sabendo que andou bebendo. Onde esta? Quer que eu vá te buscar?

Joonie: Hyung... eh... acho que to bebendo msm... 

hyung... a lua está tão bonita.

Eu: Ela esta? Joonie, onde você ta?

Joonie: Aish, hyung... apenas leia o que eu vou te dizer.

sabe por que a lua é bonita?

Eu: Joonie... '-'

Joonie: Por que ela é tao inalcançavel... nós tentamos tocar nela e não conseguimos porque ela esta longe de nós...

igual você, hyung... você é tão bonito, mas tão inalcançavel... eu sempre quis te tocar, mas...

hyung, você ta sempre indo embora, sempre se afastando de mim...

Eu: Joonie, vou rastrear seu celular, okay?

Joonie: Hyung! Não ignore o que estou falando!

Bufei por ele estar parecendo uma criança e fiquei feliz por ele seguir minhas dicas de deixar o GPS ligado e ter sido tonto o suficiente para não desliga-lo.

Todos os meus amigos podiam fazer isso, porém NamJoon havia quebrado seu celular há alguns dias, e só eu (como a boa omma que sou, palavras de TaeTae) havia programa o meu GPS para rastrear o seu novo  celular e vice-versa.

Rastreei seu celular sempre ciente sas mensagens que NamJoon estava enviando sem parar. Quando me situei com o endereço que apareceu na tela, revirei os olhos. Era bem óbvio que NamJoon iria pra lá, eu tinha que bater palmas para ele: mesmo bêbado e chateado com alguma coisa, ele não deixava de ser um gênio... aquele era um lugar tão óbvio que ninguém nem imaginou que poderia ser lá onde ele se esconderia.

 

Eu choro por milagres, nessa realidade

Sendo incrivelmente feliz, fui um idiota viciado em sua doçura

Sim, um idiota

 

Li as mensagens de NamJoon com um sorriso enquanto saia do quartinho dos funcionários, todas eram falando a mesma coisa, mas de maneiras diferentes: ele me ama.

Sai da loja dando um tchauzinho para SooMin noona e pegando meu guarda-chuva enquanto me dirigia para a melhor pista de skate que tinha em Seul. Cheguei lá bem rápido por esta ficar perto da restaurante que eu trabalhava. Entrei e comecei a chamar por NamJoon, sem me importar com a falta de pessoas ali.

 

Não importa o quão longe procuro por você, é apenas um sonho vazio

Não importa o quão louco eu corro, eu volto para esse mesmo lugar

Apenas me queime! Sim, me puxe

Essa é uma corrida de amor louca

 

A chuva começou a cair de maneira mansa, bem fina; assim como todo mal-presságio. Antes que eu pudesse sequer raciocinar, vi uma silhueta conhecida em cima de uma das altas e largas rampas, porém ele estava de costas, sem se dar conta de que uma outra figura me puxava os cabelos e tampava-me a boca, arrastando-me para longe.

 

Eu não consigo viver, se você não está aqui

Me ame, me ame

 

Comecei a me debater desesperado, tentando me livrar do aperto que a figura havia passado de meus cabelos para minha cintura. Pisei em seu pé o mais forte que pude e ele reprimiu um gemido de dor; mordi sua mão e joguei minha cabeça para trás, acertando-lhe o rosto.

O desgraçado que me segurava caiu no chão enquanto eu me afastava, assustado.

- Seu filho duma puta... - ele levantou e ia vir para cima de mim, porém parou no meio do caminho ao olhar através de mim e engolir em seco. - E-Eu não fiz n-nada, Rap Monster... 

- Você sabe quem é ele, Choi? Hein? Eu não falei que não era pra relar em um dos meus protegidos? Bang não passou as regras pra você? - a voz grave de NamJoon me arrepiou dos pés à cabeça, mesmo que eu pudesse notar que ela estava um pouco arrastada. - Now... eu vou esmagar your head no chão até you scream of pain...

Senti ele se aproximar mais e a figura à minha frente estremecer. Ele era bem mais alto que eu, então eu nem chegava perto da altura do garoto de dezenove anos atrás de mim. O tórax de NamJoon bateu em minhas costas e eu arquejei, assustado.

- Desculpa, hyung... e-eu não sabia que era ele! - Zelo parecia tremer muito, e ficou notório por sua voz que ele falava a verdade e que ainda passava pela puberdade.

- NamJoon... deixei-o... - murmurei e me virei para o platinado. - Tenho que conversar contigo.

NamJoon desfez a pose de durão e eu me virei para Zelo acenando com a cabeça para que ele fosse embora. O garoto era esperto e assim que pôde, correu como se não tivesse amanhã.

- Achei que não fosse vir... - sua expressão relaxou e ele pareceu vacilar um pouco na base.

A chuva aumentou mais um pouco e eu abri o guarda-chuva, colocando-o acima de nossas cabeças. Sorri para ele e neguei com a cabeça.

- Eu nunca deixaria de vir te encontrar... principalmente depois de você ter falado aquele monte de coisa... - respondi enquanto estudava seu rosto.

NamJoon carregava um hematoma roxo na bochecha esquerda e um corte perto da sobrancelha direita, além de uma pequena ferida quase cicatrizada nos lábios. Assim como eu sabia da grande marca roxa que se estendia pela lateral de seu tronco e a pele ferida dos nós de seus dedos. Sinais de sua última briga.

NamJoon era líder de uma gangue de rua, o vice era Yoongi. Tae, eu e Jimin não tínhamos nada a ver com ela, porém, por sermos próximos de NamJoon, JungKook, HoSeok e Yoongi, sofríamos consequências. Não foram poucas as vezes em que teve briga na frente da nossa antiga escola (ninguém mais estudava entre nós, exceto Tae, Jimin e JungKook, que ainda não tinham concluído a escola) e eu fui pego como um tipo de refém, assim como Tae e Jimin.

Suspirei e passei um dedo delicadamente sobre o hematoma da bochecha. Eu percebi que NamJoon não estava tão bêbado quanto eu imaginava que estivesse.

- Ah... aquilo... veio fazer o que aqui? Esfregar na minha cara o quanto eu sou trouxa por gostar mais do que o normal de você? - ele desviou o olhar e eu pude ver seus olhos marejarem e ele engolir em seco. - S-Se for isso, pode ir embora. E-Eu já sei.

- Não, Joonie... eu vim dizer o quanto eu também gosto de você... porém aqui não é o melhor lugar pra conversarmos. - olhei ao redor e segurei sua mão, exasperado. - Joonie, eu gosto de você na mesma medida que voc---

 

Eu não estou bem, repito essa negação

Recite, se você pode recitar minha mente

Este é o meu último esforço e meu desejo

Você é o meu amor infinito

 

- Pare. Acha mesmo que eu vou acreditar nessas mentiras sem cabimento? Jin, eu te vi com aquela mulher no restaurante... vai dizer para mim que me enganei? Depois de ver o quanto fui trouxa por te amar, você vai embora e vai voltar para aquela mulher. Ela pode te dar comida, moradia, filhos e-

- NamJoon, pelo amor do Deus que você não acredita... deixa de ser imbecil. - lancei-lhe um olhar de raiva quando ele ameaçou continuar falando. - Eu sou gay. Desde quando vou querer ficar com um mulher se tenho uma pessoa tal especial, uma pessoa incrivelmente inteligente e bonita, uma pessoa que gosta de mim pelo que sou, na minha frente?! - revirei os olhos e limpei uma de suas lágrimas, estas que pareciam combinar com a chuva forte que caia ao nosso redor. - NamJoon, eu também gosto de você... faz muito tempo... e--

Antes que eu pudesse terminar de falar, seus lábios macios ja estavam sobre os meus, beijando-os. Prendi a respiração um pouco assustado, mas logo a soltei a fechei meus olhos, deixando-me passar um dos braços por seu pescoço, encostando nossos corpos.

 

Vem rápido e me abrace

Só posso ver você, você

Só vejo você e mais nada, nada

Olha, sou paciente com todos menos com você

Agora não posso viver um dia sem você, por favor

 

Suas mãos passearam um pouco por minha cintura antes de abraça-la, trazendo meu corpo para mais perto enquanto eu lhe concedia a passagem, abrindo os lábios para que ele os adentrasse com sua língua. Seus labios tinham gosto de tabaco, menta e álcool misturados, assim como os meus deviam ter gosto de cereja por eu te chupado uma balinha de cereja minutos atrás.

Nossas línguas se moviam em sincronia, como se fôssemos um só. Não tinha a tão falada dança ou "guerra", era algo profundo. Algo apenas entre nós. Eu e NamJoon éramos perfeitos um para o outro, meu corpo se encaixava perfeitamente no seu, enquanto uma das minhas mãos brincava com seus cabelos, a outra segurava a sua nuca, trazendo-o para mim. Estavamos tão compenetrados nos lábios um do outro que eu não percebi que havia soltado o guarda-chuva, nem quando a chuva ficou mais forte. O corpo de NamJoon era tão quente e me trazia tanta paz que eu não sentia frio nem medo.

 

Você ainda brilha

Você ainda e como uma flor perfumada

Agora confia em min, me abrace uma vez mais

Assim posso sentir você, me abrace

 

O beijo se desfez com vários selares da parte dele, que encostou nossas testas e ficou observando meu rosto, como se quisesse grava-lo a fogo em sua mente.

- Kim SeokJin... - ele me chamou baixinho me fazendo sair daquela bolha que eu havia criado apenas para tentar decifrar seus misteriosos olhos escuros.

- Hm?

- Não quero que fique doente... vamos? - perguntou enquanto fazia menção nos afastar. - Aliás... seus lábios tem gosto de cereja... balinha?

Concordei com a cabeça e selei seus lábios mais uma vez antes de solta-lo para juntar o guarda-chuva do chão.

A tempestade estava tão forte que o céu parecia desabar em nossas cabeças, mas não ligavámos. NamJoon segurou minha mão livre e me guiou pela rua, pude notar que seus labios estava arroxeados e que ele tremia um pouco. Eu tinha quase certeza que eu estava pior.

NamJoon usava uma calça jeans preta, um moletom azul escuro, quase preto, e Converse preto. Eu estava com roupas finas, diferente das dele.

 

Me segure forte (me abrace)

Confie em mim, confie em mim, confie em mim

Me segure com força, me abrace

Pode confiar em mim? Pode confiar em mim?

 

Espirrei e comecei a andar mais rapido, assim como ele que pareceu ter ficado mais preocupado que antes. Logo chegamos na casa de NamJoon, que era a mais próxima da gente.

- Tome um banho, eu vou pegar algumas roupas para você. - ele disse enquanto entravámos em seu quarto.

Assenti com a cabeça e fui para o banheiro. Tomei um banho com água morna, não muito quente nem muito fria, no meio termo. Foi um banho rápido, sem molhar demais o cabelo.

Assim que saí de lá, com a toalha na cintura, me deparei com NamJoon mexendo no guarda-roupa. Ele virou sorrindo e veio até mim, me entregando uma muda de roupas.

- Não lave o cabelo, pode molhar, mas não muito. - ordenei enquanto o via entrar no banheiro. - Nem mude a temperatura da água, Kim NamJoon!

- Aish, okay, omma. - ele resmungou em uma mistura careta com risada.

- Vai logo! - assim que arqueei uma sobrancelha inquisidora, ele fechou a porta.

Suspirei e comecei a vestir a roupa que ele me deu. Esta que consistia em uma calça de moletom preta, uma boxer que parecia ser minha (não me julgue, eu dormi aqui muitas vezes... é claro que esqueci coisas algumas vezes), uma camiseta grande e branca que era dele. Fucei um pouco suas coisas e achei um par de meias brancas, calcei estas enquanto o via sair do banheiro com a toalha na cintura.

Ele riu um pouco quando me viu calçando as meias e isso lhe rendeu um bico meu. NamJoon se dirigiu ao guarda-roupa e pegou uma muda para si. Entrou no banheiro e, uns minutos depois, saiu com uma calça de moletom (ele parecia fazer coleção delas... tadinho, não entende nada de moda) branca, uma camiseta também branca, enxugando os cabelos com uma toalha.

- Vamos comer algo antes de dormir? - ele perguntou enquanto colocava a toalha no gancho.

- Sim... - bocejei. - Algo quente.

Ele sorriu e veio até mim, me guiando até a cozinha pela mão. Sorri pequeno enquanto andava ao seu lado, indo para a cozinha. Eu já sabia que NamJoon não cozinhava, então fui direto para o armário e peguei dois pacotes de macarrão instantâneo.

NamJoon sentou no balcão e ficou me observando.

- Manda uma mensagem pro Yoongi, diz que eu te achei. - murmurei enquanto colocava a panela no fogão.

NamJoon murmurou um consentimento e puxou o celular (que, por sorte, era a prova d'água).

Depois de um tempo, já estávamos deitados na cama dele. Minha cabeça estava apoiada em seu peito, com suas mãos por minha cintura, nossos pés entrelaçados. NamJoon roncava baixinho, mas não era isso o que me impedia de fechar os olhos.

Algo me dizia que aquilo não acabava por ali.

- Hyung? Não consegue dormir? - a voz de NamJoon me tirou dos meus pensamentos e eu sorri para ele.

- É... - suspirei. - Devem ser os trovões...

- Vem cá...  - ele me puxou para mais perto e selou meus lábios nos seus.

Em seguida, NamJoon sentou-se na cama, me fazendo ir junto de si. Ele beijou minha testa e tampou meus ouvidos, olhando em meus olhos.

- Não se preocupe... eu vou sempre te proteger, não importa o que aconteça... eu vou estar sempre do seu lado, seja tampando seus ouvidos para que não sinta medo dos trovões ou palavras ferinas, segurando sua cintura para que ninguém te pegue ou que tropeces e caia, segurando sua mão para que não vá para o caminho errado. Só peço que fique do meu lado para que eu o faça sem empecilhos e para me trazer de volta a sanidade... porque, hyung, eu te amo tanto quanto você ama rosa... e isso é amor para caralho. - eu ri ao fim suas palavras, sentindo minhas bochechas aumentarem a temperatura.

- Eu também te amo, Joonie... vou estar sempre aqui para te trazer a sanidade... - abri um sorriso malicioso enquanto selava seus lábios. - Ou a insanidade... dependendo do momento...

NamJoon riu alto e deitou novamente, me puxando para cima dele.

Dessa vez, eu dormi melhor do que dormi em anos.

 

Por favor, por favor, por favor, me segure forte, me abrace

Você ainda brilha

Você ainda e como uma flor perfumada

Agora confie em mim, me abrace mais uma vez

Assim posso sentir você, me abrace


Notas Finais


Então? O que acharam?!
Comente, amores! Please, a unnie/dongsaeng aqui gosta de ler e responder seus comentários ;-;

Enfim~~ mudando um pouco de assunto... o que acharam do comeback? Não pude gritar enquanto assistia pois tinha dois bichos preguiça de TPM ao meu lado enquanto eu assistia :)

Eu vou fazer novos projetos e espero que me acompanhem, amores. Irei deixar adiantado aqui que, ao invés de me preparar para o seminário do fim do mês, estou trabalhando em uma longfic texting TaeKook.
Muita menção a NamJin e YoonMin porque a unnie/dongsaeng aqui adora NamJin e YoonMin.

Enfim, aqui eu tenho apenas que agradecer apenas a vocês, povo do CDL :3
Nunca me deixam desistir das coisas e ficam me aporrinhando para escrever, mesmo que sempre fique uma bosta dessa! :)
Falei demais... então, tchau! :3

PS: As músicas usadas foram Hold Me Tight, Coffee, Run e Love Is Not Over, todas do BangTan :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...