História Vossa Majestade - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Medieval, Naruto, Romance, Sasusaku
Exibições 114
Palavras 2.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Volteeei ♡
Sentiram minha falta?
Boa leitura.

Capítulo 7 - Capítulo 07 - Inconsequente


Fanfic / Fanfiction Vossa Majestade - Capítulo 7 - Capítulo 07 - Inconsequente

  Sasuke sentia-se perturbado e ao mesmo tempo feliz. Há dias visitava os aposentos da Rainha, frequentando seu leito. 

 

Ser amante da realeza não é demérito para ninguém; Mas isso só não é visto com maus olhos quando um Rei tem uma ou mais amantes. Sakura, uma Rainha reinante, já era vista como incapaz de governar tão bem quanto um homem e o fato de ter um amante só pioraria sua reputação caso a Corte em peso ficasse sabendo. 

 

Rumores se espalhavam pelo castelo, uma vez que Sakura dispensara os guardas e as damas de companhia que ficavam perto de seus aposentos durante a noite, tudo para que ninguém visse o Uchiha. 

 

Embora estivesse ciente do casamento que seu irmão arrumava por suas costas, Sasuke estava seguro. Sabia que, caso não fosse de seu agrado, a monarca jamais aprovaria sua união com outra mulher. 

 

A rosada dormia profundamente ao seu lado na grande e confortável cama. Ele estava pensativo e, por mais que soubesse que aquilo era errado, não conseguia se afastar de Sakura uma vez que passara a ter relações íntimas com ela. 

 

Levantou-se despido e pegou suas roupas que haviam sido jogadas de qualquer jeito no chão, em seguida se vestiu para voltar ao seu quarto. Não poderia passar a noite ali, pois, caso o dia amanhecesse, muitos poderiam vê-lo deixar o quarto da Rainha e ficaria claro o que aconteceu. 

 

- Sasuke... 

 

Ele ouviu a voz sonolenta da Haruno e se virou para ela.

 

- Perdão. Eu te acordei?

 

- Não exatamente. - Riu baixinho - Virei-me para o lado e não senti seu corpo aqui.

 

Sakura então deu duas batidinhas no colchão, como se convidasse o Uchiha para novamente deitar-se ao lado dela. 

 

- Majestade... - Ele soltou um longo suspiro. 

 

- Sakura. - Corrigiu a Rainha adolescente. 

 

- Sakura... - O moreno deu três passos para frente, ficando mais perto da cama - Preciso ir antes que o dia amanheça. 

 

- Não irá amanhecer logo. - Comentou risonha - Fique mais um pouco. Estou pedindo. 

 

Sasuke então sorriu de canto. Ficar mais alguns minutos ali não iria matá-lo. O moreno então sentou na cama, ao lado de Sakura, e fitou seu belo rosto. 

 

A pele clara, o nariz bem feito, os lábios carnudos, os olhos verdes brilhantes e os longos cabelos rosados desgrenhados como resultado da noite que tiveram. Tudo em Sakura parecia lindo, quase uma beleza angelical. 

 

- És tão linda... - O rapaz apaixonado levou sua mão até o queixo da Haruno, ainda olhando fundo em seus olhos verdes - Posso listar mil motivos que levariam qualquer homem a amar-te. 

 

- Qualquer homem? - Arqueou levemente uma sobrancelha e sentou-se, não se importando com o lençol que agora não mais cobria seus seios nus - Não diga isso, Sasuke. Só quero um homem.

 

- Sakura... - O moreno soltou um longo suspiro. A mão, antes no delicado queixo da Rainha, agora pousava sobre o colchão - Por quanto tempo isso continuará? Logo terá que se casar. Sei que a pressão para isso é grande e chegará uma hora em que  se verá obrigada a ceder. 

 

- Mesmo que isso aconteça, não mudará nada entre nós. - A garota esboçou um sorriso sapeca. 

 

Sasuke ficou incrédulo. Estaria ela propondo aquilo mesmo? 

 

Já era arriscado demais ser amante de uma Rainha solteira, cuja reputação dentro da Corte nunca foi boa. Ele sempre gostou muito de Sakura, mas estava ciente de que precisaria se afastar da monarca caso um casamento acontecesse. 

 

- A Rainha é tão inconsequente que chega a dar medo... - Comentou o Uchiha - Se descobrirem o que acontece entre nós, provavelmente serei exilado para longe, isso porque és solteira. Contudo, se fosse casada, minha cabeça acabaria na ponta de uma estaca. 

 

- Não haverá um Rei aqui... E, enquanto eu for Rainha, sua cabeça permanecerá sempre em cima de seus ombros. Não há o que temer. 

 

Seria prudente confiar totalmente em Sakura? Embora fosse Rainha, não passava de uma adolescente e o Conselho poderia facilmente tomar decisões por suas costas. 

 

- Rainha... - Sasuke soltou um riso anasalado - Ainda é estranho vê-la como a mulher mais importante desse país. 

 

- Eu que o diga... - A rosada riu sem humor - Eu nunca quis a coroa. Nunca quis ser Rainha...

 

- Shiii, não diga isso... - Sasuke pousou o dedo indicador sobre os lábios avermelhados e carnudos - Nunca mais diga isso. Sua posição é de extrema importância! - Levou sua mão até a bochecha da Haruno, fazendo carinho com o dedão - Um país para obedecer-te. Uma Corte para venerar-te. Canções para exaltar-te. Poesias para enaltecer tua beleza... Ainda assim, nada será o suficiente. 

 

- Eu só te amo cada vez mais, sabia? 

 

Com um sorriso doce nos lábios, Sakura deu um beijo rápido e sem malícia no moreno. Um simples toque daquela bela garota era o suficiente para deixar Sasuke quase que entorpecido. 

 

- Eu preciso ir... - Ele sussurrou com os lábios ainda próximos aos dela, então a Rainha assentiu. 

 

Quando Sasuke já estava para sair do quarto, com a mão na maçaneta da porta e prestes a girá-la, Sakura o chamou:

 

- Pense no que eu falei anteriormente. 

 

Sasuke, curioso, olhou por cima do ombro.

 

- Do que falas? - Indagou. 

 

- Seja meu marido... Case-se comigo... - Ela cobriu os seios nus com o lençol branco e esboçou um sorriso meigo, com um ar de menina tímida, fazendo Sasuke rir - Então, Sasuke, o que fazemos aqui não será mais errado. 

 

- Sabe que não devemos...

 

- Já fazemos o que não devemos. - Sakura o interrompeu - Agora vá. E pense bem na minha proposta. 

 

 

...

 

 

Os dois caminhavam juntos pelo jardim, sob o olhar desaprovador de Itachi que presenciava tudo de um dos salões do castelo, olhando pela janela. 

 

Sakura andava elegantemente com um vestido rosa  claro de gola alta, cujo corpete bordado com pérolas dava um ar gracioso; Os longos cabelos estavam meio presos e uma boina dourada enfeitada com pérolas e uma pena branca deixava o penteado ainda mais bonito. 

 

Sakura sempre foi uma menina doce e isso ficava bem claro através de seu vestuário. Vestidos de tons claros, jóias delicadas... Era um estilo bem meigo e Sasuke gostava. 

 

- Sabe... - Sasuke comentou como quem não quer nada, atraindo a atenção da rosada para si - Essa não é a época da flor haruno? 

 

- Sim! - Sakura exclamou. Até então não se lembrava que suas flores favoritas estavam desabrochando - Estamos no mês das flores haruno.

 

- Nunca ganhou uma, não é verdade?

 

Infelizmente as flores favoritas da Rainha, que também eram o brasão da Dinastia Haruno, nunca nasciam em locais de fácil acesso. Só nasciam na beira de um precipício em Konoha, por isso nunca eram colhidas, apenas admiradas. 

 

- Sasuke, não ouse... - Falou em tom de aviso, encarando seriamente o Uchiha. 

 

- Acha que sou louco? - Retrucou. 

 

- Talvez... - Deu de ombros - E sobre sua caçada hoje, acho que irei junto. 

 

- Não levarei a Rainha pra caçar! - Respondeu o rapaz - Ficará aqui, em segurança. 

 

- Mas, se eu não for com você, quem irá protegê-lo? - Indagou inocentemente, com um ar de riso.

 

- Ora essa! - O moreno começou a rir - Não preciso de proteção. Sou um excelente caçador, sabia?

 

- Então me traga uma caça para o jantar. - Falou de forma desafiadora - Veremos se consegue. 

 

- Desafio aceito... Majestade. 

 

Sasuke então deixou a Rainha a sós no jardim e seguiu para seu quarto, visto que precisava se vestir adequadamente para uma caçada. 

 

Após trocar suas roupas, Sasuke caminhou em direção à porta para sair do quarto, no entanto, antes que o fizesse, seu irmão mais velho abriu a porta e entrou no cômodo. 

 

Itachi parecia estar realmente furioso. 

 

Encarou o caçula que, pelos trajes, iria caçar. Já estava saturado, não aguentava mais o comportamento de Sasuke. 

 

- Por que insiste em me desobedecer, rapaz? - Questionou seriamente, parado em frente à porta para que Sasuke não passasse.

 

- Do que está falando?

 

O mais novo já estava irritado. Sabia que seu irmão não queria nada além de convencê-lo que deveria se casar com uma desconhecida. Sasuke não queria uma desconhecida, queria Sakura e, se não pudesse tê-la, preferia ficar sozinho. 

 

- Não se faça de desentendido! - Retrucou - Eu disse para ficar longe da Rainha, por que não me obedece?

 

- Porque obedecê-lo seria o mesmo que desobedecer à Rainha. - Respondeu calmamente - Sakura tem por mim grande afeição e respeito. Crescemos juntos, portanto não adianta querer tentar nos afastar. 

 

- Isso passou dos limites a partir do momento que você foi para a cama da Rainha! - Itachi falou baixo, pois ninguém poderia descobrir aquilo e, por mais que houvessem especulações sobre o caso de Sasuke e Sakura, ninguém tinha provas concretas - Você vai se casar o quanto antes, Sasuke! Vai se casar e vai para longe da Corte. 

 

- É o que vamos ver. - Sasuke sorriu de canto, com deboche, o que deixou seu irmão mais velho ainda mais furioso. 

 

- Ainda bem que nosso pai não está mais vivo para ver isso! - Com desgosto quase palpável, Itachi cuspiu tais palavras na cara do irmão e saiu do quarto convencido de que precisava arrumar logo uma noiva para o rapaz.

 

Sasuke estava fervendo de raiva, mas lembrar das palavras de Sakura o acalmava. Ela garantiu que ele não iria para longe. Sakura é a Rainha e a vontade dela é absoluta, portanto, se ela proibisse o Uchiha de deixar o Castelo, ele não poderia fazer isso e Itachi não poderia obrigá-lo. 

 

Ele precisava espairecer, esvaziar sua mente e ficar longe das pessoas. 

 

Pegou as armas necessárias, montou em seu cavalo e foi caçar. 

 

Após alguns minutos, Sasuke encontrou um cervo e decidiu matá-lo para presentear a Rainha. Daria um belo banquete. No entanto, gastou três flechas e ainda assim não conseguiu abater o animal. 

 

Sasuke estava focado em matar o cervo, mas algo roubou sua atenção... Por obra do destino, Sasuke passou pelo local onde ele e Sakura costumavam treinar juntos, perto de uma cachoeira onde as flores haruno cresciam na beira do precipício. 

 

O rapaz parou com seu cavalo ali, deixando o cervo escapar. Andou por poucos metros, puxando seu cavalo para perto de uma árvore, e amarrou as rédeas ali. 

 

Aproximou-se do precipício e olhou as belas flores, as favoritas de Sakura.

 

Sasuke soltou um longo suspiro e a imagem da rosada veio à sua cabeça... Ele estava perdidamente apaixonado e não podia suportar a idéia de que ambos provavelmente se casariam com outras pessoas. Era apenas uma questão de tempo. 

 

Lembrou-se da proposta de casamento que Sakura fez para ele. Com certeza aquilo era uma completa insanidade, mas não há sentimento mais insano que o amor. 

 

Talvez a única forma de ficar com Sakura fosse essa. Não iriam aceitar, o Conselho iria ser tão contra quanto os outros membros da Corte e a própria população, mas quem iria contra a vontade da Rainha? Não era certo, mas Sasuke não estava mais disposto a sacrificar sua felicidade. 

 

Se a única maneira de ficar perto de Sakura e tê-la para sempre era o casamento, então Sasuke pegaria uma flor haruno para presenteá-la e faria o pedido. 

 

Talvez ele fosse tão inconsequente quanto ela, ou até mais, mas não se importava com isso. Após tantas idas às escondidas ao leito de Sakura, ele queria frequentá-lo para sempre. 

 

Aproximou-se ainda mais do precipício, segurou num galho de árvore e se pendurou para pegar uma flor. A força da água era enorme e Sasuke engoliu em seco ao olhar para baixo. Estava pendurado bem ao lado da cachoeira e algumas gotas de água caíam em seu corpo. Seus pés estavam sobre um galho de árvore e ele segurava em outro, enquanto tentava pegar a flor com sua mão livre. 

 

Estava quase lá, mas algo inesperado aconteceu: O galho onde pisava acabou quebrando e ele ficou pendurado no precipício. 

 

- Droga! - Praguejou - Maldição! 

 

Com sua mão livre, Sasuke tentou agarrar outro galho de árvore para se segurar, mas não conseguiu. Instintivamente suas pernas não paravam de chacoalhar, consequentemente não encontravam um lugar para se fixar e dar segurança ao moreno. 

 

Sua luva estava presa no galho, contudo estava com a mão suando, o que o fez escorregar e cair. 

 

 

 

 

 

  


Notas Finais


Por favor, não me odeiem! Kkkkkk
Comentários?
Beijos e até o próximo ;***


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...