História Voyage à trois - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 355
Palavras 2.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A nova capa, que tá maravilhosa, foi ela que fez, o meu amozão maior a.k.a dedeu a.k.a @prologue
Espero que goste do capítulo, nenê. Obrigada pela capa. E obrigada por me animar sempre. Eu te amo. ♡

Capítulo 12 - Aquele em que Hoseok fica todo dolorido





— Isso é ilegal, Yoongi. — Hoseok constatou o óbvio.

— Eu sei. — O menor apenas riu, travesso, enquanto jogava o álcool que haviam comprado mais cedo nos galhos secos que reuniram ali num pequeno monte, um pouco antes de escurecer.

Hoseok estivera pensando em muitas possibilidades — várias delas de teor sexual, inclusive — enquanto o mais velho não revelava seus verdadeiros planos. E o Min fizera questão de levá-los para o hotel para tomarem banho, depois a um restaurante para jantarem ao pôr do sol, depois numa farmácia e então de volta para a praia, tudo isso com um sorriso safado no rosto e sem deixar escapar qualquer dica sobre suas verdadeiras intenções.

Mas o Jung não poderia imaginar que o que seu bolinho realmente queria fazer com eles naquela noite, era uma fogueira na areia. E sim, era ilegal. Mas quem ligava?

Haviam comprado marshmallows e Taehyung os colocava nos espetos. Como Hoseok percebera, ele comia grande parte dos doces também, como se ninguém estivesse vendo. O Kim era fofo demais, principalmente quando fazia alguma travessura — era só uma criança, afinal. Adorável. Yoongi acendia a fogueira, com um pouco de dificuldade, pois aquela era a primeira vez em que ele fazia aquilo. Ficava tão bonito concentrado em algo, tão másculo com o maxilar trincado e o olhar fixo na pequena chama que começava a brotar, o cenho franzido.

Hoseok, por sua vez, fazia o que já estava acostumado: escolhia a trilha sonora. Terminava de montar uma playlist para ouvirem enquanto comiam ao redor do fogo. Colocava suas músicas preferidas e também as que mais se adaptavam àquela situação — mesmo que não conhecesse, especificamente, uma música própria para uma noite com fogueira na beira da praia.

Assim que todos acabaram suas tarefas, ele deu início à playlist.

O fogo subia a uma altura pequena e Taehyung de repente pareceu encantado. Hoseok o observou encarando o fogo, com as chamas dançando e refletindo em seus olhos, os lábios bonitos entreabertos, hipnotizado.

— Isso é muito legal, Yoongi.

— Eu sei. — O outro disse, pegando de sua mão um espeto e segurando o marshmallow no fogo.

Hoseok se aproximou, sentando-se entre eles. Estava quentinho ali, e gostoso apesar do cheiro de madeira queimada.

— Eu não lembrava que o fogo era tão bonito. — O mais novo continuava encantado.

Hoseok pegou dele um espeto, fazendo cara feia.

— Bonito e perigoso, também. Mantenha uma distância segura, bebê.

— Eu não sou mais criança, Seok.  — O ruivo engrossou a voz. Do outro lado, Yoongi apenas riu gostoso.

— É sim. — Acabaram por dizer em uníssono ao respondê-lo. Taehyung apenas sorriu para si mesmo e decidiu não discutir. No fim das contas, sabia que era a criança deles.

Quando já tinham comido quase tudo o que haviam levado para a praia, Hoseok se levantou para começar a reunir o lixo. Foi andando e colocando tudo dentro da sacola plástica da farmácia. Quando terminou e fechou a sacola, viu que Yoongi havia pegado sua câmera e tirava fotos do fogo.

— Senta ali com ele, Hobi? — O Min pediu, tirando a máquina da frente de seu rosto por um instante. O Jung fez o que lhe foi pedido, tentando ficar o mais natural possível com o ruivo porque sabia que Yoongi começaria outra sessão de fotos.

Seu celular, o que usara para montar a tal playlist, começara a tocar Wide Eyes, do Passenger, quando Taehyung olhou para ele de modo significativo.

O Jung não sabia como ele conhecia aquela música, mas não pode evitar de se surpreender — e ele apostava que Yoongi estava tendo o mesmo sentimento — assim que o mais novo começou a cantar junto, sua voz contrastando com a de Michael David de um modo espetacular:

Well I've not seen Alaskan white, and I've not seen Tokyo by night, and I've not seen the Northern Lights, but I have seen your wide eyes tonight...

Era impossível que sua respiração não falhasse toda vez que Taehyung começava a cantar, com aquela voz tão grave e ao mesmo tempo tão doce. Após um pequeno momento, o Min voltou a tirar fotos, e Hoseok soube que sairia em todas elas olhando para Taehyung com a maior cara de idiota.

When my gaze rests heavy on your face, well, your wide eyes are my favourite place yeah, your wide eyes are my favourite place...

Hoseok fechou os olhos e apoiou a cabeça no ombro do maior, deixando que sua voz gostosa o embalasse em sensações que ele nunca imaginou que poderiam existir, contudo que Yoongi e Taehyung lhe faziam provar todo dia.




Taehyung estava no meio dos dois e o Jung o fitava ver, animado, as fotos da fogueira que o mais velho deles havia tirado — as únicas fotos que o Min permitira que eles vissem. Estavam realmente muito boas. O fogo fazia formas absurdamente lindas e Yoongi capturara algumas, como se tivesse o poder de paralisar e eternizar as chamas que dançavam a todo tempo.

Hoseok só sabia sorrir, orgulhoso. Seu namorado era um ótimo fotógrafo, mesmo. Merecia ganhar o dobro do que realmente ganhava.

De repente, ouviram o som da areia sendo esmagada. E então uma luz forte branca os atingiu, mas Hoseok também viu rastros de vermelho e azul passando pelo chão. Acima de tudo, o som era inconfundível. A sirene da polícia os alertava do que já sabiam: era ilegal fazer fogueiras na área da praia.

Yoongi se levantou quando a viatura finalmente estacionou e dois policiais saíram do carro, cerca de dez metros de distância deles. O Min provavelmente se sentia muito rebelde naquele momento, porque simplesmente caminhou até a fogueira e chutou areia para cima dela, fingindo inocência.

Levantou as mãos e disse, em voz baixa, para Hoseok e Taehyung:

— Preparem-se para correr quando eu disser, está bem?

— Para qual lado? — Hoseok prontamente sussurrou de volta, olhando ao redor para se certificar de onde estavam todas as coisas que tinham que pegar. Felizmente, havia apenas uma mochila preta do Min e a sacola de lixo, além da câmera nas mãos do mais novo a seu lado.

— Para as rochas. — Ele respondeu. E então arregalou os olhos quando os homens se aproximaram.

Hoseok se virou para a mesma direção, querendo saber qual o motivo da surpresa de Yoongi, até que ao reconhecer os mesmos policiais de outro dia, teve a mesma reação que o Min. E o ruivo também, a seu lado.

— Ah, não, vocês de novo? — O policial Chanyeol riu, cobrindo o rosto.

Agora. — O mais velho sussurrou, sorrindo torto.

A primeira coisa que o Jung fez foi pegar a mochila no chão e jogá-la sem cuidado nas costas. A segunda foi agarrar o pulso de Taehyung. E a terceira foi disparar na direção que Yoongi indicara.

Saíram na frente, mas em um piscar de olhos o Min já estava ao lado deles enquanto percorriam a grande distância. O celular de Hoseok, que felizmente Yoongi tinha pegado, ainda estava tocando a tal playlist, e a música atual era Closer To The Edge, do 30 Seconds To Mars. E em meio aos instrumentos, especialmente a bateria, no refrão a voz do Jared Leto se destacava — No I’m not saying I’m sorry, one day maybe we’ll meet again — ao mesmo tempo em que os policiais conhecidos deles, Chanyeol e Baekhyun, os perseguiam.

As rochas, como de costume, estavam muito mais longe do que aparentavam. Hoseok, devido a seu preparo físico necessário para a dança, ainda não estava cansado; assim como Taehyung, que vivia jogando basquete e brincando com seus irmãos. Contudo, Yoongi já respirava com dificuldade, por vezes tropeçando nas pernas que eram mais curtas que as dos outros.

No no no no, I will never forget, no no, I will never regret, no no, I will live my life…

E continuaram correndo, até que Hoseok ouviu os passos atrás de si diminuindo cada vez mais. E se afastando, afastando…

Mesmo assim, só pararam ao chegar às rochas no extremo da praia. Arfando, suados e exaustos, os três se apoiaram um nos outros para continuar de pé. Estava escuro e era difícil de enxergar, contudo a visão deles já estava relativamente acostumada.

Hoseok abriu a mochila de Yoongi no chão e de lá tirou uma garrafa de água para cada um. Só então percebeu que Taehyung tinha trazido também a sacola de lixo consigo.

— Por que… trouxe isso…? — Indagou em meio a respiração pesada e difícil; entretanto não estava tão ruim quanto Yoongi, que chegava até a fazer um ruído, como se a cada expirar a vida estivesse se esvaindo dele.

— Poluição… não é legal. — O ruivo respondeu-lhe igualmente cansado.

Após o momento em que já haviam se recuperado, viram que mais ao longe, a viatura dera meia volta e estava saindo.

— Gi, agora nós somos fugitivos? — Taehyung questionou com a voz rouca pelo esforço.

Hoseok riu e ouviu Yoongi fazer o mesmo a seu lado.

— Taehyung. — Disse o mais velho após certo tempo, a voz repentinamente séria.

O ruivo demorou para responder. Hoseok guardou as garrafas na mochila de Yoongi, assim como seu celular, que agora já não tocava mais, e a câmera de Yoongi. Durante aquele silêncio, ouvir as ondas fazia com que percebesse o quanto o mar estava próximo. A brisa fresca chegava úmida até o rosto do Jung e mesmo no escuro, ele sabia exatamente onde seus dois namorados estavam, Yoongi à sua esquerda e Taehyung, à sua direita.

Por fim, o mais novo dos três perguntou, numa vozinha tímida, como se temesse ter feito algo errado:

— Quê?

— Eu acho que deveríamos atacar Hoseok aqui mesmo. E você, o que acha?




Hoseok definitivamente sentiria dores no corpo todo quando acordasse no dia seguinte.

Não é como se fosse diferente com seus namorados. Já sabia que Yoongi teria dores nas pernas pelo exercício exagerado e súbito; e Taehyung, que ainda estava com a pele sensível pelo sol, e agora se movimentava daquele jeito, provavelmente ficaria ainda mais ardido. Porém, ainda assim, o Jung achava que seu caso seria o pior.

Veja bem, ele estava semideitado numa rocha inclinada. Suas costas atritavam diretamente com a dureza do mineral repetidas vezes e ele tinha a cabeça levantada para enxergar, ainda que na iluminação praticamente inexistente, o que acontecia bem à frente de seus olhos.

Era uma visão que ele não perderia por nada no mundo.

Porque Taehyung estava sobre si, e seu interior abrigava o membro teso de Hoseok. Suas mãos passeavam pelo tronco exposto do mais novo — todas as roupas estavam espalhadas pela areia ao redor — enquanto este gemia de forma incoerente, a voz grossa arrastando murmúrios sem significado.

Atrás de Taehyung, Yoongi beijava a nuca deste enquanto sua mão, unida à de Hoseok, dava atenção ao membro dele. Além disso, o Min também entrava e saía de Hoseok.

Então tínhamos: um Jung Hoseok apoiado nas pedras duras, tendo certeza de que ficaria cheio de hematomas causados pela dureza da rocha; um Kim Taehyung em seu colo, subindo e descendo sobre seu membro; e atrás deste, um Min Yoongi fodendo Hoseok ao mesmo tempo em que o auxiliava a masturbar Taehyung.

Eram uma bagunça total de gemidos, mãos ansiosas e sem pudor algum, fluidos e pedidos por mais. Hoseok chegara a um ponto em que não conseguia raciocinar direito e tudo o que conseguia pensar era na necessidade mais urgente de seu corpo no momento: o orgasmo. Ele gemia alto e agudo, aproveitando da liberdade total que possuíam para fazer barulho àquele horário, sem ninguém por perto.

Então, quando Taehyung chegou a seu ápice, gozando e melando as mãos de Yoongi e Hoseok, o Jung sentiu-o contrair ao redor de seu membro, e isso fez com que ele próprio também gozasse. E também se contraísse. Como um efeito dominó; ou reação em cadeia, chame do que quiser; Yoongi também chegou ao limite de seu prazer quando o Jung contraiu-se ao redor dele.

Yoongi saiu de Hoseok e ajudou Taehyung a descer do colo de Hoseok. Aquilo fora maravilhoso, apesar de o Jung não conseguir se mover imediatamente após o ato. Assim que tentou levantar, sentiu dor em toda as costas e nas pernas. Portanto, resolveu ficar mais um tempo ali.

— O que tá esperando, Hobi?

— Me dá um segundo, Yoon. Vocês quase me quebraram.




E foi assim que Hoseok acordou com torcicolo e a coluna toda fodida no dia seguinte.








Notas Finais


É isto, nenês.
Lemons mais detalhados, com premliminares e tal, só mais pra frente. Espero não ter decepcionado ninguém mas, de qualquer forma, sexo não é o foco da fanfic, certo?
Vejo vocês logo. Beijão~ ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...