História Vulnerable - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Lisa
Tags Black Pink, Jennie, Jenniexlisa, Lisa, Yuri
Exibições 140
Palavras 728
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi! Rs então, voltei! Depois de quase um ano eu fiz o yuri que me pediram, então resolvi adaptar com a Lisa e com a Jennie. Fiz o yuri baseado na música da Tinashe, vulnerable (recomendo ouvirem lendo a fic sz ~link nas notas finais~).
Não ficou muito grande em questão da música, não quis estender muito.
Então é isso, espero que gostem.
Boa leitura! <3

Capítulo 1 - Drunk, hot and vulnerable.


Fanfic / Fanfiction Vulnerable - Capítulo 1 - Drunk, hot and vulnerable.

Houve um tempo em que eu estava sozinha...

Como você gosta de mim agora? Eu te excito?

Era exatamente assim que Lisa se sentia com Jennie se movimentando ao som de uma música lenta e com batidas fortes - que as duas acreditavam vir do andar de baixo - sentada sobre sí. Era loucura, a pouco tempo atrás foi rejeitada pela mesma e agora tinha ela tão entregue para sí.

Agora eu tenho você bêbado, quente, e vulnerável...

Me mostre o que você quer, me dê o que você quer, quer...

Talvez pelo efeito do álcool ingerido mais cedo, talvez pelas provocações da mais nova, talvez pelo desejo reprimido a tanto tempo. Lisa não sabia, e nem queria resolver essas questões agora, apenas queria seguir tirando proveito da situação, marcando com vigor o pescoço da mais velha com mordidas e puxando seus cabelos.

Tenho que fazer minha, te por no chão.

Sim, me veja ir pro trabalho, eu vou te fazer uma apresentação.

Sim, realmente estava acontecendo, em um quarto de propriedade desconhecida, depois de tanto tempo. Jennie já havia tirado a blusa e shorts da mais nova, que agora tirava a roupa íntima sem vergonha alguma. A mais velha agora tirava a própria roupa com ânsia por um contado ainda mais profundo com a menor, novamente sentada logo a baixo de sí.

Agora que eu tenho você bêbada, quente, e vulnerável...

Me mostre o que você quer, me dê o que você quer, quer...

Sem pudor algum, Jennie se ajoelhou em frente a menor e começou estimular sua intimidade com uma das mãos e com a boca. A estimulando do melhor jeito possível. O efeito do álcool em conjunto de todas aquelas sensações estavam levando as duas - em especial, Lisa - a loucura.

Os gemidos da mais nova eram música para os ouvidos de Jennie, poderia ter um orgasmo só ouvindo a mesma gemer o seu nome.

Não pare de olhar para mim.

Você tem isso, tem essa...

Maneira como você manda nessa merda, vá grande baby.

Claro que vai.

Ah sim...

O contato visual que as duas findaram não se quebrará em momento algum, até que Lisa chegou em seu ápice derramando-se nas mãos da maior, e gemendo em alto e bom som o nome da mais velha.

Jennie se sentou novamente no colo da menor findando um beijo repleto de mordidas e provocações, beijo esse que se tornou ainda mais erótico - se possível - quando a mais velha passou a chupar a língua da mais nova com maestria.

Quer saber?

Eu sou aquela louca filha da puta do pó.

Você é o anjo do inferno da cruz.

Independentes nesse mundo, nós nos encontramos.

As duas eram como água e fogo, luz e escuridão, totalmente opostas uma da outra, mas quando estavam juntas tinham uma sincronia incapaz de se entender. Elas se completavam do seu próprio jeito.

Cara, eu amo quando a sua bunda começa a mexer.

E aquela carinha de louca quando você xinga.

Você ama minha bunda, é loucura.

Mão na boca dela, agora você não precisa dizer muito.

A mais velha ainda estava sob o controle da situação e agora voltava a rebolar no colo da menor.

Cansada de mais preliminares, Jennie a conduz até a cama do quarto sem quebrar aquele beijo erótico e quente.

A maior agora abrirá as pernas da mais nova, juntando as intimidades e fazendo movimentos de vai e vem.

Foda ela, depois ela geme, dê a ela.

Cale a boca!

É por isso que estou nisso e não posso sair.

Você disse e ela não conseguiu entender...

As duas gemiam descontroladamente, olhando fixamente uma nos olhos da outra. Mais alguns movimentos e as duas já estavam se desfazendo, com um gemido alto e longo.

Eu atingi o fundo do poço só para poder sair nadando.

E uma vez que vocês todos terminaram, eu coloquei minha buceta na boca dela.

Vadia pare de me encarar.

Espere...

Elas não precisavam de uma palavra se quer. Se entendiam apenas com o olhar - que no momento, ainda exalava desejo e luxúria.

Depois daquela festa, Jennie não queria, e nem iria, perder aqueles olhos hipnotizantes. Lisa pensava o mesmo. Iriam se perder apenas em seus olhos.

Vadia continue olhando para mim.

Não pare de olhar para mim.

Não pare de olhar para mim.

Não pare de olhar para mim.


Notas Finais


Link da música: https://youtu.be/ZgGsMhL9I98
Então foi isso! Espero que tenham gostado (e espero que não tenha ficado confuso kkk).
Meu tt: pcysng


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...