História Waiting for love. - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~AndyCn

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jimin, Lemon, Namjin, Suga, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Exibições 98
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Yoongi


Yoongi PVD

Sabe quando você está com a cabeça tão cheia que pega a primeira pessoa que vê pela frente e desabafar, conta tudo o que está te afligindo, te deixando nervoso e com medo?

Então, Taehyung foi essa a minha vÍtima, eu simplesmente arrastei o pobre coitado para a cafeteria mais próxima e contei sobre tudo, eu estava tão confuso que se eu tivesse mais alguma dúvida sobre algo eu iria explodir.

Contei sobre minha sexualidade, contei  sobre Jimin, contei sobre esse sentimento que parece tão puro que cresce aqui dentro, contei sobre meu pai que não tenho idéia de como ele vai reagir a essa novidade, sobre meus medos dessas decisões, sobre Hoseok, sobre sua amizade e até sobre seu temperamento agora a pouco.

 E enquanto eu falava, ele bebericava seu cappuccino e acenava para que eu continuasse, foi estranho por que depois que terminei, senti que estava ofegante e com a boca seca de tanto falar e logo depois me deu uma vergonha absurda, por que, na boa, Taehyung  e eu não éramos amigos, no máximo conhecidos, ele tem uma personalidade completamente diferente da minha, e nos conhecemos da escola, mas nunca trocamos mais que um aceno e agora essa pessoa de olhos misteriosos e sorriso quadrado sabe mais da minha vida que qualquer um.

– Olha, desculpas, eu não deveria estar falando essas coisas pra você, mas o que você falou sobre obsessão lá na escada foi demais para meu cérebro de preguiçoso. Novamente, desculpe.

Ele sorriu sem dentes e me olhou nos olhos enquanto se recostava na cadeira ficando mais a vontade, e eu o imitei, não vou mentir, falar me ajudou a tirar um peso das costas.

– Não se preocupe com isso, eu não vou falar pra ninguém o que me disse, mas se quer minha opinião, você está indo bem, qualquer um no seu lugar teria surtado ou sofrido calado por estar apaixonado pelo melhor amigo, como também estar apaixonado por um homem, isso não é muito fácil.

– Você fala com muita propriedade. – O encarei, Taehyung é muito alegre e falante, pelo menos era o que aparentava ser, estava sempre fazendo festas e rodeado de pessoas. Esse peso na voz não condiz com o que ele mostra aos outros.

– Todos têm demônios, meu caro. – Ele agora não me olhava nos olhos girava o copo de café na mesa com pensamentos bem longe dali.

– Eu sei disso. Mas eu tenho perguntas Taehyung. Então eu exijo respostas. – Ele sorri de lado, e volta a me olhar como se eu tivesse falado a maior das idiotices.

– Você é realmente mandão, Yoongi, eu meio que acompanhei de longe toda essa historia. O modo como você olhava para o Jimin, e a forma como ele te seguia e tentava o tempo chamar sua atenção não era só amizade.  Acho que nunca foi. Não sei se você sabe, mas no dia da minha ultima festa onde JImin bebeu mais do que devia – Ele abriu um sorriso nostálgico e olhou pela janela vendo o sol cansado e prestes a se por. Colorindo o céu com cores engraçadas e cintilantes. – Ele bêbado é mais tagarela do que de costume, eu meio que o tirei  daquele meio de pessoas que estavam drogadas e bêbadas demais, ele não combinava com aquele ambiente.  O levei  para o jardim e ele começou a falar de você, no começo te xingou bastante. Chamando de ranzinza, preguiçoso, manhoso, que você fala muito  palavrão  – Nos dois rimos de seu comentário, Jimin bêbado é realmente nada afetuoso. – Daí eu perguntei “Jimin se você acha o Yoongi -  Hyung tão babaca assim por que você anda com ele pra cima e para baixo?”  e sabe o que foi que ele respondeu? Ele me disse que amava o teu jeito ranzinza, tua preguiça, amava teu jeito mandão e amava quando você falava palavrão. O Jimin te ama, a muito tempo. Só você que não percebia isso.

Eu não pude segurar o sorriso fino em ouvir isso, querendo ou não é muito especial, por que bêbados não mentem. Ficamos um tempo em silêncio admirando o crepúsculo pela janela.

– Você é bonito hyung, não me admira ter chamado atenção do Hoseok.  –Taehyung cortou o silencio, ele estava me olhando novamente com aquele ar de mistério, me  lembrando da verdadeira razão para tê-lo arrastado até ali.

Hoseok.

– Você vai me contar sobre ele? – Perguntei sentando corretamente na cadeira.

–Conheço aquela criança a bastante tempo, eu não vou contar nada por que não cabe a mim falar, só tenha uma coisa em mente Yoongi. – Ele pausou a fala respirando fundo como se calculasse o que iria dizer. – Hoseok  não tem limites, e quanto mais difícil mais divertido. Ele não é uma pessoa má, eu sou a prova viva disso, mas Jung Hoseok é impulsivo e isso pode machucar, te machucar.

 

Cheguei em casa e Jimin estava na sala mexendo no celular. Ele largou o aparelho ao me ver. Minha sala voltou a ser sala, não tinha mais colchões nem lençóis espalhados pelo chão. Jimin aproximou- se devagar, como se sondasse o terreno.

– Como foi? – Perguntou e eu resolvi poupá-lo dos últimos acontecimentos, não queria pensar sobre isso agora e nem deixar-lo preocupado, amanha é seu aniversário não quero que  ele fique cheio de coisas na cabeça, pra isso só basta a minha situação.

– Ele não reagiu como eu esperava, mas depois conversamos, eu estou cansado. – Ele assentiu e eu fui para meu quarto tomar um banho rápido mais merecido.

Deixei a água quente escorrer e relaxar meus músculos, vou deixar tudo isso de lado por enquanto, não quero que uma possível situação estrague o meu agora que é bom e bem real. Ao sair do banho já vestido com um pijama cinza qualquer encontrei Jimin sentado na minha cama pensativo.

– Acho que se continuar assim vai pegar fogo. – Comentei e ele riu baixinho, balançando a cabeça e olhando para os pequenos pés.

– Você não vai me cotar mesmo o que aconteceu? Não adianta protestar ou dizer que  estou vendo coisas, eu conheço cada suspiro seu Min Yoongi, eu sei que você está me escondendo algo e eu odeio isso.

– Eu não estou escondendo, Park Jimin, só não estou contando detalhes. Eu realmente estou cansado hoje, está tarde então deixa eu deitar aqui e dormir um pouquinho, sim? – Fiz biquinho e esperei aquela cara seria desmanchar e o tom rosado em suas bochechas aparecerem.

– Você comeu? – Ele perguntou como se tivesse lembrado de algo e colocou as mãos em miniatura que ele tem na cintura já armado para brigar comigo por causa de minha alimentação.

– Eu tomei um café, se isso servir como uma refeição então sim! – Sorri amarelo já esperando uma bronca.

– COmO ASSIM? VOCÊ SÓ TOMOU UM CAFÉ MIN YOONGI! VOCÊ VAI ACABAR MORRENDO DESSE JEITO. – Saiu do quarto falando que eu iria a qualquer dia desmaiar por ai, bater a cabeça, perder a memória e nunca mais voltar pra casa, sabe essas coisas de mãe exagerada que acham que o pior sempre vai acontecer. Logo ele voltou com sanduíches naturais, suco e  chá.

– Come tudo.

– O que seria da minha pessoa sem a sua pessoa? – Perguntei já com um pedaço de sanduíche na boa.

– Provavelmente desnutrido.

 

Comi tudo em silencio sentindo os olhos de falcão dele sobre mim, se Jimin notou o pequeno hematoma no meu braço não comentou, melhor assim.

– Obrigado Jiminnie. – Agradeci e ele levou a bandeja para a cozinha enquanto eu escovo os dentes.  Ele voltou ao meu quarto e se encostou na porta.

– Acho que eu vou dormir, eu devolvi o colchão para o quarto de hospedes.

– Você pode dormir aqui se quiser. Comigo.

– Sua cama é de solteiro Hyung.

– Se incomoda de dividir comigo, está frio.

Não precisou mais do que isso para ter um menino Jimin em meus braços encolhido em baixo dos cobertores entrelaçado a mim como um bebê coala. Não é confortável, longe disso mas a vontade de ficar perto é bem maior que o incomodo.

É, os problemas podem ficar pra depois. 

 

 

  

– Jiminnie! Jimin! Acorde, já são 00h01, Parabéns! Meu pequeno.

 

 

 


Notas Finais


Olha quem voltou!
Solta fogos!!!!
Então, peçam a Andy o próximo, por que é com ela. Falo mermo!

Então.... bjos no olho!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...