História Wake Me Up ((Short fic -- Yoonmin -- Yoonseok)) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Suga
Tags Bts, Drama, Hoseok, Jimin, Romance, Sope, Wake Me Up, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 52
Palavras 2.148
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


{03/06}
Espero que gostem ^^

Capítulo 3 - Jung Hoseok


Fanfic / Fanfiction Wake Me Up ((Short fic -- Yoonmin -- Yoonseok)) - Capítulo 3 - Jung Hoseok

Ele segurou minha mão, entrelaçando nossos dedos, e me puxou para fora do quarto, nem tive tempo de me despedir de Jimin. Fomos juntos até seu carro, entramos e ele começou a dirigir.

Hoseok era um ótimo motorista, talvez se ele estivesse dirigindo o carro, o acidente não tivesse acontecido. Eu não conseguia parar de pensar nisso por um segundo.

“Voltei Hyung”, disse a voz de Jimin em minha cabeça, “Sentiu minha falta?”

Sim, muita, não é a mesma coisa sem você ChimChim, o mundo parece mais escuro sem sua voz. Meus dias são mais sem graça sem sua presença e, até Hoseok parece estar perdendo a cor quando não te ouço por perto. Soltei um sorriso involuntário quando me pequei pensando em Jimin, isso não costumava acontecer.

Senti uma mão tocar a minha, me virei na esperança de ver Jimin, mas era apenas Hoseok, acariciando e apertando minha mão esquerda, dirigindo apenas com uma mão no volante. Não pude esconder o olhos de preocupação, o acidente havia me deixado assustado.

- Não se preocupe, nada vai acontecer – Disse com um sorriso doce – É madrugada, não tem nenhum carro por aqui.

- Mesmo assim, deveria tomar mas cuidado – Peguei sua mão e a coloquei de volta no volante.

Ele riu da minha atitude e voltou a dirigir, algum tempo se passou até que chegamos a um parque de diversões, ele estava fechado, mas Hoseok parecia não ligar para isso.

Parou o carro bem na porta e saiu, andando até o portão do parque, onde o escalou e pulou para o outro lado, me chamado logo em seguida.

Eu não devia, mas fiz, escalei o portão e pulei para o outro lado, ficando completamente sujo de poeira. Ele pegou minha mão e começou a me guiar pela escuridão de brinquedos que aquele parque era.

Antigamente, Hobi iria estar atrás de mim, completamente assustado e encolhido, mas agora parecia outra pessoa. Corria pelo meio dos brinquedos, brincava no escuro e se aventurava atrás de latas de lixo, parecia se divertir com o breu daquele lugar.

- Vem – Disse me chamando com a mão – Vou te mostrar algo.

Segui o mais novo até o final do parque, onde se encontrava um roda gigante enorme e então me lembrei. Foi aqui, onde tivemos nosso primeiro beijo, deixei um sorriso escapar, eu não podia acreditar que ele havia me trazido aqui.

De repente meus olhos são fechados e eu começo a tatear meu rosto, logo percebendo que eram as mãos de Hoseok. Quando o mesmo abre meus olhos, as luzes do brinquedo estão acesas, dou um leve suspiro de alívio ao ver algum ponto de claridade.

- Vamos? – Chamou caminhando até o brinquedo.

- Espera – Falei segurando sua mão – Não deveríamos estar aqui.

- Talvez você não – Riu debochado – Morre de medo dessas coisas, mas eu passo muito tempo aqui.

- Mesmo assim...

- Deixe de ser medroso – Disse com o olhar superior.

- Quem é medroso?! – Puxei sua mão e entrei em uma das cabines.

Ele riu ao ver minha cara emburrada, podia parecer estranho, mas perto de Hoseok eu me comportava como uma completa criança mimada, mas que culpa eu tenho? Ele me trata como criança mimada, mesmo sendo o mais novo.

Me sento em um dos bancos e cruzo os braços, esperando alguma atitude dele, que nada mais faz, além de rir escandalosamente de mim. Bufo e reviro os olhos, que cara mais chato.

- Espera aí...

Ele sai da cabine, tento ver o que está acontecendo, mas o breu lá fora e a janela escura, não me permitiram tal apreciação. Logo senti um tranco e em seguida uma lenta movimentação do brinquedo.

Me assustei por um segundo, pensei que teria que subir sozinho, mas logo vejo Hoseok entrar na cabine, quando a mesma já está quase inalcançável.

Suspiro aliviado quando o vejo entrar tranquilamente, ele sorri e se senta ao meu lado, sem esquecer de fechar a porta. Damos uma volta em completo silêncio, lá de cima, era possível ver algumas luzes da cidade acessas, sorri.

- Jimin iria adorar isso – Falo ainda com um sorriso bobo.

- O seu amigo? – Pergunta e eu, impulsivamente, confirmo.

Eu havia me acostumado, durante essa semana, a chamar e tratar o Jimin como meu amigo. Mesmo que doesse, mesmo que fosse errado, eu não conseguia admitir para Hoseok que tinha começado um outro relacionamento, não depois do que aconteceu com ele.

- Hyung – Chamou, me fazendo virar para ele.

- O que foi? – Perguntei.

- Lembra quando vínhamos aqui? – Confirmei com a cabeça – Eram os melhores passeios. Eu, você, Namjoon e Jin Hyung nos divertimos muito aqui.

- É... Foram bons tempos – Falei, sentindo uma pontada de nostalgia.

- Sabe o que era melhor desse lugar? – Disse olhando o horizonte.

- O que?

- Muitas coisas, estar entre amigos, poder ser eu mesmo – Seu sorriso aumentava mais a cada motivo que ele dava – Mas nada disso se comparava a estar ao seu lado.

Seu sorriso era especialmente iluminado nessa hora, o sol poderia nascer agora mesmo e não seria tão brilhante quanto aquele sorriso, o sol não poderia apagar o brilho de Hoseok.

- Sente falta disso? – Perguntei e ele confirmou – Desculpe, é culpa minha você...

- Hyung – Me Interrompeu – Sabe qual o seu problema? Você fala de mais.

Rapidamente, seu rosto se aproximou do meu, mantendo certa distância, mas perto o suficiente para poder encarar seus olhos de perto, seus lindos olhos castanhos.

Nossas respirações estavam fundidas, sua testa encostava na minha e eu senti que ele esperava que eu tomasse a iniciativa. Eu não podia fazer isso, não podia me entregar, eu tinha a Jimin eu...

Eu selei nossos lábios devagar, sentindo cada centímetro da minha boca colar na boca de Hoseok. Um gosto doce veio a tona, quando sua língua pediu passagem e eu rapidamente cedi. Ele tinha o péssimo hábito de fazer eu me viciar em seu gosto, sempre querendo mais e aprofundando o beijo ao máximo.

Quando me dei por mim, estava por cima dele. Suas mãos seguravam meu quadril com firmeza, em quanto as minhas passeavam por seu peitoral e abdome.

O que eu estou fazendo?

Quebrei o beijo um pouco assustado e fiquei encarando o mesmo. Como pude fazer isso? Porque eu... Porque eu sou tão babaca assim?

Senti uma lágrima ameaçar escorrer pelo meu rosto e abracei Hoseok, me apoiando eu seu ombro e segurando ao máximo a vontade de chorar. Desculpe Jimin, eu não consegui ser forte.

- Acho melhor irmos – Falei saindo de seu colo.

- Está tudo bem, Hyung? – Perguntou e eu apenas confirmei com a cabeça.

...

Permaneci o caminho inteiro sério, só me permiti mudar minha expressão quando entrei em meu dormitório. Me joguei na cama e me deixei chorar durante quase uma hora, eu estava arrependido e o pior, eu sabia que mais cedo ou mais tarde faria de novo.

Eu amo Hoseok, nunca deixei de amar e agora que ele está de volta, é como reacender uma chama fraca, mas ainda presente. Eu queria ser mais forte, queria ter pelo menos um pouco de auto controle, queria parar de gostar tanto de Jung Hoseok.

Eu sabia que não podíamos ficar juntos, e não era por causa de Jimin ou do término, tinha outro motivo, algo importante... Algo que eu não conseguia me lembrar, alguma peça que faltava, como se algo tivesse sido tirado da minha mente.

- Desculpa – Disse me encolhendo na cama, encarando o espaço vazio ao meu lado – Desculpa.

...

Evitei Hoseok na última semana, na verdade nem saí de casa nos últimos quatro dias. A última vez que saí, fiz uma rápida visita a Jimin e pedi desculpas formalmente, não que ele tenha respondido... Ele ainda não havia acordado.

Eu estava preocupado, muito preocupado. E se ele morrer, ou pior, simplesmente não acordar e me deixar no meio dessa encruzilhada... Droga.

Naquela manhã decidi que passaria outro dia sem sair de casa, não podia correr o risco, sabia que se esbarrasse com Hoseok, não iria resistir.

Peguei um pacote de biscoitos e fiquei comendo em quanto tentava fazer o meu trabalho da faculdade. Era mais fácil falar do que fazer, minha mente não parava quieta e eu não conseguia me concentrar, a única coisa em que minha mente focava era naquele beijo, naquele maldito beijo.

“Bom dia Hyung”, ouvi a voz de Jimin mais uma vez, era a única certeza que eu tinha, sua voz sempre apareceria para falar comigo. “Você parece meio triste hoje, mas não se preocupe, vou vir até você se sentir bem”.

Eu pude praticamente ver seu sorriso se materializar bem na minha frente, e por mais que eu soubesse que nada daquilo era real, eu havia me acostumado com as peças que minha mente pregava em mim e estava quase me iludindo com aquilo, realmente acreditando que Jimin estava falando comigo.

- Ah ChimChim, pro Hyung se sentir bem, você precisa acordar – Falei como se realmente conversasse com ele – Precisa acordar e vir me ver, só vou ficar bem quando ver seu rosto sorrindo e puder te abraçar apertado.

- Com quem está falando? – Quando ouvi a voz em minha porta, desejei ao máximo que fosse o demônio e não Hoseok, pedido negado, era ele.

- Ninguém – Falei em desepero – Estou tentando achar alguma inspiração para esse trabalho, como entrou aqui?

- Eu sou eu, Ué – Respondeu dando de ombros, acabei rindo.

Ele se sentou na cama e ficou me observando usar o computador, seu olhar em cima de mim era quase tão irritante quanto meus devaneios esporádicos, bufei em frustração ao perceber que simplesmente havia ficado meia hora apenas encarando a tela e mexendo o mouse aleatoriamente.

- Quer ajuda? – Perguntou Hoseok.

- Não precisa, eu nem queria fazer essa droga de trabalho mesmo – Falei largando o mouse e me virando para o mesmo – E o que faz aqui?

- Fui até o hospital, mas você não estava lá. Pensei em vir aqui – Respondeu simples.

- E o que queria comigo?

- É um tédio sem você – Ele riu, acabei sorrindo – Depois que você chegou, ficar sozinho é bem sem graça.

- Você tem sua irmã – Falei me lembrando da praga.

- Minha irmã mal fala comigo Yoongi – Respondeu rindo, de nervoso – Sempre que vem, é pra jogar toda a culpa eu você e isso é algo que não admito.

- É culpa minha, se não fosse minha cabeça dura, você...

Você o que? O que aconteceu? O que é culpa minha? Isso era tão fraco na minha memória, tão certo na minha mente, mas agora... Agora eu não sabia porque

- Já disse que você fala de mais – Reclamou revirando os olhos – Deixa isso pra lá, fazem três anos, é passado. Eu estou muito mais interessado no agora.

- Agora?

- É, agora. Agora que você está aqui e eu tenho alguém para conversar – Disse simples, se levantando e começando a caminhar pelo pequeno quarto em quanto mexia nas coisas.

- Eu sempre estive aqui – Comentei confuso.

- Mas nunca deu nenhum sinal de que queria falar comigo – Respondeu sem me encarar – Até me entregar aquelas flores.

- Eu tive um mal súbito de coragem – Respondi indiferente.

Sem esperar por respostas, me levantei da cadeira e me joguei sob a cama, sentindo o colchão macio em baixo de mim. Fechei meus olhos e pensei em Jimin, pude praticamente sentir o mais novo se sentar em cima de mim e se deitar sob meu peito.

Seu cheiro parecia tomar conta do lugar e sua presença era quase palpável, era tão real que suas mãos pareciam acariciar minha nuca em quanto seu perfeito rosto de próxima a do meu.

Eu sabia que não era real, mas sua boca se encaixava tão bem na minha naquele momento, como se realmente estivesse sendo beijado. Sua língua pediu passagem e eu sedia sem demora, um beijo calmo e doce, o perfeito beijo de Park Jimin.

Espera...

ACORDE YOONGI

Abri os olhos e percebi que cena estava realmente acontecendo, mas não era Jimin que estava ali. Quebrei o beijo um pouco desesperado, aquilo era incrivelmente assustador, minha cabeça realmente me fez acreditar que aquele beijo era de Jimin, pude até sentir seu gosto e seu cheiro.

“Hyung, eu já vou”, ouvi sua voz mais uma vez.

Não vá, por favor, fique aqui, me ajuda a entender o que está acontecendo, não me abandone agora... JIMIN! Por favor, me perdoe.

- Está tudo bem? – Perguntou Hoseok com um olhar confuso.

Eu queria dizer que não, queria dizer o que estava acontecendo, que estava enlouquecendo, que sentia falta de Jimin, mas... Parecia que toda vez que sua voz sumia, minha coragem e sanidade iam embora junto, e só me restavam os instintos.

Se não podia ter Jimin o tempo todo do meu lado, faria de Jung Hoseok meu Park Jimin por tempo indeterminado, até tê-lo de volta para mim.


Notas Finais


Yoongi, não queria dizer nada não, mas isso é bem errado '-'

💙CORES AZUIS💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...