História Wake Up Kim Namjoon - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland), Bangtan Boys (BTS)
Personagens Chapeleiro Maluco, Coelho Branco, Dormidonga (Mallymkun), Gato de Cheshire (Gato Risonho), J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lebre de Março, Personagens Originais, Rainha Branca, Rainha Vermelha, Rap Monster, Suga, Tweedle-Dee, Tweedle-Dum, V, Valete de Copas
Tags Bts, Mad Hatter, Namjoon
Visualizações 10
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi! Espero que goste!

Capítulo 1 - Hospício.


Fanfic / Fanfiction Wake Up Kim Namjoon - Capítulo 1 - Hospício.

Aos 9 anos, Kim Namjoon tinha o péssimo hábito de acordar pela madrugada. Contava para seu pai -no qual ia ao quarto do garoto sempre que isso acontecia- que tinha sonhos, todos os dias tinha o mesmo sonho. Era algo maravilhoso, o jovem havia criado um universo em sua mente sendo o mesmo um simples habitante de sua imaginação. 


Seus 9 anos foram um tempo feliz, marcados pela separação de seus pais. Não foi algo triste, via seu pai todos os dias, e passava grande tempo com ele. Até que um dia, sua mãe morreu misteriosamente. Foi encontrada morta em seu escritório, nada pode ser feito.

A partir deste momento, seu padrasto mostrou ao jovem garoto, um lado maligno que nunca havia mostrado. O que o pequeno garoto, vindo de uma família muito rica e luxuosa por sinal, poderia fazer? 


Anos se passaram, cresceu estudando em casa, viveu sem amigos e com 20 anos, seu padastro o escolheu uma esposa. Uma duquesa, que o amava muito. Namjoon não retribuia seu amor, mas não comentava.


O dia chegou, seu grande (ou nem tanto) casamento. O garoto saiu de casa com seu padastro em um carro de luxo, a caminho do local. 


-Moleque, você é uma desgraça para sua mãe e para mim. Tens 20 anos, não deverás tratar-lhes com indelicadeza, tenha respeito. E diga sim, se não se casar, vai ter uma conversa longa com sua mãe. -Disse seu padastro o observando com angústia. 


-Minha mãe está morta.


-Exatamente. -Seu padastro, chamado apenas por "Mr.Lee" pelos servos do mesmo e por seu "filho". 


Aquela simples palavra chocou o jovem, isso foi uma ameaça? Claro, Namjoon não gostaria de saber, tinha medo da resposta.


Chegaram ao campo de um grande castelo estilo medieval, com decorações em branco e beje. Desceram do carro sendo recepcionados pela mãe da noiva, na qual posicionou o jovem no local à espera da chegada de sua futura esposa.


Namjoon esperou, esperou…esperou. Observava cada local daquele enorme campo, cheio de pessoas ansiosas para o casamento. 


-Hey…Namjoon...? -Ele ouvio o chamarem. Olhou em volta e viu uma luva branca ao lado de um relógio caidos ao chão. -Aqui…! Mais pra baixo! -Observou um buraco no chão, de lá, viu um rosto, não reconheceu. Gostaria de se aproximar mas o casamento começou. 


-Meu senhor… -Disse ao velho homem que faria a cerimônia- Deixaram aquela luva e o relógio ao chão...pode ser algo precioso…posso devolve-los?


-À quem? A noiva chegou, não há como! 


-Ao jovem rapaz que está ali -Apontou para o buraco abaixo de uma árvore, mas o garoto não estava mais lá. 


-Depois terei uma conversa com seu pai meu jovem...


-Ele não é meu pai…-Sussurrou Nam.


A noiva se aproximava em seu belo vestido branco com jóias douradas. Seu nome era Jennie. Era uma moça muito bonita, e era apaixonada por Namjoon, mas nunca foram amigos, e Nam nunca pode sentir o sentimento do amor. Viveu preso em sua casa.


-Você está muito bonito…-Sussurrou ela à Nam.


-Você é bonita.-Respondeu Nam, sem nenhuma intenção.


-E que comece a cerimônia!-Disse o Velho senhor.


Suas palavras eram de pouca importância para Namjoon, que procurava com os olhos o jovem que havia se escondido. 


-Namjoon…venha! -Ouvio a voz do jovem, estava atrás de um arbusto, que era o início de um grande labirinto de arbustos.-Estamos atrasados...


-Kim Namjoon! Aceita Jennie, como sua esposa? -Disse o senhor.


-Estou atrasado…


-Oi…? -Respondeu Jennie.


-Estou atrasado?! -O mesmo saiu cordendo para o labirinto de arbustos do jardim, atrás do jovem. Ele o aguardava, e correu. Namjoon foi atrás. 


Correram e atravessaram o grande labirinto. Ao chegar ao final, perdeu de vista o jovem. 


-Mais que…-Seu padastro o segurou firmemente pelo braço.


-Seu imbecil! O que pensa que está fazendo?! Remarcamos o casamento! Você vai se casar! E até lá, será muito bem vindo no hospício! Tendo visões? Você é louco!


-Eu sou louco?!- Nam se irritou.


-LOUCO? PIRADO! DOIDO! MALUCO!


-AS MELHORES PESSOAS SÃO ASSIM! MAS VOCÊ NÃO ENTENDE! É APENAS MAIS UM IMBECIL COMUM NO MEIO DE PESSOAS DE MENTE FECHADA!- O Kim gritava.


-VAMOS PARA O HOSPICIO QUE É SEU LUGAR! -E assim foi feito.


_♥_


Aquele local cheirava a remédio. Alguns assistiam a programas educativos infantis utilizando camisas de força. Outros ainda de pijama jogavam xadrez, damas ou brincavam de montar blocos de plástico. Bom, essa era sua nova casa.


Kim Namjoon, bem vindo ao hospício. 


Namjoon não era louco. Aquilo era um engano, uma armação. Mas o que poderia fazer? Ninguém estava lá para ouvi-lo, soube que seu pai se mudou para o Japão, para casar-se com uma moça 4 anos mais jovem que sua verdadeira mãe. Morta atualmente. 


Seu primeiro dia no hospício não foi nada agradável, não tinha amigos e nem família. Seu quarto era pequeno, cinza, mas confortável. E passava todo seu tempo lá, pensando.


Logo após o jantar, que por sinal era bom de mais para um hospício -Não era para menos. Todos ali estavam destinados a morrer mais cedo ou mais tarde, para que cuidar da saúde?- Voltou para seu quarto, se deitou. E sonhou.


Abriu os olhos, olhou o relógio. 3:15 da madrugada, não se lembrou de seu sonho e nem de ter dormido.


-Kim Namjoon? -Ouviu uma voz o chamar, a mesma voz de antes. Do jovem com o relógio de bolso. -Não se assuste! Sou seu amigo!


Ele se levantou, olhou para a porta e lá estava ele. Um garoto alto, sorridente e com…orelhas de coelho? Sim, e um rabinho estilo "pom pom"! Suas vestes eram coloridas, focadas no azul marinho. 


-Kim Namjoon -O Garoto coelho fez uma reverência serviçal- Meu nome é Hoseok, mas me chame de J-Hope ou apenas Hobi por favor. Desculpe-me por ser a razão de estar aqui, mas…poderia me seguir?


-Você é real…? Estou louco?


-Sim, sou real como uma borboleta azul.


-Não há Borboletas azuis…


-Já viu alguma? -Namjoon fez um "não" com a cabeça- então não pode dizer que não é real. Siga-me. Hoseok, ou melhor... J-Hope caminhou lentamente para fora do quarto, sendo seguido por Namjoon.


Caminharam sem fazer barulho, chegaram ao jardim de inverno do local, muito apertado mas, com uma árvore muito bonita. 


-Não mostre isso para ninguém, é um segredo nosso. Certo? -Disse J-Hope.


-Certo.


Ele colocou a mão no tronco da árvore e disse:


-Encontrei Kim Namjoon!


Então, abriu-se uma cratera no chão, os dois cairam e escorregaram por túneis e túneis. Cairam em um jardim azul, aquele local cheirava a chá mate e bolo de cenoura. 


-Ora ora…Olá! -Namjoon se virou e viu um moço de cartola, cabelos coloridos e bagunçados, vestes divertidas e loucas como sua face. -Seja bem vindo meu bom homem, chegou na hora do chá! Sou seu Chapeleiro Maluco, e agora seu amigo! Mais conhecido como Taehyung! Mas me chame como quiser! Aceita um chá?



Notas Finais


Bye bye...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...