História Walking To The Death(Namjin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Apocalipse Zumbi, Jikook, Namjin, Vkook, Vkookmin, Vmin, Yoonseok
Exibições 114
Palavras 2.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia/tarde/noite/madrugada >_<
Aqui estou eu trazendo mais um cap dessa fic. E bem, acho que agr os caps vão sair mais rápido, pois minhas aulas acabaram hoje! *Jogando confetes pro alto*
Bem, espero que curtam o cap.

Capítulo 2 - Lost


Hoseok 

Acordei com o maldito despertador tocando. Minha cabeça estava doendo, então desci para pegar um remédio. Já eram 6:30, e hoje é o primeiro dia de aula, para minha alegria. 

 - Dor infernal... - falei, tomando o remédio. A dor não demoraria a passar, mas eu não estava nem um pouco a fim de ir para a escola, então mandei uma mensagem avisando Yoongi. 

 

_Eu: Estou meio mal, então não vou pra escola hoje - esperei, e ele logo respondeu.

_Suga❤(se ele visse que seu contato estava anotado assim, quebraria meu celular): Não deveria ter te chamado para aquela festa, você sempre acaba ficando assim. Mas ok, vê se melhora, seu filho da tiazinha da esquina. 

 

Ri lendo, e logo deixei meu celular em qualquer lugar, voltando para meu quarto. Meu appa não estava em casa, o que não é novidade, pois assim como o pai de Namjoon e Yoongi, ele é capitão de um batalhão, bem, nossos pais são amigos desde a época que entraram no exército, então nos conhecemos desde que nos entendemos por gente. E minha omma, bem...eu não tive a oportunidade de conheça-la, pois ela faleceu após o meu nascimento, mas isso não me deprime mais. Já me acostumei a ficar sozinho, Namjoon e Yoongi estão sempre comigo. 

Dormi mais do que esperava, então quando olhei a hora, já havia passado do meio-dia. Fui para a cozinha, preparar algo para comer, não sou um mestre cuca, mas eu me viro bem. Depois de comer, eu fui até a garagem, e meu cachorro, Shiba veio até mim, e eu lhe fiz um carinho breve(ele é um jindo coreano de pelo preto, e olhos escuros, bem das trevas. O que é uma ironia, pois Shiba é uma outra raça de cão, mas eu amo esse nome, então né). Voltei para dentro, deixando Shiba entrar, pois ele é comportado e ficou sentado próximo a mim no sofá, enquanto eu lhe fazia carinho. Liguei a televisão, já que estava entediado. 

- Que reportagem é essa? - me perguntei, assim que coloquei em um canal qualquer. Um repórter corria e falava para ficarmos protegidos, até a transmissão ser interrompida aos gritos do repórter. Estremeci, pegando meu celular, enquanto Shiba me olhava, virando a cabeça para o lado. 

- Shiba...u-um...APOCALIPSE ZUMBI! - gritei assim que vi um vídeo de um cientista coreano que estava nos EUA, e meu cachorro ficou em posição de alerta. Minhas pernas estavam tremendo, então eu me sentei, sentindo minha cabeça girar. 

Como isso está acontecendo? Por que isso está acontecendo? Oh meu Deus! Isso só pode ser um pesadelo! Senti meu celular vibrar, então atendi a ligação sem nem ver quem era. 

- HOBI! - afastei um pouco o aparelho da orelha, ouvindo o grito de Suga do outro lado da linha. Então ele está bem, espero que esteja com o Namjoon. 

- Hyung! Onde você está? Está tudo bem? - perguntei, e ouvi Namjoon ao fundo, perguntando sobre algo. 

- Estou com o Namjoon, e sim, estou bem. Estamos sozinhos na casa dele, pois fomos dispensados um pouco mais cedo da escola, por motivos óbvios. - ele suspirou. - E você, Hobi? Está bem? - perguntou preocupado, e eu suspirei. Realmente, eu estava em choque, e assustado, mas não iria falar para ele, que estou me sentindo como uma criança com medo do escuro. 

- Estou bem sim, hyung - suspirei, encarando meu inocente cachorro. Será que ele imagina o que está acontecendo? 

- Não saia daí, eu vou busca-lo! - ele disse, e ouvi o som de algo quebrando ao fundo. Certeza que foi o Namjoon. 

- Hyung, pode ser perigoso e... - fui interrompido. 

- Apenas tranque a porta, e só abra quando eu chegar aí! - suspirei convencido, ele não é de aceitar negações. 

- Ok, hyung - então ele desligou, e eu olhei para Shiba. - É amigo, as coisas vão ficar feias - falei, indo para meu quarto preparar tudo o que eu iria precisar. 

Namjoon 

Enquanto Suga ligava para Hobi, eu fui até o quarto dos meus appas. Avistei o que eu queria, em cima do guarda-roupas de madeira escura, pegando de lá, uma caixa de madeira um pouco grande, fechada por 3 cadeados grandes. 

- Suga você lembra onde meu appa colocou as chaves disso aqui? - perguntei descendo as escadas com a caixa em mãos(quase caindo, claro), e ele me respondeu que não sabia, é, não seria muito certo ele saber e eu não, mas né, Suga quase mora aqui as vezes. Procurei as malditas chaves, mas não achei, então abri o armário da pia, pegando uma caixa de ferramentas, tirando de lá um martelo. 

- Agora vai! - dei uma martelada certeira, quebrando o primeiro cadeado(nessas horas, ter o dom da destruição é muito útil). Fiz o mesmo com o cadeado do lado esquerdo. O do meio foi o último, e esse foram várias marteladas até finalmente conseguir quebra-lo. 

- O que tem aí mesmo? - Suga perguntou, encerrando a ligação, e me encarando enquanto eu abria a caixa. Ele arregalou os olhos, e eu sorri de canto. - Seu appa realmente continuou guardando isso em casa? - ele disse, e eu assenti. 

Peguei uma das armas que continha a caixa, analisando-a. Era uma submetralhadora. Tinha mais uma idêntica, e dois revólveres, além de uma caixa menor no canto da caixa maior, que eu lembro vagamente, ser a coleção de facas de combate do meu pai. É, ele deixou tudo isso em casa, pois sabia que poderia confiar que nada aconteceria aqui dentro. Mas agora a coisa é séria, e vamos precisar disso. 

- Sim...agradeço muito ao appa, por ter resolvido deixar isso tudo aqui... - falei, triste com o que poderia já ter acontecido com meu appa, e mais triste ainda, pensando em minha querida omma. 

- Vou buscar o Hobi - Suga falou, pegando uma das "sub", e com o cinto da mesma, a prendeu nas costas, e pegou a munição que também estava na caixa, colocando vários cartuchos nos bolsos só cinto. 

- Suga...pode ser perigoso, e vai saber o que pode acontecer caso saia lá fora - falei, e ele me lançou um olhar frio. É, ele não vai desistir da ideia. 

- Nós três somos melhores amigos Joon, eu vou lá busca-lo e vou voltar inteiro. Junto com ele - falou convencido. Agradeço a todos os deuses existentes, mesmo não acreditando em nenhum, por nossos pais terem nos colocado em um treinamento de tiro quando tínhamos 16 anos. Entreguei um revólver a Suga, e ele o colocou na cintura. 

- Está bem, mas cuidado... - ele assentiu, e saiu rapidamente, então eu tranquei a porta. Corri para meu quarto, pegando duas bolsas e começando a arrumar algumas roupas minhas e de Suga(ele e Hobi dormem várias vezes aqui, então tem roupas suas na minha casa). Depois fui para cozinha, colocando mantimentos em outra bolsa. Já deixaria tudo preparado para darmos o fora o quanto antes. 

Tomei um banho rápido. Vesti uma box azul-escura, uma calça jeans preta, uma camisa de manga longa também preta, uma touca preta e meus coturnos pretos(no caso, uma roupa bem gótico trevoso). 

- Que fome - desci para a cozinha, levando as bolsas e colocando em cima do sofá. Preparei a coisa mais rápida que achei, e me sentei para comer, pensando o que seria de nós daqui em diante. 

Yoongi 

Sai da casa de Namjoon com um certo medo, só os deuses sabem o que eu posso encontrar na rua. 

Continuei andando com pressa até a casa de Hobi, que era uns 15 minutos da casa de Nam. Virei a esquina na direita, andando o mãos rápido que minhas pernas conseguem, e travei, ao ver uma mulher caída no chão. 

- M-me a-ajude... - eu rapidamente puxei minha arma, ao ver que ela estava sem parte do braço esquerdo. - AAAAAARH! - gritou de dor, e se levantou. Seu rosto já estava perdendo a vida, e seus olhos estavam perdendo a cor escura. Ela já é uma zumbi, e está perdendo completamente a consciência. Dei alguns passos para trás, vendo mais dois zumbis atrás dela. Apontei minha arma, percebendo que eles não se moviam muito rápido. 

- Desculpa moça, mas eu sou muito mais eu! - corri, e atirei certeiro em suas cabeças, derrubando os três, e pulando por cima de seus corpos, começando a correr. Precisava chegar até Hobi o quanto antes. 

Durante o caminho, eu matei alguns zumbis, agradecendo por eles não serem como os de "Guerra Mundial Z" ou "Trem To Busan", então avistei a casa de Hobi. Corri mais um pouco, vendo um zumbi se esgueirando próximo ao portão preto da casa de Hobi. Ele me viu, e começou a vir até mim. Mirei, acertando sua cabeça e um resquício de bala, acertou o porta, fazendo um barulho chato. 

- Hobi! - chamei, e ele logo apareceu. Seus olhos estavam vermelhos, deve ter chorado. 

Fiquei de costas, olhando a rua à procura de sinais de zumbis, mas nada, então Hobi abriu o portão, me puxando para dentro. 

- Hyung... - ele me abraçou, e eu não protestei(dessa vez não), já que eu sei o quão assutado é Jung Hoseok. Ele é sensível e medroso, e não me admira a cara de choro dele agora. 

- Precisamos esperar um pouco antes de sair... - falei, assim que entramos na sala. O cachorro de Hobi estava lá, sentado, até me esqueci que ele existia. - Tem alguns zumbis rondando a área - falei, deixando a arma novamente nas costas. 

- Hyung...eu tô com medo... - ele disse, abraçando seu cachorro. Eu só queria coloca-lo num potinho e protege-lo, mas isso é impossível, e não podemos chorar agora. Temos apenas que aceitar os fatos.

- Levante-se, e recomponha-se! - falei, sendo frio como meu pai seria caso estivesse lidando com um batalhão de homens despreparados. Hobi se levantou, e então vi uma mochila em cima do sofá, pelo menos ele já se adiantou. 

- Vamos, Hobi. Não fique assim, ok? - coloquei a mão em seu ombro, sorrindo amigável(coisa que não faço sempre). 

- Ok... - ele limpou as lágrimas. Hobi colocou a coleira no cachorro, mas sem a guia(pois ele não é um cão retardado que vai sair correndo por aí, pelo menos). 

- Toma - puxei da cintura um dos revólveres que Namjoon me deu. Ele pegou, encarando a arma. Pelo menos ele também sabe atirar. 

- Vem garoto! - pegou a mochila, e eu empunhei minha arma. Saímos da casa de Hobi receosos, andando pela rua em companhia um do outro, e de seu fiel cachorro. 

Quando notei, ja estávamos correndo a passos silenciosos. Precisamos chegar a casa de Namjoon o quanto antes. 

Jin 

Eu fiquei chocado após tudo que vi, e estava morrendo de preocupação com meus appas, mas eu tinha agora que pensar no que fazer. 

- Já sei! - subi para meu quarto. Após um banho, vesti uma calça jeans, uma camiseta branca, e meu moletom rosa- bebê. Calçando o mesmo tênis de antes. Arrumei umas coisas em duas mochilas(porque quanto mais, melhor), indo também a cozinha, e pegando comida que durasse bastante tempo. Subi novamente para meu quarto, e revirei meu guarda-roupas, até achar meu tão esquecido, taco de baseball(eu ganhei se um amigo americano, antes dele voltar para os EUA). 

Fui até o quarto dos meus appas, e abri o guarda-roupas, pegando a chave da picape(igual a do Prologue/de Run)do meu appa. Eu estava muito preocupado com a minha omma, e com o meu appa também. 

- Por favor, atenda... - falei, enquanto discava no número de minha omma. 

Uma chamada... 

Duas chamadas... 

Três chamadas... 

Nada, apenas caiu na caixa postal. Tentei com meu appa, mas também não atendeu. Engoli em seco, tentando afastar as lágrimas que queriam cair de meus olhos, mas foi completamente impossível. 

- Por que?... - eu perguntei para mim mesmo, soluçando enquanto colocava as bolsas no banco de trás da picape. - Omma...appa... - sussurrei, encostando o rosto no vidro da janela da picape, me permitindo chorar mais um pouco, antes de entrar na mesma(por ironia do destino, eu tirei minha carteira a duas semanas atrás), esperando o portão automático ser elevado. Os vidros escuros fechados, muitas lágrimas, e um taco de baseball no banco do carona, é, essa é a minha situação. 

Não sei para onde vou, só sei que, tem que ser um lugar bem afastado daqui. Os caminhos que tive esperanças em seguir...foram destroçados por uma desgraça que achei só exister em um mundo irreal.

Estou perdido agora... 

 

Eu perdi meu caminho...


Notas Finais


Bem, acho que o próximo não demora a sair. Tudo depende da minha criatividade, e disposição para escrever.
Espero que tenha ficado bom.
Beijos trevosos >_<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...