História Walking To The Death(Namjin) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Apocalipse Zumbi, Jikook, Namjin, Vkook, Vkookmin, Vmin, Yoonseok
Exibições 68
Palavras 1.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá minha gente. Sim, eu tô atualizando de novo, então pulem de alegria(caso esteja lendo isso, claro kk).
Bem, esse capítulo tá focado na maknae line, então, espero que curtam.

Capítulo 3 - I am your protector


Jimin 

Eu apenas corria, sem olhar para trás momento algum. Não queria ver a cena tão assustadora e triste, de minha omma sendo atacado por aqueles monstros mortos-vivos. 

Tudo que conseguia fazer era chorar e correr, ainda pensando nas palavras de minha omma. "Não consigo mais correr, mas você consegue meu pequeno, então salve sua vida!", e agora aqui estou, fugindo sei lá para onde, com apenas a roupa do corpo. 

Eu e meus appas estávamos voltando de carro para casa(pois eu não fui para a escola hoje) quando meu pai ouviu a notícia sobre o apocalipse zumbi pelo rádio. Como estávamos no centro da cidade, mal percebemos quando vários zumbis começaram a atacar o nosso carro. Meu appa fez de tudo para que eu e minha omma conseguíssemos fugir, e então nos corremos, ouvindo o grito rouco do meu appa. 

Eu estava em uma rua que não lembro de ter visitado, pelo menos, ela estava deserta. Me permite andar normalmente, recuperando o fôlego perdido a minutos atrás. Ouvi um barulho, e logo vi um garoto de cabelos negros correndo, ele me viu, e correu até mim chorando e pedindo ajuda. 

- Eu já entendi, acalme-se...mas, quem é você? - perguntei, enquanto continua vamos ali, parados na rua. 

- E-eu... - ele secou as lágrimas. Percebi que ele é mais alto que eu, poxa, por que tenho que ser baixinho? - Sou Jeon JungKook, e tenho 15 anos - arregalei os olhos. Eu tenho 16 anos, e ele é maior que eu? Caramba, agora eu fiquei bolado. - E você? - perguntou. 

- Sou Park Jimin, e tenho 16 anos - falei, olhando para todos os lados da rua, e ele ficou supreso. Começamos a andar juntos, já que ele era minha única companhia, e assim foi até acharmos uma casa sem ninguém. Entramos pela janela, e fomos a procura de coisas úteis para nós. 

JungKook 

Não estava crendo em nada disso, como algo assim pode ser real? Só pode ser uma pesadelo, não é? 

- Appa... - eu apenas olhava, enquanto meu appa empurrava os móveis para a frente da porta, onde ouvíamos inúmeras batidas insistentes. Minha omma me abraçou, enquanto eu chorava baixinho, com medo do que poderia acontecer. 

- Meu anjo...você tem que sair daqui, eu e seu appa vamos segurar eles... - disse minha omma, colocando as mãos em meus ombros. Eu a encarei, e vi seus olhos marejarem, eu a abracei ainda mais forte. 

- Não...não...não! - falei, e meu appa correu até a cozinha. 

- Kook, saia pelos fundos! É uma ordem do seu appa! - ele disse, destrancado uma das gavetas do armário e tirando de lá uma pistola. Ele colocou a arma sobre minhas mãos, sabendo com certeza que ela seria meio inútil, até eu aprender a atirar(que com certeza aconteceria em meio ao desespero), e colocou uns cartuchos de munição nos meus bolsos. 

- Mas appa...você e a omma... - ele me abraçou. 

- Você é um homem agora, Jeon JungKook. E eu e sua omma, amamos muito você...agora saia, antes que eu te jogue para fora pela porta dos fundos! - ele disse firme, e eu corri para a cozinha, vendo a porta dos fundos entre aberta. 

- Eu amo vocês... - disse entre lágrimas, saindo pela porta e correndo. Correndo para salvar a mainha vida. 

Minhas pernas estavam doendo, e a rua de trás estava deserta. A arma em minha cintura era um pouco incomoda, mas nada de mais. Parei para recobrar o fôlego, e vi um garoto de cabelos ruivos, correndo pela rua. Parecia desorientado, e então eu corri até ele, pedindo ajuda, mesmo vendo que ele estava pior que eu. Nos apresentamos, e descobri que seu nome é Park Jimin, ele tem 16 anos, e é menor que eu. 

Eu e Jimin fomos parar em uma casa sem ninguém, mesmo toda mobiliada, não tinha ninguém na casa, e a janela estava aberta, então pulamos pela mesma. Fechamos toda a casa, e eu já estava ciente de que não poderíamos ficar aqui por muito tempo, pois os zumbis já estão nessa área. 

- Jimin... - o chamei receoso, vendo ele empurrar um sofá para a frente da porta. - E o seus pais? - perguntei. Jimin ficou com uma expressão triste no rosto, serrando os punhos e então socou a parede em sua frente. 

- Eles...eles se sacrificaram para me salvar... - disse fechando os olhos, enquanto algumas lágrimas escorriam por suas bochechas meio gordinhas. 

- Meus pais fizeram a mesma coisa... - sorri sem alegria, enquanto Jimin secava suas lágrimas. Eu já tinha lhe mostrado minha arma, e ele disse saber atirar um pouco, então eu me senti mais aliviado, deixando a arma com ele. 

- JungKook...está escurecendo - ele disse. É verdade, já estava escurecendo, então Jimin disse para subirmos para o segundo andar da casa. Todas as janelas e a porta estavam fechadas e com alguns móveis para impedir que fossem abertas na marra. 

- Você não vai dormir? - perguntei, entrando em um quarto que eu imaginei ter sido de uma garota, pois tinha paredes rosas e uma cama de madeira branca com lençóis claros. O guarda-roupas estava aberto e bagunçado, com certeza as pessoas dessa casa fugiram o mais rápido que puderam. 

- Não vou conseguir, mas, durma você JungKo... - o interrompi. 

- Apenas Kook - falei, e ele prosseguiu. 

- ...Kook, pois parece cansado, e amanhã precisaremos dar um jeito de ir pra bem longe - ele disse, saindo e me deixando no quarto. Me deitei na cama macia, e acabei pegando no sono, pensando em meus appas. 

Taehyung 

Eu estava sozinho em casa. Maldito momento em que, eu me neguei a viajar com meus appas, por que eu queria estar aqui quando começassem as aulas. 

Você é um idiota Tae, um idiota! Agora está aqui na sua casa, morrendo de medo de ser comido vivo por um bando de gente morta, que na verdade tá viva, mas não tá...isso não fez sentido, né? 

- Xurumela(sim, é isso msm),o que nós fazemos? - perguntei enquanto abraçava minha raposa de pelúcia, morrendo de medo. Pense Kim Taehyung, o que você pode fazer agora? CLARO! O meu primo SeokJin! 

- Atende esse celular, Jin-hyung eu preciso que atenda essa desgraça! - falei, discando o número do meu primo. Esperei um pouco, e logo, ELE ATENDEU! 

- Tae? - perguntou com a voz falha, e eu deduzi que ele estava chorando, pois conheço bem o meu primo. - Meu querido, seus appas...Tae você está sozinho em casa, não é? Você está bem? - perguntou, sua voz emanava preocupação. 

- Hyung, fica calmo! Eu Estou sozinho sim, e 'tô bem - falei, abraçando Xurumela mais forte. - Mas eu estou com medo hyung, vai saber se eles não vão conseguir invadir aqui em casa. - falei, suspirando pesadamente. 

- Fique aí, eu vou te buscar - ele disse, e ouvi o som de carro sendo ligado. Com certeza ele estava com a picape do meu tio. - Nem que eu atropele um milhão de zumbis, eu vou aí te buscar, entendeu dongsaeng? Abra apenas quando eu chegar aí, e já se prepare para pular para dentro do carro! - disse, e eu engoli em seco. 

- Sim, hyung se cuide... - falei preocupado, e ouvi sua risada breve. 

- Eu sempre me cuido, TaeTae - e então desligou. 

Eu corri para meu quarto, colocando roupas em minha mochila branca, e corri para a cozinha, pegando uma faca de açougueiro que meu pai usa pra cortar carne(autor: jura Tae? Achei que era pra cortar alface!)e colocando no bolso da mochila. Depois de alguns minutos, eu ouvi(pois minha audição é ótima)a voz baixa de Jin, dizendo um "vamos logo!". 

Abri a porta e corri, e ele abriu rapidamente a porta do carona. Logo vi Jin pisar no acelerador, escutando batidas na lataria da parte de trás da picape. Abracei Xurumela, olhando pelo vidro de trás da cabine, vendo zumbis vários ficarem para trás. 

- Vai ficar tudo bem, Tae eu não vou deixar nada te acontecer - disse Jin. É, esse é o Jin, ele sempre cuida e se preocupa com todos próximos a si. Eu me sinto seguro junto com ele, até mesmo o chamo de "omma" as vezes, por conta de ser tão protetor, e ele não me dá bronca, apenas sorri. 

- Espero que sim, hyung... - falei, vendo o cair da noite. Realmente fiquei muito tempo trancado em casa, agora estou pensando. Como será que estão lidando com isso, em outros países onde o vírus também se espalhou? 

Jimin

Eu fiquei observando a movimentação da rua, pela janela de um quarto no segundo andar da casa, pois não conseguiria dormir com um caos tão grande em minha mente.

Me deprime mais ainda, ao ver alguns porta-retratos, de um homem e um mulher adultos, junto de uma garota que aparentava ter 12 ou 13 anos, e eles sorriam na maioria delas. Senti saudades de todos os sorrisos que eu e meus appas compartilhavamos. 

- Jimin... - sai de meus pensamentos, quando vi um Kook sonolento encostado no batente da porta. Bem, JungKook é um bom garoto, e sua alma é inocente, eu sinto isso. 

- O que foi, Kook? - perguntei, e ele se sentou ao meu lado, na cama de casal do quarto. 

- Eu tive um pesadelo...com os meus appas... - ele disse, olhando as próprias mãos, acho que estava envergonhado em dizer isso para mim. 

- São só sonhos ruins, fique calmo... - coloquei meu braço em seus ombros, sendo o mais gentil possível. 

- Vamos ficar bem? - ele me encarou, e seus olhos castanho-escuros começaram a marejar, me deixando sem saber o que dizer para acalma-lo. 

- Eu espero que sim, dongsaeng... - suspirei, e então Kook deitou a cabeça em minhas pernas. Por impulso, comecei a fazer cafuné em si, para tentar acalma-lo, e ele logo adormeceu. Senti que deveria protege-lo, mesmo sendo maior, ele parece ser tão...indefeso. Inofensivo. 

Eu realmente espero que fiquemos bem. Só de pensar em tudo que está acontecendo, minha cabeça gira e meu peito se aperta. Bem, parece que agora eu tenho um novo amigo, mas, e os meus outros amigos? Será que estão mortos? 

Mordi o lábio inferior, pensando em meu melhor amigo, Taehyung. 

- Espero que esteja bem, Tae... - sussurrei, deixando JungKook na cama, e voltando para a janela entre aberta, olhando para as estrelas. 

Não importa o que aconteça, nós vamos sobreviver. 



Não importa o que aconteça, eu vou proteger a mim e a Kook...


Notas Finais


E então? Acho que, agr a situação vai ficar mais tensa. MAWAHAHAHA!(risada maligna)
Bem, até o próximo, que eu tenho certeza de não demorar a postar.
Beijos trevosos >_<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...