História Walking To The Death(Namjin) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Apocalipse Zumbi, Jikook, Namjin, Vkook, Vkookmin, Vmin, Yoonseok
Exibições 90
Palavras 2.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia/tarde/noite/madrugada
Olha o Tio atualizando de novo, desse jeito, até acho que vcs vão ficar acostumados a me ver aqui todos oa dias, haha.
Bem, espero que curtam o cap.

Capítulo 4 - A Selfish


Namjoon, Yoongi e Hoseok, decidiram passar a noite na casa do Kim loiro, e sair pela manhã, a pé, pois o carro do pai de Namjoon estava na oficina a tempos. Mas o Kim não conseguia dormir, então ficou sentado sozinho, na sala escura, com a submetralhadora apontada para a porta de entrada da residência, caso um maldito e asqueroso zumbi conseguisse passar pela grossa madeira escura. 

- Joon, assim você que vai virar um zumbi... - era a voz de Yoongi. O Min desceu a escada a passos lentos e silenciosos, e o Kim o encarou, no meio do escuro. 

- Pra mim é impossível dormir, numa situação como essa - suspirou Namjoon. - Já você, dorme como uma pedra - se permitiu rir mesmo estando preso em uma situação, que para si, era mais destrutiva que si mesmo. 

- Eu tenho que guardar as energias - Yoongi fez um muxoxo, se sentado ao lado de Namjoon. Eles ficaram em silêncio, até começaram a ouvir barulhos estranhos...gemidos. Suspiros. Quem sabe, ao lado de fora da porta. Como se alguém estivesse se arrastando e suspirando de... cansaço? 

- Ai meu santo Kami sama! - sussurrou Yoongi. Namjoon se aproximou da porta, encostando lentamente sua orelha na mesma, tentando escutar os barulhos com mais clareza. Eles vinham da rua, e não era apenas um barulho, mas sim vários, juntos em um único e repugnante som. 

Namjoon logo chamou Yoongi com o dedo, e o mesmo entendeu. Ele começaram a empurrar o sofá para frente da porta, e então a primeira batida ecoou, seguido dos mesmos barulhos estranhos. 

- Acorde o Hobi, agora! - sussurrou o Kim, e então Yoongi correu a passos silenciosos para o andar de cima. Jung Hoseok dormia serenamente, e Yoongi até teria pena de acorda-lo, se a situação não fosse crítica. O cachorro do mesmo, que estava no tapete do quarto de hóspedes ao lado da cama, despertou imediatamente, quase indo para cima do Min ao achar que era ameaça. 

- Levante, temos que nos mandar! - Yoongi agarrou a camiseta do Jung, o balançando para lá e para cá, até que o mesmo acordasse mais do que assustado. Hoseok pulou da cama, quase caindo, o calçou seus coturnos marrons o mais rápido possível. 

- Vem garoto! - chamou o cachorro, enquanto corria até a escada, logo descendo e vendo um Namjoon energético e confuso. 

- Pela janela do quarto de limpeza! - disse o Kim, então eles pegaram as bolsas e armas. Sem nem pedir, Namjoon colocou as facas(que já estavam em uma bolsa adequada, e que não eram muitas), amarradas em Shiba(pois a bolsa não é muito grande). Eles correram para o quartinho onde é guardado tudo relacionado a limpeza, avistando a janela que seria a saída de todos. 

- Sobe logo, Suga! - dizia Hoseok, usando as mãos para dar impulso para que Yoongi subisse, e logo entregou as bolsas a ele, para que já ficassem do outro lado. Shiba foi depois, pois Namjoon estava trancando a porta e colocando o pequeno armário que ali existia, em frente à mesma. 

- Agora você, Hobi! - o Kim ajudou o mais velho a subir e passar pela janela, logo vendo o outro estender a mão, e então ele conseguiu sair também. Eles correram pela rua, sem olhar para trás momento algum. O que aparecia a frente, era exterminado pelas submetralhadoras de Yoongi e Namjoon, ou pelo revólver de Hoseok. Eles mal sabiam para onde estavam correndo, apenas que teriam de se livrar do perigo atual. Shiba corria enérgico, sem sair um segundo sequer do lado de Hoseok. 

- Ali! - Yoongi apontou para um mercado não muito grande, que parecia estar abandonado. Já tinham conseguido despistar os zumbis, então correram para o local, adentrado pela porta semi-aberta. Fecharam as portas, e logo baixaram também as portas de metal que ficavam na parte interna(aquelas que descem, sabe). 

- Eu nunca corri tanto...na minha vida... - Hoseok sentou-se no chão, recobrando o fôlego, e recebendo uma lambida na bochecha. - É amigão, as coisas realmente ficaram feias, como eu disse - sorriu sem alegria, enquanto Namjoon andava entre os corredores do mercado, com a arma ainda empunhada, não queria ter nenhuma supresa desagradável. 

- Venham aqui! - chamou, assim que achou uma porta de madeira semi-aberta, que dava em um "cômodo" grande, era o local onde os alimentos eram estocados. - Da pra ficar aqui - disse o Kim, colocando sua mochila no chão assim que entrou no lugar de paredes brancas, com a desgastada pelo tempo. 

- É perfeito, tem até remédios aqui - disse o Min, também largando sua mochila no chão. 

- E comida pra cachorro! - Hoseok disse com a falsa animação, enquanto Shiba o olhava, confuso. 

- Precisamos dormir...corremos muito, e logo vai amanhecer. Teremos que rondar a área, pra nós prevenir de qualquer surpresinha - disse Suga, que achou um colchão jogado no canto. Um não, dois. E alguns cobertos velhos. 

- Suga tem razão - concordou Kim. - Mas, só tem dois colchões de solteiro...alguém vai ter que dividir - disse, e então eles se entreolharam. - Eu não vou dormir com nenhum dos dois! - exclamou. Hoseok sentiu um leve queimar em suas bochechas, com certeza estava corado. Envergonhado com a possibilidade de dormir junto de seu hyung, e não que fosse algo ruim, mas era realmente estranho para Jung. Estranho querer isso. 

- Vamos tirar no jokenpô! - sugeriu o Min, e os outros assentiram. 

- JO-KEN-PÔ! - falaram em uníssono. Namjoon colocou pedra, Yoongi e Hoseok colocaram tesoura. 

- Yeah! - levantou o punho no ar, em sinal de comemoração. Yoongi e Hoseok se entreolharam, enquanto Namjoon deitava em um dos colchões. Suspiraram, então se deitaram, cada um virado para um lado. 

 - Boa noite, hyung... - o Jung disse, mas o Min nada respondeu. Yoongi estava corado. Envergonhado com tal situação, mas por incrível que pareça, não estava incomodado. Hoseok logo caiu no sono, então o mais velho finalmente se permitiu dizer. 

- Boa noite, Hobi... - disse, e logo se entregou ao sono também. 

Jin

Eu dirigi para o mais longe possível da casa de Tae, mas ainda estávamos em um lugar conhecido por mim na cidade. Estacionei a picape na calçada de uma casa grande, numa área onde não tinha movimentação alguma, claro, numa posição que seria fácil para "arrancar" o mais rápido possível caso fosse necessário. Tae dormia no banco do carona, que estava reclinado, enquanto eu apenas observava-o. 

Meu primo é um amor de pessoa, e eu não suportaria perder mais alguém tão próximo a mim, então sinto o dever de protege-lo. Talvez por ser o hyung, essa "tarefa" pese duas vezes mais, mas eu não me importo. 

- Jimin...por favor não vá...não posso perder você...Jimin... - Tae virava para um lado e para o outro, falando enquanto dormia. A expressão em seu rosto era de puro desespero, e algumas lágrimas começaram a escorrer de seus olhos fechados. Me preocupei, mas antes de pensar a acorda-lo, ele parou de falar, e tomou novamente uma expressão neutra no rosto. 

Jimin, é o melhor amigo do Tae, eles eram tão grudados, eu até via uma química entre eles, mas agora eu me sinto triste. Triste pelo sofrimento de Tae. Triste por conta do meu sofrimento próprio. 

- Dongsaeng... - coloquei a mão sua testa, me assustando a perceber o quanto Tae estava quente. - Está com febre! Oh meu Deus, o que eu faço? - me perguntei, enquanto Tae tremia um pouco, com certeza por conta do choque de temperatura. Abri uma das mochilas, tirando de lá uma manta rosa(porque eu sou prevenido, e amo muito rosa), e cobrindo Tae, então ele parou de tremer, abraçando ainda mais forte sua raposa. - Preciso conseguir remédios pra você, tinha mesmo que ficar doente agora, TaeTae? - acariciei seus cabelos castanhos, enquanto olhava a Lua crescente presente no céu estrelado. 

Era madrugada, e em poucas horas já seria manhã, e eu teria de conseguir os remédios para o Tae de qualquer maneira, eu sei que ele é muito sensível, até ficou internado uma vez por conta de acharmos que ele estava apenas com uma febre normal.  

Vi o dia amanhecendo, pois não consegui pregar os olhos, por preocupação e por simplesmente não conseguir dormir com uma conflito tão grande criado em minha mente. 

- Melhor irmos embora daqui... - falei, vendo Tae abrir lentamente seus olhos, aparentando estar tonto e enjoado. 

- Para onde estamos indo...hyung? - perguntou com a voz falha, enquanto puxava mais a manta contra seu corpo. Não respondi, pois nem eu sabia. Liguei a picape, saindo novamente sem rumo certo, com a missão de ajudar Tae, sem morrer no meio do caminho. 

Algumas poucas pessoas que ainda conseguiram sobreviver, corriam pela rua, em busca de socorro. Umas se aproximavam do carro, mas eu apenas ignorava, pois se ajudasse uma, sentiria a culpa de não ajudar as outras. Posso estar sendo egoísta, mas ninguém além de mim mesmo, e Tae me importam agora. Só temos um ao outro. 

Estávamos em um lugar da cidade que eu desconhecia, então parei a picape na esquina, ao avistar um mercadinho, completamente fechado. Mas como típico de qualquer um da maiorias dos mercados que você encontra, tinha uma porta lateral, com algumas latas de lixo na frente. Olhei a área, e encarei Tae, que parecia confuso. 

- Dongsaeng...espere um pouquinho, ok? - sorri, pegando no cabo do taco de baseball. 

- Hyung...não, fica aqui...eu não quero ficar sozinho... - disse com a voz baixa, tossindo um pouco. Seu rosto estava vermelho, eu tinha que ir lá, pelo menos saber se tem remédios. 

- Tae...seu hyung vai ficar bem - sorri forçado, mas ele não percebeu, e apenas suspirou. 

- Por favor...volte bem... - ele disse, e então entreguei a chave da picape em suas mãos. 

- Caso fique em perigo, vá para bem longe. Eu sei que seu appa já te ensinou a dirigir, mesmo tendo só 16 - ele assentiu, e eu abri a porta. Agachei ao lado do carro, olhando toda a área, parecia não ter perigo. Corri a passos silenciosos, e quase cai para trás, quando um zumbi surgiu não sei de onde. Me esquivei de seu braço, girando o taco é acertado sua cabeça, a vendo rolar pelo asfalto. 

Mesmo assustado e com as mãos tremendo, eu continuei a correr, até chegar aquela maldita porta. Afastei as latas de lixo, e agradeço a Deus e o qualquer entidade superior, por estar destrancada(também agradeço pelo dono ter sido burro, em deixar aberto), então entrei logo a fechando. 

Andava entre os corredores, olhando para todos os lados do lugar que estava sem a luz ligada, mal-iluminado com ajuda das frestas na teto gasto pelo tempo. Avistei a área onde ficam os remédios, e andei a passos largos, acabando por esbarrar em uma prateleira, derrubando uma lata de alguma coisa que não identiquei, fazendo um barulho irritante. 

Estava pegando alguns remédios para febre, e outros a mais, quando senti um arrepio na nuca, seguido de uma respiração contra a mesma, e uma lâmina afiada ficar a milímetros do meu pescoço. Larguei o taco no chão, levantando as mãos em sinal de rendição, mas logo ouvi uma voz familiar entrar em meus ouvidos. 

- Jin! - era Namjoon, que logo afastou a faca do meu pescoço, se afastando para que eu pudesse me virar para olha-lo. Por impulso do momento, acabei abraçando Namjoon. 

- Oh meu Deus! Achei que só tinha eu e Tae por aqui! - exclamei, me afastando rapidamente ao perceber o que tinha feito. Ele parece não ter se incomodado. 

- Pensou errado, e pêra...Tae? - arqueou uma sombrancelha, então expliquei para si quem era Taehyung, e então ele me disse estar com mais dois amigos, logo me levando até eles. 

Namjoon

Após acordar, vi que Hoseok brincava com Shiba, e Suga ainda dormia como uma pedra. Me levantei, pois estava morrendo de fome, e para minha alegria, estávamos em um mercado. 

- Finalmente, agora só falta o Sr. Min levantar! - disse Hobi, fazendo uma voz séria, e rindo logo depois, acompanhado por mim. 

- Vocês não calam a boca, puta que pariu! - disse Suga com a voz sonolenta, pois tinha acabado de acordar. 

- Claro, não sou mudo! - Hobi mostrou língua, e Suga revirou os olhos. 

- Vou pegar algo pra comer, você querem algu... - antes que eu pudesse terminar a frase, ouvimos um barulho de algo caindo no chão. 

- O que foi isso!? - Hobi olhou para a porta, e Shiba ficou em alerta, mas que bom ele só latir quando o Hobi faz ele "atacar". 

- Como vamos saber, se estamos aqui? - Suga disse, revirando os olhos. Eu peguei o revólver que deixei no chão ao lado do colchão, e coloquei na cintura. Abri a menor das bolsas, pegando uma das facas que eram do meu appa(de tamanho médio, sabe, aquelas típicas pra esfaqueamento). 

- Eu vou ver... - sussurrei abrindo a porta e saindo. Andei pelo pequeno mercado, avistando alguém de costas, pegando...remédios? Zumbis não tomam remédios, não é mesmo? Me aproximei, não vendo muito bem as características da pessoa, por conta do escuro. Cheguei por trás, colocando a faca próxima ao seu pescoço, enquanto minha respiração batia em sua nuca. Ele largou o taco de baseball que tinha na mão, e levantando os braços em sinal de rendição, e então eu reconheci imediatamente quem era. 

- Jin! - exclamei, afastando a faca ao vê-lo se virar. Jin me abraçou, e eu não sei porque, talvez por conta da surpresa em achar outra pessoa viva de verdade por aqui. 

- Oh meu Deus! Achei que só tinha eu e Tae por aqui! - falou, se afastando rapidamente, enquanto seu rosto ficou levemente ruborizado. 

- Pensou errado, e pêra...Tae? - arqueei uma sombrancelha, e então ele me disse estar com o primo mais novo, e que o mesmo estava doente, por isso ele veio buscar remédios. Expliquei para ele sobre Yoongi e Hoseok, e disse que deveria ir buscar o garoto, mas que era melhor ir junto de algum de nós. 

- Obrigado - ele agradeceu, quando Hobi se ofereceu para ir com ele, mas estou ciente de que, é mais capaz do Hobi gritar ao ver um zumbi, do que ajudar. 

- Melhor eu ir - falei, e Hobi fez cara de bravo, que o deixou ainda mais estranho. - É capaz do Hobi sair gritando no meio da rua - falei, pegando o revólver e entregando nas mãos de Jin. Já tenho uma submetralhadora, então é melhor ter mais alguém atirando. 

- Mas...eu não sei como se atira... - disse, e então Suga riu, e eu apenas suspirei, compreensivo. Não é sempre que, você vai jogar uma arma nas mãos de alguém, e ela vai saber atirar, não é mesmo? 

- Então a princesinha prefere pegar no taco, em? - Suga sorriu malicioso, seguido pela gargalhada de Hobi. 

- Cla-claro que não! - disse e corou, virando o rosto e caminhando até a porta. Nós saímos, e fomos pela portinha que Jin disse ter entrado. A rua estava vazia, então fomos sossegados até a picape preta de Jin. 

- Tae... - chamou, dando uma batidinha no vidro, então o garoto destravou a porta trancada por dentro. O tal Taehyung me olhou se cima a baixo, sem falar nada. 

- Leve o carro mais para perto de onde estamos... - disse, então Jin entrou no lugar do motorista, e eu subi na parte de trás. Ele ligou o carro e dirigiu devagar para onde eu tinha pedido. Eu empunhei minha arma, vendo um asqueroso zumbi no meio da rua. 

- Click click! Bang bang! - falei, apertando o gatilho, e vendo a cabeça daquele ser desprezível se despedaçando em vários pedaços. Assim que entramos, eu dei um jeito na portinha, para que não fosse arrombada. 

- Jin-hyung... - finalmente Taehyung se pronunciou, assim que entramos onde estavam os outros. 

- Quem são eles? - perguntou. 

- Sou Jung Hoseok, mas pode me chamar de Hobi, ou até mesmo Hope. E esse é o Shiba! - disse Hoseok, tirando animação do cu, só pode, e apresentando também o cachorro. 

- Min Yoongi. Pode chamar de Suga, se quiser - Yoongi e sua animação super contagiante. 

- Kim Namjoon, mas pode me chamar apenas de Namjoon, Nam ou Joon - sorri amigável, e ele sorriu em retribuição, parecia estar lutando para se manter em pé. - Por que não se apresenta? - sugeri.

- Sou Kim Taehyung, mas podem me chamar de Tae, ou Taetae... - sorriu fraco, antes de desmaiar, sendo segurado pelos braços de Jin. Não sabia o que fazer, nunca estive em uma situação dessa. Jin chamava por Tae, mas o garoto nada dizia, e o moreno já estava em prantos. 



Oh, meu santo unicórnio! que nós fazemos agora?


Notas Finais


E então?
Bem, até o próximo.
Beijos do Tio >_<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...