História Wallflowers - Newtmas Fic - Capítulo 22


Escrita por: ~

Exibições 104
Palavras 2.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Saga, Suspense, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


W a l l F o l l o w e r s

Um chapter cute cute para vocês.
Já avisei em uma outra fic, mas vou avisar aqui tb: sexta-feira irei viajar e preciso relaxar, tipo, MTO MESMO, por isso estarei um pouco ausente do site, mas nada mto preocupante. Podem sentir saudades de mim, prometo voltar logo.

B o a L e i t u r a!
LadyNewt
Muah!

Capítulo 22 - Contagem Regressiva: 17 dias e uma sentença


Fanfic / Fanfiction Wallflowers - Newtmas Fic - Capítulo 22 - Contagem Regressiva: 17 dias e uma sentença

O martelo havia sido batido com força na grande mesa de madeira pelo juiz que presidia a audiência, anunciando o fim e o destino de Newt naquele dia.

A ex Sra. Sangster havia faltado na reunião sobre a guarda do filho, passando uma procuração ao advogado dela, cujo veredito era não liberar a guarda do garoto a família O'Brien, o que significava que naquela mesma tarde Newt teria que voltar para o inferno da sua casa na periferia da Nova Iorque.

- Eu sinto muito mesmo, Newt – Albo lamentava ao garoto, conduzindo o mesmo para casa – Thomas ficará arrasado.

- Tudo bem, Sr. O'Brien. Eu já imaginava que isso iria acontecer. Só não entendo o por que minha mãe negou o pedido, se ela me abandonou... – disse enxugando algumas lágrimas que caíam do seu rosto.

- Apesar de tudo Newt, ela ainda é sua mãe. Deve ser duro pra ela abrir mão de você, mas preciso que me prometa uma coisa – ele pediu ao menino, com o semblante sério – Preciso que me avise se seu pai maltratar você novamente, Newt. Você entendeu? É necessário tomarmos alguma providência antes que tudo isso acabe mal. Fui claro? – questionou.

- Sim senhor – a resposta saiu baixa e cheia de tristeza no ar.

- Vou pedir que venham entregar suas coisas de volta, ok? – falou ao estacionar o carro na porta da casa do loiro.

- Okay. Mais uma vez... Obrigado – deu um abraço forte no pai do seu amigo e saiu em direção aquela tortura que era pisar os pés naquele lar desestruturado e vazio.

Ao abrir a porta de casa, constatou que seu pai ainda não havia retornado da audiência e se sentiu aliviado por poder ficar trancado em seu quarto por algumas horas até o inferno começar. A sensação de voltar para casa era estranha e trazia somente lembranças tristes ao garoto. Gally também não estava em casa, o que era ótimo. Ultimamente não suportava nem ao menos olhar na cara do próprio irmão. Esparramou seu corpo na cama e resolveu mandar uma mensagem a Thomas.

NEWT

17:21 Tommy, precisamos conversar

Deu tudo errado hoje

Estou péssimo

 

Thomas retornou a mensagem segundos depois.

 

TOMMY

17:21 Então abre a porta da sua casa!

SURPRESAAAAA!

 

Newt correu para a sala feito um foguete e quando abriu a porta de casa, deu de cara com Thomas plantado sobre o tapete velho e encardido da varanda. Não pensou duas vezes: saltou em cima do moreno e o beijou com toda a sua força. As duas bocas estavam apressadas e sedentas uma pela outra. Naquela hora nenhum dos dois se importou com as consequências daquilo. Era como se no mundo não houvesse mais ninguém por perto. Apenas Newt e Tommy, duas bocas, duas línguas e muitos dedos percorrendo toda a extensão dos corpos dos dois.

Thomas empurrou Newt para dentro e bateu a porta com força, jogando o loiro no sofá. Subiu em cima dele e sentiu sua respiração ofegante, assim como o membro dele, que revelava exatamente como ambos estavam naquele instante: excitados.

- Desculpe cortar o clima Tommy, mas acho melhor a gente ir para o quarto. Meu pai daqui a pouco pode chegar...

- Você tem razão, loirinho. Vamos! – Thomas puxou Newt, conduzindo ele até o quarto, como se fosse íntimo de casa – Minha vontade é de saltar em cima de você e te beijar todinho – sussurrou no ouvido dele.

- Por que ficar só na vontade Tommy? – Newt provocou, puxando o cós da calça do moreno.

- Aqui é arriscado, eu sei, mas primeiro quero saber como você está? – falou sentando-se na cama.

- Eu estou bem. No fundo já sabia que isso iria acontecer. Como você ficou sabendo de tudo? Foi seu pai? Nem deu tempo dele chegar na sua casa e te contar tudo!!! – o loiro estava confuso.

- Hahahahaha. Não. Não foi papai. Foi a secretaria dele. Pedi para ela ir me passando as coordenadas de tudo. Na verdade eu confesso: eu ouvi toda a audiência. Ela me ligou antes de entrar na sala e deixou o celular ligado para eu poder ouvir tudo.

Newt arregalou os olhos e sorriu - Você é um perfeito stalker, Tommy! O que prometeu a ela em troca disso? Porque eu te conheço bem e sei que sabe barganhar! – disse fazendo um carinho no rosto dele.

- Uma vez copiei a agenda telefônica do celular do meu pai. Lá ele tem muitos contatos de pessoas famosas, que ela não tem acesso. Ela só queria o telefone do Brad Pitt. Eu dei, oras!

- Você deu o telefone do Brad Pitt a ela? – exclamou.

- O que? Por que essa cara de espanto? A Angelina Jolie nem vai desconfiar! Agora cala logo essa boca e vem aqui me beijar!

Newt fechou a matraca e obedeceu Thomas. Os dois deitaram na cama e passaram a se beijar lentamente, curtindo o raro momento de sossego entre os dois. Thomas manteve seu corpo febril por cima do garoto.

- Você sabe que eu te quero de novo, né? – Newt sussurrou enquanto Thomas alisava o peito do loiro. Ter Tommy para ele era o que mais queria no mundo.

- Quero ouvir isso direito – ele pediu fincando as unhas nas costas do garoto, provocando um gemido de prazer.

- Eu te quero, Tommy... – ele disse apalpando o volume da calça do mais velho.

- Onde me quer? – Thomas gemeu ao sentir Newt tocar com firmeza seu membro pulsante, libertando-o da boxer.

- Todinho em mim... – rosnou sexy ao morder o lóbulo direito de O'Brien, masturbando o garoto lentamente com suas mãos quentes e macias. Thomas pulsava, gemendo e beijando a clavícula de Sangster, pronto para abaixar a calça dele.

Foi quando um barulho de porta batendo os separou em milésimos de segundos, acabando com o oba, oba do casal – Puta merda! Acho que é meu pai. Se esconda, rápido! – Newt ordenou, levantando da cama e arrumando a roupa e os cabelos.

- E pra onde eu vou? Você não tem nem banheiro e nem armário aqui e aposto que debaixo da cama é o primeiro lugar que seu pai irá me procurar! – Thomas pareceu realmente preocupado. Se o pai do amigo o encontrasse ali, tinha noção de que a coisa ficaria séria para ambos os lados.

- Pelo amor de Deus Tommy, pula logo essa janela! – Newt pediu abrindo a mesma, enquanto Thomas saltava para fora – Vá pra casa. Eu te ligo assim que der, okay? – deu um rápido selinho no moreno - Não me olhe com essa cara de choro, Thomas!!!! Eu vou me cuidar, confie em mim! – Newt prometeu, fechando a janela na cara de Thomas e saiu correndo do quarto.

Encontrou o pai sentado na mesa da sala, ao lado de um fardo de cerveja.

- Pai, precisamos conversar... – Newt pediu se sentando ao lado dele, que limitou-se apenas a abrir mais uma latinha de cerveja gelada – Primeiro quero pedir desculpas por fazer o senhor passar por tudo aquilo hoje. Segundo, as coisas precisam mudar aqui em casa. Eu amo você, mas não posso mais tolerar que me machuque.

- Garoto, primeiro cale essa sua boca. E segundo, cale essa porra da sua MALDITA BOCA! – ele gritou a plenos pulmões, fazendo o pequeno se encolher com a potencia daquela voz – Desde quando você se acha no direito de me dar ordens, hein? – levantou, ameaçando um soco.

- Desculpe, essa não era minha intenção, só estou querendo conversar com o senhor e...

- Você é exatamente igual a ela! Quero conversar... blá, blá, blá... Vamos resolver as coisas... blá, blá, blá. Estou de saco cheio. Se ela se importasse com você teria ido nessa porra de palhaçada que armou hoje a tarde, ou teria dado a sua guarda para aquele bando de idiotas filhos de uma puta. Mas sabe qual é a verdade, Newt? Ela está cagando pra você! Sempre cagou! Se ela te amasse teria te livrado deste inferno que é a nossa vida! – disse batendo a mão com raiva na mesa, que trepidou com a força.

No mesmo instante Newt se afastou, procurando levantar da mesa e acabar com aquela discussão inútil.

- Onde você pensa que vai? Não acabamos aqui SEU BOSTA! – seu pai gritou, com as veias da testa saltadas e prontas para explodir.

- Acabamos sim, pai. Não vou discutir com o senhor bêbado – virou as costas e seguiu para seu quarto, certo de que finalmente tinha enfrentado ele pela primeira vez com sucesso.

Antes que pudesse fechar a porta, o Sr. Sangster já havia esmurrado a mesma, fazendo Newt voar em direção a cama com a força do impacto.

- Olha só o que encontrei aqui! – disse pegando o celular do garoto, que ele havia esquecido sem querer em cima da cama. Newt não queria que ninguém soubesse que agora tinha um.

- Me devolve isso, por favor – pediu até com educação demais e com a voz levemente trêmula.

- Onde conseguiu isso, garoto? Pelo que sei o ladrãozinho da família aqui é seu irmão e não esse bocó que é você! – desdenhou.

- Eu ganhei. Nunca roubaria nada. Você me conhece! – protestou.

- Ganhou de quem? Do papaizinho bastardo ou do seu amigo gay? - Newt permaneceu caldo. Ele não fazia ideia que o pai sabia quem era Thomas - Qual é Newt? Acha que eu não sei que o filho daquele imbecil de hoje no tribunal é gay? Eu já vi ele rondando a nossa casa. Só um aviso a vocês dois: se eu pegar esse filho de uma puta aqui, transformando você numa bicha como ele eu corto o pau dos dois! Estamos entendidos?

O garoto perdeu a fala. Como o pai sabia de tudo aquilo? Não era possível. Ele sempre estava bêbado ou trabalhando quando Thomas aparecia por lá escondido. Será que Gally havia dito alguma coisa ao pai?

- Sim senhor. Eu entendi, pai. Pode ficar tranquilo. Não vou chegar perto dele – foi a mentira mais deslava de sua vida. Só queria se livrar do velho o mais rápido possível e evitar ganhar algumas porradas na cara.

O Sr. Sangster jogou o celular de volta na cama e bateu a porta do quarto com raiva. Newt espiou pela fresta debaixo da porta e esperou o pai entrar na sala. No mesmo instante catou o telefone e mandou uma mensagem para Thomas: 18:11 Tudo bem por aqui. Não se preocupe.

 

THOMAS

18:11 Estou preso no transito.

Quer que eu volte ai pra te pegar?

Prometo te devolver antes da meia noite Cinderela.

 

NEWT

18:11 Acho melhor não

Meu pai sabe sobre a gente

Disse que está de olho e que vai cortar seu pau fora!

 

THOMAS

18:14 O QUE?

COMO ASSIM?

PUTA MERDA!

MEU PAU NÃÃÃÃOOOOOOO! rs

 

NEWT

18:14 Puta merda mesmo!

Mas eu acho que despistei ele

Pensei em algo e acho que pode dar certo pra nós dois!

 

THOMAS

18:14 O que?

 

NEWT

18:15 Você precisa prometer que não vai ficar bravo!

 

THOMAS

18:15 Quando você fala assim sei que vem merda pela frente.

MANDA KCT! O QUE O SR. INTELIGÊNCIA PENSOU? rs

 

NEWT

18:16 Pensei em pedir para a Sonya vir aqui

Para disfarçar tudo com meu pai

Meio que despistá-lo

Sei que pode parecer loucura e que você no fundo tem ciúmes dela, mas pode dar certo...

 

THOMAS

18:20 PERA AÍ!

VOCÊ ESTÁ ME DIZENDO QUE A IDEIA É PEDIR QUE A SONYA SEJA SUA NAMORADA DE FACHADA PARA SEU PAI NÃO FICAR DE MARCAÇÃO SERRADA NA GENTE?

EU. TE. ODEIO. POR. ISSO!

 

NEWT

18:20 Qual é Tommy?!?!

É só de faixada!

Só até a poeira abaixar...

 

THOMAS

18:21 PUTA MERDA!

OK! Vou ligar para ela e ver o que rola.

Me dê alguns minutos...

18:57 MEU DEUS! Essa menina fala pra KCT hein!

Ela topou, ÓBVIO! ESPERTA DO CARALHO! Disse quem em 15 minutos estará aí na sua porta!!!!

 

NEWT

18:57 Pra que? – Newt sentiu sua barriga gelar com a notícia.

 

THOMAS

18:57 E eu lá sei! É s Sonic, porra!

Ela é louca! Deve estar tramando alguma coisa...

Se ela relar os dedos em você eu mato os dois.

 

NEWT

18:57 ...........

 

THOMAS

18:58 É brincadeira Newt!

Só estou com ciúmes

 

NEWT

18:59 Não precisa ficar Tommy!

Você sabe que gosto de você

Na verdade acho que te amo...

 

THOMAS

18:59 Você acha ou tem certeza, loirinho?

PORQUE EU TENHO CERTEZA QUE TE AMO!

 

NEWT

19:00 REPITA!

 

THOMAS

19:00 EU TE AMO

 

NEWT

19:00 MAIS UMA VEZ!

 

THOMAS

19:00 EU TE AMO PORRA!

 

NEWT

19:01 Eu também te AMO Tommy... 

 

Newt nunca falou algo tão sério em toda sua vida!


Notas Finais


Aiiinnn, que finalzinho lindo esse! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...