História War of harmones - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 473
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Fluffy, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nada a declarar gal...Obg por estar aqe <3

Capítulo 1 - ...


Fanfic / Fanfiction War of harmones - Capítulo 1 - ...

S/N on
Mais um dia de aula normal, acordei com meu despertador avisando que ainda era terça-feira. Me sentei na cama e fiquei encarando um ponto fixo do quarto por alguns segundos até acordar totalmente. 

"Voltei" para o planeta terra e desliguei o maldito despertador e fui andando lentamente até o banheiro sem acordar a Sen Hun, minha colega de quarto, fechei a porta sem fazer muito barulho é me olhei o espelho retangular que tínhamos no banheiro acima da pia.

-Bom dia S/N você está tão...-apontei para mim mesma no meu reflexo do espelho-Ma.ra.vi.lho.sa- falei pausadamente, me virei e fui tirar meu pijama e tomar um banho para a minha longa e emocionante terça-feira.
[...]
Peguei meu uniforme ridículo de sempre, uma saia xadrez preta e amarela, uma blusa social branca de mangas compridas com alguns botões pretos e a logo da escola, uma gravata da mesma estampa da saia, uma meia preta que vai até um pouco a cima dos joelhos, e um vans preto e o cabelo solto já que não podemos prender a não ser nas aulas específicas.

Sen Hun deu um pulo da cama com o barulho da porta ao me ver saindo do banheiro, me olhou e percebeu que eu já estava com o uniforme e arregalou os olhos 
-S/N que horas são?- dei uma risada anasalada e respondi 
-Sete e onze Sen Hun
Ela me olhou com uma cara de preocupada e saiu correndo pro banheiro provavelmente indo tomar o seu banho e se arrumar também. 

Eu peguei minha bolsa e algumas apostilas e fui caminhando para o refeitório tomar meu café, passar nos corredores a essa hora é irritante um monte de gente saindo e entrando de seus dormitórios fora os barulhos em desespero por horário ou por não terem estudado. Entrei na escola esse ano faz mais ou menos dois meses que estudo nesse colégio interno, tem seus lados bons e ruins como qualquer outra escola, colégio interno não é tão ruim assim.
[...] 
Entrei no refeitório e o barulho de pessoas conversando e o soar do sons de garfos batendo nos pratos invadiu meus ouvidos, o cheiro infelizmente não me cativava tanto como eu gostaria que cativasse. Me direcionei ao grande quadro negro que havia na parede do lado direito da porta, nele havia o cardápio do dia inteiro, café da manhã, almoço, e jantar. O café da manhã de hoje seriam panquecas integrais de queijo com carne de pato e café ou leite com algumas opções a mais para acrescentar.

Peguei uma das bandejas alaranjadas, coloquei um prato, garfo e faca, e um copo grande. Entrei na fila de estudantes que também estavam presentes para o café que felizmente não estava tão grande como geralmente, não teria que comer panquecas frias pelo menos.

Logo escuto um barulho enorme vindo da porta principal do refeitório que direcionou não só o meu olhar como o de todos presentes no refeitório, era nada mais nada menos do que Sen Hun toda descabelada com gravata e blusa mal postas, ela percebeu que tinha causado sorriu sem jeito e abaixou a cabeça. Dei uma risadinha com o estado que ela estava, ela se direcionou ao local das bandejas e deu uma rápida olhada no cardápio e veio caminhando até mim. 
-Bom dia Sen Hun- eu disse amigável ela apenas me olhou- Nossa que mau humor- ela sorriu de volta e eu sorri também, logo as pessoas do refeitório voltaram a fazer oq estava fazendo se "desligando" de Sen Hun vendo que não era nada interessante para fofocarem por aí
-Vem aqui- chamei ela e a mesma aproximou-se- Deixe eu lhe ajudar- arrumei a grava e alguns botões da blusa de Sen Hun que estava todos embaralhados e mal postos devido à pressa dela 
-Obrigada S/N- eu retribui com um sorriso a mesma 
[...]
Peguei um café com leite e acrescentei canela, duas panquecas e fui me sentar mas logo me dei conta do porque da fila não estar cheia como o de costume, era porque todos já estavam sentados, não demorou muito e Sen Hun logo se juntou a mim. Ambas estávamos em pé procurando pelo longo extenso refeitório alguma mesa vaga, mas como somos muito sortudas, sem sucesso algum. 
[...]
Esperamos mais alguns poucos minutos e finalmente uma mesa vaga, mas as minhas expectativas de comer panqueca quente se foram, um grupo de sete garotos vagaram uma mesa perto das grandes janelas de vidro que iluminavam o salão, não pensei duas vezes e puxei Sen Hun junto a mim já que ela ainda estava distraída a procura de uma mesa. Demos passos largos e rápidos para ninguém pegar a mesa antes de nós.

Ao longo do médio trecho até a mesa Sen Hun se soltou de mim, me virei para ver oq tinha ocorrido para o ato repentino dela. Um garoto alto de cabelos platinados esbarrou em Sen Hun e ela acabou se desequilibrando e caindo no chão e derrubando seu café e inclusive nela mesma. 
-Tapada, não se enxerga não?- ele diz seco e em um tom alto direcionando alguns olhares pelo refeitório 
-Eu-eu sinto muito Namjoon- ela se põe de joelhos e começa a limpar e recolher oq havia caído 
-Sua ridícula, derrubou toda essa gororoba nojenta em nossos sapatos, eles custam mais caro que o seu rim- um garoto de dentes largos disse encarando os pés com uma cara de nojo e desgosto 

Ela não se mexia e não respondia a nenhum dos comentários maldosos, eu me movimentei coloquei minha bandeja em cima do nosso lugar garantindo que eu me sentaria ali e ele continuaria ali mesmo depois de tudo, e quando me virei os sete me olhavam como se eu fosse um E.T bizarro. Abaixei meu olhar para Sen Hun que ainda estava no chão com um olhar assustado, caminhei até ela me desviando de qualquer toque físico com eles e estendi minha mão para Sen Hun, a mesma não pensou duas vezes e pegou minha mão eu a puxei e dei uma leve olhada para trás e eles continuavam me encarando da mesma forma.
 
Levei Sen Hun até a mesa e voltei para pegar outro café da manhã e avisar a alguém para que limpem a bagunça, eles ainda estavam lá me encarando na mesma posição. Peguei a bandeja de Sen Hun que ainda estava no chão entre eles, senti meu pulso ser agarrado com certa brutalidade e no mesmo instante um garoto de cabelos verdes se encontrava em minha frente com um olhar de tédio.
-De onde você é garota?- perguntou indiferente eu me soltei de sua mão gélida e dei as costas os deixando sem respostas indo em direção aos balcões pegar o café da manhã de Sen Hun e entregar a bandeja suja.


Notas Finais


Obg por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...