História War of Hormone - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Escolar, Jikook, Kookmin, Kpop, Shortfic, Skool Luv Affair
Visualizações 237
Palavras 4.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Esporte, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal!
MAIS UM PROJETO UHUUUU

Eu sei que a maioria das leitoras estão enjoadas de conceito escolar com o Bangtan por motivos óbvios, mas esse ambiente é MEU VÍCIO!
Nele eu quis envolver temas que são muitos importantes para nós, jovens. Conscientização de diversos assuntos que nos deixam doidos na guerra dos hormônios com 18 anos HAHAHAHA
Entendam que tudo aqui é em caráter ficcional e, claro, estudei a ambientação social da Coreia antes de colocar isso tudo aqui, então, É FICÇÃO GENTE - mas os assuntos são recorrentes na comunidade sul Coreana.

Enfim, espero MESMO que gostem, por fim, BOA LEITURA 💞

Capítulo 1 - Capítulo 01


O ano letivo só estava começando e novamente estava acontecendo uma briga daquelas no pátio do colégio. Os novos alunos do 3ª ano do Colegial dali viviam em embate por anos e anos. A cada vez que os alunos chegavam nessa etapa era como uma ficha de facções explodindo. O diretor da escola foi alertado pela inspetora do colégio sobre o ocorrido e lá foi ele, novamente, correr atrás da confusão. Pelo que tinha ouvido falar estavam envolvidos do 3ª ano A e B. Se perguntava quando aquele inferno acabaria, pois ser diretor de uma escola pública nunca era tarefa facil!

Chegando ao pátio onde observou o amontoado de meninas e meninos gritando, rindo e agitando mais ainda aquela possível briga, o diretor gritava abrindo caminho entre os alunos afim de saber quem estava envolvido – mesmo tendo uma pequena noção de quem. Lá estavam os dois encrenqueiros, um deles era um rapaz aleatório da turma contrária ao do outro que estava acima de si, desferindo tapas em sua face e cuspes, como se estivesse a fazer aquilo pelo prazer de humilha-lo.

- Os dois! Chega dessa confusão, agora! – A voz grossa e imponente do diretor daquela escola soou, fazendo todos que agitavam aquele embate se dispersassem aos poucos. – Jimin e o outro. Na minha sala. – Murmurou irritado, vendo os colegas do moreno que estava acima do outro que só sofria nas mãos dele ser puxado pelos colegas. Enquanto limpava seu uniforme, pigarreou uma última vez no colega da sala oposta a sua do corredor, sorrindo de canto.

Park Jimin era a própria reencarnação do demônio, se assim poderia denomina-lo. Extremamente briguento, impulsivo e quase um líder nato de sua turma, isso desde o 1ª ano naquela escola. Ele seguia a risca o famoso badboy do qual ninguém era capaz de controlar e isso chamava a atenção de forma positiva e negativa. Positiva pela sua pro atividade em proteger os interesses de seus colegas de classe e também pela beleza que era inegável. Continuava sendo um cão de briga, sempre estava envolvido nas confusões do colégio com outros colegas, funcionários e pais – considere esses pontos os negativos dele.

Enquanto se dirigia ao corredor da direção, buscava seu cigarro no bolso e percebeu que no meio de todo o alvoroço deixara ele cair. Praguejou baixo, chamando a atenção do menino que enfrentou mais cedo, indo juntamente a sala do diretor.

- Você deve ter um parafuso a menos. É um idiota. – O cara riu sarcástico, fazendo Jimin o fita-lo nem um pouco receptivo.

- A única coisa que terá a menos aí na sua cara são seus dentes, caso não cale essa boca imunda. – O moreno respondeu grosseiramente andando mais rápido pra acabar com aquele sofrimento desnecessário.

Chegando na sala limpa e organizada, sentiu-se ao lado daquele que não suportava nem olhado rostos e suspirou. O diretor parecia furioso, ficando a frente dos dois jovens com uma feição de poucos amigos. O silêncio reinava por alguns minutos, Jimin começava a se sentir nervoso e com isso movia o pé no chão com certo tremor, vez ou outra olhando para a diretor que ainda estava ali, com a boca cerrada e olhos atentos.

- O senhor não vai dizer o que tem que dizer? – Jimin iniciou o diálogo impaciente, bufando. – Só diga se serei colocado em suspensão ou advertência. Seguimos o jogo.

- Sobre seu colega. Receberá três dias de suspensão. E será proibido de participar dos jogos interescolar está do qual sei que participa no vôlei. – Logo o homem mais velho se pronunciou com a atenção ao menino ao lado do moreno, que contorceu o rosto em irritação.

- A culpa é desse idiota! Eu não fiz nada, diretor!

- Imagina! Ficar flertando com macho na minha frente é nada, seu otário? – Sim, Jimin é homofóbico. Não gostava da ideia de ver dois homens ou duas mulheres e beijando e, enfim, sendo um casal. Era algo que lhe embrulhava o estômago e quando viu aquele cara supostamente “flertando” com um menino de sua turma, caiu na porrada com ele.

O diretor suspirou pesadamente. Apesar da Coreia do Sul ser um país muito conservador e preconceituoso, o homem que administrava aquele colégio estudou fora durante muitos anos, ou seja, seus preceitos de identidade sexual ou orientação não lhe interessavam, só não tinha que achar nada. A vida era de cada um e respeitaria esse espaço.

- Park Jimin. Por mais que você não goste do que vê, não tem o direito de se meter no assunto que não lhe diz respeito. – O mais velho interveio antes que o encrenqueiro começasse uma nova briga.

Jimin se afundou na cadeira, cruzando os braços e abaixou o olhar, frustrado. Raramente se calava, mas no fundo sabia que era errado julgar alguém por quem ama, sendo homem ou mulher. Mas isso ainda era algo muito pouco visto por Jimin e ele não aceitaria aquela ideia tão facilmente. O diretor se perguntou porque o moreno não gostava de relações com o mesmo sexo perto de si, e anotou mentalmente de verificar isso posteriormente.

- Você é realmente um babaca, Jimin. Você me paga! – O menino que fora suspenso ameaçou o outro que nem ouvira o que disse, saindo da sala com pisadas duras.

- Jimin. Me confesse uma coisa... Por que tanto ódio por homossexuais? Não é a primeira vez que fala isso...

- Creio que isso não lhe diz respeito, velhote. Agora qual minha punição. – Jimin parecia irredutível e muito arisco, fazendo o diretor respirar fundo.

- Eu ainda não sei. Você anda tendo um comportamento nada aprovado desde que entrou aqui. Além disso, você só fortalece essa rixa sem sentido entre as turmas. Devo refletir e lhe direi possivelmente hoje, ao fim das aulas. Agora pode sair e sem mais brigas. Caso exista, será expulso, de novo. – O homem falou severamente, recebendo em troca um sorriso de desdenho do mais novo e logo saiu da sala.

Jimin resmungou consigo mesmo se era tão errado assim não gostar de saliência do seu lado. Ele mesmo não fazia isso na cara de todo com as meninas. Não parecia ter sentido, mas logo desanuviou esse pensamento e seguiu para sua classe. O caminho até lá foi tranquilo, cantarolando enquanto chegava no corredor cheio de armários de alunos e chegando a porta da classe, foi recebido por alguns olhares temerosos e outros orgulhosos. Apesar de ser respeitados dividia opiniões, mas nada que uma ameaça não resolvesse aquela situação.

- Yah, Jimin. – Logo ouviu a voz de seu amigo, Jung Hoseok o chamando temeroso. Sabiam que provavelmente o moreno estaria mau humorado, mas eles eram melhores amigos e somente ele e Yoongi tinham liberdade para enfrentar seus ataques de fúria.

- Fala.

- Qual foi a punição desta vez, hn? – O outro continuou, inclinando para frente e sussurrar ao pé do ouvido de Jimin. A aula estava ocorrendo sem maiores dificuldades e não seriam ouvidos já que estavam ao fundo da sala.

- Ele não disse. – Jimin deu de ombros, tentando ficar na aula.

- Mas... Será que você vai ser expulso?

- Tsc. – O mais baixo fez um som desgostoso com a língua, virando para fitar os orbes redondos e amendoados do amigo próximo a si. – Não quero sofrer com antecedência, mas sei que não fiz nada de errado.

- Na verdade você fez. – Logo outra voz ao lado, mais grossa e profunda que soou em uma resposta ácida, captando o olhar de Jimin a Yoongi, que desenhava coisas aleatórias em seu caderno, sem prestar atenção na aula de Álgebra a frente.

- Pode me dizer exatamente o que? – O menor perguntou um tanto irritado ao amigo, que rolou os olhos até si, encarando-o.

- Você bateu em um cara porque ele estava conversando com um colega nosso da sala, que aliás, está se borrando ali do outro lado da classe. – Yoongi respondeu simplista, sinalizando com a cabeça onde se encontrava o tal menino.

- Ele nos traiu. Depois irei ter uma conversa com ele.

- Não tem o que ser dito. Se ele é gay ou não, problema o dele.

Jimin torceu seus lábios em um bico insatisfeito, voltando a fitar o então menino que se encontrava do outro lado da sala. Jungkook. Ele não era o tipo de garoto que conversava e tudo, mas logo um dos meninos da sala ao lado veio falar com ele e Jimin sentiu-se enfrentado até então.

O rosto do menino parecia aflito e pálido, ainda pelo choque dos acontecimentos anteriores...

 

 

 

 

(Flashback ON)

 

 

Logo o portão principal do colégio fecharia e Jimin ainda nem entrara na rua que dava acesso a ele, respirando profundamente. Ali, na periferia de Busan nada parecia funcionar direito, nem mesmo sua bicicleta antiga. Na metade do caminho teve o desprazer da roda dianteira ter sido furada por um caco de vidro na ciclo faixa e praguejou praticamente o resto do percurso. Enquanto apertava o passo, via alguns colegas e novatos vestindo o uniforme de onde estudava, agora ele era o principal veterano e finalmente o respeitariam, inclusive a turma contrária a sua, Turma A. Lá só permaneciam os que tinham as melhores notas e isso inferiorizava de certa forma a sua própria turma, B. Detestava esse sistema de divisão do colégio e, naturalmente, criou-se uma rixa que não vem da geração dele – talvez de tantas atrás que nem tivesse ainda nascido quando surgiu.

Enquanto devaneava as supostas intrigas escolares, parou de andar quando seu celular vibrou em seu bolso e, antes de poder ver a notificação foi empurrado pelas costas fazendo o aparelho quase cair, se instintivamente não tivesse se jogado no chão para protegê-lo – pois ele trabalhou todos os dias de suas férias para comprá-lo.

- Caralho! Toma cuidado, babaca! – Jimin esbravejou enquanto sentia os cotovelos arderem e sentiu-se envergonhado por ter caído numa posição desconfortável – de quatro – e corou automaticamente, levantando-se num pulo. Girou o corpo afim de poder encarar a bendita pessoa que o empurrou, mas logo reconheceu o rosto baixo e pose indefesa. – Tinha que ser você, Jungkook.

A voz de Jimin era completamente conhecida pelo jovem à sua frente, que encolheu os ombros por medo. Eles eram da mesma classe e poucas vezes Jimin encarou seu rosto – apesar de que agora estava alguns centímetros mais alto que o derrubado. Ele era um menino quieto, tímido e muito – muito – desastrado. Tudo a sua volta parecia quebrar e ninguém parecia ter coragem de se aproximar para saber exatamente como era. Jimin estava incluso nesse grupo não tão seleto da turma.

- Yah, não vai olhar para seu Hyung e pedir desculpas?! – Jimin resmungou maldosamente, dando um leve empurrão no ombro do moreno a sua frente. Logo o rosto acanhado e corado de Jungkook se levantou, deixando com que o mais baixo ficasse alguns segundos sem um raciocínio normal.

“Desde quando Jungkook está tão... Másculo?”, se perguntou engolindo a seco. Ele não só estava mais alto, mas também seu rosto estava mais definidos com o maxilar demarcados maçãs do rosto menores destacando sua masculinidade e olhos amendoados e redondos, com uma intimidação somente sua. Os fios naturais de um castanho bem intenso destacavam sua pele alva e sem nem ao menos vislumbrar acne por conta dos hormônios. Estava realmente um menino para um homem.

- Me perdoe, Hyung. Prometo não oportunarei a você mais. – O jovem de poucos meses de diferença de Jimin curvou-se envergonhado algumas vezes.

- Ok, ok. Agora suma da minha vista. – Jimin relinchou as palavras ásperas, vendo o menino sorrir levemente e sair correndo para o portão do colégio já mais próximo. Pigarreou consigo mesmo ao lembrar dos lábios em formato de coração de Jungkook se entortar num sorriso meigo e amaldiçoou seus pensamentos nada héteros.

Voltou a correr quando viu o inspetor pronto para fechar o portão do colégio, arfando exasperado quando já se encontrava dentro do pátio com o amontoado de jovens se reencontrando ou simplesmente se conhecendo. Sabia-se já que a regra era através da separação das turmas. Quando ainda no primeiro ano, a coordenação levava em consideração o histórico do colégio de ensino fundamental e enquanto passava os anos, podia mudar de turma àqueles que melhorassem seu desempenho. Jimin achava aquilo um sistema muito falido e que só dividia mais ainda o colégio por classe econômica já que ele era um pobre fodido que dependia da mãe solteira e nada mais.

Viu Hoseok e Yoongi conversando com algumas meninas do primeiro ano justamente pelo sorriso inocente delas é maldoso por parte deles. Jimin rolou os olhos, indo até estes.

- Vocês não perdem tempo. – O mais baixo do grupo logo sussurrou, assustando Hoseok que colocou a mão sobre o coração.

- Você como sempre surge das trevas. Não viu nossa mensagem? – Yoongi virou para fitar o amigo com um rosto sem vida ou expressão que ele mantinha.

- Mensagem? – Jimin pensou por alguns segundos até lembrar que havia recebido tal mensagem, mas não pode ver pelo incidente com Jungkook. Deixaria isso em off. – Não vi, foi mal. Já viram qual turma estamos? – Continuou, ignorando as meninas a sua volta que o fitava com curiosidade, obviamente pela beleza estonteante que sempre teve. Dono de cabelos castanho, estatura baixa, mas charmosa, olhos rasgados e levemente caídos com suas bochechas protuberantes e lábios igualmente cheios e rosados. Era muito visto pelo carisma que exalava e por isso comandava sua turma desde o primeiro dia e defendia seus interesses.

- Adivinha? – Hoseok murmurou já não tão sorridente como antes, começando o trio a caminhar pelo pátio e deixando sem satisfação as garotas que antes flertavam.

- Pelo menos estamos juntos ainda! – Jimin só pôde sorrir largo, contentando-se com suas notas medianas e esforço humano, diferente dos alunos da Turma A.

Enquanto caminhavam, Jimin teve sua atenção atraída ao canto do pátio onde os rechaçados das turmas ficavam e - quase sempre – Jungkook permanecia. Aquela súbita curiosidade de saber onde ele estaria era um sentimento realmente desconhecido a Jimin, mas aquele menino o enfrentou e ainda o empurrou no meio da rua, deixando-o numa situação desconfortável. Logo eles captaram novamente aquele sorriso, com os dentes sobressalentes do mais novo que esticava seus lábios num belo e largo sorriso. Provavelmente não o vira sorrir daquela forma desde que o conhecia, é aquela sensação quente e insistente voltava a seu coração, mas logo se esvaiu quando observou ao lado dele um outro rapaz, da turma A. Eles pareciam entretidos num assunto muito interessante e até percebeu que o aluno da sala “inimiga” segurou uma das mãos de Jungkook, que escondeu o sorriso timidamente.

“Mas que porra...? Ele é... Gay?”, Jimin não conseguia chegar a outra conclusão quando os viram tão íntimos e logo seu estômago se embrulhou. Ele tinha certa aversão a casais homossexuais, não seria pra tanto se seu próprio pai tivesse largado sua mãe para cria-lo afim de amar um outro homem! Seu sangue ferver de forma instantânea, já andando a passos pesados até os dois.

- Jimin? Jimin! – Ouviu se distanciando a voz de Hoseok, confuso. Mas logo descobririam o que ele faria.

O moreno impulsivo como sempre logo viu os orbes de Jungkook cruzarem os seus e o sorriso sumir. Com sua pequena e forte mão puxou o menino com que o mais novo conversava. Logo o tal cara o olhou confuso, empurrando sua mão para longe de si - ato que só parecia enfurecer mais Jimin.

- Qual é a sua? – O menino bem mais alto que Jimin o encarou, logo peitando-o de forma provocadora. Parecia ser do tipo que briga, mas ele se esqueceu que Jimin era mais. Sua fama era essa e faria ela prevalecer.

- Não deveria estar com aquele bando de gays da sua sala? – Jimin grunhiu em um segredo que era dividido entre ele e o outro , que o semblante se contorceu em irritação.

- Te incomoda que eu converse com o Jungkookie? – A voz do rapaz parecia zombar daquela atitude nada normal do mais baixo, deixando que seu rosto corasse rapidamente. Ele não foi enfrentar aquele menino por Jungkook, e sim porque estava enojado com o ato entre os dois. E a intimidade tratada pelo mais novo era irritante a Jimin.

- Vai se juntar a sua turma de maricas. – Jimin continuou a provoca-lo, dando um meio sorriso. - Ou você acha que vale de algo estar com esse menino da minha sala? Ele não te merece, na verdade, ninguém merece um saco de merda que gosta de dar o cu aos colegas de sala.

- O quê...?! – O menino dessa vez parecia mais preparado para esmurrar Jimin do que nunca.

- Parem os dois! Você quer me envergonhar, Park Jimin?! Ele é só um amigo! – Jungkook interveio colocando-se entre os dois e fitou o mais baixo de forma raivosa, o surpreendendo. Nunca viu Jungkook com aquele olhar e isso só o deixava mais belo para Jimin. Este tratou de tirar tal pensamento da cabeça e sorriu largo, fazendo o menor corar.

- Meu problema com você resolvo depois, Jeon Jungkook. – Jimin resmungou o empurrando e voltou a encarar o outro cara que ainda estava disposto a terminar aquela briga que já estava chamando a atenção de todos e formando uma roda entre os três homens.

- Respeite pelo menos seu colega, retardado. – O menino rosnou, fechando os punhos.

- Me obrigue. – Jimin sussurrou suavemente a afronta, sorrindo de canto.

 

 

 

(Flashback OFF)

 

 

- Aish. – Jimin resmungou ao olhar aqueles cálculos que até então pareciam grego em sua visão. Ele literalmente iria reprovar em Álgebra e não sabia como sair dessa. Enquanto seus amigos até iam bem, vez ou outra usando os dedos ou a calculadora para chegar ao resultado da conta ali colocada no exercício. Novamente sua atenção voltou a Jungkook do outro lado da sala, este olhava para a janela ao seu lado, reflexivo.

“Ele me incomoda. Só de olha-lo, tenho vontade de esmurrar sua carinha metida”, o mais baixo mergulhou o rosto entre os braços, remoendo o ocorrido de mais cedo ainda e, claro, pensando porque agiu tão impulsivamente.

Logo o sinal tocava e agradecia a todos os deuses por isso, quase estava se matando enfiando o lápis no coração. Enquanto ajeitava sua mochila, conversava animadamente com Hoseok e Yoongi e sentiu a presença de alguém atrás de si.

- Jimin. – Hoseok murmurou, apontando para que ele olhasse. Era o Diretor, que queria conversar consigo.

- Olá, Diretor. – Yoongi o cumprimentou recebendo um aceno. – Vamos indo, Hoseok. Te esperamos na frente do colégio, Jimin. – E logo os dois rapazes saiam na frente, já esperando que o Diretor quisesse falar com Jimin.

- O que quer? – O mais baixo perguntou calmamente, citando o rosto do mais velho. Ele parecia tranquilo.

- Bem, tomei minha decisão sobre o que devo fazer contigo sobre o incidente de mais cedo. – A voz falhada do homem soou e Jimin engoliu a seco. Ele parecia estar encrencado.

- E então?

- Eu lhe darei mais uma chance. Primeiro para que você se redima com seus colegas da turma do lado, já que vocês têm esse... Rixa. E segundo pelo ato muito preconceituoso que teve com seu próprio colega de classe.

- Me desculpe, mas eu não fui preconceituoso.

- Não é o que dizem nos corredores. Você provocou o aluno da Turma A o chamando de “gay” e “marica” e... Enfim. – O Diretor parecia muito compreensivo, mas Jimin não fora preconceituoso em sua cabeça fechada e assustada. Ele respirou fundo, voltando a fechar a mochila.

- O senhor acredita demais nas paredes. Mas o que devo fazer então? Serei expulso?

- Não. Primeiro você irá participar de um projeto social do colégio e segundo, temos um campeonato interescolar chegando e nosso time de Vôlei está desfalcado, precisamos ao menos de um reserva para participar. Será bom ao colégio e a você. – Jimin gelou. Ele odiava esportes e pior, todos os alunos podiam participar de times de esportes do colégio.

- O quê?! Mas eu não sei jogar nada! É muito menos vôlei!

- Você não irá jogar, só se metade dos reservas de machucarem gravemente. Mas ali você precisará treinar com os demais. É um bom exercício de sociabilidade. – O Diretor sorriu determinado, mas a carranca do mais baixo só aumentava.

- E sobre esse projeto, do que se trata?

- Como esse colégio é do governo, os alunos precisam participar de alguns projetos que auxiliam algumas minorias.

- Tipo...?

- Um grupo de jovens que foram expulsos de casa e da vida social deles por serem homossexuais. É muito interessante e acho que você repensará melhor suas atitudes. – Novamente Jimin fora pego de surpresa. Ele não contava com um projeto desse tipo e seu sangue ferveu na hora.

- Eu não sou obrigado a participar disso! – Esbravejou, deixando sua voz fina ecoar quase que pelo corredor.

- Precisa sim, caso não queira ser expulso pela segunda vez de um colégio, Jimin. Não iremos discutir isso, já está decidido. Você participará e caso não vá, não irei indica-lo a outro colégio. Combinados? – O diretor o respondeu a altura, cruzando os braços por fim.

Aquilo parecia uma loucura! Jimin só tinha sua opinião e todos pareciam contra ela! Ele não odiava homossexuais, ele só perdeu o pai para isso! Sua mente rodava e a ideia de ser expulso era péssimo, já que sua mãe estava sozinho consigo. Precisava respirar fundo e ser inteligente.

- Ok. – Respondeu seco, deixando o Diretor sorrir de canto.

- Amanhã passe na minha sala antes do primeiro turno. Pegará as informações de tudo. Até mais. – Logo o mais velho se despediu do baixinho e deixou-o sozinho na sala, sem saber o que pensar.

“No que fui me meter...”, só isso que conseguiu projetar na cabeça.

 

 

 

 

***

 

 

 

Depois de ter contado tudo aos dois amigos, estes tiraram sarro de si. E sentia-se injustiçado e mau visto agora. Estava com a fama de briguento e homofóbico. Respirou fundo e entendeu que aquilo não o afetaria mais, simplesmente faria logo aquelas tarefas pelo tempo determinado e se veria livre do Diretor, Jungkook e o inferno.

Chegando em casa viu sua janta pronta e um bilhete de sua mãe.

“Mamãe foi trabalhar noturno hoje, para ganhar um extra. Se comporte! Te amo”.

Assim que terminou de ler o pequeno papel, sorriu largo. Sua mãe era como sua luz no fim do túnel. Muitas vezes sentiu falta da figura paterna e perdido, mas ela sempre estava lá para si, mas ainda assim fazia merda sem tamanho por conta de sua explosiva personalidade.

Jantou tranquilamente e pensou se havia alguma tarefa e tratou de fazê-la, mesmo tendo desistido alguns minutos depois. Tomou seu banho e logo deitou em sua cama. Não era nem ao menos 22hrs e estava morto. Aquele dia tinha sido intenso, com muitos acontecimentos.

“Devo estar preparado para tudo, cauteloso. Só falta um ano para acabar, Jimin”, pensou consigo, suspirando.

Logo seus olhos iam fechando e pesando, adentrando no mundo de seus sonhos. As vezes vinha a imagem do pai, outras da mãe chorando e pedindo que seu marido não a deixasse por outro homem e quando Jimin parecia assustado demais, outra figura surgia e seu coração se esquentava. Jungkook, com aquele sorriso que mostrava seus dentes fofos e olhos fechando-se de forma adorável, cabelos voando sobre o vento e toda aquela coisa mágica no ambiente. Ele era tão bonito que poderia ser considerado uma pintura. Foi assim que Jimin o imaginou depois, com o semblante sério, numa pintura a óleo pendurada na parede. Ele a olhava com esmero e sentia-se estranho por pensar nele daquela forma tão estranha. Logo voltando a atenção no quadro, viu aquele olhos gentis se borrarem num líquido viscoso e vermelho escarlate, deslizando pelo rosto do menino e sujando a obra. Aquilo assustou Jimin que só conseguiu pensar em gritar. E o fez.

Acordou assustado ainda de madrugada, arfando pesadamente. Olhou o relógio, era 03hrs da madrugada. Não entendeu mais nada, menos ainda a si mesmo. O coração só parecia querer sair de seu peito ao lembrar do jovem de olhos redondos e adoráveis.


Notas Finais


Pessoal! Eu AMEI esse tema!
O próximo capítulo sairá provavelmente semana que vem, então VAMOS LENDO, COMENTANDO E FAVORITANDO!

Obrigada! 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...