História War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hormones, Jeon, Jungkook, Kookie, Maknae, War
Visualizações 140
Palavras 1.757
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpeeeem pessoinhas. Foi promessa atrás de promessa que iria postar logo e já se passaram quatro dias kkkk, mas eu fiquei em tanta recuperação gente, vocês não tem noção!
* Eu também tirei um tempo para planejar a fanfic com o Suga que eu já quero postar, estou ansiosa!
* Falta pouco para acabar WOH genteeeeee, vou chorar.
*-* Boa Leitura *-*

Capítulo 18 - Amáveis


Fanfic / Fanfiction War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 18 - Amáveis

Eu estava completamente nervosa, não tinha ideia de como agir na frente da família de Jungkook, tudo bem, que tem aquela coisa toda de “seja você mesma”, mas fala sério, ninguém é totalmente sincero.

Me olhei no espelho pela décima vez, tentando me acalmar e dizer para mim mesma que eu estava apresentável com aquele vestido florido e um vans claro. Passei um gloss labial e escutei minha mãe já me gritando do andar de baixo.

- Tô indo, calma- falei descendo as escadas rapidamente.

- Não se preocupe, eles vão amar você. – minha mãe disse e me deu um beijo na bochecha.

Assenti e me pus a andar em direção à saída. Jungkook me esperava com um dos braços apoiados na parede e um sorriso no rosto. Confesso que ele me deu um pouco de segurança. Ele me ofereceu a mão para eu segurar e eu o fiz.

- Não precisa ficar nervosa. Minha mãe vai gostar de você. – ele falou enquanto andávamos de mãos dadas pela calçada. Eu havia dito à Jungkook que como sua casa era próxima, não tinha necessidade dele me buscar de carro como ele queria. Não mesmo.

Fomos o caminho inteiro conversando sobre coisas aleatórias. Ás vezes Jungkook falava “Não liga se minha mãe começar a querer te entupir com comida” e eu ria, sabia bem como ele era tão guloso então.

O vento fresco fazia meus cabelos balançarem um pouco, estava um clima agradável. Nem muito frio nem muito calor, uma brisa fresca, eu amava o tempo daquele jeito. Logo senti meu estômago embrulhar assim que paramos na frente da casa de Jungkook, ele apertou minha mão e sorriu.

- Tá tudo bem? – perguntou franzindo o cenho

- Tá sim.

{...}

- Ah! Como você é bonita! Jenny não é? – a moça que se parecia muito com Jungkook me cumprimentou aos sorrisos, fiquei mais tranquila com isso, percebi que era calorosa.

- Eu mesma. – falei dando meu melhor sorriso e ela cutucou Jungkook

- Meu filho não para de falar sobre você. – Jungkook revirou os olhos e coçou a nuca envergonhado e eu ri daquilo. – Venham, eu estou terminando o almoço, pode me ajudar se quiser.

Comecei a segui-la pela casa até a cozinha e assim que pisei ali me lembrei do episódio há um tempo atrás, quando eu mal conhecia Jungkook e já havia visitado sua casa. Enquanto eu a ajudava a terminar de cozinhar (dando o melhor que eu tinha, o que não era muito), Jungkook ajudava seu pai a pôr a mesa.

Depois de mais ou menos uns 30 minutos já estava tudo acabado, era a hora de comer. Isso me deixou apreensiva, pois eu ficaria de frente para seus pais, o que era muito diferente de conversar enquanto cozinha, era uma coisa mais formal, coisas formais me deixavam nervosa.

- Como se conheceram Jenny? – foi a vez de seu pai perguntar algo. Até que não estava sendo ruim como eu havia pensado, pelo contrário, o ambiente deixava tudo agradável e os olhares de Jungkook sobre mim eram piores do que os dos pais, ele queria me provocar ali na frente deles, era isso?

- Bom, eu vim dos Estados Unidos (era de se perceber Jenny) e acabei caindo na mesma escola que Jungkook.

- Ela se apaixonou pela minha beleza, não teve como resistir. – ele disse descontraído e eu ri cínica.

- Continuando... na verdade, eu achei ele bem esquisito no início, parecia um emo. – falei entre risadas e acabaram me acompanhando.

- Nós sabemos como é. Jungkook é meio tímido. – a mãe dele se pronunciou.

O resto da tarde passamos conversando sobre coisas aleatórias, como faculdade, como era os Estados Unidos e se eu tinha me acostumado com a cultura coreana. No fim da tarde os pais de Jungkook acabaram por sentar no sofá e assistir algo na TV, quando ele me chamou para ir em seu quarto.

- Acho melhor não Kookie... – hesitei e ele me olhou arqueando uma das sobrancelhas. – Não me olha assim.

- Está com vergonha dos meus pais? – dei de ombros e quando eu ia responder fui interrompida.

- Não fique acanhada querida. Pode subir, não vamos pensar mal de você por isso.

Acabei me deixando levar pelas suas falar e segui Jungkook até seu quarto. O que foi uma péssima ideia, porque passar um momento a sós com Jungkook e em um lugar fechado me causava sentimentos inexplicáveis, era impossível não pensar certas coisas.

O quarto de Jungkook era um típico quarto de menino, que com certeza fora arrumado pela mãe, pois eu conhecia bem a peça e sabia que ele não era tão jeitoso assim. Se resumia em um tom azul escuro e a parede em que a cama estava era ainda mais escuro que o resto do quarto, aquele quarto e PRINCIPALMENTE aquela mescla de cores combinavam com ele completamente.

Percebi Jungkook se deitando na cama com as costas apoiadas no travesseiro alto e com um sorriso no rosto.

- Porque sorri tanto? – perguntei enquanto me sentei na beirada da cama.

- Acho que porque agora sinto que você é completamente minha. – abaixei minha cabeça levemente corada e sorri em resposta. – Vem cá.

Ele deu palmadinhas no espaço vazio ao seu lado e eu engatinhei até lá. Jungkook passou um dos braços pelos meus ombros e entrelaçou nossos dedos.

- Acha que o fato de eu não ser coreana deixou sua mãe chateada pela sua escolha? – perguntei de repente, tanto que ele me olhou de maneira confusa.

Ele hesitou, eu vi ele hesitar.

- Claro que não, minha mãe não é tão careta assim. Só deve ter achado diferente, talvez chateada com a sua escolha. – ele disse e eu o encarei com a testa franzida.

- Porque eu teria errado na minha escolha?

- Você sabe que... os relacionamentos aqui, são diferentes. Talvez tenham coisas que os americanos possam fazer, ou dar. E eu não possa. – ele disse olhando fixamente para o canto do quarto. Por um tempo eu fiquei quieta, mas não por não ter o que falar, mas tentando assimilar o que ele queria dizer com aquilo.

- Que besteira esse seu pensamento. – falei dando um tapa na sua barriga, ele fez uma careta de dor e esfregou o local. Percebi que ele estava pensativo, talvez levando a sua ideia realmente em consideração. Levantei um pouco meu corpo e lhe dei um beijo na bochecha, pegando-o de surpresa. – Pare de falar besteiras. Estou satisfeita com a minha escolha. Você está com a sua?

- Muito. – disse com um sorriso escondido no canto da boca.

Depois de alguns minutos conversando sobre nossas famílias o celular de Jungkook tocou na mesinha de canto. Ele murmurou um “Deve ser o Jimin” e atendeu.

- Alô? – ele respondeu – Ham... tudo bem e você? – e então me olhou com uma cara de quem não sabia o que estava acontecendo. – Na verdade agora não vai dar Sook, Jenny está aqui em casa.

Naquele mesmo momento foi como se uma tempestade estivesse sendo formada em cima da minha cabeça, eu fiquei extremamente furiosa, a normalidade que Jungkook falava as coisas, deixava tudo pior.

Depois de uns dois minutos apenas escutando, ele desligou o aparelho e colocou de volta na mesinha de canto.

- O que foi? – ele perguntou assim que se virou e se deparou com minha cara, que com certeza não era das melhores.

- Sook? – perguntei e ele parecia ainda não entender nada. – Não seja sonso.

- Ah, bom, ela só perguntou se eu queria ir ao cinema ver um novo filme de uma franquia que nós dois gostamos. – ele falou naturalmente. Alguém em segura.

Eu tentei me controlar. Tentei me conter e fingir que estava tudo bem, mas aquilo já estava passando dos limites, que tipo de garota chama um garoto que JÁ NAMORA pra sair? O que um menino e uma menina iriam fazer no cinema assim do nada?

- Tá de brincadeira! Essa menina tá a semana inteira se jogando pra cima de você e agora te chama pra ir ao cinema? Qual é o seu problema? – eu podia ver um sorrisinho na sua boca, aquilo me irritava tanto, ele não fazia ideia.

- O meu problema? Caramba, eu não fui com a menina, eu tô aqui não tô? – ele disse e eu continuei quieta, cruzei os braços. – Caramba, você precisa relaxar.

- Vai pra...

- Olha! – ele me interrompeu e então caiu em gargalhadas. – Que garota ciumenta.

- Ciumenta? Eu? Ciúme é coisa boba, isso que ela tá fazendo já está passando dos limites Jeon Jungkook. – ele ficou quieto, acho que por eu ter falado o nome todo dele, ele viu que a coisa tava séria.

- Você fica realmente linda com ciúmes. – ele disse e então selou nosso lábios. Suas mãos seguravam meu rosto para que eu não me afastasse e então sua língua pediu passagem. Ele sabia como me deixava, sabia que qualquer coisa que ele fizesse para me provocar me deixava paralisada e me fazia esquecer de tudo. Como eu queria saber me controlar com Jungkook, mas eu não conseguia.

Senti suas mãos descerem mais e logo afastando um pouco do meu vestido, me arrepiei quando senti sua pele gélida tocar a minha. Não consegui conter um suspiro.

- E-eu posso ligar pra minha mãe e dizer que eu vou demorar... – ele apenas assentiu com a cabeça e voltou a me beijar, distribuindo beijinhos molhados por todo o meus pescoço. Eu podia sentir todo o meu interior queimar, cada lugar que ele tocava, me fazia arrepiar e suspirar, por pouco eu não estava gemendo apenas com seus toques. Eu queria ir mais longe. – Ou então eu posso pedir a ela para dormir aqui.

Foi aí que ele parou e me olhou nos olhos. Sua pupila estava dilatada e sua respiração descompassada. Ele parou e pareceu pensar por um tempo antes de pronunciar algo.

- Eu acho melhor te levar para casa, não quero que se meta em encrencas. – ele disse já se levantando da cama. Revirei os olhos. Lá estava ele fugindo de novo.

{...}

Assim que adentrei a casa me deparei com minha mãe aos sorrisos já na sala.

- Conta tudo! Como foi? Eles são amáveis? Eles devem ser amáveis, Jungkook é amável. – ela disse quase sem respirar e eu apenas retirei rápido minhas sapatilhas que estavam apertando meus pés.

- Mãe, por favor. Me deixe respirar. – o momento que acontecera minutos atrás ainda estava em minha mente e eu ainda estava atônita por aquilo. Eu queria que tivesse acontecido.

 

Continua...

 


Notas Finais


O que acharaaam? Aiii, odeio escrever tanto e ver que o capítulo ficou pequeno!
Obs: Jungkook, para de cú doceeee e dá logo o que a menina quer! Tô ficando agoniada por ela.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...