História War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hormones, Jeon, Jungkook, Kookie, Maknae, War
Visualizações 142
Palavras 4.720
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nem vou dizer nadaaaaa, que o capítulo fale por si só! Aproveitem! <3

Capítulo 19 - Perdidos


Fanfic / Fanfiction War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 19 - Perdidos

Eu pensei que as coisas ficariam do jeito que estavam normais e sem ser atrapalhada por ninguém, mesmo depois de uma semana, tudo estava como havia ficado. Até aquele dia.

Atravessei os corredores da escola completamente distraída com um fio solto da minha saia de uniforme, assim que consegui arrancá-lo e encarei a minha frente encontrando Jungkook na porta de seu armário, com uma cara nada boa.

- Oi... – falei atrás dele e ele se assustou, dobrando o papel e colocando no bolso. Apenas enruguei a testa e continuei sorrindo, se ele não mostrou era porque não tinha que me preocupar. – Então...

- O-oi jagiya – ele falou sorrindo enquanto coçava a nuca.

- Aconteceu alguma coisa?

- Não, você só me assustou... Como você está? – ele disse me puxando pela mão em direção ao refeitório.

- Morrendo de sono, fiquei acordada até tarde estudando para o vestibular.

- Tenho certeza que você vai passar, está se esforçando. Meu teste e dos meninos é hoje, mas eu tô legal. – ele disse. Eu sabia que ele estava bem mesmo, Jungkook nunca duvidava de suas habilidades e com toda certeza a dança era a maior delas.

Sentamos-nos em uma das mesas com nossos lanches e ficamos conversando sobre as coisas que aconteceram durante o ano. Estávamos prestes a nos formar, e tinha passado tão rápido, parecia outro dia quando cheguei a Seul.

- Sun Hee também vai fazer o vestibular, mas pra medicina. – falei mordendo uma maçã – Se passarmos, vamos trabalhar perto uma da outra.

- Isso é bom, então ninguém vai perder contato. – ele disse hesitante e eu estranhei, até escutar a próxima frase. Então soube porque. – Nem Sook.

- Como assim? – perguntei confusa.

- É que... ela também vai fazer o teste com a gente, ela também quer continuar dançando.

- Ah... que bom! Ela dança bem. – não era mentira. Ela dançava bem mesmo, não ia ficar com raiva por ela provavelmente entrar na mesma empresa que Jungkook, era o sonho da garota.

- Então tudo bem pra você? – ele perguntou e assenti com a cabeça.

Logo o sino tocou avisando que as aulas começariam e fomos para nossa sala de aula. Sun Hee se encontrava dormindo em sua mesa quando me sentei à sua frente. A cutuquei, ela levantou a cabeça com a cara amassada de tanto sono.

- Estudando até tarde também? – perguntei fazendo uma careta.

- Onde eu estava com a cabeça quando escolhi essa profissão? Logo a mais difícil de passar. – ela disse batendo no meio da testa. Sun Hee era muito inteligente, eu tinha quase certeza que ela passaria, mas esses vestibulares exigiam muito esforço e era muita pressão, com isso, se distrair era fácil.

- Não se preocupe, vamos nos sair bem. É só nos concentrarmos. – falei e então o professor de física adentrou a sala de aula.

Durante a aula às vezes eu dava olhadas para Jungkook, ele parecia atordoado e distraído, eu me perguntava se era pelo papel que ele havia lido quando o encontrei no corredor. Se ele estava tão “preocupado”, o que era difícil de acontecer, devia ser algo sério.

- Porque ele está com essa cara? – Sun Hee perguntou um pouco mais alto do que deveria e então percebemos Sook olhando em nossa direção.

- Não sei, está assim desde que cheguei à escola. – Sook deu um sorrisinho ao escutar isso e olhou para frente prestando atenção na aula.

- Ela aprontou alguma coisa. Certeza. – Sun Hee afirmou e eu senti um calafrio percorrer minha espinha.

{...}

Na hora do primeiro intervalo a primeira coisa que fiz foi ir ao banheiro, minha bexiga parecia querer explodir e o nervosismo não ajudava muito. Aproveitei para pegar o material para as aulas seguintes em meu armário e voltei para a sala de aula.

- Caramba, ele não para de olhar para aquele papel. Porque não vai lá e pergunta? – Sun Hee parecia estar mais inquieta com Jungkook do que eu, nisso que dá ser tão curiosa.

- Não vou fazer isso, não quero invadir a privacidade dele. – falei dando de ombros e ela revirou os olhos.

- Não tem problema, eu invado. – e então ela caminhou a passos firmes até o outro lado da sala. Não havia nenhum professor ali ainda, mas muitos alunos. Todos observaram Sun Hee parando na frente da mesa de Jungkook e pegando o papel da mão dele. Resolvi ir até Alá, no fundo, eu também queria saber o que o afligia tanto.

Jungkook arregalou os olhos e fez uma cara de bravo para Sun Hee, ela nem se importou. Começou a ler o papel em silêncio com as sobrancelhas arqueadas, eu já não aguentava mais aquilo.

- Não acredito. – ela disse abrindo a boca em um O.

- O que foi? – perguntei tentando não parecer desesperada, eu não estava entendendo nada. Os dois se entreolharam. – Parem com essa merda, falem logo.

Eu odiava que ficassem escondendo as coisas de mim.

- Olha, eu cheguei e encontrei isso no meu armário, não sei quem escreveu, mas pra mim não tem importância. – Jungkook disse e eu peguei o papel de Sun Hee.

Jenny não merece você como eu, você sabe que o primeiro garoto que aparecer melhor do que você ela irá trocá-lo, eu te amo, eu posso te fazer feliz Kookie” xoxo

- Porque não me mostrou assim que eu cheguei? – perguntei cabisbaixa, sentia que Jungkook parecia acreditar naquelas palavras.

- Esse não é ponto. Como assim você não sabe quem escreveu? Não ta na cara? – Sun Hee parecia estar brava, muito irritada e indignada.

O professor adentrou a sala em silêncio e pediu para eu e Sun Hee nos sentarmos, minutos depois Sook adentrou a sala aos sorrisos com alguma menina que eu nunca tinha conversado e se sentou em seu lugar. Sun Hee me encarou por alguns segundos e depois prestou atenção na aula de filosofia. Minha cabeça parecia querer explodir, eu estava fervendo de raiva. Como alguém podia fazer aquela idéia de mim? Dizer que eu trocaria Jungkook pelo primeiro garoto “bom” que aparecesse, eu era o que? Uma vadia?

Aquela aula parecia ser infinita, eu queria sair daquela sala, tirar o olhar confuso de Jungkook de cima de mim, sair daquele clima estranho que havia ficado. Respirar ar puro. Ficar sozinha. Como se minhas preces fossem ouvidas o sinal tocou irritantemente, o que fez todos se levantarem rapidamente e irem para o refeitório.  E então ficamos apenas eu, Jungkook e Sun Hee na sala, sem falar uma palavra. Até que Jungkook veio até mim.

- A gente tem que conversar. – ele disse pousando a mão sobre meu ombro. Sun Hee observava tudo de braços cruzados e com um bico fofo na boca.

- Eu não quero conversar sobre isso. – falei e ele me olhou confuso – Lembra do que eu disse? Você parece gostar que essas meninas fiquem atrás de você. E eu? Não sou o suficiente?

Eu não queria armar um escândalo, principalmente na frente da minha amiga, não queria brigar com o Jungkook, mas os fatos estavam ali, uma hora ele parecia estar bem, outra estava avoado. Nunca se importava se Sook ou qualquer outra menina ficava se jogando para cima dele, sempre se fazia de sonso, mas quando estava comigo, parecia controlar cada célula de seu corpo, como se quisesse se segurar de algo.

- O que você ta dizendo? Já falei pra não falar isso. – ele disse me virando de frente para ele. Vi Sook arregalar os olhos diante da expressão máscula de Jungkook, mesmo com raiva aquele garoto conseguia ficar extremamente lindo. Droga. – Eu não pedi para me escreverem um bilhete, é tão difícil acreditar?

- Você tem me evitado. – falei baixo, envergonhada. – Tem dado sinais de que eu não pareço ser o suficiente, é o que parece. Você sabe quem escreveu.

E então um silêncio preencheu aquela sala, ele só sabia olhar em meus olhos ainda segurando em meu braço, foi quando Sun Hee pareceu explodir dentro de si mesma.

- Eu vou matar aquela garota. – falou já se pondo para fora da sala a passos largos e duros.

Eu e Jungkook nem esperamos, fomos atrás de Sun Hee rapidamente, no caminho encontramos um V e um Jimin confusos, não perguntaram nada, apenas nos seguiram. Visualizei Sun Hee parar na entrada do refeitório prestes a soltar fumaça pelas narinas. Ela passou o olhar pelo local e pareceu encontrar o que queria.

- Ah Deus. – Jungkook falou indo rapidamente em direção à minha amiga. Eu ainda estava sem entender nada.

Sook estava sentada com algumas meninas conversando sobre algo muito “engraçado” e de costas, a cena a seguir me espantou, me fez abrir a boca em um O perfeito. Sun Hee pegou em seu braço e a fez levantar de frente para a mesma.

- O que aconteceu? – Sook perguntou com um sorriso cínico, ela já estava sabendo sobre Sun Hee e o bilhete na sala de aula mais cedo.

- O que aconteceu? Você está dando em cima do namorado de uma garota que era sua amiga! Que te tratou bem desde que chegou aqui.

Jungkook chegou ao lado de Sun Hee e Sook lhe lançou um sorriso malicioso. Eu, V e Jimin também fomos até lá.

- Me desculpa, não sei do que está falando. – ela disse colocando as mãos na cintura de maneira debochada. Sun Hee riu no mesmo tom de deboche e então só deu tempo de ver a mesma agarrando vários fios de cabelo de Sook.

- Me larga sua doida! – Sook gritou agarrando os cabelos de Sun Hee e eu dei um passo a frente, mas fui impedida por Jungkook e colocou o braço na frente do meu corpo. O encarei de cara feia e ele balançou a cabeça de forma negativa.

- Segura ela V! – Jimin sacudiu o amigo e V parecia não saber o que fazer.

Vi Sun Hee passar uma das pernas por trás do corpo de Sook e as duas foram ao chão, aquele baque doeu em mim. Todos do refeitório observavam tudo de olhos arregalados. Meu Deus, se minha mãe soubesse daquilo eu estava morta, as escolas da Coreia eram conhecidas pelas suas ótimas disciplinas, onde estava a disciplina ali? Se a diretora aparecesse, traria problemas.

- Morde o braço dela! – não consegui conter o grito quando vi Sook em cima de Sun Hee com os dois braços em seu pescoço, aquilo me deu agonia. Sun Hee fez o que eu disse e ouvimos Sook soltar um gritinho. – Que garota fresca! – falei e Jimin acabou rindo automaticamente.

- Isso tá ficando sério, me ajuda a separar isso. – Jungkook falou indo em direção à confusão no chão. Puxou Sook pelo braço a tirando de perto de Sun Hee e V agarrou a cintura da namorada aos risos.

- Me solta, ela vai aprender a não mexer com o namorado dos outros. – Sun Hee se debatia nos braços de V.

- Acho que já ta bom gatinha. – V falou e a virou de frente para ele.

Olhei para trás e vi Jungkook levando Sook para fora do refeitório. Fui atrás obviamente.

Assim que cheguei no jardim da escola percebi que Sook estava com o braço arranhado, eu nem estava acreditando que Sun Hee havia feito aquilo. Subestimei a valentia das coreanas. Eu não queria espionar, confiava em Jungkook, mas queria saber até onde Sook iria, então fiquei quieta atrás da parede, sem que nenhum dos dois pudesse me ver.

- Aquela garota é maluca, olha o que ela fez! – ela disse se sentando no banco de madeira que havia ali. Jungkook se sentou ao seu lado observando os arranhões em seu braço.

- Você levou uma surra. – ele disse rindo e eu não consegui conter uma risada baixa. Sook olhou para Kookie com uma cara de tédio e ele parou de rir. – Desculpa.

- Ela é uma descontrolada, isso sim. Nem fiz nada para ela.

- Sun Hee se importa com a Jenny. Você sabe disso.

- Ela era minha amiga primeiro, foi só essa estrangeira chegar que você, ela, Jimin e V caíram em cima. – ela disse e eu senti meu estômago revirar, que nojo que eu estava sentindo de Sook naquele momento.

- Isso não tem nada haver.

- Tem sim Kookie – porque ela não parava de chamar ele de Kookie? Estava me dando enjôo. – Escuta, eu sei que você já sentiu algo por mim, foi um erro meu escolher ao Jackson e não você.

- Sook. – ele disse tentando interrompê-la, mas ela continuou falando, dessa vez segurando uma de suas mãos, eu queria ir até e acabar com aquilo, mas porque ELE não fazia nada?

- Não, fica quieto. Eu gosto de você Jungkook, de verdade, mais do que a Jenny gosta. Me dá uma chance, por favor. – ela disse se aproximando mais dele.

- Sook... – e então aconteceu. O pior momento daquele dia, de longe o pior. Ver os lábios de Jungkook colados aos de Sook, me causou algo que eu nunca senti antes, fechei meu punho e engoli em seco. Senti meus olhos se encherem d’água. Era besteira, eu estar chorando por um garoto, eu não queria que aquilo estivesse acontecendo, mas estava. Eu queria fugir dali. Jungkook não estava se afastando, Sook segurava seu rosto, mas por ele estar de costas eu não sabia se estava de olhos fechados, e isso importa muito, acreditem.

Ordenei às minhas pernas que se movimentassem e me virei para correr dali. Acabei trombando com um corpo que demorei a assimilar quem era.

- Ei, o que aconteceu? – reconheci pela voz. Jimin.

Acabei o abraçando involuntariamente, eu só precisava de um abraço e ele era a melhor pessoa que poderia me ajudar.

- Jimin, eu quero ir embora. Me tira daqui por favor. – falei e ele assentiu passando a língua pelos lábios e me guiando para dentro da escola.

Jimin me aguardou na porta da sala de aula, esperou eu arrumar minhas coisas e avisar a Sun Hee que estava indo embora. Percebi que ela ficou preocupada, mas eu não queria que ela arranjasse mais confusão por minha causa.

Fomos o caminho inteiro em silêncio, Jimin estava sendo legal de não tocar no assunto e eu só sabia segurar as lágrimas, não queria chorar por Jungkook e nem na frente de Jimin, sim, como ele disse eu era mesmo cabeça dura.

Chegamos em casa e encontramos minha mãe na cozinha fazendo alguma coisa.

- Oi filha, chegou cedo... – e então ela pousou o olhar sobre Jimin que deu um sorriso fofo, com certeza aquilo havia derretido minha mãe. – Quem é esse?

- Ham... sou o Jimin, sou da escola da Jenny. – ele disse fazendo uma reverência. Minha mãe sorriu em resposta e pareceu notar meu olhar distante.

- Aconteceu alguma coisa? O que há de errado?

- A Jenny teve problemas na escola hoje, tem portância eu ficar um pouco com ela aqui? Até ela ficar melhor? – Jimin perguntou e minha mãe rapidamente negou com a cabeça.

- Claro que não. Podem subir, daqui a pouco levo um suco e sanduíche pra vocês...

{...}

- Ele estava lá, conversando com ela como se nada tivesse acontecido. E então ela beijou ele.

Jimin parecia estar mais atônito do que eu no momento do acontecido. Ele me olhava com um misto de surpresa e pena, e era aquele olhar que eu queria evitar.

- Não olhe assim para mim. – falei dando uma bebericada no suco de laranja que minha mãe trouxe.

- O que você pretende fazer? Sabe que não pode se esconder dele pra sempre. – ele disse mexendo no meu cabelo.

- Sei, mas estou decidida. Não quero isso pra mim, mal começamos e já está essa confusão toda. Vou me afastar de Jungkook.

E assim eu e Jimin ficamos conversando, ele disse para eu pensar direito e conversar bem com Jungkook, ele tinha que se explicar também, concordei com meu amigo e então ele tinha que ir para o teste da empresa. O tempo passou e eu continuei naquele quarto escuro e silencioso. Minha mãe abriu a porta umas horas depois.

- Jenny... estou indo para o hospital, vou ficar de plantão... tem certeza de que está tudo bem?

- Tudo sim mãe, pode ir... – falei e então ela beijou minha testa. Saiu em seguida, me deixando sozinha em casa.

Logo pude ouvir o toque de chamada de meu celular. Revirei os olhos assim que vi quem era. Não queria conversar naquele momento, deixei tocar. O celular tocou até umas nove horas, e depois parou misteriosamente.

Desci as escadas de mármore geladas, descalça mesmo, se depois eu pegasse um resfriado minha mãe me mataria, mas eu não estava ligando. Liguei a TV e comecei a assistir algum desenho animado que passava. Pokémon. Senti aquela leve pontada no estômago, meus olhos estavam encharcados novamente.

{...}

Depois de um tempo quase caindo no sono naquele sofá levei um susto com o barulho da campainha. Encarei a porta com um olhar caído, senti meu coração acelerar. Não. Decidi deixar pra lá, quem quer que fosse, iria embora depois de ver que não tinha ninguém. Foi o que eu pensei.

A campainha continuou tocando pelos próximos 2 minutos, o que era irritante. Resolvi atender.

Fui hesitante até a porta e a abri lentamente. Que dramático. Minha aparência devia estar uma merda. Primeiro eu visualizei os cabelos bagunçados, depois seus lábios vermelhos e então vi seus olhos que deviam estar como os meus, ainda lindos, mas sem o brilho que sempre tinha.

- O que ta fazendo aqui? – perguntei tentando ser fria, mas minha voz trêmula me entregou, eu estive chorando, só um pouco.

- Porque não atende o celular? – ele perguntou dando um passo para frente e eu me afastei.

- Eu vi Jungkook. – ele enrugou a testa ainda com um semblante triste. – Vi você beijando a Sook. Eu queria acreditar que aquilo era mentira e que era só um pesadelo ruim. Eu me lembrei de quando você disse que nunca me magoaria e que eu podia confiar em você.

- Jenny, não é...

- Deixa eu terminar. – respirei fundo e então continuei falando. – Eu senti meu coração se despedaçar quando a sua boca estava na dela. Aquilo me fez sentir nojo, repulsa.

Ele tentou falar algo, mas eu interrompi.

- Agora sei porque estava fugindo de mim, não tinha certeza não é? Ainda estava indeciso, pois agora, eu é que quero fugir de você Jungkook, não quero te ver mais. – falei e senti ele suspirar profundamente, era pior pra mim, acreditem. Eu confiei nele.

- Ela me beijou Jenny, acredita em mim.

- Eu vi. Mas você não separou o beijo, você não disse que não era dela que você gostava. Você nunca diz nada.

- É porque eu estava confuso caramba! Eu não consegui pensar direito, você deve ter visto só uma parte do que aconteceu, eu parei o beijo. Eu disse a ela que gostava de você, disse que queria você e não a ela. – ele disse tudo de uma vez e então senti minhas pernas bambearem. Jungkook entrou rapidamente para dentro da casa e fechou a porta atrás de si.

Em pouco tempo senti suas mãos em minhas cinturas, arfei de dor quando minhas costas bateram contra a parede ao lado da porta. Jungkook estava muito próximo, fitava minha boca e esfregava seu polegar carinhosamente em minha cintura por baixo da blusa.

- Me deixa dizer então... – ele aproximou sua boca do meu pescoço. Eu pude sentir sua respiração ali, o que me causou arrepios, ele passou a língua pela minha pele gelada. Prendi a respiração. – Ou melhor.

Ele me encarou. Seus olhos estavam com a pupila dilatada mais uma vez. Mordeu os lábios fazendo com que eles ficassem ainda mais vermelhos.

- Me deixa mostrar... o quanto eu quero você. – e então ele me beijou descaradamente. Foi o beijo mais intenso e selvagem que já havíamos dado, nele estavam desculpas, desejo, sentimentos e nenhum arrependimento. Jungkook mordia meus lábios sem dó algum. Parei o beijo e o virei de costas. Ouvi sua risada gostosa, apoiei minhas mãos em suas costas fortes e largas e o empurrei em direção à escada. Subimos os degraus rapidamente e completamente perdidos, eu não estava pensando direito, com certeza, mas esperei por muito tempo.

Assim que Jungkook abriu a porta do meu quarto o empurrei de leve até que ele se deitou em minha cama. Sorri maliciosa e ele devolveu o sorriso. Engatinhei até ele e selei nossos lábios mais uma vez. Senti as mãos de Jungkook irem até minha bunda, ele amava fazer aquilo meu Deus. Jungkook reverteu nossas posições ficando por cima de mim, de modo que uma de suas pernas ficou no meio das minhas. Pude perceber quando ele retirou os tênis e os lançou longe. Até tirar os tênis sem as mãos o garoto sabia.

- Não fuja de mim dessa vez. – falei entre sorrisos e com a respiração descompassada. Ele apenas mordeu os lábios enquanto negava e voltou a trabalhar em meu pescoço.

Levei minhas mãos até a borda de sua blusa e a puxei um pouco para cima. Sorrimos juntos entre um beijo e eu terminei de retirá-la. Ao jogar a blusa em algum canto do quarto finalmente assimilei que Jungkook estava na minha frente e aquilo estava mesmo acontecendo.

Passei minhas mãos pela sua barriga e depois a levei até seus ombros. Senti ele mordeu o lóbulo da minha orelha de leve e eu soltei um suspiro.

- Porque eu estou na desvantagem? – ele perguntou e eu revirei os olhos. Levei suas mãos até meu short e ele parou a mão com força. – Quietinha.

Senti suas mãos puxarem minha blusa para cima e depois sua boca encostar em minha barriga, ele distribuiu beijos por todo o local e então retirou a blusa por completo, agradeci por estar usando um sutiã bonito.

Jungkook encarou meus seios cobertos pelo sutiã e deu um sorrisinho fofo de canto, eu sabia que por dentro ele estava envergonhado, mas de alguma forma conseguia fazer parecer que seu lado tarado o tomou.

Ele abriu meu sutiã por trás rapidamente e eu fechei meus olhos. Agora quem estava com vergonha era eu, acabei colocando as mãos na frente dos olhos e ouvi sua risada.

- Olhe para mim. – sua voz estava rouca, aquilo me fez ficar completamente extasiada. Tirei as mãos dos olhos lentamente e então ele tirou meu sutiã de uma só vez, o jogando em algum canto do quarto. Percebi que Jungkook me observava quieto, não parava de me olhar, tem algo mais constrangedor?

- O que foi? Para com isso! – falei beliscando seu braço, o que não pareceu fazer nem cosquinha.

- Você é tão linda Jenny, nunca conheci alguém tão linda como você. Eu sou muito sortudo. – sorri com aquilo, sorri abertamente. Jungkook voltou a distribuir beijos pelo meu pescoço chegando até o meio dos meus seios. Suspirei segurando em seus cabelos, senti sua língua traçar um caminho até o seio direito e então ele depositou a boca ali, me fazendo dar um gemido abafado. Eu estava me segurando, não queria ser tão submissa, mas era quase impossível. Jungkook começou a sugar o local e eu me contorci em baixo do mesmo. Logo ele já estava no esquerdo, fazendo o mesmo. Aquela altura, eu já estava clamando por ele, pulsando. Porque ele demorava tanto com aquilo?

- Está se segurando. – ele disse chegando próximo à minha boca e mordendo meu lábio inferior. Fechei os olhos sentindo meus pelos se eriçarem, eu estava completamente arrepiada. – Não se segure.

- Para de me provocar. – falei entre dentes e ele riu.

Logo desceu até o cós do meu short e o puxou um pouco para baixo, dando beijos em meu ventre e suspirando. Meus pés se esfregavam um no outro, e minhas mãos estavam nos ombros de Jungkook, empurrando-o para baixo. E então ele abaixou o short de uma vez junto da calcinha, fiquei com mais vergonha ainda, meu Deus, meu rosto estava esquentando tanto.

Jungkook desceu mais um pouco o corpo e deu mordidas na parte interna da minha coxa enquanto apertava a outra com a mão. Gemi em resposta, logo ele estava em minha virilha passando a língua e dando beijos. Ele olhou para cima, para ver meu rosto e dar um sorriso provocante, filho da...

- Jungkook... – falei com dificuldade e senti sua língua circulando em minha intimidade. Soltei um gritinho que não foi nada abafado, ele pareceu orgulhoso de si mesmo e continuou o seu trabalho ali embaixo. A língua de Jungkook era quente e parecia trabalhar em todo o meu centro, ele chupava as vezes e mordiscava. Naquela altura eu já estava num nível tão alto de gemidos, próximos à gritos, apertei os lençóis em minhas mãos e depois apertei seu cabelo.

Jungkook parou de fazer , o que me deixou irritada e um pouco aliviada, porque temia que chegasse lá antes de poder senti-lo dentro de mim.

Ele se ajoelhou no meio de minhas pernas e limpou o canto da boca com o polegar, desabotoou sua calça preta e a retirou rapidamente me dando a visão de sua boxer preta com um volume exaltado. Murmurei manhosa enquanto ele procurava algo nos bolsos da calça. Retirou de lá um pacote marrom e eu arregalei os olhos.

- Espera! Sabia que isso ia acontecer? – falei respirando fortemente e ele riu

- Tinha esperanças. – ele rasgou o pacote e abaixou a cueca. Engoli em seco quando encarei-o , meu Deus, aquele treco não ia caber em mim.

- Jungkook... – me remexi e ele engatinhou até mim sorrindo. – Por favor, vai com calma, é a minha primeira vez.

- Não se preocupa, é a minha também, não vou te machucar. – ele disse e me deu um selinho. ERA A DELE TAMBÉM? IMPOSSÍVEL.

Jungkook afastou minhas pernas e selou nossos lábios fechando os olhos com força. Logo senti seu membro encostar em minha entrada. Segurei em seus cabelos com uma mão e a outra em seu ombro. Jungkook começou a entrar em mim lentamente me fazendo sentir um ardor terrível. Gemi de dor e ele parou por um momento.

- Tá tudo bem, pode continuar. – falei rapidamente. Ele voltou a entrar, dessa vez o beijei para abafar qualquer gemido que eu fosse dar, não queria que ele se preocupasse e parasse. Era doloroso, como era! Mas era tão bom! Jungkook começou a dar estocadas lentas, para eu me acostumar com ele dentro de mim. Minha intimidade insistia em expulsá-lo, Jungkook fazia força mantendo seu membro dentro de mim.

Depois de um tempo a dor ainda estava presente, mas o prazer era maior e eu queria mais.

- Kookie, pode ir mais rápido... – falei mordendo os lábios e coloquei minhas mãos em suas costas suadas assim que ele começou a ir mais rápido e com mais força.

Os gemidos de Jungkook pareciam músicas para meus ouvidos, eu estava amando aquilo. Sua garganta parecia estar arranhada, e sua voz estava rouca. Ele segurou em meu quadril, me ajudando e ajudando a si mesmo. Arranhei suas costas com força quando ele atingiu mais fundo e então ele se sentou me trazendo para seu colo. Segurou em minha cintura me estimulando a rebolar em cima dele, estávamos loucos um pelo outro, eu queria senti-lo sempre daquele jeito, ainda mais.

Jungkook selou nossos lábios e distribuiu chupões pelo meu pescoço. Voltou à nossa posição de antes, estocando cada vez mais rápido, eu estava chegando ao meu ápice.

- Jungkook... só mais um pouco... – falei entre gemidos e ele assentiu. Eu havia notado uma coisa. Jungkook como dançarino era ótimo, mas o fato dele ser dançarino me deu uma vantagem, era errado, mas agradeci à Deus por ele ser tão bom em movimentos.

Soltei um grito forte quando senti um líquido quente descer por minhas coxas, Jungkook me beijou tentando abafar meu gemido, o que não deu muito certo. Desculpem vizinhos. Jungkook continuou suas estocadas mais um pouco e então também chegou ao seu ápice, caindo em cima de mim.

Estávamos melados de suor e outra coisa (aff), precisávamos de um banho urgente, mas não naquele momento. Naquele momento eu só queria abraçá-lo e ficar com ele ali. Só nós dois. Jungkook se deitou ao meu lado e me puxou para perto. Adormecemos ali, cansados, exaustos. Aconteceu.

 

Continua...

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Quero saber o que pensaaaaaam, estão mortas? Porque eu estou, beijoooos, e até o último capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...