História War of stones - INTERATIVA - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Personagens Alexandrite, Ametista, Connie, Garnet, Greg Universo, Jasper, Lápis Lazuli, Leão, Opal, Peridot, Pérola, Personagens Originais, Rose Quartzo, Rubi, Safira, Sardonyx, Steven Quartzo Universo, Stevonnie, Sugilite
Tags Ametista, Diamonds, Garnet, Interativa, Lápis-lazuli, Peridot, Perola, Steven Universo
Exibições 46
Palavras 881
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo novo! Esse foi meio que muito sem ação. Mas fiquem tranquilos, provavelmente, no próximo poderá haver alguma luta entre as gems.
Até lá!

PS: a tradução do título desse cap é: prisioneira (pelo menos o que diz o google tradutor)

Capítulo 12 - Prisoner


A prisioneira de HomeWorld estava correndo por entre as folhas das árvores, contornando as pedras e os pequenos arbustos que ela encontrava no caminho.

Os gritos que vinham de trás da gem motivavam-na a continuar correndo, não importando se suas pernas começassem a falhar ou a ficarem pesadas. 

Folhas batiam em seu rosto, as correntes de suas pernas a faziam tropeçar ou a debilitava por um curto período de tempo. Mas nada disso importava á ela. Finalmente, depois de anos presa como um animal de zoológico, ela pudera se libertar. Pôde sentir suas pernas trabalharem como máquinas nunca desligadas para faze-la escapar das mãos de HomeWorld; pôde sentir sua pedra brilhar com a alegria que ela sentia.

O ritmo de seus passos foi diminuindo a medida que o farfalhar das folhas atrás de si não fora mais ouvido pela gem. Ela olhou aos lados, procurando um bom lugar para se esconder. Ela estava próxima a uma riacho que escorria por entre as pedras de forma preguiçosa. As densas árvores a sua volta não proporcionavam sequer algum tipo de esconderijo que permitissem a gem de não ficar visível aos olhos de suas perseguidoras.

Crack.

A gem olhou para trás, de onde o barulho tinha vindo. Benitóite a seguia por entre a floresta.

A sensação de pânico subiu por entre a garganta dela. Seria pega e então voltada a ser presa e torturada. Instintivamente, ela se encolheu e levou suas mãos até um ferimento em suas costas. Ela fechou os olhos com força, tentando pensar em algum plano que pudesse ajuda-la.

Ela abriu seu olhos com rapidez. Voltou a correr por entre a ilha só que, dessa vez, estava indo na direção contrário do rio. 

Por fim, cansada de tanto correr, apoiou-se em uma grande pedra que formava uma pequena caverna. Ela se esgueirou por entre a rocha e a terra e ficou no menor canto e mais escuro.

Sua respiração estava acelerada por causa do medo. As correntes estavam juntas aos seus pés que ela tentava não mexer, com o medo de que fizesse algum barulho. 

—  Onde ela está, Benióite? —  perguntou uma voz feminina. —  Não me diga que a perdeu.

—  A prisioneira se escondeu. —  respondeu a voz masculina que, de imediato, ela o reconheceu como o Benitóite.

A gem forçou-se a manter a calma e contou até dez. Ao chegar a esse números, Benitóite falou:

—  Morgana, acorde Fire Topaz. —  ordenou ele. —  Infelizmente, precisamos dela aqui. Kunzite e eu procuraremos a Aqua Marina pela ilha. Ela não deve ter ido tão longe.

—  Mas... —  a primeira voz fez menção de contradizer Benitóite, mas, sabiamente, não o fez. —  Está bem.

Os passos apressados por entre a água foram ouvidos. Os ombros da gem subiram em um ato tenso. Foi preciso que a mesma tapasse sua boca para evitar que emitisse algum som.

Quando o som ficou mais longe, a aqua marina finalmente pode relaxar. Porém, Benitóite e sua companheira, Kunzite, ainda continuavam por ali.

—  Benitóite, —  falou uma segunda voz que a gem também reconheceria, não só por ter quatro gems presentes na nave como essa ter a feito sofrer por não revelar as coisas antigas que ela vivenciara. —  eu vou verificar rio á baixo e a floresta por aquela região. Você vê se ela não foi rio á cima e a floresta de lá.

Poucos segundos se passaram e ambos os gems seguiram para direções opostas.  A gem ficou ali por mais longos minutos, antes de perceber que o local já estava seguro e sair de debaixo da pedra. 

Quando a luz invadiu seu corpo, o mesmo relaxou,

A gem possuía longos e cheios cabelos negros que encostavam até seu joelho, porém eles eram presos em uma trança no estilo grego. Sua pele era branca como papel e sua pedra era da cor da lua. Sua roupa constituía em um top cinza com preto até a cintura e uma calça de ginástica preta que ia até o tornozelo. A meio parte de seus pés eram encobertos por uma sandália azulada.

Ela se espreguiçou e olhou para as correntes prezas em seus pés, pensando em um meio de tirá-la de lá. Mas, antes de tudo, ela precisava de ajuda. Seus olhos azuis voltaram-se para os pequenos furos da mata que permitiam a gem de ver o oceano que rodeava a ilha.

Ela andou por alguns metros, sempre tomando cuidado para não esbarrar em uma gem, até chegar em uma praia deserta de areia em tonalidade marrom. Ela tocou em sua pedra que ficava no final da coluna. A pedra brilhou e seu arco e flecha foi evocado pela a gem.

Ela posicionou uma flecha no mesmo e mirou até o horizonte. Seria arriscado, mas era o melhor plano que ela tivera até aquele momento. Ela soltou a corda e sua flecha foi voando por alguns quilômetros.

Os olhos da aqua marina ficaram da cor de sua pedra e ela caiu no chão. Quando seus olhos voltaram a ser o azul safira, e gem se levantou e aproximou-se da água. Quando seus pés tocaram o mar, ele não a molhou ou submergiu, pelo contrário. Seu pé estava por cima da água quando ela equilibrou o outro. Ela começou a correr pelo oceano e só voltou a olhar para trás quando a ilha era apenas um ponto insignificante.


Notas Finais


_______________________________________________________________________________________________________________
Pergunta do capítulo:
Com base em tudo que temos até agora, quem vocês acham que foi Rose Quartz?

Me:
Até agora, Rose foi mostrada como um líder que acreditava em um mundo livre onde todas tivessem o "poder" de escolher QUEM e O QUE elas fariam. Rose vê beleza em tudo e isso ajudava-a a curar as gems e questionar a liderança de HomeWorld.
Rose escolheu proteger a Terra, mesmo que para isso traísse seu planeta e as criaturas que ela fora criada para servir. Essa atitude dela foi totalmente inesperada para uma gem com um escalão alto (na teoria) e deve ter surpreendido várias gems, algumas achando que ela era maluca e outras que era a salvação.
Porém, Rose já fez coisas más.
[SPOILER ALERT. QUEM NÃO VIU OS EPS "Bismuth", "Back to the moon" E "Earthlings" NÃO LEIA A PARTIR DAQUI]

Quando enfrentou Bismuth. Rose nunca disse as gem o que ela [rose] havia feito. Não as contou que embolhara a companheira. Rose mentiu para todas, paras as suas amigas e para as amigas de Bismuth.
Quando lutou contra Pink Diamond. Esse ato não foi algo que demonstrou a maldade dela. Como um dos produtores da série falou em seu Twitter "Diamonds poofando? Hahahahahah", então, levando em conta que isso é verdadeiro, Rose despedaçou Pink Diamond para derrota-la. E lembrem-se: aquilo era uma guerra, e em uma guerra medidas extremas são tomadas.
Essa é a minha opnião, qual é a de vocês?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...