História Warrior - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Atena, Dionísio, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper Mclean, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Will Solace
Tags Acampamento Meio Sangue, Alex Pettyfer, Amanda Seyfriend, Descobertas, Deusas, Deuses, Harry Styles, Hdo, Jasiper, Logan Lerman, Madison Beer, Maldição, Mentiras, Mitologia Grega, Percabeth, Pjo, Renan Corbani, Segredos, Semideuses, Shay Mitchell, Solangelo, Victoria Justice, Yuri Monteiro
Visualizações 18
Palavras 3.618
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Olha quem voltou, isso aii ^~^

Me desculpem pela demora mas, a escola está me deixando sem tempo! Não vejo a hora de chegar as férias.

No capítulo de hoje irá começar a missão então, fiquem preparados pois muitas coisas irá acontecer nos próximos capítulos.

Capítulo 14 - Apunhalada pelas costas, Literalmente !


Sinto algo gelado escorrer por todo o meu corpo, me inclino para frente em uma grande velocidade, completamente assustada, gargalhadas ecoa pelo local silencioso, olho ao redor encontrando Percy Jackson com um balde vazio em uma das mãos

O moreno apoiava a barriga como se a sentisse doer, seu rosto se encontrava avermelhado 

-Não acredito nisso! -o encaro incrédula, ele não conseguia parar de rir. Me concentro e logo escutamos um barulho estranho, Percy olha para todos os lados e, quando percebe o que estava prestes a acontecer, me observa surpreso 

-Não Lane... -um sorriso diabólico cresce em meu rosto, do banheiro, um líquido transparente se ergue no ar, vindo em nossa direção e assim que para sobre o garoto, tudo desmorona o molhando por completo 

-Hum, você não deveria ter feito isso... -o som dos encanamentos do banheiro se torna mais alto, meus olhos se arregalam e, assim começa uma enorme guerra de água... 

-Bom di... -a filha de Atena abre a porta do chalé, mas antes que possa completar sua frase, uma bolha de água voa em direção ao seu rosto. Percy e eu paramos no mesmo instante- O que está acontecendo aqui? -sua voz se torna alterada, quanto vejo sua expressão se fechar

-Ele/ela começou! -jogamos a culpa um para o outro como criancinhas assustadas, pegas no flagra pela mãe 

-Não quero saber quem começou, arrumem tudo isso agora! 

Me sento sobre minha cama entediada e, o garoto faz o mesmo. Me concentro o máximo possível, a água começa a levitar indo em direção ao banheiro e em questão de segundos, o chalé estava completamente seco

-As vezes me esqueço de quem são filhos... -reviro meus olhos enquanto me levanto 

-Perfeito, agora terei que tomar outro banho -o garoto suspira 

-Mas é claro que não, agora será minha vez -nos observamos em silêncio por alguns segundos, e logo corremos em direção a porta do banheiro, como eu já estava de pé tive vantagens, encosto a porta e o escuto reclamar

"Mas que droga Alana" 

Gargalho alto trancando-me no local, ligo o chuveiro enquanto tiro minhas roupas as jogando no chão, entrando em baixo da água quentinha logo em seguida

(...) 

Abro a porta do banheiro colocando apenas minha cabeça para fora, havia me esquecido de pegar a roupa 

-Percy foi tomar café -Annabeth entra em meu campo de visão, a loira estava sentada sobre a cama de meu querido irmãozinho, caminho em direção ao baú onde havia guardado minha mochila, seguro a toalha sobre meu corpo para que não possa cair- Alana, precisamos conversar 

-Não tenho tempo Annabeth, você sabe muito bem que tenho uma missão e, quanto antes sair melhor 

-Você ouviu minha conversa com Percy ontem a noite e, queria te pedir desculpas por tudo o que disse 

Percebi pelo tom de sua voz que ela não queria dizer aquilo.

-Não quero desculpas falsas, se foi Percy que te pediu para dizer isso, diga para ele que não valeu a pena 

Seguro a roupa escolhida na mão e caminho em direção ao banheiro novamente, deixando para trás uma garota incrédula 

Encosto a porta e logo começo a me vestir, hoje estava fresco por isso optei por uma calça jeans junto de uma regata branca, tênis e uma jaqueta clara listrada na qual coloquei na cintura, penteei meus cabelos que se encontravam molhados e os deixei soltos para secarem. Assim que volto a abrir a porta encontro Beatriz sentada sobre minha cama. 

-Bom dia Lane. -deseja simpática, abro um pequeno sorriso 

-Bom dia Bia, o que faz aqui? 

-Percy me disse que estava tomando banho, então vim te esperar para podermos ir tomar café... 

-Oh, então vamos? -a morena assente e juntas saímos de dentro do chalé indo em direção ao pavilhão que ainda se encontrava vazio

(...)

-Já está com tudo pronto? -pergunto olhando para a garota ao meu lado, que logo balança a cabeça 

-Sim! 

-Okay -subimos a colina em direção ao pinheiro de Thalia, quando nos aproximamos consigo ver todos ali parados nos esperando 

-Todos prontos? -Quíron pergunta calmo, Percy arregala os olhos como se estivesse esquecendo algo 

-Por Poseidon. -o moreno exclama fazendo assim, todos os olhares se voltarem para ele 

-O que aconteceu? -Jason que também se encontrava por ali, pergunta 

-Preciso pegar algo -com essas simples palavras, o garoto corre colina abaixo rumo ao acampamento

-Estamos saindo em missão, isso tudo bem. Mas, para onde iremos? 

-Boa pergunta Nico, para onde vocês irão? -o centauro pergunta, encaro todos ali confusa, no sonho em que tive com Atena ela não falou sobre isso

-Eu realmente não sei... -abaixo a cabeça confusa, perfeito, iremos sair em missão porém sem rumo 

-É meio que óbvio, vocês terão que ir para o lugar em que aconteceu a maldição, ou pelo menos, algo relacionado a ele -a voz de uma certa loira preenche o local silencioso, todos nós a encaramos confusos- Pense gente, vocês terão que ir para algum templo de minha mãe! 

-Annabeth tem razão, o templo mais próximo da deusa é em Seattle. 

-Então é para lá que iremos! -escuto uma voz masculina e logo em seguida sinto braços passarem por meus ombros, olho para o lado encontrando Percy com um leve sorriso nos rosto 

-Agora que todos estão prontos, desejo a vocês uma boa viagem, que os deuses os acompanhe! Argos irá os levar até a cidade, a partir dai, vocês terão que ir sozinhos. 

Um homem alto se aproxima, ele usava um macacão azul com o simbolo do acampamento bordado nele, cobria quase todo o seu corpo, porém as partes que ainda ficavam a mostra como suas mãos, pescoço e rosto eram repletos de olhos. 

Exatamente, havia olhos a mostra por todas as partes descobertas... Deve ser o tal Argos

Após uma rápida despedida adentramos uma van prateada, todos que se encontravam ali no topo me desejaram sorte, a não ser a loira aguada, mas dela eu não espera isso 

Estava sentada no banco de trás com os outros três ao meu lado, os olhos que haviam na parte de trás do pescoço de Argos estavam me incomodando, afinal, eles pareciam estar observando cada movimento que eu poderia fazer... 

Em poucos minutos nos encontrávamos no centro de Manhattan, descemos da van rapidamente, o grandalhão balança a cabeça como se estivesse se despedindo, porém nada diz e apenas desaparece nos deixando sozinhos.

Agora estávamos por conta própria! 

-Como chegaremos até Seattle? -Beatriz pergunta olhando para todos os lados

-Podemos pegar um avião. Chegaríamos lá rapidinho. -sugiro já contente com minha ideia, terminaríamos a missão em menos de dois dias 

-Avião não! -Percy exclama com os olhos arregalados, Nico se encontrava do mesmo jeito, os observo em silêncio completamente confusa- Pense Lane, três de nós somos filhos dos três grandes e, muitas vezes ha rivalidades entre eles. Você acha que é mesmo uma boa ideia dois de Poseidon e um de Hades ir pelo ar? No território de Zeus?

Os observo e logo balanço a cabeça em negação, ficamos em silêncio por alguns longos minutos.

-Podemos pegar um trem, o que acham? -Nico sugere, todos nos olhamos por instantes antes de concordamos

-Boa ideia! -Beatriz sorri animada

-Vamos comprar as passagens!

Caminhamos pelas ruas a procura de alguma estação onde possamos embarcar.

(...)

Estamos dentro desse trem a exatamente quatro horas, seguiríamos em direção a Seattle e chegaríamos no local em menos de três dias. Já me encontrava cansada de ficar sentada, Beatriz havia dormido minutos depois que entramos enquanto Nico e Percy conversavam. 

Me levanto já entediada, e logo os dois garotos me observam

-Para onde vai Lane? -Percy pergunta me encarando, olho ao redor respirando fundo

-Preciso andar um pouco, estou cansada de ficar sentada. -o moreno balança a cabeça em concordância, caminho lentamente pelo vagão mas antes consigo o escutar murmurar um "Tenha cuidado"

-Pode deixar. -caminho lentamente, dentro dos vagões haviam poucas pessoas. Depois de alguns longos minutos, adentro em um longo corredor completamente vazio, um galão de água se encontrava de ponta cabeça em um filtro

Me abaixo colocando as mãos em um copo descartável que se encontrava dentro de um saco plástico atrás do balcão, quando volto a me levantar, sinto uma presença se aproximando, meus olhos se arregalam, se fosse algum tipo de fúria eu estaria ferrada afinal, não tenho nenhum tipo de arma ao meu alcance a não ser um copo plástico 

Quando vejo a sombra no chão parar bem atrás de mim, passo a mão sobre o balcão encontrando um pedaço de madeira fina, me viro rapidamente com o objeto em mãos 

-Calma, não quero morrer tão cedo, ainda mais com um... Pedaço de madeira? -Percy ergue as mãos como rendição, o garoto gargalha olhando para a textura fina em minhas mãos

-Droga, você me assustou! 

-Sou tão feio assim? -coloca a palma sobre o peito como se estivesse ofendido, um leve sorriso cresce em meu rosto 

-Não é isso, apenas pensei que poderia ser um monstro -me viro em direção ao filtro enchendo um dos copos- Quer água? 

-Me de um pouco -o entrego o copinho já cheio e volto a encher outro para mim-Preciso falar com você -observo o garoto enquanto me apoio no balcão

-Sobre o que? 

-A alguns meses atrás, Poseidon me fez uma breve visita, ele me entregou isso -tirou de seu bolso uma caixinha azulada- E disse que era para entregar para seu próximo filho. Quando ouvi suas palavras, fiquei muito confuso, afinal, havia o juramento dos três grandes e, caso ele tivesse outro, seria a pelo menos quarenta anos. 

O moreno segura em minha mão esquerda, colocando a caixa sobre minha palma, a abro encontrando uma delicada pulseira, era realmente linda, toda prateada com delicados golfinhos da mesma cor, por entre os animais haviam pequenos círculos onde dentro deles, continha pequenas pedras redondas da cor azul

-A algumas horas atrás, quando descobri que você era minha irmã, tudo ficou claro, era para mim ter te dado ontem mesmo, mas como o dia foi muito agitado acabei me esquecendo, mas, aqui está. 

-Eu não quero Percy -o garoto me olha confuso- Não quero nada relacionado a ele -estico a caixa em direção ao moreno, mas ele segura em minha mão, a afastando para trás

-Ele me disse, que quando corresse perigo, o objeto teria muita utilidade 

-No que uma pulseira me ajudaria? Em nada! Tome, guarde 

-Lane, pegue, se não for por ele, que seja por mim. -o encaro em silêncio por alguns minutos, até que finalmente tomo uma decisão 

-Coloque para mim? -um grande sorriso cresce em seu rosto, o garoto segura em suas mãos o delicado objeto, estico meu braço enquanto o vejo coloca-lo sobre meu pulso 

-Pronto! -um pequeno sorriso cresce em meus lábios 

-Que belo momento em família! -uma voz feminina ecoa no vagão, olhamos para trás encontrando uma bela mulher parada na entrada- Pena que será o último momento que terão. 

Dois pares de asas cresce sobre seus braços, sua blusa desaparece e seus cabelos cai, cobrindo seus seios nus, penas aparece por todo o seu corpo fazendo assim meus olhos se arregalarem, Percy logo pragueja algo ao meu lado. Acho que ele também não havia nenhuma arma naquele instante, o que iriamos fazer?

"Não se preocupe criança, pense em uma arma e você sairá dessa situação" 

A voz em minha cabeça era severa porém me passava uma grande calma, em meus pensamentos uma espada se forma porém nada acontece 

"Se concentre Ally!"

Esse apelido... Faço como pedido, fecho os olhos e em segundos sinto algo pesar em minhas mãos, olho para baixo encontrando uma bela espada, Percy me encarava surpreso 

A lâmina do objeto era comprida, muito bem afiada, reluzente, seu punho era revestido por couro com duas pequenas pedras azuis sobre ele, em uma plaquinha dourada se encontrava escrito em letras bizarras 

καρδιά γενναίος

Em segundos consigo traduzi-la como "Coração Valente" algo que me surpreende. 

"Movimentos leves, acerte o peito e isso acabará"

Faço como dito, em um simples e inesperado movimento, passo a espada pelo monstro que se aproximava, porém não foi no lugar esperado, a lâmina havia pego uma das asas mas pelo menos causou alguma reação

A mulher-pássaro em minha frente se contorce, soltando um alto gemido, sobre as penas consigo ver um líquido dourado derramar, aproveito a distração para fincar o objeto em seu peito fazendo assim, o monstro me observar com fúria

-Não se considere vencedora semideusa -antes que possa desaparecer por completo, a mulher se pronuncia, um enorme sorriso cresce em seu rosto enquanto a observo confusa- As chamas se alastrarão, ninguém sairá vivo desses vagão. 

E com essas palavras, ela desaparece, observo Percy assustada 

-Não pode ser o que estou pensando...-o moreno se pronuncia, balanço a cabeça desesperada

-Sim Percy -corremos pelos vagões a toda velocidade, assim que nos aproximamos dos outros dois, encontro Beatriz e Nicolas conversando calmamente, paramos ofegantes atraindo olhares 

-O que aconteceu? -Nico pergunta se levantando, sua espada já se encontrava em sua mão

-Fogo, vagão, explodir! -pronuncio as palavras enquanto tento recuperar o fôlego, Percy que se encontrava ao meu lado da a eles uma explicação breve

-Temos monstros por aqui, o trem irá explodir em poucos minutos -os dois em minha frente que antes se encontravam confusos, agora estavam assustados

-Temos que sair daqui! -Beatriz exclama, Percy corre em direção a porta e tenta puxa-lá porém em vão

-Está trancada! O que vamos fazer?

-Podemos quebrar os vidros e, pularmos para fora -Nico sugere

-Se nós pularmos correríamos o risco de ter sérios danos, o trem está em movimento!  -Beatriz parecia desesperada, não a julgo, é uma situação assustadora 

-É o único jeito, se não pularmos viraremos churrasco de semideuses! -me pronuncio, todos concordam, Percy destampa sua caneta fazendo assim, a brilhante espada aparecer, com um rápido movimento ele finca o punho do objeto sobre o vidro, destruindo-o em milhares de pedacinhos 

Escuto barulhos no vagão ao lado e, logo em seguida consigo ver duas mulheres se aproximando com sorrisos maníacos

-Rápido, tem duas aqui! -assim que percebem o que estávamos preste a fazer, elas se apressam, Nico e Beatriz seguram as mãos, pulando logo em seguida.

-É a nossa vez Lane. -o moreno me olha, balanço a cabeça em concordância e logo sinto sua mão apertar a minha- Um

-Dois -fecho os olhos me colocando em cima do banco 

-Três! 

Ele completa fazendo assim, pularmos logo em seguida, depois disso, tudo acontece muito rápido 

Assim que meu corpo se choca contra o chão sólido, gritos desesperados ecoam pelo local em que estavamos, olho para trás a tempo de ver a locomotiva explodir, jogando pedaços de metais para todos os lados próximos aos trilhos. Pelo canto do olho, vejo Nico e Beatriz se aproximarem, o garoto mancava 

-Vocês estão bem? -pergunto enquanto aceito a mão de meu irmão que se encontrava estendida para me ajudar a levantar 

-Claro, tirando que uma baleia caiu por cima de mim! -Nico reclama passando a mão esquerda sobre os cabelos negros

-Está me chamando de gorda Di angelo?  -Beatriz se encontrava indignada, Percy e eu nos observamos por alguns segundos antes de rirmos 

-Onde estamos? -Nicolas pergunta olhando ao redor, faço o mesmo porém, as únicas coisas que consigo ver são árvores e arbustos, ou seja... 

-Estamos em uma floresta. -Bia completa meus pensamentos 

-Isso todos já percebemos, a questão é, em que floresta? -meu irmãozinho indaga confuso 

-Só iremos saber se andarmos, vamos! 

(...) 

Havia perdido a noção do quanto havíamos andando, o sol já estava se enfraquecendo enquanto o céu escurecia, daqui a pouco, estaria de noite e ainda não havíamos nenhum lugar para acampar 

-Por Deus, eu já estou exausta! -reclamo jogando minha mochila no chão e me sentando logo em seguida- Não iremos descansar? 

-Pensei que nunca iriam dizer isso -Bia se joga ao meu lado, os outros dois nos olham 

-Precisamos arrumar um lugar seguro para passar a noite meninas -Percy se pronuncia, olho ao redor calmamente 

-Estamos andando a bastante tempo, tenho certeza que aqui é um lugar seguro. Vamos descansar por favor -peço fazendo minha melhor cara de cachorro sem dono

-Que horas será agora? -Beatriz pergunta observando o céu, os meninos também se sentam 

-Ah deve ser umas 18:00, já que está escurecendo -remexo em minha mochila e de lá tiro meu bebezinho 

-São exatamente... -olho para a tela brilhante- 17:40 -os três que se encontravam ao meu lado me olham chocados- Ué, o que foi ? 

Percy tira o celular de minhas mãos o jogando no chão com brutalidade, fazendo assim, o aparelho se quebrar e, como se já não fosse o suficiente, Nico ainda finca sua espada completamente negra sobre a tela. Fico em silêncio por alguns segundos tentando assimilar 

-Mas que merda vocês fizeram? -pergunto incrédula olhando para o aparelho estraçalhado sobre o chão

-Tudo que contém tecnologia é um perigo para semideuses Lane! As fúrias consegue sentir quando mexemos com algo, se você quer atrair monstros para perto, ligue um celular! É como um aviso de "Estamos aqui, venham nos pegar"  -Bia explica olhando para todos os lados 

-Agora sabemos como as harpias nos acharão -Nico revira os olhos entediado, escuto barulhos e logo trato de olhar em volta, em meu campo de visão, um grupo assustador de típicas cobras com armaduras e lanças aparecem. 

Deixe-me explicar melhor, com duas longas caudas verdes no lugar de pernas, escamas do mesmo tom que se encontrava a mostra por toda a pele desnuda como braços e rosto, grandes olhos dourados arrepiantes, armadura prateada e, enormes armas que alcançariam uma pessoa a pelo menos dois metros 

-Mas que droga! -Beatriz pragueja tirando suas adagas de dentro da bota de cano longo na qual usava, todos preparam suas armas já prontos para a luta, olho para a pulseira enquanto tento me concentrar mas, infelizmente eu me encontrava nervosa 

Assim que o grupo de no máximo quinze monstros assim que nos vê, sorriem maldosas e logo se arrastam em nossa direção em uma alta velocidade. Os três ao meu lado avançam fazendo assim, a luta começar

Uma delas vêem em minha direção, ela era rápida o que me deixou surpresa, eu estava completamente desarmada enquanto o monstro se aproxima com um machado em mãos, recuo e em poucos segundos sinto algo pesar

Suspiro aliviada e logo começo a atacar, empurro a espada porém como não era muito boa nisso a mulher cobra consegue desviar tranquilamente, jogando a pesada e afiada lâmina em minha direção, me jogo no chão rolando para o lado 

Se aquilo tocasse minha pele faria um enorme estrago, preciso pensar em algo rápido! 

A observo por alguns poucos segundos a procura de alguma fraqueza, sua armadura era muito bem feita mas mesmo assim consigo ver uma tira de tamanho razoável aberta. Ótimo! 

Me lanço em sua direção jogando a espada para todos os lados deixando-a atordoada, quando chega o momento certo finco a lâmina sobre sua cintura, ela grita antes de se transformar em pó

Olho ao redor, Percy e Nico lutavam lado a lado contra quatro monstros, pelo o que parecia eles estavam dando conta, Beatriz estava afastada de todos nós, lutando contra três deles e parecia estar exausta, preciso a ajudar.

Corro o mais rápido que posso mas mesmo assim faltava muito para me aproximar, tenho uma ideia, pode ser arriscada mas é o único jeito de ajuda-la, sinto pequenas facas sobre minhas mãos e antes de colocar o plano em ação grito 

-BIA SE ABAIXE 

Com essas palavras lanço uma das adagas em sua direção, a garota se abaixa no momento exato em que o objeto cortante passa por sua cabeça, pegando no centro da testa de uma das equidnas

Sim eu havia estudado sobre elas!

A garota aproveita para passar sua adaga sobre a cauda esquerda do monstro, fazendo assim o líquido dourado escorrer a deixando sem nenhum equilíbrio, duas delas já havia desaparecido, só restava mais uma para Beatriz 

Respiro fundo quando escuto barulhos estranhos se aproximando, deve estar achando que irá me pegar desprevenida... Assim que sinto a presença atrás de mim me viro rapidamente passando a espada em direção ao monstro a decapitando. Sua cabeça é lançada ao chão enquanto seu corpo desaparece 

Mas eu estava pensando que era apenas uma... Me enganei, a outra logo se prepara, o machado que se encontrava em suas mãos com certeza não era um objeto normal, já que, assim que foi de encontro com o chão causou tremor 

Como eu não estava esperando, acabei tropeçando em meus próprios pés, ela sorri satisfeita assim que me encontra caída

-Aquelas imprestáveis não conseguiram acabar contigo, mas não se preocupe, sua morte será rápida! -assim que termina a frase, lança o objeto em minha direção, meus olhos se arregalam e trato logo de rolar para o lado, pego a espada que se encontrava caída, me levanto já pronta para atacar, porém essa era realmente esperta 

Quando invisto um golpe em sua direção, ela o impede lançando minha espada para longe, respiro fundo recuando, assim que se prepara para dar o último golpe, vejo uma lâmina negra atravessar seu corpo, nem mesmo a armadura foi suficiente para a proteger. 

Enquanto dissolvia, a mulher abre um largo sorriso sombrio 

-Se prepare! -fico em silêncio enquanto tento entender o que quis dizer

-ALANA CUIDADO! -um grito me alerta, mas já era tarde demais, algo pontudo atravessa meu abdômen o que me faz gritar, olho para baixo encontrando uma lâmina afiada atravessada sobre meu corpo, desço minha mão no local afetado sentindo um líquido quente manchar minha pele, minha visão embaça enquanto meus olhos se fecham...

A última coisa que vejo é Percy correndo em minha direção, depois disso me entrego a escuridão... 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...