História Was already written. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, LaLi Esposito, Marcelo Vieira, Marco Reus, Mario Götze, Mats Hummels, Pattie Mallette, Pierre-Emerick Aubameyang
Personagens Ashley Benson, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Lali Esposito, Marcelo Vieira, Marco Reus, Mario Götze, Mats Hummels, Pattie Mallette, Personagens Originais, Pierre-Emerick Aubameyang
Tags Ashley Benson, Borussia Dortmund, Cristiano Ronaldo, Drama, James Rodriguez, Lali Esposito, Marco Reus, Mario Gotze, Mats Hummels, Real Madrid, Romance, Sexo
Exibições 96
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi minhas liiiindas, como que vocês estão?
Então, mil desculpa pela demora para atualizar a fic, é que ando muito ocupada ultimamente.
Mais estou de vooooolta e vim com tudo (Sqn) kkkkkk. Então vejo vocês nas notas finais, beijos <3

#Nadadefotonacapahoje! heueheu

Capítulo 9 - Encontros desagradáveis.


Povs Deb 

Sexta -Feira havia chegada tão rápido quanto o Bolt na linha de chegada da sua corrida. Se eu estava nervosa para meu "Encontro" com Marco, SIM. Eu estava, eu estava em duvida até da cor da calcinha que eu usaria, isso se eu usar calcinha. Ri dos meus pensamentos.

-Como assim vocês se beijaram? -A loira ao meu lado berrou em meu ouvido. 

-Ash, foi apenas uns beijinhos. -Dei de ombros fingindo que eu não me importava muito. Mais a verdade era que eu estava soltando fogos de artifícios por dentro. 

-Como assim "Foi apenas uns beijinhos"? -Ela me encarava incrédula. -Amiga você sabe que eu quero te  ver feliz não sabe? 

Assenti olhando diretamente para a loira, ela pareceu pensar bem no que iria dizer. 

-Você não pode ceder tão fácil para ele assim, pelo que eu me lembre ele te machucou muito. 

-Eu não estou cedendo fácil, eu apenas...-Parei para pensar bem e sim, eu estava cedendo fácil de mais. Marco havia me humilhado, destruído meu coração e olhe só para mim, eu estava como uma louca beijando ele pelos cantos. Isso era errado. -Eu só quis seguir em frente, sabe. Deixar o passado e construir um novo futuro. 

-Eu entendo, mais Marco pisou muito em você. Tudo bem que você queria construir um novo futuro, você pode ser amiga dele e tals, mais se pegam de vez em quando? -Ela arqueou uma sobrancelha. 

-Isso só aconteceu duas vezes, não vai acontecer de novo. -Me levantei da mesa do café, hoje eu estava de folga e iria no mercado fazer umas comprinhas

-E oque te garante que não irá acontecer novamente? você é apaixonada pelo Marco se ele te beijar você com certeza irá ceder.

-Ashley não vai acontecer tá, eu prometo. -Peguei minha bolsa e chave do carro. -Vou no mercado. 

-Mais fizemos compra ontem. -Ela arqueou a sobrancelha novamente. -Não tem nada faltando aqui em casa. 

-Eu sei, mais é que eu convidei um amigo para jantar comigo.

-Que amigo é esse? O Cris? -Ela fez uma cara safada, que foi impossível não cair em gargalhadas. -Em falar nisso faz tempo que não vejo ele. 

-Ash...Então..É não é o Cris que vai vim...-Sorri com vergonha, pois tínhamos acabado de falar dessa pessoa. 

-Aé? então quem é o amiguinho novo? -Novamente sorriu safada. 

-Eu preciso ir, vai trabalhar hoje? -Mudei de assunto e vi ela assentir. Ótimo eu teria a casa só para nós dois. 

-Espera. -Correu em minha direção. -Quem vai vim não é nenhum amigo novo né? 

-É-é eu...Acho que n...-Me enrolei com minhas próprias palavras ficando totalmente vermelha. 

-Só não me diga que quem virá é o...

-Marco? ele mesmo! como você acertou? então se tá fazendo bruxaria? -Falei rápido demais, vendo ela fechar a cara e depois soltar uma risada. -Depois eu te compro uma bola de cristal tá, minha bruxinha linda. -Apertei sua bochecha, vendo a mesma bater sua mão na minha. -Vou indo, se cuida. -Beijei sua bochecha e fui direto para meu carro fazer minhas compras. 

[...]

Essa era a sexta vez que eu trocava de roupa, nada parecia ser bom o suficiente. Droga, eu deveria ter comprado algo para vestir também. Olhei-me no espelho pela terceira vez, tirei aquela saia e aquela blusa que antes parecia ser bonita, oque estava acontecendo com minhas roupas? elas não estavam ficando bonitas em mim, será que eu havia engordado? ou sera que tudo era nervosismo mesmo? Decidi ligar para Ash, talvez ela pudesse me ajudar. No segundo toque a voz da loira ecoou em meus ouvidos.

-Já sei, não sabe oque vestir e veio me pedir ajuda? -Ela falou dando pequenas gargalhadas. Gente essa menina só poderia ser bruxa, como ela sabia? 

-Sério mesmo, to começando a ter medo de você. -Novamente ouvi sua gargalhada. -Como acertou. 

-Eu sabia que estaria nervosa e não saberia oque escolher. Mais então, eu sei oque você pode usar. 

-Aé oque? me diga por favor, porque todas as minhas roupas parecem estar feias, grande demais ou curtas demais. 

-Não faz muito tempo, Mario me chamou para sair e eu comprei um vestido. 

-Oque como assim Mario te chama para sair e você não me fala nada? achei que eu era sua melhor amiga, achei que tínhamos um clima tá ligada? -Fingi voz de choro, e ela riu. 

-Eu acabei esquecendo, mais depois eu te conto essa história. Ó faz assim, vai no meu quarto e pega uma caixa embaixo da minha cama, lá terá um vestido. 

-Ok. -Fiz oque ela pediu, fui até o quarto e peguei a caixa abrindo a mesma. Dentro tinha um vestido branco com detalhes de flores de diamantes. Era perfeito. -Meu deus Ash, ele é lindo de mais. -Analisei o vestido novamente. 

-Eu sei querida, tenho bom gosto. -Revirei os olhos. -Então use e se divirta. -Sorri com sua frase. -Mais não tanto assim, em. 

-Pode deixar mamãe. Obrigada, de verdade. Sem você eu não sei oque faria.-Ela riu. 

-De nada, agora preciso ir. Beijos. -Ela desligou e eu fiz o mesmo, peguei o vestido e fui correndo tomar um banho. 

[...]

Estava terminando de passar meu gloss, quando escuto a campainha tocar. Era ele. Meu coração começou a bater mais rápido, minhas pernas pareciam gelatinas de tão mole que estavam. Dei uma última arrumada no cabelo e olhada no espelho, sorri com que eu via. Eu estava bonita, aquele lindo vestido deixou minhas curvas perfeitas. Eu usava um salto médio branco, e meu cabelo estava solto com alguns caixinhos nas pontas. Já minha maquiagem estava leve, optei por nada forte. Respirei fundo caminhando até a porta, passei a mão no vestido e coloquei meu melhor sorriso em meus lábios. 

-Oi. -Marco se pronunciou primeiro. Ele estava usando uma calça jeans apertada e uma blusa social azul escura. Seus famosos fios de cabelos loiros estavam perfeitamente alinhado em um topete, me fazendo suspirar de tanta perfeição. Ele estava com um vinho em uma mão e na outra um buque de flores vermelhas. Se ele queria me impressionar, ele estava conseguindo. -Poxa, você está...Linda. 

-Olá. -Falei tímida com seu elogio. -Você também está lindo, entre. -Dei espaço e ele entrou. 

-Trouxe isso para você, e isso para nós. -Me esticou as flores, eu diretamente levei elas em meu nariz, sentindo o aroma delicioso daquelas flores. 

-Obrigada. -Fui até a cozinha colocando elas em um jarro com água. 

-O cheiro está uma delícia. -Marco entrou na cozinha, elogiando nosso jantar. -Oque é?

-Você logo verá. -Coloquei nossos pratos na mesa e logo nos servi. Eu havia feito carne grelhada com brócolis e uma salada básica, e Marco trouxe um vinho tinto seco. Pareceu que ele até acertou em trazer o certo, porque seu vinho cairia perfeitamente com nosso jantar. Conversas iam, conversas vinham e num piscar de olhos, já havíamos secado quase toda aquele garrafa. Havíamos terminado de jantar também, levantamos  e fomos nos sentar no sofá. 

-Lembra. Quando. Sua. Mãe brigou com você. Por. Ter matado aula para ir jogar bola na casa de seus amigos? -Falei entre gargalhadas e ele me acompanhou. 

-Claro que lembro, aquele dia eu levei uma surra tão feia que quase não jogo mais bola. -Gargalhei novamente. -Por isso tenho lesões frequentemente. 

-Ai Marco só você mesmo. Ei, que tal bebermos outro vinho? -Ele assentiu, fui até a cozinha pegando um vinho e duas taças. -Cheguei. -Marco abriu o vinho, e colocou em nossas taças. 

-Você ficou tão linda nesse vestido. -Me olhou mordendo os lábios, eu estava vermelha feito um pimentão. 

-Que bom, porque eu fiquei horas decidindo oque usar. -Ele sorriu de canto, se aproximou de me rosto me deixando mais nervosa ainda. 

-Posso te falar uma coisa? -Sussurrou em meu ouvido me causando arrepios, assenti. -Eu preferia você sem ele. -Arregalei meus olhos e ele colocou sua cabeça na curva do meu pescoço inalando meu perfume. -Eu amo o seu cheiro....Seu jeito...Seu corpo. -Sua mão esquerda foi direto em minha cintura  nos grudando e acabando com o espaço entre nós. 

-Eu também amo seu cheiro, jeito e corpo. 

-Eu posso te bei...

-Você deve. -Ele selou nossos lábios com pressa. E lá estava eu, quebrando minha promessa, eu não conseguiria ficar com aquele homem sem o beijar por um minuto se quer. Era como se ele fosse uma droga, eu precisava dele. Minhas mãos foram para seu pescoço aprofundando nosso beijo. Marco aos poucos foi se deitando em cima de mim sua mão direita passeava em minhas coxas desnudas por conta do vestido. Pedi passagem com a língua e sem protestar ele logo cedeu, fazendo nossas línguas travarem uma enorme batalha. 

-Não deveríamos estar fazendo isso Reus. -Falei entre suspiros, seus lábios depositavam pequenos beijos em meus pescoço -Isso é errado. 

-Para mim não parece errado. Mais se quiser parar eu vou entender. -Sua mão apertou um pouco minha coxa, me fazendo arfar. OH DEUS aquilo era tão bom, porque eu simplesmente não o impedia? porque eu não o empurrava de cima de mim? talvez eu quisesse tanto quanto ele, meu corpo não responderia meus atos até eu não sentir oque eu queria. Desbotoei a camisa dele arrancando logo de seu corpo, passei minhas unhas por todo aquele abdômen trincado. Ouvi Marco suspirar alto com o meu toque, ele passou a mão na barra do meu vestido o subindo até a minha bunda. Aonde ele passou a mão no local depositando um tapa, mordi meu lábio para reprimir um gemido que logo escaparia. Levei minhas mãos até a barra da calça de Marco e quando ia tira-la, a campainha toca. 

-Marco espera ai...-Quando eu ia sair de cima dele, ele me impediu.

-Não vai não, deixa tocar. -Selou nossos lábios novamente. -Temos coisa melhor para fazer. 

-Espera, deixa eu só ver quem é já venho. -Dei-lhe um selinho rápido e ele assentiu tirando a calça ficando apenas de boxer. Mordi meus lábios e ele sorriu de canto. 

-Não demore, te espero no quarto. -Me mandou um piscadela, quando ele ia sair, dei um tapinha em seu bumbum. 

-Desculpa, mais eu tinha que fazer isso. -Ele gargalhou, e saiu entrando em meu quarto. Arrumei meu vestido e fui até a porta abrindo a mesma. 

-Oi. 

Eu não acredito que ele estava aqui. 

-Cristiano? -Perguntei surpresa, ele me olhou de cima a baixo. 

-Em carne e osso, posso entrar. -Eu estava paralisada não sabia oque falar ou fazer. 

-Não, quer dizer pode. -Ele fez uma cara de confuso. -Não, acho melhor você não entrar. 

-Ué porque? eu não te vejo desde aquele dia que o idiota do seu amigo se lesionou. -Falou se referindo a Marco. 

-É que eu estou meio ocupada. -Sorri sem jeito pela mentira que havia acabado de inventar. 

-Sério? que pena, eu vim aqui te chamar para a gente ir em uma pizzaria. -Eu não acredito que CRISTIANO RONALDO veio até minha casa me chamar para comer pizza e eu iria negar?

-Pode ser outro dia? é que hoje não vai dar, me desculpa. -Ele assentiu, eu era uma péssima pessoa. Eu estava dando um bolo nele para ficar com Marco, e "estava" dando um bolo em Marco para conversar com Cristiano. Se bem que isso não é um bolo exatamente, mais...Argggggh vocês me entenderam. 

-Tudo bem, mais e ai você está bem? -Droga, ele estava fazendo de tudo para conversar comigo, e eu queria acabar aquela conversa o mais rápido possível. 

-É sim, eu to sim. Desculpa não vou te perguntar, porque com certeza você deve estar. -Ele novamente me olhou confuso. 

-Estou melhorando da minha lesão, obrigado por perguntar. -Falou irônico e eu revirei os olhos. 

-Preciso ir, foi bom te ver. -Dei um beijo em sua bochecha. -Amanhã te mando mensagem e marcamos de ir na pizzaria pode ser? -Ele assentiu e quando eu estava prestes a fechar a porta Marco entra na sala e ficando totalmente paralisado. 

-Cristiano? -O loiro rugiu entre dentes. 

-Marco? -O moreno encarou o loiro incrédulo. 

Puta que pariu, eu to fodida. 


Notas Finais


EITA BRASIL, TRETA, TRETA, TREEEETA!
Obrigada por ler, boa leitura.
Ah e obrigada pelos favoritos, 6 são as melhores <3
Vejo 6 em breve. Beiiiiiiijos <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...