História Watashi no sekai - interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Interativa, The Gray Garden
Exibições 28
Palavras 1.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Kogane no tochi


P.O.V. Autor

-É... não.-Ryu.

-Medroso!-Tenma.

-Arregão.-Alex fingiu tossir.

-A-Alex, pode me soltar?-Taly.

-Aguenta a e, quero prestar atenção nisso.-Alex.

-Vai Ryu, é só uma disputa amigavel.-Eduard.

-Ok, é o seguinte, vamos mandar o nosso melhor golpe de uma vez, se eu vencer você para com isso e se você vencer eu falarei que você mais forte.-Ryu.

-De joelhos?-Tenma.

-De joelhos.-Ryu.

-Isso vai ser divertido.-Taro.

SALA MOLDE

-Vocês podem competir aqui.-Emili.

-Que lugar é esse?-Alex segura os braços de Taly com apenas uma mão e sai andando para ver tudo que está a sua volta.

Todos estão em um vale florido, com flores de todas as espécies e cores.

-Antes de criar meu mundo eu criei este lugar, ele não pode ser achado pois está em uma fenda do tempo então só eu posso vir aqui.-Emili.

-Então toda a natureza do seu mundo foi baseada neste lugar?-Arche.

-Sim.-Emili.

-Bem, vamos acabar logo com isso.-Ryu abre sua mão e a direciona a Tenma.-Preparado?

-Já!-Tenma ergue sua mão na direção de Ryu e só é visto um brilho antes deles sumirem.

-Pra onde foram?-Taro.

-Acho que já que este lugar não tem tempo definido, o golpe deles congelou o "Tempo" que eles estavam mais agende não.-Emili.

Todos olham para Arche.

-É possível.-Arche.

-E quando eles voltam?-Alex.

-Assim que o pararem de usar o poder.-Emili.

-Ok... que tal darmos uma olhada por ai enquanto eles não voltam?-Gael.

-É uma boa ideia, a é aqui já tem duas pessoas que chegaram mais cedo no castelo pedindo para eu traze-las aqui, só que eu não sei onde elas estão.-Emili.

-Ok... ta na hora de explorar!-Taro sai correndo.

P.O.V. Taly

-Alex me solta!-Alex me levava de um lado para o outro.

-Calada se não conto para o seu pai que você não consegue nem controlar o Diabo do seu mundo!-Alex.

Droga! Eu odeio quando ele faz isso! É sempre a mesma coisa.

-Ok.-Mordi meu lábio inferior desejando soca-lo, mais dai iria se iniciar uma guerra, e meu pai não pode saber que o meu mundo está banhado no caos!-Onde estamos indo?

-Pra lá.-ele apontou para uma floresta.

-P-Por que lá?-senti minhas bochechas queimarem de vergonha.

-Não te interessa.-Alex.

Entramos na floresta e fomos até uma árvore com folhas brancas, Alex me sentou encostada na árvore e sentou do meu lado.

-Isso vai ter volta, viu.

-Isso? Isso oque?-Alex se aproximou de mim, e eu fui me afastando.

-E-Ei Alex, oque está fazendo?-ele segurou minha mão e me puxou fazendo eu ficar deitada de bruços no seu colo.-Alex, me solta!

-Quieta!-Alex levantou a mão.-Você não manda em mim, e vou lhe ensinar hoje que qualquer ordem sua não se aplica a mim.

-C-Como assim?-Olhei para ele e o mesmo estava com aquele sorriso sombrio de dentes serrilhados, ele deu um tapa na minha bunda muito forte e eu acabei gritando, ia tentar me levantar mais apareceram correntes vermelhas nos meus pulsos me prendendo ao chão.-Me solta Alex!

-Não, e você sabe o por que?-Alex.

-P-Por que?-ele deu mais um tapa e eu gritei.

-Porque você não manda em mim!-ele colocou o braço direito encima de mim e usou o mesmo para apoiar a cabeça, COMO SE EU FOSSE UMA MESA! Ele continuou dando tapas cada veis mais fortes.

-P-PARA ALEX!

-Não!-Alex.

-POR FAVOR!-eu já estava lacrimejando. Ele me botou sentada no seu colo e ficou olhando nos meus olhos.

-Me chame de Mestre.-Alex pegou uma palmatoria vermelha.- Senão.

-P-Pode parar Mestre? Por favor.

-Ok... vou parar.-ele me soltou das correntes e fez a palmatoria sumir de sua mão, estava cansada e só pude cair deitando em seu peito.

-Como? Como você fez isto?-fiquei olhando o chão.

-Quando pessoas mais fortes que eu estão encostando em mim, eu sugo de pouco em pouco os seus poderes, aquele abraço me deu forças para te fazer ficar assim, e isso é pra você aprender que agora eu estou no comando entendeu?-acenei com a cabeça.-Muito bem, agora.-ele segurou o meu queixo e me fez olhar para ele.-Você ficaria perfeita de vermelho.-ele foi se aproximando e eu não sabia oque fazer então só deixei ele fazer oque queria, mais eu queria que o meu primeiro beijo fosse algo romântico e não após uma sessão de de tapas do sadista vermelho.

Quando ele estava quase colando nossos lábios, um som de um impacto muito forte e um terremoto fez ele parar, ufa! Salva pelo gongo celestial que salva os divinos!

-Oque foi isso?-Alex.

~ Dez minutos antes ~

P.O.V. Eduard

Estava subindo o monte em direção a um templo dourado para ver se Emili estava lá, cansei de ouvir o Gael falar das flores que ele ainda não colocou no seu mundo, ao chegar no topo, tive uma boa visão do interior do templo, que nostalgia, o chão de ouro puro e os pilares de ouro branco, ah, incrível, Emili estava no centro do templo olhando uma... ROSA DE OURO!

-Emili, isso é-

-Fique longe! Não vai queimar a ultima!-Emili.

-Eu já pedi desculpas, não pedi?

-Mesmo assim, essa é a coisa que eu mais prezo no meu mundo, não ouse pensar em destruí-la.-Emili.

Me aproximei da rosa e Emili ficou observando cada um de meus passos, ela é tão linda, como eu pude quase acabar com essa bela flor? Bem eu vou reverter isso! Levantei minha mão na direção da rosa e disparei fogo a tranformando em cinzas, no mesmo instante Emili pulou no meu pescoço e começou a me estrangular.

P.O.V. Emili 

-S-SEU MALDITO COMO PODE?! EU PEDI PARA VOCÊ NÃO FAZER ISSO! AAAAAH! EU DECLARO GUERRA! GUERRA!-ele já estava ficando roxo quando um brilho me chamou a atenção, olhei para as cinzas da rosa e elas estava... brilhando? Me levantei e fui até ela.

-N-Não é... atoa... que me chamam de Fênix...-disse Eduard enquanto tossia, eu assoprei as cinzas e eram doze sementes de ouro.

-I-Isso é...

-Para você.-Ele se levantou e veio até mim.-Me desculpa por queimar as suas flores, mais pelo menos agora você poderá plantar mais.- Pulei em cima dele fazendo nós dois cairmos no chão e no calor do momento o beijei.

-Obrigada Ed!

-E-Emili, você...-assim que percebi oque eu tinha feito fiquei completamente vermelha eu comecei a me levantar, mais ele me deitou no chão e ficou por cima de mim.

-E-Ed.

-Por que está tão vermelha Emili? Não era isso que você queria? Outro dia eu ouvi você falar que gostava de mim.-ele foi se aproximando cada vez mais.- E... eu também gosto de você.-ele me beijou, um beijo calmo e apaixonado, ficamos daquele jeito por um bom tempo até ele começar a intensificar o beijo pedindo passagem com a linguá, sem saber oque fazer  eu simplesmente dei passagem a ele, ele começou a desabotoar minha camisa e eu fiquei um pouco nervosa, posso ter centenas e milhares de anos, mais eu nunca pensei que eu faria algo do tipo, nos separamos pela falta de ar, ele estava sorrindo, um sorriso lindo, mais assim que abriu a minha camisa ele mudou para um sorriso de deboche e eu olhei para meu corpo sem entender oque tinha de errado.

-O-Oque foi Ed?

-É sério que uma loli como você precisa de sutiã? HAHAHAHAHA!-Eduard.

-Ghh... HORA SEU!-sem pensar duas vezes eu segurei seu pescoço e o joguei de cabeça no chão assim fazendo um breve terremoto e a cabeça desse idiota entrar no chão de ouro maciço.-Idiota!

-ahh...-Eduard.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...