História Watashitachi no Himitsu - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Comedia, Drama, História Diferente, Romance, Shoujo
Exibições 6
Palavras 661
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi, oi meus salgadinhos de festa! Tudo bom? 'Spero que sim com todos :3 (nossa, como me sinto fluente em português dizendo " 'spero " kkkkkk #iludida c': )
Mais um capítulo direto do forninho pra vocês. Talvez eu poste ou sábado ou domingo (talvez no domingo, não sei...). É que peguei um livro na Biblioteca do meu colégio é está assim... gostosinho de ler :v haha
Mas não deixarei vocês sem caps por muito tempo ^^ (agradeço quem está lendo <3)
Enfim, bora pra leitura~ Desejo uma ótima leitura.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Acabei empurrando-o para longe de mim, em seguida lancei um tapa à sua face esquerda. Deveria ter doído, pois senti minha mão arder e formigar. Eu estava vermelha, mas ele... natural.

- O que raios e trovões de Zeus você pensa que está fazendo?! – disse colocando a mão esquerda na boca. Ele colocou a mão gentilmente em sua própria face.

Ele fitou profundamente meus olhos, e eu os olhos deles. Estava esperando ansiosa por uma resposta. Quando ele tomou ar e abriu a boca para talvez falar alguma coisa o sinal ecoou pelos corredores do colégio.

- Temos que ir. O Diretor já deve estar em sua sala... Vamos? – disse retirando a mão da face e estendendo-a para mim. Vi que sua bochecha estava vermelha. Não deixei de olhar.

Eu ainda estava imóvel. Ele então, um tanto hesitante, pegou em minha mão. Talvez com medo de levar outro tapa na face. No caminho relembrei o beijo e senti minhas bochechas ferverem.

 Droga! Droga! Droga!

Quando menos esperei, já estávamos em frente ao velho senhor barrigudo e baixinho que era o Diretor. Ele nos convidou para entrar e conversou com o Kai. Escutei dele falando coisas como “vejo que já fez uma amizade”; “isso será bom para já se enturmar”; etc. Não consegui prestar atenção nas demais palavras ditas pela conversação dos dois. Aquela maldita ação não saía de jeito algum da minha mente. Por que do nada ele fez isso?! Ah! Isso me irrita profundamente!

- Sendo assim você está de acordo, senhorita Tamiko? – o Diretor disse olhando para mim. Vi que Kai estava olhando para mim também.

- E-eh?! – disse eu despertando-me do transe.

- A senhorita está vermelha... está tudo bem com sua saúde?

- A-ah, c-claro! Hehe... Está tudo em ordem. O que o senhor gostaria mesmo, desculpe?

- Poderia guiar o jovem rapaz aqui durante um tempo até ele se acostumar com tudo?

Olhei para o Kai e ele ainda fitava-me. Não conseguia tirar meus olhos dos seus. Um castanho tão profundo... tão brilhante. Parecia uma película de água. Minhas palavras transformaram-se em um suspiro. Acabei concordando no final.

- Ótimo, ótimo – sorria o Diretor. – Estás em boas mãos, senhorzinho – disse o Diretor. – Bem, como você chegou hoje não terá penalizações. Já você senhorita Tamiko... terás que cumprir tarefas se não quiser levar advertências. Já que ficou matando aula durante o dia todo hoje.

- Mas! Quando seria isso?

- Hoje de tarde.

- Eu não posso! – disse levantando-me. – Eu tenho trabalho! – acabei congelando por um momento. Olhei para o Kai e ele ainda olhava-me sem expressão alguma. Senti minhas bochechas corarem. Ninguém pode saber... – Eu tenho trabalho doméstico... - disse um pouco devagar. – Eu realmente não posso ficar. Posso fazer isso outro dia?

- Não – disse o Diretor seco.

- Senhor Diretor... – eu aproximei-me de sua mesa e apoiei-me nela com as mãos. – Eu lhe imploro... minha mãe vai ficar muito furiosa. E ainda tenho um irmãozinho! É! Eu tenho um irmãozinho para cuidar também!

Quando o Diretor ia falar alguma coisa Kai interviu.

- Eu fico no lugar dela.

Olhamos para ele. O Diretor com a mesma expressão séria de sempre, já eu... surpresa e muito agradecida.

- Não há de incomodar-te? – perguntei.

- Nem um pouco.

Um largo sorriso veio ser estampado em minha face. Curvei-me rapidamente em um ângulo quase perfeito de 90°.

- Muito obrigada! Estarei te devendo essa!

 

Descobri que Kai ficou na mesma turma que eu e no final da tarde eu novamente fui falar com ele.

- Kai-kun...

- Hn?

- É... muito obrigada por ficar na limpeza por mim hoje. Eu realmente tenho coisas para fazer... Fico te devendo uma, okay?

Ele deu de ombros e quando eu pensei que ele não se importava, ele lançou um sorriso lateral na face. Não decifrei se era dócil, carinhoso ou malicioso. Sorri de volta e corri para meu trabalho.

Eu realmente... tenho que guardar esse segredo e ajudar minha família!


Notas Finais


Vocês devem estar pensando: "Keké tá aconteCeno ake?! L(ÕAÓL)?" Infelizmente eu tenho que deixá-los nessa "dúvida" um pouco confusa aí porque se eu for explicar já era. Spoiler da estória inteira kkkkk Então relaxem que tudo irá se encaixar em seu devido lugar no momento certo u.u
Então espero que possam segurar ansiedade e essas faquinhas aí (guarde-as muito bem, não as crave em mim :P)
Nos vemos no próximo capítulo!! ^^
Chuuu~

--------------------
Mini-dicionário:
> Kun: é um sufixo que utiliza-se no Japão no nome para garotos (não que não há meninas com "kun", mas é mais comum rapazes usar esse termo).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...