História Watching You - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Bts, Comedia, Jimin, Yoongi, Yoonmin
Exibições 137
Palavras 5.675
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


MAAAAAAANO FAZ MESES QUE QUERO POSTAR LOGO ESSE BÔNUS.
eu sei, eu sei. Demorou para o senhor caralho, mas finalmente está aqui ♡ essa é o ponto de vista do Jimin, mas como meu pc tá quebrado e eu to postando no celular, não consegui colocar tudo, então a outra parte eu vou postar semana que vem ;)
Além disso, muito obrigada pelos 80 favoritos, porque sério gente, eu não esperava por isso de maneira alguma. Muito obrigada pelo amor de vocês *3*
~boa leitura

Capítulo 3 - Bônus: O Hábito Que Nos Uniu (Parte 1)


 

— Olha logo, Hobi! — falei nervosamente, sentindo meu pescoço coçar. 

Hoseok revirou os olhos, mas mesmo assim girou os olhos por um segundo antes de desviar e focar sua atenção novamente em mim. 

— Ele está falando com o Jongin, Jimin. Agora será que você pode parar de me encher o saco com isso? 

Torci o lábio. 

Droga

Não gosto quando Kai se aproxima. Ele sempre toca demais nele. Agarrar seria a palavra certa, na verdade. 

Odeio isso. 

É como se sentisse o meu rosto ficar em brasa toda vez que eu pensava que Yoongi e Jongin estão ambos solteiros. E mesmo eu e todos dessa escola sabendo que eles são amigos... Nada os impede de começarem um relacionamento. Absolutamente nada. 

Molhei os lábios com a ponta da língua. 

E se eles tivessem algo escondido, e ninguém percebeu? Balancei a cabeça tentando não pensar nisso. Não é da minha conta de qualquer jeito. 

Às vezes eu pego a mim mesmo pensando em como cheguei nessa situação, em que preciso pedir para Hoseok olhar o que ele está fazendo, descobrir o que ele gosta, conversar com ele. Eu sei que isso deixa Hoseok bravo, eu sei que ele quer que eu tome vergonha na cara, mas eu não consigo fazer isso. Não consigo nem dizer "oi" propriamente pra ele, e eu juro que tentei uma vez, juro mesmo. Mas uma garota estranha chegou na minha frente e se declarou pra ele sem nenhuma vergonha — coisa que não dá pra mim, que só de pensar em Yoongi já fico vermelho. Poxa, se eu mal consigo ter a determinação de dizer "olá", como é que eu vou chegar falando que gosto dele? Eu sei que é malvado rir quando uma pessoa parte o coração e sai chorando pelo corredor, mas cara, a menina destruiu toda a minha coragem. E eu sei que é horrível ter me sentido aliviado quando ele a negou, só que eu fiquei tão feliz. Ele não tem ninguém, por enquanto. 

Por enquanto. 

Essas duas palavras me assustam demais, pois elas têm o mesmo significado que "temporário" e "não é pra sempre". E me apavora toda vez que alguém se declara para ele, meu coração para todas às vezes que vejo isso acontecer. Ainda mais quando o Kai está perto. É inexplicável o jeito do Yoongi, mesmo sendo frio e distante, conseguir conquistar tantas pessoas. Não posso reclamar também, afinal eu sou uma dessas pobres pessoas que suspiram só de vê-lo. E eu não sei se o fato de Yoongi não ter olhos para ninguém me entristece ou me alegra. 

Era para ser um motivo bom, mas a perspectiva de ser rejeitado cobre qualquer coisa positiva. 

Mas que caralhos acontece na minha vida? 

Yoongi sempre foi uma figura chamativa, com o seu estilo todo desleixado, as mudanças contínuas de coloração do cabelo — mas que ficam bem nele de qualquer jeito, olha a injustiça aí —, o temperamento curto e grosso e que acaba atraindo mais gente do que afastando. Ele é tão... Enigmático. Sempre detestei essa coisa de ficar correndo atrás de gente que não te dá bola, mas assim... Parece que o jogo virou, não é mesmo? 

Eu, de verdade, pela minha tinta de cabelo que eu usei semana passada, não sei como acabei assim. Eu não ligava muito para ele até uns 5 meses atrás, quando todo mundo soube da traição de Sehun. Não sei, ver Yoongi pela primeira vez gritando e socando o Sehun da ala 2 pareceu... Sei lá, um tanto sexy e charmoso. Eu sei que sou louco por observar isso nessa hora, mas acho que quando ele foi carregado pelos inspetores até a diretoria foi quando Yoongi ganhou a minha atenção. Agora, eu sei como se sentem essas garotas que vão até ele com esperança, de como querem um cara exatamente igual ele, que defende quem ama sem pestanejar. 

Eu também quero, fazer o quê? 

O sinal de entrada ressoou e eu vi Yoongi dar uma última olhada para Jongin, se despedir dele com um aceno de cabeça. Eu não sei o que acontece com esse cara, porque ele agarrou a cintura de Yoongi, enquanto o mesmo reclamava e tentava se soltar. Pode ter sido impressão minha, mas eu tenho quase certeza que vi Kai olhar diretamente pra mim. Quase congelei no lugar. É mentira, certo? Eu devo estar vendo coisas. 

— Jimin, vamos entrar logo, o professor vai brigar com a gente. — disse Taehyung me empurrando pra dentro. 

Aquilo não era pra mim, era? Eu nem nunca falei com Jongin. Nós já nos cumprimentamos algumas vezes, mas foi só isso mesmo. Não tem como ele saber que eu estou afim do Yoongi, porque só Hoseok sabe. E tenho a absoluta certeza que ele não contou a ninguém. 

Não é? 

NÃO É? 

— É, vamos entrar. — murmurei para ninguém especial e entrei na sala com a mente nublada. 


~*~ 

 

— Jimin eu juro, por tudo que é mais sagrado nessa minha miserável vida, que eu não falei pra ninguém. Se acalma! 

Tentei respirar mais normalmente, mas estava difícil porque eu estava nervoso. Fiquei as duas primeiras aulas pensando se aquele olhar era para mim ou não, e precisei tirar a prova com Hoseok. É injusto, eu sei, desconfiar do meu próprio amigo. Mas é uma coisa muito, muito pessoal mesmo e me abala demais se eu pensar que outra pessoa sabe. Se Jongin soubesse, é quase previsível dizer que Yoongi também sabe. Ai Deus. Será que ele sabe? Será que ele já me rejeitou no pensamento? Ah ótimo, eu mal tive a chance e já fui jogado de lado. 

Jimin! — Hoseok me sacudiu, me fazendo despertar. — Para de delirar, eu não contei pra ninguém e o Jongin não sabe de nada. 

— Mas e se- 

— Mas nada. Para de pensar besteira. Nem o Taehyung sabe disso, não foi por isso que vocês brigaram naquele dia? — era verdade. Taehyung tinha brigado comigo duas vezes por se sentir excluído quando está entre eu e Hobi — essa primeira vez foi bem vergonhosa, estávamos no meio de uma palestra importante da escola —, e mais tarde brigamos de novo justamente por eu não ter contado sobre essa coisa que tenho por Yoongi. — Então, não tem como outra pessoa saber. A menos que você não tenha sido discreto na suas secadas- 

— Eu não fico secando ele! — gritei e tapei minha boca imediatamente, sentindo meu rosto corar. 

— Claro que não. — rolou os olhos e senti vontade de bater no rosto de Hoseok. — Você praticamente tira a roupa dele com os olhos. 

— Hoseok, para com isso! — eu conseguia sentir meu corpo encolher e o rosto virar um pimentão de tanta vergonha. Ainda bem que estamos numa parte afastada da escola, perto do estacionamento dos professores e o mais importante: com ninguém por perto. 

— Jimin, você não acha que já está na hora de acabar com isso?  — olhei para ele com um sentimento de incômodo. — Por que não vai logo até ele e deixa os seus sentimentos falarem por você? 

— O que?! — dei um passo para trás assustado. — Você tá maluco? 

— E por que não? — Hoseok deu de ombros. 

— Você já viu o jeito que ele rejeita as pessoas? Como ele é insensível e nada simpático? — sentei na calçada e fiquei encarando o asfalto, me sentindo frustrado e de repente cansado. 

Hoseok suspirou e sentou ao meu lado com as mãos no bolso da jaqueta. 

— Ele não é completamente assim Jimin, você sabe disso tanto quanto eu. Yoongi sempre mostra o lado mais duro dele, mas no fundo ele também deve ter esses tipos de problemas adolescentes. — ele me empurrou com o ombro, dando um meio sorriso. — Além disso, você pode acabar se surpreendendo, quem sabe. 

— Como assim? — olhei-o confuso. 

Hoseok agia como uma criança que sabia um segredo e se gabava disso. Ele se balançava sem sair do lugar dando sorrisinhos esquisitos. 

—  Digamos — ele começou dizendo devagar. — Que eu tenha visto o Yoongi com umas olhadas furtivas em cima do Senhor Park que está sentado ao meu lado. 

— Hã?! — senti minha voz levantar um oitavo, mas não me importei. Levantei tão rápido do chão que senti uma leve tontura. — Meu Deus Hoseok, me explica direito. 

— Tá, calma. Eu só vi ele vendo você e o Jungkook quando ficam muito juntos, e a cara dele ficou meio estranha. 

— Ok, e daí? 

— Bom, é isso. — Hoseok encolheu os ombros se sentindo meio desapontado. 
Rolei os olhos. 

— Hobi, isso não prova nada. 

— É, mas eu só queria te deixar mais confiante. — sorriu tímido. 

Bufei, meio bravo e meio querendo abraça-lo por tentar me incentivar. 

— Eu sei que você quer que eu faça isso, mas é que... Ele parece tão distante pra mim, sabe. E mesmo que ele aceitasse — dei de ombros, sentindo o mundo em cima de mim. — E aí? Nós nunca nos falamos, seria tão estranho. Eu só queria... — por que eu sinto minha garganta tão apertada agora? — Só queria que eu tivesse gostado dele de um jeito mais normal. Queria que nós dois fôssemos amigos, e um dia eu perceberia que gosto dele mais do que amigo e as coisas iriam fluir naturalmente, sabe. Não... Não desse jeito. 

Hoseok levantou rapidamente quando percebeu que eu estava quase chorando. Ele me abraçou com todo o carinho de amigo-quase-irmão que ele tem por mim, e eu me senti tão bem que queria que durasse pra sempre. 

— Eu não sabia que era assim pra você, desculpa. — ele me apertou e eu ri. — Mas sério agora, só tenta. O máximo que você vai receber é um "não". 

Respirei fundo. 

— T-Tá bom. — me soltei do seus braços. — Mas primeiro você tem que fazer uma coisa pra mim. 

— Ah Jimin. — ri quando ele me empurrou. 

— Por favor Hobi, eu tenho que ter certeza que posso fazer isso. 

Ele respirou fundo e acenou a cabeça. 

— Certo, o que você quer? 

— Pergunte... Pergunte ao Yoongi se ele tem alguma coisa com o Jongin. 

— Ah Jimin! Você tá zoando a minha cara?

— Por favor Hobi. — agarrei ele pela cintura fingindo ser uma criança. — Vai, pooooooor mim.

Hoseok deve me amar demais por ter concordado com isso. Ou talvez ele tenha cansado da minha voz irritante, vai saber. O importante é que ele iria confirmar se minhas suspeitas estavam certas ou erradas, e dependendo do resposta de Yoongi, eu tenho até essa semana para me declarar pra ele — de acordo com Hoseok, que me ameaçou jogar nos sete infernos se eu não fizer isso. Parte de mim quer que ele diga que é verdade, e eu sei que isso acabaria comigo, mas pelo menos eu não precisaria passar pela rejeição, na real eu nem chegaria perto, já que não teria nenhuma chance de qualquer jeito. Mas a outra, selvagem e que sente uma coisa inexplicável pelo Min, quer que ele negue tanto quanto quer beijá-lo. Eu só sei que tenho tentar, por isso estou aqui, de manhã, me arrumando como se fosse em um dos melhores encontros da minha vida, que de alguma forma acaba desviando minha atenção do meu verdadeiro propósito disso. Do que adianta se arrumar todo se você tem uma chance enorme de ser rejeitado? Eu também não sei. Mas acordei alegre; como se hoje fosse o dia de acabar com toda essa merda que eu venho sentindo há meses. Pra ser sincero, até estou aliviado e isso me deixa confuso. O que eu realmente quero que hoje aconteça? Minha cabeça ferve com essa pergunta.

Acho que exagerei um pouquinho na minha maneira de vestir, porque desde que cheguei na escola Taehyung e Hoseok não param de rir na minha cara. E eles sabem que fico vermelho por qualquer coisa, esses malditos. Enquanto essas duas hienas ficam rindo de mim, procuro Yoongi com os olhos quase que instantaneamente, e encontro-o na entrada. Ele parece cansado. Demora tanto tempo para subir as escadas, que eu quase estava indo até ele para pegá-lo no colo e levá-lo até a sua sala — eu e vocês sabemos que isso é mentira, no máximo perguntaria "você está bem?" e depois sairia correndo de vergonha. Como eu sou patético. Estou quase revirando os olhos pra mim mesmo.

Taehyung entrou na sala para falar com alguém e Hoseok aproveitou a deixa pra vir falar comigo.

— Uou, parece que alguém está determinado hoje. — sorriu malicioso. 

— Cala a boca. — disse, não tão forte o suficiente para que ele parasse de rir de mim. — Eu só quero acabar com isso logo. 

— Ai Jimin. — continuou rindo. Eu não sei o que dá nessa pessoas hoje que só sabem rir da minha desgraça. É quase certo que vou chegar hoje em casa chorando, com coração partido e tudo mais e nem um apoio decente eu recebo. Que maravilha. Taehyung saiu pra fora de novo e recomeçou com o joguinho de me atormentar junto com Hoseok. Bufei. Somos amigos, mas eu posso matar os dois, não é? Eu olhava os lados sem saber muito o que fazer, ao mesmo tempo que tentava não ficar vermelho. 

Hoseok encostou na grade do corredor e olhou para cima, e percebi que ele tinha parado de rir. Quando Hobi acenou para alguém, eu olhei pro lugar e vi que ele estava acenando para Yoongi. 

Sinto meu interior estremecer quando vejo que ele está olhando pra cá, mas o que me faz quase infartar é o sorriso que coloca nos lábios. Isso é real? Essa boca é desse mundo mesmo? Quer dizer, essa é uma visão tão estonteante que até me dá algum tipo de ânimo para o que eu vou fazer hoje. Será que tenho mesmo chance? Hoseok exagera em várias coisas, e essa parecia uma delas, mas de repente, ele parece certo. Sinto que tenho todas as chances do mundo, mas ao mesmo tempo sinto que tenho nenhuma. É isso que aquelas garotas que se declaram sentem? Essa ambiguidade interna, e que aquece e congela por dentro? Acho que estou tremendo um pouco. Não é o fim do mundo receber um fora, certo? 7 bilhões de pessoas no mundo e aumentando. Só que Yoongi me parece tão único, tão... Argh, não tenho nem palavras para descrever. 

É com uma piscada de olhos que vejo ele entrando rapidamente em sua sala, e o que me resta é a dúvida se isso foi uma miragem da minha cabeça ou não. Quero muito pensar que Yoongi sorriu pra mim, mas era Hoseok que estava acenando pra ele. É Hoseok que o conhece, é Hoseok que conversa com ele. Hoseok é o seu amigo. Não eu. 

Meu coração se aperta dentro de mim e suspiro sôfrego com minha descoberta. 

Até Hoseok tem mais chance do que eu, então o que estou fazendo? 

— Jimin, se acalma. — Hobi parece saber quando precisa me trazer para a realidade e parar de sofrer por meros pensamentos. Ele apertou meu braço, me fazendo olha-lo. — Se lembra que o máximo que você pode receber é um "não". 
Acenei positivo, mesmo sabendo que essa palavra faz muitas pessoas nessa escola chorarem, e que eu sou a próxima vítima em potencial. 



~*~ 

 

Está quase no fim da aula, e estou suando frio mais do que nunca. Está quase na hora, quase. Mas o que me preocupa agora nem é fato de poder ser rejeitado, mas sim o moreno que está sentado na carteira atrás de mim. Não quero que Jungkook esteja presente. E até parece que ele sabe dos meus planos de me confessar, porque mais do que nunca ele ficou grudado em mim hoje, quase me sufocando. Eu sei que ele gosta de mim. E ele sabe que gosto de outra pessoa, eu mesmo disse isso pra ele, já que ele ficava insistindo. Porém isso não pareceu ter grande significado, porque Jungkook continua investindo. Apesar de tudo, ele é meu amigo, e eu não quero afasta-lo, mas eu sei que ele se aproveita. Que me abraça sempre que tem chance, que fica perto o suficiente para fazer as pessoas acharem que estamos juntos, e que não liga em desmentir os boatos, deixando esse serviço pra mim, que tenho sempre que explicar que somos só amigos e não passamos disso. 

Mordo os lábios, olhando para Hoseok sentado da minha diagonal à frente. Pego uma folha, escrevo para ele dar um jeito em Jungkook e jogo o papel amassado em sua carteira, aproveitando que o professor está virado de costas para nós. 

Dou uma risada silenciosa quando vejo Hobi dar um pulo na carteira assustado. Acho que ninguém prevê quando uma bolinha de papel vai cair no seu colo. Ele pega o papel, lê, faz uma careta, escreve alguma coisa rápida e me entrega de volta. 

 

"Agora eu tenho que fazer tudo? Se vira Jimin. Ninguém mandou dar a liberdade pra ele ficar te agarrando por aí :P" 

 

Aperto meus olhos em sua direção com raiva, mas acabo suspirando frustrado. É verdade. Às vezes deixo ele ultrapassar os limites e não faço nada, o que piora as coisas. É como se eu desse mais esperança para Jungkook. 

 

"Por favor hyung, eu não posso simplesmente chegar e falar pra ele ficar longe hoje, porque vou falar com o cara que eu gosto. Você sabe que não funciona assim :') Me ajuda, vaaaaaaai." 

 

Joguei de volta. Ele pegou rapidamente, olhando apreensivo para frente, onde a professora ainda continuava a passar a matéria na lousa. Hoseok leu e me olhou com o rosto do tipo "Tá me zoando né?", e eu respondi com um sorriso envergonhado. Hobi revirou os olhos, mas não disse um não, então eu soube que mesmo relutante ele tinha concordado. 

Esperamos o sinal de saída bater, e Hoseok disse para Jungkook que alguém que eu não conhecia estava procurando ele, porque foi o melhor desculpa que ele pôde pensar. Quis bater na minha própria testa por uma justificativa tão idiota, mas agradeci aos céus que deu certo, pois Jungkook saiu andando, dizendo para não esperarmos ele pois talvez demorasse. 

Eu e Hoseok sorrimos cúmplices e saímos correndo para entrada da escola, esperando Yoongi aparecer. 

Parecia que tudo iria dar certo, mas eu vi que não quando Jungkook apareceu ao meu lado de novo. Esse foi o começo da ruína do meu plano. 

— Hoseok, como é que o Taemin está me procurando se ele nem veio pra escola hoje?! 

Meu Deus. Eu não posso acreditar. Quero estrangular Hoseok, mas apenas rio irônico. 

— É Hoseok! — olho pra ele meio risonho, meio assustador, sibilando: — Como?! 

Hobi tossiu, balançando as mãos no ar rapidamente. 

— A-Ah! Mas eu tinha, eu tinha certeza que ele tinha vindo hoje... Eu devo ter me confundido então, é, acho que foi isso... — sua fala foi morrendo conforme as palavras sumiam da sua boca. Eu sei que o cérebro de Hoseok está explodindo porque ele não consegue achar nada para dizer. 

Sorrio de leve pra ele, fazendo-o entender que está tudo bem. Dou de ombros, e não preciso encarar Jungkook pra saber que ele não está entendendo nada, mas que está prestes a descobrir. 

Vejo Yoongi caminhando em direção à saída, onde estamos, e sinto meu coração disparar como um carro de corrida. Respiro fundo quando ele se aproxima, e quase reviro os olhos quando Jungkook se aproxima de mim. Então ele sabe sobre Yoongi. Mordo os lábios, deixando de lado Jungkook para prestar atenção na conversa dele com Hobi. 

Ele está tão perto... 

— Ei, Yoongi! — Hoseok chama sua atenção e o mesmo se vira pra ele um pouco irritado. Até bravo Yoongi consegue ser lindo, impressionante. 

Então, ele olha pra mim por alguns segundos e volta seu rosto para o meu amigo com o rosto impassível. Deus. Ele olhou pra mim. Foi assim sabe, direto, nos meus olhos. Que calor. 

— Que foi? — Yoongi diz. Ah. Sua voz é rouca e tão... Cristo, eu vou derreter. 

Vamos lá Yoongi, eu só preciso que você negue as minhas suspeitas. Por favor. 

— Ui, já vi que 'tá de mau humor. — se eu não conhecesse Hoseok o suficiente, diria que ele está rindo como qualquer um. Mas, como um dos seus melhores amigos, sei que ele só está gargalhando porque também está nervoso. Não sei se é a intensão de Yoongi, mas ele passa uma imagem tão imponente e... Inalcançável, que dá medo e ao mesmo tempo respeito. E não é só eu que sinto isso, basicamente a escola inteira vê como privilégio o ato de falar com Min Yoongi. Ele ergue uma sobrancelha na direção de meu amigo. — Calma Yoongi, eu só queria saber se uma coisa era verdade. 

Por favor, que seja mentira. Que seja só a minha cabeça. "Jongin é meu amigo", é só disso que preciso, nada mais. 

Sinto Jungkook mais perto, mas o ignoro completamente. 

— O quê? — Yoongi questiona, confuso. 

— Você — Hoseok começa e estou quase fazendo a pergunta por mim mesmo. Deus, Hobi não enrola pelo amor. Tenho certeza que consigo ouvir meu coração batendo desesperado contra meu peito, e meus olhos não piscam. Só preciso de uma negação por parte dele. Por favor Yoongi, é só dizer um "não" e acabamos com isso. E só. Fácil e simples. Mas ainda assim, parece que o tempo não passa e a boca de Hoseok não se mexe. Reproduz as palavras logo. Vai. Vai. Vai. VAI. — Você e o Kai estão namorando?

Suspiro sem fazer nenhum barulho. Saiu. Só preciso de uma negação. Só umazinha e mais nada. "Namorando", Hoseok poderia ter feito outra frase, deixando mais claro. E se eles tiverem uma, sei lá, relação aberta e sem compromisso? A resposta pode ser vaga desse jeito.

Mas não vou reclamar, não agora pelo menos. Espero uma resposta ansioso, mas a única coisa que Yoongi faz é olhar Hoseok com uma expressão indecifrável. 

Como sempre, eu sou incapaz de lê-lo. 

Quando sua boca se mexe, ele diz: 

— De onde você tirou isso? 

Ok, não era o que eu esperava. Nem um sim ou não. Ah Yoongi, você sempre complica tudo pra mim. Não sei se você disse isso querendo dizer "como ele descobriu?" ou "Será que o Hoseok usou drogas?". Deposito todas as minhas esperanças no segundo caso, mas é impossível saber, já que seu rosto é novamente uma incógnita pra mim. 

Hoseok pôs um braço em seu ombro, e odiando a mim mesmo, penso que gostaria de estar no lugar de Hoseok. De poder ter essa liberdade com Yoongi, de ter a possibilidade de abraça-lo sem que ele me afaste. Ah me sinto tão enciumado. 

Meu amigo sorri, enquanto que Jungkook olha tudo indiferente, embora ainda estivesse muito próximo de mim. 

— Ah você sabe, o povo fala várias coisas por esses corredores. 

Quase ri, mas tranquei o riso na garganta. Hoseok é péssimo com desculpas e eu não acredito que ainda me esqueço disso. 

Yoongi franze a testa. 

— Você está falando do Kai? O mesmo Kai da ala 2? Ex-namorado do Sehun? O Jongin? 

É. A minha desgraça em pessoa. Esse cara aí. Com nome, sobrenome e apelido. 

Vamos lá Yoongi. Só uma resposta de nada, tudo depende de você. Por favor. 

— Esse mesmo. — Hobi acena positivamente, tão ansioso quanto eu. No entanto, não é ele que vai ser atingido dependendo da resposta, sou eu: o Jimin que está quase morrendo em antecipação por causa da curiosidade. 

Jungkook está praticamente com o corpo em cima de mim. Sei disso, mas só consigo olhar para a boca de Yoongi e para as próximas palavras que vão sair dali. 

— Não estou com o Kai. — disse. — É só perguntar pra ele. 

Pisco. 

Uma, duas, três e milhões de vezes mais. 

Meu Deus. 

Sorrio de leve, não deixando ninguém perceber. 

Não consigo descrever o alívio no meu peito que sinto agora. Nossa, estou tão leve que posso até mesmo voar. Eles não estão juntos. Eu posso falar dos meus sentimentos agora. Estou livre para levar um fora dele. Triste, mas é melhor do que ser dispensado porque a pessoa que você gosta já tem alguém. Na real, estou quase saltitando. 

Para não deixar dúvidas do que ele disse, Hoseok viu Jongin passando por ali perto e o trouxe para esclarecer as coisas totalmente. 

É só o Kai confirmar o que Yoongi disse, e pronto: estou liberado. 

Jungkook rodeia minha cintura com os seus braços, mas estou tão feliz que não me importo. Que sensação boa. 

— Mas é claro que namoramos! — meu corpo congela com a frase. — Amor, por que você não conta pra ninguém? 

— Amor... — murmurei sem me dar conta. Então eles tem esses tipos de apelidos? Quer dizer, isso não significa nada não é? Jongin pode estar brincando, ele sempre faz isso. É, é uma coisa dele. Calma Jimin, Yoongi já disse que os dois não tem nada. É só uma piada, considerada de muito mau gosto por mim inclusive. 

— Yoongi você tem que contar que estamos juntos, senão as pessoas vão continuar se declarando para você. — Tá. Não, está tudo bem. Kai está o abraçando um pouco apertado demais, mas não é como se os amigos não fizessem isso. É normal. Yoongi disse que ele não tem nada. Que são amigos. 

... Certo? 

— Desiste. — Jungkook sussurrou no meu ouvido, atraindo a minha atenção. — Esse aí já tá com alguém, por que você não investe em outras pessoas como por exemplo- 

O empurrei depressa, com minha raiva borbulhando em meu corpo. Eu sabia que ele se aproveitaria, e ainda por cima ia falar de si mesmo se eu não o tivesse cortado. 
Impressionante. 

Não consigo olha-los. É demais, então encaro o chão. Ele são mais que amigos. Eu sabia. Não sei como a expressão de Hoseok está, mas sei que está tão surpreso quanto eu. 

Depois de resistir muito, levanto a cabeça. E minha mente se esvazia quando Jongin o beija. 

 

~*~ 

 

Eu posso fazer isso. Eu posso fazer isso. Eu com certeza posso fazer isso.

Eu não pude dormir. Meus pensamentos flutuavam na minha mente e minha mente imaginava com maestria como teria sido o primeiro beijo de Jongin e Yoongi, como teria sido o primeiro encontro, quando contaram para os seus pais. Como era namorar um com o outro. Será que eles brigam muito? Eu não conseguia desviar minha linha de pensamento disso. Foi por isso que fui dormir tão tarde e acordei tarde. E isso explica o porquê de ter chegado na escola quase na hora do intervalo. Sinceramente? Só vim porque minha mãe não queria que eu perdesse aula, mas se fosse por mim eu nem estaria aqui. Estaria me debulhando em lágrimas na minha cama, esperando que isso não passasse de um sonho. Mas já que estou aqui, vamos encarar as coisas de frente.

Eu posso sim fazer isso. Eu vou fazer isso. Está tudo bem. 

Eu digo estas frases encorajadoras por dentro, mas sei que estou em pedaços e sei que elas não têm o efeito que eu realmente quero. Mas me agarro a elas. Me agarro com todas as minhas forças, porque não quero chorar. Eu sabia que esse tal relacionamento deles estava praticamente na cara, por isso não vou fugir, não vou derramar nenhuma lágrima. Vou seguir, porque tudo vai ficar bem. Minha vida terá muitas decepções, e eu tenho que aprender com isso, mas... Por que parece me dilacerar internamente? 

Mas está tudo bem, vai ficar tudo bem. Só respira e vai. Jimin, você consegue entrar nessa escola e viver mais um dia normal. Você pode fazer isso. 

Respiro fundo e vou em direção a minha sala, deixando o meu material para o resto das aulas que eu não perdi desse dia. Hoseok deve estar no refeitório, parte dele preocupado comigo. Um sorriso morto brota em meus lábios. Ele me mandou várias mensagens ontem, e me sinto culpado por não ter nem ao menos visualizado-as. 

Sigo em direção ao lugar. 

No segundo seguinte estou dando a meia volta, encostando minhas costas na parede e fechando os olhos. 

Argh, eles estão lá. Eu consigo fazer isso, eu posso, é só ignorar. 

Abro os olhos, mas me arrependo um instante depois. 

Eu não consigo, é demais. Não, não, não. Abortar plano. 

— Jimin? Quando foi que você chegou? 

Hoseok, me tira daqui. 

— Eu não posso Hobi, eu preciso de um tempo pra digerir isso... Pra digerir eles. — apontei com a cabeça discretamente para a cantina. Yoongi estava lá, com o seu "amor". 

Ah, quero vomitar. 

— Ok, ok. — meu amigo colocou minha cabeça entre as suas mãos e me fez olha-lo atentamente. — Eu conversei com umas pessoas hoje, e ao que tudo indica o que aconteceu, bom, o que aconteceu foi só uma brincadeira. Não era sério. Disseram que Jongin faz isso sempre. 

Ri com escárnio, quase sentindo as lágrimas. Não, não quero que elas caiam. Pisquei, afastando-as. 

— Aquilo pareceu bem real pra mim, quer dizer — ergui as mãos. — Eles parecem um casal real, você sabe disso. 

— Jimin, para de agir feito um derrotado e faz algum coisa. — fiz uma careta, querendo muito bater nele, mas Hoseok me ignorou completamente. Ele pegou na minha mão, seus olhos brilhando e me assustando ao mesmo tempo. — Já sei! Vem comigo. 

Então, sem mais nem menos ele me arrastou. E ainda por cima para a mesa que os dois estavam. Agora estou todo vermelho, sorrindo para Yoongi porque Hoseok teve uma brilhante ideia de me apresentar para ele. 

Yoongi sorriu para mim. 

Sorri de volta. 

Estou quase desmaiando. 

Se não fosse Kai ali do lado, estaria perfeito. 

"Nos conhecemos há tanto tempo, né Yoongi? Acho que você nunca falou com o Jimin, certo?". Hoseok deve ter plena consciência de que está fudido na minha mão. Tipo, muito mesmo. 

Meus ouvidos estão zunindo e sei que meu coração está quase saindo pela boca. Escondo minha mão nas costas, pra evitar que eles vejam que estão tremendo. Calma Jimin, respira. 

Jongin e Yoongi estão tão perto um do outro, eles parecem tão bem juntos. Quero ir embora, mas Hoseok me fez o favor de não deixar. 

Jongin, do nada, pergunta pra Yoongi: 
— Yoon, você tá bem? — Yoon? YOON? Mas que... Ah, esquece! Isso é o ponto máximo que posso aguentar. E Jongin ainda me vem com essa carinha toda feliz. Não, isso não. 

Estava quase saindo dali com passos largos, quando ouvi de Yoongi: 

— Não. — sua voz estava fraca. O que tá acontecendo? Até Kai o olhava preocupado; Yoongi está com dificuldade de respiração. — Me leva... Me leva pra enfermaria... 

Hoseok e Jongin o ajudaram a se levantar. 

— Eu vou levar uma suspensão por faltar de novo na aula. — o suposto namorado disse, depois me olhou e falou: — Jimin, ajude o Hoseok, eu vou ver ele depois.

— Ok, a gente se vira. — disse depressa, o abraçando pela cintura com as mãos trêmulas. Deus, não era assim pra acontecer. É a primeira vez que o toco, infelizmente numa situação dessas, em que ele está quase desmaiando. Passei seu braço por cima do meu ombro, me inebriando com aquele cheiro. 

O cheiro dele. 


~*~ 

 

Yoongi tem problemas cardíacos. 

E pelo fato de Yoongi não querer falar com Hoseok sobre o que isso, demonstra que além da enfermeira, eu sou o único ali que sabe disso. 

Foi quase uma coincidência descobrir isso. Tio Minseok tem o mesmo problema e às vezes tem os mesmos sintomas que Yoongi apresentou há alguns minutos. 

Me aproximei da cama, sentando em uma cadeira, já que não sabia muito bem o que fazer; Hoseok tinha ido embora, se esquecendo de mim aqui. Mas é a primeira vez que ficamos sozinhos juntos, eu não podia simplesmente sair. 

Ele está deitado na cama, de olhos fechados. 

— Eu não sabia que você era cardíaco. — não sei o porquê de dizer isso. Eu sou muito burro. Yoongi fechou a cara, e em um ato de desespero, mas sem demonstrar tal, acrescentei: — Tudo bem se não quiser falar. Tenho um parente com esse mesmo problema. Ele vive tomando remédios e odeia quando o perturbam. 

Nossa Jimin, brilhante. Isso, continua contando a sua vida pra ele, aposto que Min Yoongi está muito interessado nela. Aproveita e conta quando pegou o primeiro resfriado, ou como os seus primos o odeiam, ou talvez quando machucou o pé no parquinho perto de casa. 

Ao contrário de tudo que eu pensei, Yoongi riu. Quer dizer, ele está rindo de uma coisa que eu falei. Espera, isso é algum tipo de sonho? 

— Me lembra alguém. — ele abriu os olhos. Meu Deus. Ele é lindo. Não, não é só papo de uma pessoa que tá afim dele, de verdade. A face de Yoongi se transforma quando ele sorri, fica radiante. Mas até mesmo de cara fechada ele é bonito. Estou suspirando por dentro. — É, hm, o-obrigado... Por, bom, por ajudar a me carregar... — ele sorriu, todo vermelho. Que fofo! Eu vivi pra ver esse dia acontecer. 

Tentei parecer indiferente: 

— Eu teria feito isso para qualquer um, não é nada. — mentira. Eu faria isso pra você mil vezes mais só pra ter esse sorriso envergonhado só pra mim. Faria quantas vezes fosse necessário. 

— Você pode ir agora, d-desculpe por incomodar... E-Eu vou ficar bem... — não, não quero ir Yoongi. Incômodo? Isso é um presente, do que você tá falando? Quero ficar bem aqui. Por favor. — Pode ir. 

Não posso implorar pra ficar aqui com ele de verdade, eu sei disso. Então, com um peso no peito, digo: 

— Ah, hm, já que você está bem... Eu acho que vou para a minha sala agora. 

Ele assente. Não quero ir, mas passo pela porta. Desço os corredores em silêncio, não sabendo exatamente o que pensar. 

Volto pra sala com a mente em branco, as aulas passam, mas não presto a devida atenção nelas. Eu sei o que minha consciência quer fazer: ela quer que eu vá até Yoongi e diga o que sinto por ele. E eu sei que estou concordando, porque estou sentado na escada esperando Yoongi sair da enfermaria. Sei que posso ser rejeitado, mas tudo bem. Eu já recebi um sorriso dele, e já é mais do que o bastante pra me encorajar a fazer o que estou pretendendo. 

Respiro fundo quando ouço passos e me forço a levantar do chão. 

— Jimin, o que tá fazendo aqui ainda? 

Minha cara murcha na hora, de nervosismo para decepção. 

Era Jungkook. 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Semana que vem eu to postando a próxima e última parte ok, eu prometo :3
Deixe seu comentário pra eu saber se você gostou ou não <3 e até o próximo o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...