História Watermelon Bloom - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Jaemin, Jeno, Mark, RenJun
Tags Colegial, Família, Fluffly, Haechan, Lee Donghyuck, Lee Minhyung, Mark, Mark Lee, Markhyuk, Nct Dream, Nct!family, Nct127, Tia Lee Ama Vocês
Visualizações 31
Palavras 2.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI CRIANÇADA <3
Tude bem aii??
Cara quase que eu não volto hoje :'') Tive uns pequenos bloqueios essa semana, e a falta de tempo anda me frustrando TANTO.
Mas ok, aqui está um novo capítulo bem longo pra vocês, espero que gostem!
Noticias sobre a frequência de postagem lá em baixo, junto com os agradecimentos ~

Capítulo 15 - Congelados e Apaixo... Ok Não Vou Terminar.


Fanfic / Fanfiction Watermelon Bloom - Capítulo 15 - Congelados e Apaixo... Ok Não Vou Terminar.

Bem, o resto daquelas férias havia corrido bem para mim. Eu acho... Faltavam cerca de pouco mais de dez dias para as aulas voltarem, e eu e meu irmão estávamos preocupados quanto a isso... Talvez a escola que eu havia tentado me matricular não me aceitasse na transferência...

Fiquei todo aquele tempo pensando em DongHyuck e Mark... Alguma coisa me gritava que eles eram Lee DongHyuck e Lee MinHyung, junto do Huang. Mas minha razão ainda me mandava pisar na realidade e esquecer essa sensação estranha. QianLe e eu aproveitamos o resto daquele mês de julho muito bem, eu começava a me sentir bem de mais para ser verdade.

Eu já disse o quanto gosto de meu irmão??

Naquele fim de semana em que eu estive meio mal com o acontecido do shopping, eu havia contado ao mais velho sobre isso, e ele me aconselhara a manter os pés no chão e ouvir o que meu coração dizia, mas com cuidado, e desconfiou muito quando lhe disse sobre o que eu sentia ao olhar para aquele trio, mas disse que nada era impossível...

Nos dias que se seguiram, estivemos visitando um pouco da capital, conhecendo seus parques, shoppings e praças, foi bastante divertido pois QuianLe me ouvia como um amigo, conversava como irmão e me aconselhava como pai... Era bem novo para mim poder passar tanto tempo em harmonia, e nós felizmente tínhamos isso. Tomamos sorvete numa padaria do centro de Seul numa dessas vezes, e eu lhe mostrei um pouco dos meus novos textos e histórias, ele me contara como havia sido conhecer Portugal, me contou um pouco sobre a cultura e a comida e me mostrou inúmeras fotos... QianLe era simplesmente de mais.

Meu irmão além de tudo, era muito mente aberta, vou confessar. Não que isso fosse ruim, mas era o contrário... Ele aceitava as coisas da forma que eram, e não interferia no individualismo de ninguém, por mais próximo que fosse. Isso também se encaixa em mim em inúmeros sentidos.

Falando de hoje, eu havia decidido terminar algumas lições de coreano para reforçar minha pronuncia, pois logo as aulas começariam e eu teria que tentar fazer amigos de qualquer maneira, era isso que eu queria há tempos aqui. Uma casa, alguém para chamar de família, amigos e paz. Muita paz!

O relógio marcava seis horas da tarde quando meu Hyung(sim, vou começar a me referir ao meu irmão assim)  adentrou o quarto um tanto agitado, dizendo que havia uma coisa muito boa que precisava me contar.

Não tardou a me dizer que a melhor escola da cidade havia, com muito custo, aceitado minha transferência, mesmo que já estivéssemos no meio do ano.

Obviamente eu estava feliz, por que esse era meu objetivo! Uma boa escola e em seguida, boa faculdade, e por fim, o meu sonho...

Eu estava muito feliz, claro, então QianLe disse que para comemorar, iriamos ao centro de Seul, comer algo gostoso e resolver logo o meu problema com o fato de não ter trazido meu teclado para a Coréia... Meu Hyung gostava de me ver tocar, outro fato bom né?!

Ah, sinto como se pudesse voltar a escrever sobre DongHyuck a qualquer momento! Acho que posso tentar mais tarde não?

Tudo bem, assim que eu chegasse em casa novamente, escreveria outro capítulo de minha história!

 

.。・:*:・Lindas Duas Semanas Depois・:*:・。.

 

Aula.

Primeiro dia, de aula.

Na Coreia.

Sim, digamos que eu tive meus quase dois messes para preparar meu psicológico, mas... Não, eu não estava pronto.

Também não havia dormido muito bem, por que a ansiedade me consumia, mas cinco e meia da manhã eu já estava de pé, tomando uma ducha rápida e quentinha, saindo minutos depois do banheiro do quarto já com a bermuda do uniforme e sem a cara de sono que havia me acompanhado minutos antes.

Tratei de passar a camisa no dia anterior, e depois de coloca-la ajeitei a gravata simples. Olha lá, eu com quatorze anos e já sabia dar nó em gravata... Não sei pra vocês, mas pra mim isso é bem estranho, visto que QianLe me ensinou uns 4 dias atrás...

Assim que sai do quarto rumei ao do lado, batendo a porta em seguida. Segundos depois um QuianLe abriu a mesma vestindo um roupão qualquer e com uma colônia fortíssima. Meu dia se iniciou com uma ótima conversa e boas risadas junto do mais velho, e assim que terminamos de arrumar tudo, saímos em busca de um café.

Ele me levou de carro até o mesmo, e sem passar das sete e quinze da manhã nossa parada seguinte foi a escola.

E que escola.

 

Era tão diferente da minha antiga, era tão... Bonita e grande, tão, harmoniosa, clara... Era grande e parecia reluzir também! Eu já disse que era grande né?

Essa era a exata sensação que tudo aquilo me passava, as árvores grandes e verdinhas, o céu em contraste com os prédios de aulas ao longe, os alunos adentrando os portões... Era tão bom...

QianLe me perguntou se eu queria que ele me acompanhasse até a sala, mas desde que paramos juntos num pequeno prédio de administração, eu estava liberado para me achar pelas ruas do quase campus. Me indicaram as coordenadas até o prédio no qual e teria aula, e assim, sai com um sorriso no rosto pela calçada clara que cobria meu campo de visão junto com troncos de madeira e sons de conversas e pássaros.

Conferi a hora, eu tinha quinze minutos para chegar até minha sala e sentar do lado de alguém que não parecesse ruim, então tratei de apertar o passo na procura do prédio de número dois.

Sabe-se de fato... Que a vida ama me surpreender né? Pois não se passaram de cinco minutos de caminhada e eu já estava atordoado e sem saber para onde ir. Pensei em perguntar para algum aluno onde ficava o prédio, mas minhas pernas tremiam, e eu sabia que a voz ia falhar se tentasse o coreano assim, agora.

Olhei para os lados, perdido num pátio grande e bem aberto... Pelo menos, sei onde é o refeitório...

Caminhando apressado, fui para a área externa cercada de grama e concreto pintado de creme e branco. Droga, onde é que ficam os prédios de au...

-A-Ah, meu Deus, m-me desculpa, eu sou um desastre... –Me encontrava de bunda no chão, com um outro garoto de joelhos no mesmo, próximo a mim, se levantando em seguida e me estendendo a mão.

Ergui o olhar, um tanto atordoado pelo impacto, e me deparei com uma coisa... Deveras linda?

Ah Deus, meu coração disparou imediatamente, minha garganta travou e meu maxilar caiu: sim, eu tinha que acabar com a boca aberta...

Mas...


MAS O QUE CARALHOS HUANG RENJUN FAZIA ALI?

 

Deveras lindo seria se eu não tivesse paralisado C O M P L E T A M E N T E. Com todas as letras e de trás pra frente, em todas as línguas conhecidas.

-V-Você, está bem? –O moreno arregalou um pouco os olhos e recuou a mão que me estendia.

Demorei, mais de dez segundos processando aquilo e tentando ignorar o formigamento na minha nuca e as mãos gelando. Mas como ele podia ser tão bonito? Meu peito apertou e até o ar se fez insuficiente, então me dei conta do que estava acontecendo...

Ou a vida me ama, ou me odeia, não?

Com uma espécie de soluço, contrai o corpo e encarrei o chão, sentindo minhas mãos arderem do contato com o piso áspero. Por favor não insista em falar comigo...

Aquela sensação antiga e nostálgica havia voltado e queimava minhas bochechas e meu peito, quase como se algo dentro de mim, quisesse... Sair? Minha vista embaçou e me encolhi um pouco mais.

-Ei... E-Eu te machuquei? –Vi de relance o moreno se agachar no chão, perguntando cuidadoso pra mim. Fale que está bem ChenLe! Fale logo!

-E-Eu... E-estou... –Grudei minhas mãos na frente do corpo e tentei olhar o garoto a minha frente, não obtendo sucesso, e encarando minhas pernas novamente.

-Mas, seus olhos... –Parou de falar assim que eu o encarei, vendo-o abrir um pouco os lábios.

Não sei quanto tempo ficamos nos encarando, quase congelados, mas me recuperei do transe assim que o garoto levou a mão devagar ao meu rosto e tocou minha bochecha.

-T-Te machuquei?

Me olhou apreensivo e secou a lágrima que descera pelo meu rosto, me fazendo negar com a cabeça e o mesmo sorrir leve. Rapidamente tirei minha bolsa das costas e fiz menção de me levantar sendo parado novamente pelo outro.

Ele agarrou minha mão com cuidado, vendo o pequeno esfolado vermelho.

-D-Desculpe, por isso... Acho que o professor não vai se importar se eu me atrasar para cuidar de você né? –Me olhou nos olhos de novo, fazendo meu corpo todo se arrepiar e reagir ao pouco contato.

Eu sorri. Sorri me sentindo bem mesmo sabe? Deveria ser a primeira vez em muito tempo que eu sorria assim... Eu poderia me apaixonar já?

Espera...

Mas... Eu escrevi algo assim sobre RenJun... Não era RenJun que machucava as mãos?

Eu escrevi isso!

Mas o que...?

 

 .。・:*:・Watermelon Bloom・:*:・。.

Capítulo 15

‘‘Eba, volta as aulas!

Hmm...

Não.

Não tinha ‘‘Eba’’, não era volta as aulas. Ah não pera...

É volta as aulas!

Agora sim.

Mark se encontrava sonolento nos braços do namorado, em meio ao edredom não muito grosso e cor de laranja, que forrava o canadense e o coreano. O alarme do celular tocava algo como Seventeen ou Monsta X, os tais grupos de pop coreano do momento.

Mas, por que tinha que ser tão cedo?!

Ainda nem havia Sol direito lá fora, por que tinham que levantar agora daquele calor tão bom?

-Hyuckkie... Vamos baixinho... Tem escola hoje. –Mark tentava manter os olhos abertos, enquanto via a sua frente o ser moreno e agora, com cabelos castanhos claros, dormindo com o rosto próximo ao seu, circundando a cintura do mais velho com um dos braços.

Mark aproximou os lábios da testa do outro garoto e deu-lhe um pequeno selar, prendendo o corpo menor contra o seu e ouvindo um resmungo baixo em resposta.

-Hyung... Vamos dormir, por favor... –Só se ouvia a voz do Dong, embriagada pelos sonhos ainda presentes e vivos em sua cabeça. Mark riu nasalado e puxou o menor para si, o colocando sob seu peito.

-Você sabe que temos escola Hyuckie, vamos, logo logo estaremos de volta pra dormir juntinhos...

MinHyung e suas cartas na manga, só podia ser Lee MinHyung...

(...)

O grupo de cinco garotos se encontrava no portão da escola quando beiravam as sete e dez da manhã, adentrando-a novamente depois de pouco mais de cinquenta dias de férias.

Segundo o Na do grupo, aquilo era deveras revigorante, e de fato, era.

Alguns poucos assuntos a se por em dia e novidades na escola, tudo pós férias, estava a agradar os meninos, especialmente RenJun.

Ao que indicava, haviam algumas pessoas novas na sua turma, e de maneiras bem distintas, aquilo entristecia e alegrava o chinês. Eram aqueles ‘‘N’’ motivos de novo...

-Junnie, você ficou sabendo dos novos clubes aqui da escola? –Jeno perguntou ao chinês que caminhava aéreo ao seu lado, rumo ao prédio de aulas.

-Oh... Sim! Agora tem vagas na natação, clube de basquete e tecnologia né? –RenJun virou o rosto, sorrindo para o amigo –Eu pensei em entrar no de basquete, hoje a tarde vou fazer minha inscrição lá... Você podia ir comigo né?

-É uma boa ideia Hyung! JaeMin me pediu muito para entrarmos na natação, então acabei me inscrevendo no site da escola...

Renjun sentiu o coração falhar um pouco, mesmo que já soubesse a tempos que a queda que sentia pelo mais novo, não era nada de mais. O que se passava pela sua cabeça, eram apenas duas palavras, que ficaram claras depois de Jeno afirmar o horário da natação, seria o mesmo do basquete...

 ‘‘Segunda Opção’’

O chinês deixou a cabeça alheia da conversa dos outro quatro até metade do caminho, e deixou também os amigos se dirigirem ao prédio de aulas sem ele.

Era incrível como aqueles problemas consigo mesmo iam e vinham tão rápido, tão pouco poderia ser muito para o chinês, e muito, as vezes era insignificante. Parado com a mochila escura nas costas, ele se sentou num banco próximo ao refeitório, tentando não deixar a cabeça bagunçar.

Se perdeu nos sons dos pássaros e em conversas distantes, deixando de se preocupar com seja lá o que fosse, e focando apenas no belo dia que fazia naquele meio de agosto. Céu claro e o clima fresco começando a se perder, junto com a sua própria noção do tempo...

Curiosamente, foi desperto por uma voz feminina, num coreano fofo que dizia já estar próximo a hora de entrada dos alunos em seu horário de aulas. Mas...

Abriu os olhos assustado com a garota de cabelos curtíssimos e num tom meio loiro, quase rosado. RenJun por ser RenJun, consequentemente, quase caiu do banco de madeira e ferro disposto próximo a saída do refeitório, esfolando as mãos médias no chão áspero.

Mas aquela garota tinha surgido de onde?

Credo.

É... Credo não, ela era realmente bonita.

RenJun se recuperou do pequeno susto e agradeceu a mesma por ter o despertado a tempo, e saiu correndo pelo refeitório após descobrir que a garota chinesa se chamava Zhu ChangLi, e era bem simpática.

O chinês deixou o coração aquecer enquanto pensava na possibilidade de ter uma amizade com a garota no futuro, e continuou a correr em direção as salas de aula...

Enquanto isso, talvez Mark e Dong estivessem trocando uns beijos numa das cabines do banheiro térreo do prédio de aulas do ensino médio, mas, só talvez.’’

 


Notas Finais


Mas que danados esse dois né?
Gente, eu estou feliz de mais escrevendo isso, voces não tem noção. Eu cheguei a um ponto em que se não escrever pelo menos uma vez na semana, eu fico irritada e dou patada em td mundo :v
Galerinha que comentou o cap passado(Daddy_Yixing, EunHaS2 e Pinkkee amor da minha vida), muito obrigado <3
Agora, e esses favs que não sobem? Do ultimo cap tivemos apenas um, e ai? Affs...
Quanto a frequencia de postagens, ela está para diminuir com a minha falta de tempo, então só voltarei dia 20 desse mes, infelizmente.
Mas por que Lee??
Por que eu agora tenho compromisso 4 vezes por semana, ou seja, fico fora o dia todo, 4 vezes por semana, então para organizar a fic está complicado :C
Beijo meus anjos, e até dia 20!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...