História Waynkina - A elfa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Aventura, Elfos, Fantasia, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gnomos leitores de plantão! Essa é minha primeira história postada aqui, espero que gostem.
"Waynkina - a elfa" É aquele tipo de história que eu sempre busquei ler, mas nunca encontrei. Espero que viajem tanto quanto eu nessa maravilhosa aventura romântica com fantasia e se divirtam muito com a lerdeza da protagonista.
Abraço gnomático <3

Capítulo 1 - Quem é você? Não, quem sou eu?


Fanfic / Fanfiction Waynkina - A elfa - Capítulo 1 - Quem é você? Não, quem sou eu?

Capítulo 1 - Quem é você? Não, quem sou eu?

- Que barulho é esse? São gritos e passos de gente correndo? Espera... Aonde estou?

Me levanto do chão, não me lembro de como fui parar nele, vou até a janela de madeira que estava trancada e tento ver o que está acontecendo por um buraco no canto. Me assusto com a cena: Elfos, lobos nativos, anões e humanos correndo desesperadamente pela floresta, do que eles estão fugindo?

Tento olhar mais atentamente para o lado contrário de onde estavam correndo e consigo enxergar uma cabana em chamas, não, várias cabanas em chamas, árvores também.

- Oh meu Dosseon*, O que causou isso tudo? Espera... O fogo está vindo nessa direção, é melhor eu tentar fugir logo daqui.

Corro até a única porta da cabana onde eu estava, tento abrir, mas está trancada.

- Certo, devo pensar em algo, se acalme.

Olho ao meu redor e tento encontrar algo que possa me ajudar a sair daqui.

A cabana era pequena, havia uma sala na frente onde tinha um sofá marrom e velho, logo atrás na parede esquerda ficava a janela e o lugar onde acordei, mais atrás tinha uma mesa retangular de madeira com uma cesta de frutas e um vaso com uma flor azul que eu não conheço. Olhando mais à direita encontro no chão um tipo de caixa parecida com um baú, porém sem tranca.

Corro até ela e abro, noto que é uma caixa de ferramentas de Lenhador.

- Um machado! Posso tentar abrir a janela com isso.

Pego o machado, corro até a janela de madeira e depois de muito esforço consigo abrir uma passagem que possibilite minha saída da cabana.

Vejo as pessoas desesperadas correndo e congelo por alguns segundos. Olho em volta da cabana e vejo a flor azul na mesa que, por algum motivo extremamente estranho, estava ofuscando uma luz azul brilhante. Fiquei realmente encantada com aquilo e resolvi pegá-la coloquei num frasco de vidro que estava no chão e ela parou de brilhar, então guardei numa mochila que estava no sofá, coloquei nas costas e finalmente saio daquele lugar pulando pela janela.

- O que aconteceu?! – Corro até uma elfa e grito para ela a seguindo correndo.

- Os Strowmcloys* incendiaram a Vila Suestryam!

- Strowmcloys?! Quem são es... – Antes que eu termine de falar acabo tropeçando numa pedra e caio no chão. A elfa seguiu correndo e eu a perdi de vista. Fico alguns minutos esborrachada no chão raciocinando o que tinha acontecido e me levanto rapidamente, noto que já não tinha mais pessoas correndo (elas já estavam longe) olho para trás e vejo uma multidão vindo em minha direção, porém não pareciam pessoas correndo, eram um grupo de pessoas a cavalos.

- Oh meu Dosseon, será que são esses os Strowmcloys?

Sem pensar duas vezes saio da estrada e corro para dentro da floresta. Continuo correndo sem ver para onde estava indo até não aguentar mais a dor que estava sentindo nas pernas e cair no chão.

- Ah... Minhas pernas – Falo enquanto colocava a mão onde doía e acabo vendo que estava sangrando.

- Aish, sangue? Devo ter me machucado enquanto caí.

Tiro uma folha grande que estava no chão, meio estranha e amarro com uns caules na minha perna, tentando estancar o sangue.

- Droga, está escurecendo... Espera, onde eu estou?! Pra onde eu vou? – Olho ao redor por entre as árvores.

- Por causa do desespero eu corri que nem uma louca e fui parar no meio da floresta... O que eu faço? – Enquanto falava eu fui me sentando em uma pedra grande que havia ali.

- Ei! Poderia sair da minha mesa de alimentos! – Grita alguém atrás de mim.

Pulo da pedra num susto, me viro e me deparo com um elfo. Era alto, bonito, tinha cabelos castanhos e vestia roupas de arqueiro com uma bolsa de flechas pendurada nas costas.

- Qu-quem é você! – Me afasto.

- Eu que pergunto, o que uma elfa tribal faz aqui?! – Ele diz olhando para o que eu vestia, que no caso eu não havia notado até o momento: um tipo de uniforme de campo estranho e que parecia ter sido feito em minhas medidas.

- El-elfa tri... O que? – Olho em dúvida.

- Elfa tribal, não sabe o que é?

- Não, acho que nunca ouvi falar.

- Então por que se veste como uma?

- N-não sei... Espera! Quem é você?

- Me chamo Maxell Zenth, sou um elfo arqueiro que vive sozinho nessa região da floresta. E você? Quem é? E o que faz aqui?

- Eu sou... E-eu moro... Eu me chamo... – Neste momento caio na real que não me lembrava de nada antes de ter acordado naquela cabana.

- Por que está excitando em falar? É uma ladra fugitiva? O que você fez de errado para adentrar na floresta? – Ele se aproxima de mim. – Por que você usa um colar de esmeralda?

- Co-colar? – Me afasto e olho pro colar. – Meu Dosseon! que colar é esse?

Ele fica me olhando em dúvida por alguns segundos.

- Não sabe porque tem esse colar?

- Não.

- Como se chama?!

- Eu não sei! – Começo a ficar meio desesperada.

- Não se lembra de nada? Como foi parar aqui? Não, espera... Por que Somin te deixou passar pela passagem?

- Somin? Que isso?

- A fada que te deixou passar.

- Fada? Que fada? Eu só acordei em uma cabana perto de uma vila pegando fogo, consegui fugir e corri pra dentro da floresta. Como assim passagem?

- Vila pegando fogo?

- Sim, não me lembro o nome, mas tinha um.

- Vila Suestryam?

- Isso! Como sabia?

- Somin me contou. Agora sobre a passagem... Não sei como você conseguiu entrar.

Olho em volta com muita dúvida e me sentindo muito exausta, minha cabeça começa a doer muito forte e minha perna também, sinto que as coisas em volta começam a girar enquanto ouvia bem baixo Maxell perguntando se eu estava bem e, quando coloco os olhos nele, minhas vistas escurecem e desmaio caindo no chão.


Notas Finais


Significados de termos existentes na história
Obs: Os termos foram inventados sob minha autoria, se a palavra houver outro significado na ortografia normal peço que relevem.
Dosseon* - O deus dos elfos.
Strowmcloys* - Grande grupo de assassinos e ladrões que buscam recompensas, principalmente, em pequenas vilas.

Aguarde o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...