História Wayward Heart - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Angela Weber, Jacob Black, Paul Lahote, Personagens Originais, Sam Uley
Tags Crepusculo, Jacob Black, Paul
Visualizações 149
Palavras 4.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii, amores! Tudo bom com vocês?! Eu espero que sim :33
Boa leitura <3

Capítulo 14 - Family


Fanfic / Fanfiction Wayward Heart - Capítulo 14 - Family


 

  O tempo estava chuvoso e mais frio nesses três dias que Victória estava alojada na casa de Jacob. Ela sabia que precisava desse tempo, sem contar que veio a sua cabeça que poderia estar colocando a vida dos Weber em perigo, depois do incidente com o vampiro em seu quarto. Agradeceu por seus tios não terem aversão a ideia dela passar uns dias na casa de Jacob.

  A ruiva se encontrava enrolada numa das cobertas da cama do garoto, olhando para o lado de fora, a chuva molhando a janela fechada e cobrindo todo o campo que lhe dava visão, do lado de fora da casa dele. Usava meias, uma de suas calças jeans e uma blusa de Jacob, na cor branca, mas ela gostava, porque era quentinha e confortável, sem contar que continha seu cheiro na mesma.

 

— Desculpe a demora. — Jacob disse, ao adentrar o cômodo, com uma pequena bandeja na mão, que continha um copo de suco e um sanduíche de atum, cortado em quatro triângulos. Deixou a mesma na mesinha ao lado da cama, bem perto da garota, se sentando ao seu lado. — Está tudo bem, babe?

 

 Victória virou seu rosto na direção do moreno, sorrindo de lado para ele e então chegando mais para perto de seu corpo. Se pôs abaixo de seu braço, passando o dela por seu tronco e recebendo um abraço mais quente que todos os cobertores naquela casa, em resposta.

 

— Está sim, Jake. E obrigada por ter trago lanche… Mesmo eu dizendo que não estava com fome. — ergueu as sobrancelhas em sua direção, sentindo ele lhe dar um beijo no nariz.

— Eu sei, mas você precisa comer. Imagina só, seus tios falarem que você passou fome aqui? Nem pensar! — falava em tom sério, mas logo estava rindo junto da garota, pois sua risada era contagiante.

— Você é mesmo um bobo!

 

 Virou seu rosto, deixando um beijo sobre seu peito, então se desvencilhou de seus braços, para pegar o prato com o sanduíche. Levou o primeiro triângulo bem cortado aos lábios e começou a mastigar o alimento, que estava apetitoso, sentindo vontade de continuar a comer. Quando estava terminando o último e quarto triângulo cortado, pegou seu copo de suco, bebendo a metade do mesmo, e foi quando ouviu uma movimentação de carro, assim como os pelos de seu braço se eriçarem. Olhou para Jacob, sabendo do que se tratava ao ver o moreno torcendo o nariz, em seguida fazendo sua careta desgostosa. A ruiva foi obrigada a rir dele. Sendo ali, ela poderia imaginar que não era ninguém ameaçador. Na verdade, tinha quase certeza de quem era.

 Deixou o copo e o prato sobre a bandeja na mesa e se levantou, com Jacob andando em seu encalço. Passou pela porta do quarto de Jacob, em seguida pelo corredor, parando quando chegou na sala, onde Billy estava no centro. Perto da porta, reconheceu Bella e a figura pálida ao seu lado.

 

— Posso saber o que você está fazendo aqui? — perguntou Jacob, se pondo na frente da garota, olhando diretamente a Edward. Este apenas continuou com a mesma expressão, logo dando um fraco sorriso de lado.

— Na verdade… Nós viemos falar com a Vick. — Bella se pronunciou, tentando olhar para a garota, atrás do corpo de Jacob.

 

 Esta franziu o cenho e deu um passo para o lado, em seguida para a frente. Cruzava os braços abaixo dos seios, olhando o casal com uma expressão certamente confusa. Mas, afastou seus pensamentos por alguns segundos, dando um sorriso sincero.

 

— Comigo? Mas o que foi?

— Bem, Vick… — Edward começou, percebendo Jacob o fuzilar com o olhar neste momento, assim como seus pensamentos explodindo em relação a ele. — Victória. Na verdade, naquele dia em que lhe ofereci carona, houve aquela… Complicação com o vampiro, certo? O meu pai está te convidando a vir a nossa casa. Você precisa saber de algumas coisas.

 

 Ficou ainda mais confusa no meio do assunto. O que o senhor Cullen teria para falar com ele? Sabia que, certamente, era algo relacionado aos vampiros, mas… Um convite assim, sem mais nem menos?

Antes que pudesse dar uma resposta para aquilo, ouviu Jacob se pronunciar novamente.

 

— Espera aí, que carona? — abaixou seu rosto, olhando a ruiva, que apenas riu baixo.

— Ele foi gentil, naquele dia. De qualquer maneira, mesmo sendo muito estranho, tudo bem. Eu vou trocar de roupa.

 

 Viu o casal assentir para o que ela disse, se virando e tornando ao quarto. Ao chegar, pega seu tênis e senta na cama para os calçar, vendo Jacob com uma expressão nada feliz em sua direção. Riu novamente, quando se levantou para colocar uma blusa sua, seguida de uma jaqueta grossa, para sair nesse frio que fazia lá do lado de fora.

 

— Eu não vejo graça. Por que não me contou?

— Porque você iria ficar fazendo isso. Não foi nada de mais, ele apenas me deixou em frente a casa dos meus tios… — arrumou os cabelos sobre seus ombros, parando em frente ao corpo dele e subindo suas mãos a seus braços, se erguendo em seus pés e selando seus lábios demoradamente. — Não fica bravinho. Vai…

— Não tem como, mesmo. — rolou os olhos, depois de alguns segundos. Segurou forte em sua cintura e a ergueu, lhe dando um rápido beijo nos lábios, sussurrando contra os mesmos. — Não consigo ficar bravo com você, por mais de um minuto.

— Eu sei.

 

 Ela riu, piscando para ele e se separou do mesmo, a procura de seu celular. O garoto riu também, indo trocar sua roupa para  a acompanhar, pensando que ela nem sabia que era mesmo difícil para ele passar mais de um minuto bravo com ela.


 

 →...←


 

 Quando Edward parou o carro, logo a frente da casa dos Cullen, em meio a todas aquelas árvores, Jacob parou a caminhonete logo atrás. O mesmo desceu do veículo, pegando na mão de Victória e os dois se apressaram a subir na varando, por causa da chuva.

  Junto de Edward e Bella, adentraram a casa, tendo a visão do luxuoso local, novo apenas para os olhos da ruiva, claro.

 

— Eles estão na sala! — ouviu alguém anunciar, percebendo uma loira logo no começo da escada. Viu a mesma virar o olhar para eles, dando um leve sorriso. — Se eu soubesse que viriam cachorros, teria comprado a ração de cortesia.

— Eu poderia ter trago um gatinho para você sugar a vida dele. — Jacob logo retrucou, e os dois passaram a ignorar a presença um do outro.

 

 Edward faz sinal com o queixo, indicando o sofá. Com um sorriso de agradecimento, Victória se sentou na ponta de um deles, sentindo os pêlos de seus braços eriçarem com intensidade, quando a sala foi tomada por todos os membros da família Cullen. Se levantou, para cumprimentar o senhor e senhora Cullen, assim como os outros.

 

— Esses são Alice, Emmett, Jasper, Rosalie…

— É um prazer conhecer todos vocês. E o senhor…

— Carlisle, por favor. — apontou o sofá novamente, e desta vez acompanhou a jovem, sentando próximo a mesma, a observando. — Eu receio que… O assunto seja um pouco delicado, Victória.

— Acredite… Esses dias todos têm sido de informações totalmente novas sobre mim. Você pode falar. — falou num tom de sinceridade, o olhando, esperando que falasse logo o que era.

 

 Carlisle deu um leve sorriso,  juntando as mãos sobre seus joelhos, o que fez Victória se dar conta de que era algo mesmo de muita importância, do contrário, não havia tanta tensão no meio daquela sala. Entre abriu seus lábios, então a tal Alice se aproximou, sentando-se de frente para Victória, com uma expressão serena em sua direção.

 

— Escute, Jacob deve ter mencionado… A aparição de vampiros recém nascidos pelas redondezas. Nós tivemos informações de que eles estão se juntando em Seattle. E tememos… Tememos, não. — o loiro olhou rapidamente para Alice. — Temos certeza de que eles estão formando um exército. Ainda não sabemos quem está a frente disso, Alice não viu nada. Mas ficamos sabendo que eles têm conhecimento sobre você.

— Sobre mim? — perguntou, atônita, agora com a respiração levemente ofegante. Passou a língua sobre os lábios, se levantando e se afastando do sofá. — O que você quer dizer com isso?

— Eles sabem sobre quem você é. — Edward respondeu antes do mais velho, se aproximando da ruiva. — Mas está tudo bem. Nós queríamos que você soubesse disso, e que também nós estamos junto com você. — levou a sua mão ao ombro da garota, o acariciando.


 

  Victória apenas aceitou o movimento de bom grado, ficando parado alguns segundos, olhando para Jacob, e suas narinas inflaram. Por que Jacob havia contado para todos eles sobre a descoberta, dela mesmo, de apenas dias atrás? Com que facilidade esse tipo de notícia corria.

 

— Não, não, Victória. — ele balançou a cabeça, se pronunciando novamente, então a garota lembrou que ele tinha acesso aos seus pensamentos. — Escute, a Alice tem visões. E ela soube sobre você… Na verdade, desde sempre. Estávamos esperando que você descobrisse logo sobre sua verdadeira identidade.

 

Jacob suspirou fraco, passando uma das mãos sobre sua testa e fechando os olhos. Tinha desligado a atenção para o que acontecia na sala, desde que ouviu mencionarem que os recém nascidos sabiam sobre Victória. Isso fez com que várias imagens passassem por sua cabeça, todas elas com a possibilidade de acabar perdendo sua pequena.

 Alice se levantou, andando até a ruiva, e sorriu em sua direção. Livremente, inclinou seu corpo e a abraçou forte, gesto que foi demorado, segundos, para ser retribuído.

 

— Vai ficar tudo bem. — Alice lhe sorriu novamente, ao se afastar. — Você é forte.

— Obrigada. — sorriu de lado, agradecida pelo modo que ela lhe tratava, e seu olhar caiu sobre Jacob por breves segundos, preocupada com sua expressão. — Mas, eu… — parou de falar, ao ver que a mulher a sua frente parecia aérea.

 

 Logo, Jasper, veio de encontro a mesma, que olhava para qualquer ponto, parecendo perdida. O homem segurou em seu antebraço, como se esperasse alguma resposta. Quando ergueu seu rosto, olhou diretamente para Edward, que cerrou os punhos.

 

— Nós temos que ir. — anunciou, olhando os outros membros da família, então todos se movimentaram na sala.

— Foi um enorme prazer, Victória. Nós teremos oportunidade de conversar novamente. — Carlisle saiu, depois de terminar de falar, com a mesma serenidade com a qual havia entrado.

 

  Victória andou até Jacob, tocando em seu cabelo, acariciando o mesmo entre os dedos, chamando sua atenção para seu rosto. Quando obteve, sorriu sem mostrar os dentes. Não que tivesse um motivo, claro. Acabou te ter conhecimento de que inúmeros vampiros podem estar querendo sua morte. Mas o moreno parecia bem mais perturbado.

 

— Vamos embora. — viu-o assentir, e em seguida se levantou, pegando em sua mão.

 

  Até ofereceram carona a Bella, mas ela insistiu em dizer que esperaria ali mesmo na casa dos Cullen. Estava apreensiva, qualquer um poderia ver, Victória desejou ter o dom de Edward, e saber o que estava acontecendo com clareza.

  Não demorando muito mais do que no caminho que vieram, chegavam em frente a casa de Jacob novamente e ele parou o carro. Ainda chovia muito, mas mesmo assim, conseguiram ver uma figura se aproximando pelo campo, parecendo extremamente furiosa.

 

— Paul? — a ruiva cerrou os olhos, se inclinando para a frente. — É, é o Paul.

— Ótimo. — ouviu Jacob murmurar, tirando a chave da ignição e entregando em sua mão, antes de sair do veículo.

 

 Ela permaneceu lá dentro, apenas observando, de início, o outro se aproximar do carro, onde Jacob estava na lateral. Mas não iria conseguir ficar sem ouvir o que falariam, o que tinha certeza que teria ligação com ela, então abriu a porta, sentindo os pingos fortes imediatamente começarem a encharcar seu corpo. Deu a volta, parando ao lado de Jacob, porém Paul simplesmente pareceu ignorar sua presença ali, empurrando Jacob pelo peito, um passo para trás.

 

— Você levou ela lá? Por quê?! Viramos amigos dos frios agora, estamos dando festinhas?! — dizia em um tom alto, e perceptivelmente Jacob já se controlava para não ficar da mesma forma.

— E o que você tem a ver com isso, Lahote? Ela é minha garota, e estava comigo! Ninguém precisa lhe dar satisfação!

— Não! Não! Você acha que sabe o que é melhor para ela. Só por causa dessa merda de imprinting!

 

  Na mesma hora, Jacob travou o maxilar, sentindo o olhar de Victória sobre eles, totalmente confuso. A garota se aproximou, ficando entre eles e pondo a mão sobre o peito de Paul, o empurrando para trás, que aceitou o movimento, sem deixar o olhar de Jacob. Este, agora olhava a ruiva, sustentando o olhar quando a mesma se virou em sua direção.

 

— Eu não entendi. Sobre o que vocês estão falando?

— Ah, ele não te contou?! — Paul deu uma risada quase que vitoriosa, os olhando. — Talvez porque não seja verdade.

— Venha, Vick.

 

 Jacob segurou na mão livre da garota, que não segurava a chave do carro, então a puxou, ignorando agora a presença de Paul, logo adentraram a casa. Passou pela sala, percebendo que seu pai não estava ali, ao passar pelo quarto dele, com a porta aberta. Parou de andar, deixando livre sua mão quando estavam em seu quarto. Tirou sua camisa, totalmente encharcada, jogando no canto. Victória continuava a olhar para ele, esperando uma resposta.

 

— O que foi? — perguntou baixo, até de maneira rude, sentindo o olhar dela em suas costas.

— Você não vai me explicar? Vai me tratar como se fosse uma imbecil, Jacob?! — balançou a cabeça em indignação, tirando o celular do bolso da jaqueta, verificando se estava tudo certo, e deixando sobre a mesinha. Em seguida, a peça pesada e grossa de roupa. — Tudo bem. Eu vou pegar as minhas coisas, e ir embora.

— Não… Não, babe, não vá.

 

 O moreno se virou, dando a visão de seu abdômen para a garota, agora com os vestígios da camisa molhada sobre seu bolinhos. Ela entre abriu os lábios, se demorando alguns segundos naquela visão, mas logo balançou a cabeça em negativo, desviando o olhar.

Percebeu ele se aproximando, e logo foi puxada para uma das cadeiras, com ele segurando em sua cintura e a sentando na mesma. Tornou a olhá-lo, e o mesmo ficava agachado, entre suas pernas, com as mãos apoiadas em suas coxas. Levou uma delas a sua, acariciando sua pequena mão, em meio a dele, e beijou cada um de seus dedos.

 

— É uma coisa que… Eu deveria ter contado antes. Eu sei que deveria, mas eu…

— Para, Jacob. Fala logo! O que é isso de imprinting? Por que eu estou sendo a última a saber? — continuou o olhando com

a mesma expressão.

 

 Jacob respirou fundo, levando a mão da garota de encontro a seu rosto e fechou os olhos, roçando os dedos dela em sua bochecha. Ela continuava a olhá-lo, tentando não se comover com aquela cena, mas estava quase impossível. Quase.

 

 — Imprinting é uma ligação. Acontece apenas com lobos. É… Quando nós achamos a nossa alma gêmea. É amor a primeira vista. Nós olhamos aquela pessoa e… Tudo muda. O mundo todo, de repente, passa a girar em torno daquela pessoa. Daquele olhar, daquele sorriso. — sentiu ele levar a outra mão ao seu rosto, dedilhando o mesmo, e seu polegar parou sobre seus dedos, o desenhando. — E não conseguimos mais ficar longe dela, por nada. É para a vida toda.

 

 Victória soltou o ar entre os lábios, um pouco desacreditada com o que ele dizia, mas os olhos deles lhe transmitiam tanta sinceridade e sentimento naquele momento. Então, a imagem de quando o viu na praia veio em sua cabeça. O frio que sentiu correndo por seu corpo, aquele frio que acontece até hoje, quando o vê.

 

— E, se eu não fui muito claro, isso aconteceu entre nós.

— Por que você não me contou antes? — perguntou num fio de voz, sentindo seu coração quase saindo pela boca de tanta ansiedade.

— Porque, no começo, eu fiquei confuso. E depois… Eu não queria te prender a mim, apesar de eu estar preso a você. Não queria que estivesse aqui, pressionada pela ligação do imprinting. Você me entende? Isso… Isso me mataria.

— Jake… — os olhos de Victória lacrimejavam, mas não era de tristeza. Ela passou as duas mãos por seu rosto, acariciando suas bochechas e se inclinando. Selou seus lábios nos dele demoradamente, afastando o suficiente para que conseguisse falar em alto e bom som. — Eu te amo. Estou aqui porque eu quero, e saber disso, agora… Só comprova o que eu já sabia: eu não imagino mais a minha vida sem você.

 

 Jacob soltou o ar pesadamente pelos lábios, logo dando uma leve e nervosa risada. Em seu rosto, logo em seguida, apareceu o maior e mais sincero sorriso. Não havia experimentado de felicidade maior, que ouviu um eu te amo saindo dos lábios daquela garota.

 

— Eu te amo. Céus, como eu te amo! — se levantou, erguendo ela da cadeira também e tocando suas testas, segurando forte em sua cintura contra ele. — Eu sei que isso é mais que óbvio. Você é minha já faz tempo, mas quero que as coisas fiquem claras entre nós. — Victória abriu os olhos, para erguer as sobrancelhas em sua direção, de forma divertida. — Quer ser minha namorada?

 

 Mais uma vez, a ruiva viu seus olhos lacrimejando com tamanha felicidade. Beijou o garoto, com certa afobação, passando as mãos por seus ombros da mesma forma. Jacob sorriu contra seus lábios, subindo as mãos por suas costas com firmeza, até sentir ela parar o beijo.

 

— Sim! — respondeu, ofegante, e os dois riram em seguida.

 

 Jacob permaneceu com as mãos em suas costas, olhando fixamente  para o rosto da garota a sua frente. Os cabelos molhados, alguns fios caindo sobre sua testa. Se viu respirando fundo involuntariamente, observando tamanha beleza, e o pior é que ela nem tinha noção.

 Abaixou o olhar, encontrando seu sutiã marcado na camisa também molhada, o que o fez engolir um seco agora. Nunca havia avançado para nada disso com a garota, e tinha medo de que ela levasse a mal ou algo assim, porém ele não estava pensando muito naquele momento, aquela cena, e ela colada nele.

Foi descendo os dedos, até chegar  na barra da camisa e a puxou num movimento cuidadoso, até estar fora de seu corpo, e tomou o mesmo rumo da sua, momentos atrás. Agora, teve uma visão bem clara da peça em seu corpo. Era um tom azul claro, combinava com sua pele, e tinha caído perfeitamente, ele mal esperava por tirá-la, sentiu-se salivar.

Subiu o olhar lentamente ao rosto dela, vendo-a com os lábios entre abertos, o olhando com atenção e as maçãs do rosto levemente coradas.

Levou os lábios aos dela novamente, tornando ao seu beijo, desta vez um mais acelerado, dedilhando suas costas com avidez, descendo, até chegar em seu quadril, onde levou os dedos para a frente do seu corpo, abrindo o botão de sua calça, não separando os lábios dos dela para abaixar, somente quando afastou para tirar sua própria peça, olhando fixamente para ela.

 Victória foi dando passos para trás, até sentir a cama do garoto, onde sentou seu corpo, e ergueu sua mão, tirando as dele do cós de sua calça, então ela mesma abriu o botão, começando a descer por suas pernas, então vendo a cueca preta, com um volume que fez com que um arrepio subisse por sua espinha.

  Quando terminou, subiu o olhar até ele, deixando um beijo na barra da sua última peça, e então o moreno inclinou seu corpo, a impulsionando para deitar na cama, ficando sobre seu corpo, logo se acomodando entre suas pernas.

 Tornaram a se beijar de maneira necessitada, Victória agora subindo suas pernas, até enlaçar nos quadris de Jacob e sentir os mesmos colidirem com os seus, fazendo-a soltar um baixo gemido entre  o beijo, o que deixou o moreno ansiando por mais.

Passou uma das mãos por sua barriga, dedilhando a mesma com cuidado e a outra abria com facilidade o feixe de seu sutiã em suas costas. Puxou-o por seus braços, jogando para o lado e encarou seus belos seios, dando um largo sorriso, sem tirar os olhos dos mesmos.

 

— Você é tão linda… — sussurrou, levando os lábios a seu pescoço.

 

 Beijou, chupou e mordeu sua pele do jeito que pode, aproveitando cada pedaço daquela parte de seu corpo, descendo com a ponta da língua por seu colo, até parar no vão de seus seios, onde subiu, agora com as pontas dos dentes até seu seio esquerdo e abocanhou seu mamilo, chupando o mesmo para dentre seus lábios, ouvindo a garota gemer baixo novamente, e manteve seu olhar sobre suas expressões, se deliciando com as mesmas.

 Desceu os dedos por sua barriga novamente, desta vez parando ao chegar em sua calcinha, porém adentrando a mesma. Encontrou sua intimidade, lubrificada por sua excitação e foi a vez dele de soltar um gemido de ansiedade contra seu mamilo, sentindo também seu membro pulsar, apertado pela cueca.

 Chegou com o indicador sobre seu clitóris e pressionou o mesmo, sentindo o corpo pequeno abaixo do seu estremecer e sorriu, levando os lábios até o outro seio dela, começando movimentos circulares com agora dois dedos em sua intimidade.

 

— Céus… — ouviu-a sussurrar, sentindo a mesma segurar em seu cabelo com uma das mãos, o puxando levemente.

 

 Sentiu a garota apertar as pernas em volta dele novamente e respirou fundo. Ele queria prolongar o maximo possível aquele momento, fazer tudo direito, era a sua primeira vez, mas ela não estava facilitando.

 Victória puxou ele pelos fios negros para rente ao seu rosto, o beijando, subindo as mãos por seus braços, apertando seus músculos.

 

— Eu preciso de você dentro de mim, agora. — sussurrou contra seus lábios, mordendo os mesmos e chupando seu inferior, vendo ele fechar os olhos.

 

 Num movimento rápido, Jacob ergueu o corpo e tirou sua cueca, com tamanha facilidade rasgando a calcinha de renda, em conjunto com o sutiã jogado ao chão, puxando-a pelas coxas, olhando o corpo da ruiva daquele jeito na cama. Totalmente entregue, totalmente perfeita. Dele.

 Se inclinou, beijando-a com calma, enquanto levava seu membro rijo e duro até a entrada da garota, o posicionando e a penetrando com lentidão, soltando um gemido rouco, sonoro como o dela, assim que havia penetrado todo seu membro. Seu era quente e apertado, perfeito.

Começou a mover seu quadril contra o dela, se perdendo com os lábios, dentes e língua pelas partes de onde alcançava em seu corpo, assim como ela, passando as mãos pelas costas dele, os ombros, arranhando, apertando, fazendo tudo que ela poderia no momento. Levou os dedos a frente do corpo dele, quando ergueu o tronco, ele tendo a imagem de seus seios em movimento e ela arranhando seu abdômen sarado, espalmando as mãos no mesmo e não conseguindo conter os gemidos de prazer que saíam por seus lábios, misturados com os dele e o som de seus corpos se chocando.

Quando percebeu estar próximo de seu ápice, inclinou seu corpo e apoiou as mãos ao lado de sua cabeça, estocando com força e lentamente, olhando-a nos olhos e se controlando ao maximo. Não deixaria vir nunca, antes dela.

 

— Ah… Jake! — o nome dele saiu em forma de um alto gemido, antes que a mesma chegasse em seu ápice, fincando as unhas em suas costas fortemente, assim como ele deixando que seu corpo relaxasse, fechando os olhos e dando mais algumas estocadas lentas nela, com os espasmos em seu corpo, até sair de dentro da mesma.

 

 Assim que seu corpo caiu para o lado, virou-se, assim como ela. Abraçou-a por trás e deixou um beijo delicado sobre seu ombro, abaixando a mão até sua barriga, acariciando a mesma com os dedos, enquanto enroscava sua perna no meio das dela.

 

— Você é perfeita, babe. — disse perto de seu ouvido, beijando abaixo do mesmo e a apertando em seus braços, a fazendo sorrir, com o corpo mole, e os olhos fechados.

— Você nem faz ideia do quanto você é, grandão.


  Antes que pudessem cair no sono, tomaram banho juntos, pois ainda haviam pego a chuva, e quando tornaram ao quarto, vestiram apenas roupas íntimas secas e se deitaram novamente, nesta mesma posição, onde adormeceram juntos, mergulhados no amor que haviam transmitido um para o outro, e até esquecendo os problemas envolvendo os vampiros, pelo menos por uma noite.


Notas Finais


E ai, gostaram? Não esqueçam de deixar o seu lindo coment! *--*
Até o próximo <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...