História We are even - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda
Tags Hyoga, Saint Seiya, Shun, Yaoi
Exibições 24
Palavras 1.427
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Essa fic eu fiz por volta de 2015, foi a minha primeira e a ideia me veio muito rápido e a conclui em meia hora, espero que gostem dessa minha primeira fic, no Nyah muita gente gostou :3

Capítulo 1 - Oneshot


Fanfic / Fanfiction We are even - Capítulo 1 - Oneshot

 

Após terem salvo Saori Kido da flecha envenenada de Thremy de Sagita, e terem lutado contra os doze cavaleiros de ouro do santuário de Athena, finalmente os cavaleiros de bronze retornam a fundação GRAAD com a sensação de dever cumprido. Mesmo que estivesse feliz de ter realizado sua missão algo ainda incomodava o solitário cavaleiro de cisne. Hyoga tinha um sentimento de divida rodeando sua cabeça, se não fosse por Shun ter dado-lhe quase a vida para salvar a sua Hyoga hoje estaria morto dentro do esquife de gelo que seu mestre Camus de Aquário o colocara.

Hyoga encontrava-se em seu quarto deitado na cama olhando para o teto, pensativo, devia sua vida ao cavaleiro de Andrômeda agora, mas sabia que ele nunca lhe cobraria nada, e pior, se necessário teria morrido em seu lugar. Hyoga não conseguia dormir pensando que por sua causa um amigo poderia ter morrido, como se já não fosse suficiente isso, graças a Camus nunca mais conseguiria mergulhar fundo suficiente para ver sua mãe... mas agora nem mesmo Camus estava ali,o remorso de ter acabado com a vida do próprio mestre também assombrava a cabeça do cisne e se não fosse por aquele rapaz de cabelos esverdeados Hyoga poderia não estar ali.

Já era muito tarde quando o loiro cansa de refletir sobre esses assuntos e decide se levantar para tomar água. Hyoga vestia roupas confortáveis para dormir, apenas uma regata larga e branca e um short preto. Ele caminha pelo corredor dos dormitórios e passa pelo quarto de Shun, sente uma vontade imensa de bater na porta para conversarem e finalmente agradecer de forma adequada pelo que fez mas não o faz, o loiro passa reto pela porta e desce para a cozinha. Chegando lá pega uma garrafa d’agua da geladeira e volta para o dormitório. Passando pelo mesmo corredor no caminho de volta, dessa vez para em frente a porta de Shun e bate, nem lembrava que era tão tarde então não teve remorso se iria acorda-lo ou não.

O rapaz estava dormindo a muitas horas, parecia um pouco enfraquecido ainda após tanto esforço porém continuava belo como sempre. Ele franze a testa ao ouvir as batidas na porta e com apenas um dos olhos abertos olha o horário no relógio, já eram 3:30h quem poderia estar ‘incomodando’ a esse horário, relutante Shun se levanta da cama e cobre-se com um hoby levemente transparente, apenas para não atender quem quer que fosse trajando apenas pijama. O Rapaz vai até a porta e quando a abre tem um surpresa.

–H-Hyoga? –Disse Shun espantado, não esperava que fosse ele ali, Hyoga sempre foi tão reservado e discreto o que o faria ter vindo no meio da noite? Vários pensamentos passavam pela cabeça de Shun naquele momento e claro que quando olhou diretamente nos olhos azuis de Hyoga sua face pálida corou-se levemente. Shun era um rapaz muito delicado não precisa de muito para constrange-lo.

–Eu queria conversar uma coisa com você Shun... –Disse calmamente o cavaleiro de cisne agora desviando o olhar daquelas grandes orbes verdes que o encaravam tão timidamente.

–Você esta bem? Já é tarde para estar acordado...-Falou Shun preocupado com o outro.

–Eu estou perfeitamente bem... mas por minha causa você esta assim, eu queria lhe agradecer da forma correta...-Hyoga falava baixo com o rosto levemente avermelhado, algo em Shun o fazia ficar daquela forma, isso não era comum, Hyoga não era um rapaz tímido.

–Hyoga, você não precisa fazer isso, somos amigos, é meu dever cuidar de você. –Um belo sorriso se formou no rosto de Shun que falava tentando convencer o outro de que não havia divida alguma entre os dois.

Hyoga que estava com a mão esquerda segurando a garrafa levou a direita até o batente da porta aproximando-se mais do outro rapaz e agora o olhava diretamente nos olhos. Shun que não deixou de olha-lo um segundo ficou ainda mais corado com a aproximação dele.

–Não há nada que eu possa fazer para retribuir o que fez por mim?

Shun abaixava o olhar ficando ainda mais constrangido, não conseguia dizer nada naquele momento, aparentemente sempre sentiu algo pelo outro que nunca soube explicar e aquela aproximação inesperada o deixava nervoso e constrangido por não saber explicar para si mesmo o que sentia.

–Hyoga, eu já disse, você não me deve nada...

–Não existe nada que eu possa fazer Shun? –Ele aproximou mais o rosto do outro, estavam tão próximos que era possível sentir a respiração deles misturarem-se. Hyoga não entendia bem porque estava agindo daquela forma, tinha sã consciência que Shun era homem mas aquela aparência frágil, aquele jeito delicado e ainda mais a maneira que o outro o olhava o fazia querer além de apenas uma amizade com aquele rapaz. Hyoga deixava de pensar que Shun era um garoto e apenas ia rendendo-se ao que seu corpo tinha vontade de fazer. O louro fechou os olhos abaixou um pouco mais o rosto e antes de aproximar-se suficiente para em fim beija-lo foi surpreendido por Shun que segurou seu rosto com ambas as mãos e lhe roubou um beijo rápido. Hyoga abre os olhos e vê Shun com os dele fechados, ele abaixa a mão direita e a leva até a cintura do mais baixo e voltando a fechar os olhos intensifica aos poucos o beijo, derrubou a garrafa d’agua ali no corredor e aos poucos foi conduzindo Shun para dentro do quarto, quando estavam dentro, Hyoga fechou a porta e Shun o olhou corado e envergonhado pelo que havia feito.

–Você já pagou sua divida Hyoga...-Disse aquilo com o rosto baixo sem querer encara-lo novamente.

–Não foi suficiente...-Hyoga mal terminou a frase e com auxilio do polegar e o indicador direito ergue o rosto de Shun voltando a beija-lo, novamente conduzi o menor até que chegassem a cama, o louro o deitou ali, da forma mais delicada possível e levou uma das mãos até o laço do hoby que o outro usava, puxou, fazendo com que aquela peça se abrisse revelando as roupas curtas que o outro usava para dormir, Hyoga desceu o rosto até seu pescoço e o beijou ali podendo espiar disfarçadamente as curvas daquele corpo pequeno e delicado. Shun por sua vez deixou-se levar pelo desejo e abraçava com força o corpo do loiro. Assim que Hyoga sentia aquelas mãos pequenas e frias o agarrar arrepiava-se de leve ficando um pouco excitado com aquilo, ele o soltou por um instante e de joelhos entre as pernas do outro se erguia retirando a camisa podendo assim exibir seu corpo semi definido. Shun o olhava atentamente sem querer perder se quer um detalhe, seu rosto ficava ainda mais vermelho e levava as mãos até o rosto o cobrindo.

–Você não quer me ver Shun? –Hyoga levou uma das mãos até as de Shun a a puxou do seu rosto a levando a te seu tórax.

–Você esta sentindo isso?

– O-oque?.. .-Perguntou Shun tímido com a voz um pouco tremida, quando tocava o tórax forte de Hyoga consegue sentir o quanto o corpo do cisne estava quente.

–Você só pode me sentir quente assim agora, porque me salvou...Deixe-me aquecê-lo também.–Hyoga falou aquilo quase que sussurrando enquanto aproximava-se de novo deitando-se sobre o menor que novamente o abraçava.

–Hyoga, você tem certeza disso?...somos garotos... -Shun abaixava o olhar ficando com um pouco de medo do outro se distanciar por isso.

–...Eu não me importo,se você estava disposto a dar sua vida pela minha o mínimo que posso fazer é passar o resto dela ao seu lado, se me permitir... –Hyoga falou o olhando diretamente nos olhos, estava sério, queria que Shun confiasse em suas palavras.

–Mas, você só é grato a mim? Eu não posso aceitar isso...-Shun disse aquilo buscando fechar seu hoby, mas Hyoga o interrompe e diz olhando-o no fundo de seus olhos.

–Não é apenas isso... Eu também... amo você, esta sendo muito difícil esconder isso desde que voltamos, e hoje você é o único a estar do meu lado... Mas compreenderei se não sentir o mesmo...-Disse desviando o olhar como se não quisesse pressionar o menor. Shun ficava deslumbrado com tais palavras, seus olhos marejaram e de imediato voltou a abraça-lo com muita força.

–Eu estou tão feliz Hyoga! E-eu também amo você –Fala com a voz tremula como se fosse chorar. Hyoga que ficou surpreso com o abraço inesperado ficava agora aliviado ao ouvir aquilo, ele abraçou ternamente o rapaz e afundou o rosto em seus cabelos beijando o topo de sua cabeça.

–Prometo que cuidarei de você Shun...


Notas Finais


E aí gostaram? Meio podrinha mas muito amor.. afinal primeiro shipp yaoi é assim <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...