História We Are Home - Destiel Fanfiction - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland), O Lado Mais Sombrio, Supernatural
Personagens Bobby Singer, Castiel, Crowley, Dean Winchester, John Winchester, Kevin Tran, Lúcifer, Mary Winchester, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Ruby, Sam Winchester
Tags Amor, Aventura, Destiel, Longfic, Magia, Supernatural, Yaoi
Exibições 29
Palavras 1.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


olá olá
Chegando mais um cap lindo pra vocês
Personagem novo,cheiro de treta,sei lá entendam como quiserem,mas foco q esse person é importante.


Cap segunda - 12:30
Cap sábado - 11:30

Go

Capítulo 5 - Intraterreno



                    Narrador

Após o que pareceram horas de navegação eles chegam a beira de uma praia de areias negras,o cenário parecia deserto com quilometragem da mesma areia cobrindo o chão,apenas uma árvore com folhas de cristais brilhante multicoloridos grande e solitária próxima do rio vc sugando sua água para continuar viva.Castiel fora o primeiro a descer,andando diretamente para a árvore parando a sua frente enquanto esperava os companheiros,Dean desceu do barco com dificuldade pois ainda estava com dores do dia anterior e de sua "luta" com o monstro do mar de lágrimas.

Sam ajuda o irmão a chegar na árvore,Casfiel então sem dizer nenhuma palavra e agindo como um robô seguindo instruções,desembanha sua espada e a crava no tronco da árvore,um buraco se abre pelo qual qualquer ser humano poderia passar e os Winchester encaram o anjo espantados.

-Como sabes de tanto deste lugar? - Sam questiona,não conseguia raciocinar que Cass tenha encontrado praticamente um manual do País das Maravilhas no Google.

-Já estive aqui. - o anjo responde sem muita cerimônia. - só temos que pular ali,então teremos um caminho direto para os portais.

-E isso aí é seguro? - pergunta Dean falando com Cass pela primeira vez no dia.

-Nada aqui é seguro. - Cass responde e pula dentro logo em seguida,foi perceptível em sua voz uma decepção por Dean estar falando com ele novamente apenas no "modo caçador" de pensar.

Sam e Dean pulam em seguida e caem em cima de um cogumelo gigante,a sua volta estavam flores - que cobriam desde a parede,o chão e até o teto - uma estrada estranha se formava para dentro,começaram a se perguntar em suas mentes se tudo que estavam vendo era real mas deixaram o pensamento de que tudo era apenas mera loucura de lado e desceram do cogumelo.

-Próxima parada? - pergunta Sam.

-Sala da lagarta. - Cass diz sem mais nem menos apenas confundindo inda mais as mentes daqueles que conhecem pouco de uma história mal contada.

Castiel segue o caminho feito de flores a frente dos dois irmãos para que eles não pudessem ver seu rosto,não pudessem ver o quanto a possibilidade de que eles não possam sair daqui o incomoda,pois sim esta possibilidade existe,os portais estão fechados e não ele não sabe como abrir,a saída deles é que a sabedoria da lagarta azul seja uma saída deste lugar tão encantador e tenebroso ao mesmo tempo.

Após andar um pouco,sente-se um cheiro de fumaça estranha,lavanda especificamente,intoxicando o ambiente,estão perto do seu destino.

Chegam a uma área coberta pela névoa e fumaça,onde quase nada se pode ver,apenas o contorno de um grande cogumelo onde está sentado um ser que segura a ponta do narguilé entre os dedos.

-Lagarta? - chama Castiel e se é possível ouvir uma risada desconhecida e macabra.

-Havia uma menininha que me chamava assim,sim,o nome dela era Alice,mas sabe,prefiro que me chamem de Morfeu. - a névoa e fumaça se dissipam revelando o homem sentado acima do cogumelo,com uma face artística e cor de pele de um tom incomum - lilás para ser exata - cabelos lisos que iam até os ombros quase passando e uma cartola decorada com mariposas mortas.Um pequeno detalhe que esqueci de citar: o homem tinha asas,negras como a noite que se assemelhava - por ironia ou não - as asas de uma Mariposa.

-Morfeu tipo o Deus dos sonhos e essas coisas? - Dean pergunta apenas por curiosidade,se entregando um pouco a loucura do lugar.

-Bem,Deus é muito para mim,mas se quiser me chamar assim,não tem problema,gracinha. - Morfeu responde para Dean deixando escapar um sorrisinho. - e você,um intraterreno,o que faz com um cavaleiro élfico e um anjo?

-Primeiramente,ele não é um de vocês,e Sam é humano,não um cavaleiro,depois,viemos pedir sua ajuda. - Castiel disse se irritando um pouco com a enrolação do homem.

-Tudo tem seu tempo,querido amigo,e se ele não é intraterreno,o que estás marcas fazem em seu rosto? - questiona Morfeu.

-Posso por acaso perguntar o que é um intraterreno ou vai ser muito pras donzelas responderem? - diz Dean irritado,afinal estavam falando dele,Sam apenas observa tudo tentando associar tudo que viam a fatos lógicos.

-Intraterrenos são os seres do mundo subterrâneo,mais especificamente,deste "país das maravilhas",é como essa Mariposa inconveniente com quem estamos falando. - Castiel explica com desgosto.

-E assim como a mariposa inconveniente aqui,todos os intraterrenos tem esta marca. - Morfeu passa a mão em seu rosto de leve revelando linhas como as de Dean apenas mais próximas de seus tom de pele como diferencial. - aparecem como mecanismo de defesa,para lembrar-lhes da magia que carregam,tudo que é perigoso pode faze-las aparecer.

-Um espinho de rosa me acerto no rosto,só isso deve ser só algum tipo de doença desconhecida,q-quer dizer e-eu nem sabia que esse lugar existia. - tentou dizer Dean. - Eu sou completamente normal.

Morfeu analisou Dean por alguns segundos,o Winchester sentia que até sua alma estava sendo revirada de cabeça para baixo em busca de respostas para uma curiosidade não específica da Mariposa.

-Dean,podemos conversar a sós por um momento? - pediu Morfeu educadamente mas irritando um pouco mais Castiel(talvez pela demora em ajudar,talvez por um sentimento em si que Castiel não entendia,o ciúme.)

-Ehr..claro... - respondeu Dean desaparecendo instantaneamente com um aceno de Morfeu,que logo em seguida fez uma reverência e desapareceu também.

Sam ficou incomodado com a conversa,queria saber o que estaria acontecendo lá,começou a mexer em algumas coisas que calculou pertencerem a Morfeu,não encontrou nada muito interessante - embora uma luva rendada e uma presilha de cabelo sejam itens peculiares para se ter. - a mariposa não parecia morar ali,era como apenas um espaço silencioso onde poderia ficar.

Sam cansado de procurar,desceu do cogumelo e encarou Castiel pensando em maneiras fáceis de perguntar o que queria.

-O que há entre você e o Dean? - tentou ser direto,Castiel arregalou os olhos como se não esperasse a pergunta.

-Nada,ele apenas precisa entender a diferença entre certo e errado. - Castiel disse firme tentando não deixar espaço para mais questionamentos.

-O que aconteceu antes de você ir embora?Eu ouvi sem querer antes de partirmos... - Sam tenta disfarçar mas era óbvio que ouviu a conversa toda.

-Ele me beijou. - Castiel responde baixo,em um sussurro quase inaudível.

Sam ficou quieto,não queria reagir,não queria que isso machucasse ainda mais Castiel,pois sentiu sua dor ao dizer as simples palavras,então sentou no chão e esperou.

Algum tempo depois,Morfeu e Dean reapareceram em uma explosão púrpura,Morfeu segurava uma garrafa cheia de líquido estranho mas não pareceu importante nem para o anjo e nem para o Winchester mais novo.

-O que ele te disse Dean? - Castiel foi o primeiro a se pronunciar.

-Nada demais. - Dean responde e faz uma pequena pausa -Vamos Andando.

Dean saiu na frente,seguido de Morfeu que puxou Castiel pela braço e lhe ofereceu da estranha bebida,da qual o anjo aceitou,afinal é como no ditado,faça do seu inimigo seu amigo.

Sam ficou para trás um pouco,sem entender o que havia acontecido ,ele não havia entendido nada ultimamente,mas logo iria ter que entender que agora,é parte de um plano maior.


Notas Finais


Foi isso,vamo deixar aquela tensão no ar....
Estão gostando?Comentem!
Saikokisu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...