História We are young. - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Frank Zhang, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Will Solace
Tags Hdo, Heróis Do Olimpo, Jason, Jercy, Lemon, Nico, Percy, Percy Jackson, Pernico, Pjo, Solangelo, Wilson, Yaoi
Exibições 182
Palavras 2.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ola amores!!

tenho que confessar que nessa reta final eu até tenho dó de postar </3
vou sentir tanta falta dessa fic >.<
serio, essa aqui foi a mais doida e realizadora fic que ja fiz hahaha amo muito <3

agora chega de drama e bora ler ;*

Capítulo 49 - (colega de quarto 2.0)


Fanfic / Fanfiction We are young. - Capítulo 49 - (colega de quarto 2.0)

 

- Você precisa mesmo desse espaço todo? – Perguntou Jason para mim analisando minha cômoda ao lado da cama do dormitório.

Dei nos ombros jogado na cama.

- claro que sim. Se você tem muita coisa se vira e arranja espaço na sua cômoda. – falei fingindo indiferença.

Ele bufou revirando os olhos e continuou a arrumar suas coisas.

Aquilo era estranho. Ter Jason como colega de quarto ou não ter Nico como colega de quarto.

Me peguei pensando nas coisas que seriam diferentes agora, quero dizer, as coisas com o Jason eram sempre tão automáticas que eu sei que não sentiria diferença, mas sentiria falta do Nico.

- isso quando ele não quer pegar a sua parte da cômoda. – a voz do Nico surgiu da porta e eu o olhei com um sorriso involuntário surgindo.

Ele estava encostado na soleira com os braços no bolso do casaco negro de moletom analisando o ambiente. Seus olhos foram de Jason para mim.

- não duvido que ele faça isso. – Jason resmungou.

- vocês tem que parar de ficar contra mim, já está ficando irritante. – falei em um suspiro me sentando na cama e fitando o Nico que continuava no mesmo lugar. – achei que ia embora sem se despedir.

Ele mordeu o lábio contendo o sorriso.

- eu odeio despedidas e ia mesmo, mas... – pensou por um momento olhando para tras. – não tive muita escapatória.

- não teve mesmo! – a voz distante e abafada de Luke soou de longe.

Nico deu um sorrisinho de canto e Jason levantou as sobrancelhas para ele enquanto eu apenas o analisava.

- bom isso explica muita coisa. – Jason murmurou quase para si mesmo e depois suspirou fechando a gaveta na qual guardava suas coisas. – esqueci uma coisa em casa, já volto. – comunicou já se retirando.

Fiz uma careta confusa para suas costas que passaram por Nico que lhe deu passagem e um sorriso grato, depois voltou a me fitar.

- então já que estou aqui... – ele começou e eu o calei levantando a mão.

- nem pense nisso. – cortei-o antes dele sentar a frente na sua antiga cama e a olhar com melancolia antes de voltar a mim. – você não vai se despedir de mim.

Ele torceu o lábio tristemente como se eu fosse uma criança, mas depois sorriu.

- não ia me despedir de você e sim do quarto. Eu vou sentir falta daqui. – disfarçou e eu o encarei.

- mentiroso.

- claro que vou sentir falta, não das provas e trabalhos claro, mas... - Peguei meu travesseiro e joguei nele que riu. – ok, eu ia me despedir de você. não sei quando vamos nos ver de novo.

Bufei irritado.

- não fale assim. Eu não vou te largar só porque arranjou um namorado. Luke vai ter que me engolir por muito tempo ainda. – resmunguei e ele riu silencioso me olhando com carinho.

- tenho certeza que Luke vai ter que te aturar por mais um ano independente disso. – utilizou o sarcasmo e eu revirei os olhos sem clima. Nico se levantou e sentou ao meu lado, mas evitei olha-lo. Me despedir dele era doloroso. – está com ciúmes?

Fiz uma careta.

- de que?

- Luke. – seus olhos negros estavam analíticos em mim.

Tentei disfarçar a tensão desviando o olhar.

- não... não do jeito que você está pensando. – reformulei quando ele sorriu de canto. – tenho inveja dele por não ter que se separar de você.

Nico riu baixo como se eu fosse um bichinho fofo.

- no fundo você é muito sentimental Percy. – disse despreocupado.

- cale a boca Di Angelo. – resmunguei me sentindo corar.

Então ele me abraçou, de repente, sem indícios, apenas fez. Fiquei sem reação em primeiro momento depois retribui o abraço com carinho.

- se cuide sem mim. – pediu em meu ouvido e tive que segurar para não chorar.

- eu é que devo dizer isso. – me fingi de forte e ele riu em meu ouvido.

- eu vivi dois anos aqui sem você garanhão, sei me cuidar. – falou se afastando.

- dois anos com o Will não são uma boa definição de viver bem Nico. – falei brincando e ele ponderou a cabeça considerando.

- tem razão, as coisas mudaram quando você chegou, mas ainda sim, sobrevivi.

Fiquei o olhando por um tempo, serio, analisando e guardando seu rosto em minha mente. A mão dele estava na minha quente e macia, seus olhos estavam um pouco vermelhos o que me deu indícios de que ele estava segurando as lagrimas tanto quanto eu.

- você vai sumir? Me esquecer como... – “esqueceu do Will” era o que eu ia dizer, mas mordi a língua.

Nico sorriu com compaixão e os olhos brilhando.

- não seja idiota Percy. Você sempre vai ser meu melhor amigo e eu vou estar por aqui as vezes... – ele se limitou a dizer. – com o Luke.

Levantei as sobrancelhas para ele.

- Luke hein? Ele te fisgou mesmo. – brinquei e ele corou um pouco me fazendo apertar sua mão. – estou feliz por ser ele Nico. Luke é incrível como você... mentira, acho que ninguém é incrível como você. – falei sincero e ele riu deixando uma lagrima cair no canto do olho, mas a enxugou de imediato.

- se sou não sei, mas ele com certeza é. – disfarçou olhando para a porta pensativo. – é tão...

- diferente? – completei e ele assentiu.

- sim, muito diferente.

- seria estranho eu dizer que entendo isso? – falei com um sorriso irônico e ele me olhou por um momento serio.

- não seria nada estranho você entender isso. – afirmou. – se é assim com você e o Jason agora eu posso dizer que entendo.

Fiquei o olhando por um longo instante, ele parecia mudado, mais leve e seu sorriso saia mais fácil.

- Acho que eu tinha razão sobre Luke. – falei mais para mim mesmo e ele me olhou confuso. – ele consegue te fazer rir e isso já mostra o quanto “certo” ele é.

Nico ficou vermelho depois de assimilar minhas palavras e baixou os olhos fazendo meu coração derreter e apertar ao mesmo tempo.

- você também me faz rir. – considerou e eu apertei os lábios.

- não o suficiente. – afirmei e ele não respondeu de primeiro momento, depois suspirou e me olhou sorrindo travesso.

- você consegue ficar ainda mais insuportável quando está sentimental. – zombou e eu revirei os olhos.

- Obrigado Di Angelo, seu amor por mim é louvável. – ironizei e ele riu.

Pegou minha mão de novo e a apertou de leve.

- não vou esquecer você Per e espero o mesmo. quando der eu venho visitar vocês.

- vocês?

- Jason também é meu amigo. – disse soltando minha mão e se levantando descontraído.

- desde quando? – perguntei com uma careta e ele riu.

Nico parou na porta com um olhar divertido e melancólico ao mesmo tempo, seus cabelos negros pareciam maior olhando agora de longe, seu sorriso mais sincero porem contido repuxou para mim.

- desde que ele te faz feliz. – respondeu sincero.

Todo meu corpo relaxou sem evitar com aquilo, um sorriso leve e bobo escapou pelos meus lábios e eu fiquei sem reação.

Neste momento ouvi Luke chamar o Nico do outro quarto, ele não tirou os olhos de mim apenas sorriu mais e deu nos ombros.

- A gente se vê Per. – disse antes de sair acenando com a mão.

- até mais Nico. – respondi mais para mim mesmo já que estava sozinho.

 

Depois disso fui me arrumar para sair com Jason. Já era quase a noite quando sai do banheiro já arrumado e encontrei Jason e um garoto conversando na porta do quarto.

Por entre Jason percebi que o garoto era não muito alto, um pouco menos que Jason e eu, tinha a pele clara, cabelo castanho como seus olhos e um sorriso travesso. Ao me aproximar ele me olhou analítico e eu percebi que ele e Luke se dariam bem, os dois tinham o mesmo ar pentelho apesar desse parecer mais serio.

- Ei Per, esse é o Chris Rodriguez. Ele é o novo colega de quarto do Luke. Chris esse é o Percy. – Jason apresentou.

Chris apertou minha mão sem muita emoção e voltou seu olhar para Jason.

- Então é isso. valeu cara. – disse já se virando e entrando no quarto da frente.

Fiz uma careta para ele e depois me virei para Jason.

- o que ele queria? – perguntei e ele deu nos ombros já fechando a porta enquanto saiamos.

- só nos conhecer acho e perguntar sobre os pontos de droga. – respondeu casual enquanto andávamos pelos corredores praticamente vazios da faculdade.

- drogas? Ok... – murmurei pensativo.

Eu realmente não me importava com aquilo, cada um fazia o que quisesse com a própria vida.

- então... aonde vamos? – Jason perguntou quando estávamos na entrada/saída da faculdade. Olhei para ele e ri. – o que foi?

- isso é um pouco nostálgico. – afirmei me lembrando da primeira vez que saímos juntos como um “casal” – devo perguntar as opções?

Ele sorriu abertamente para mim também se lembrando e depois deu nos ombros indiferente.

- prefiro não repetir as coisas e estou cansado demais para pensar. Você decide. – falou indiferente, mas percebi a ponta de felicidade em sua voz.

- cansado de que Grace? Depois eu que sou preguiçoso. – suspirei pensativo. – Cinema. Tem um filme que quero ver.

Ele levantou uma sobrancelha para mim daquele jeito lindo dele.

- Cinema? Acho que a nostalgia acabou ai, nunca que você iria querer fazer algo tão “casal” comigo. – comentou intrigado, porem tinha uma ponta de diversão em seus olhos.

Peguei sua mão com firmeza e o olhei de perto.

- nós não eramos um casal naquela época. – lembrei e ele assentiu já me puxando para um beijo calmo nos lábios.

- cinema então. – concluiu já estendendo a mão para chamar um taxi.

 

No cinema assistimos um filme de ação que eu estava querendo ver, nos divertimos e como sempre as coisas fluíam fáceis entre nós.

Quando chegamos ao dormitório Jason tomou banho antes de mim já sabendo como eu era e depois nos deitamos (separados) para dormir.

- Per... – ele me chamou quando ficamos quietos.

- hum?

- você acha que as coisas vão mudar agora?

- como assim? Defina “mudar”.

Ele demorou um pouco para responder, no escuro eu não conseguia ver seu rosto.

- ser diferente. É nosso ultimo ano, temos que conseguir estagio e parece estranho demais não ter a Reyna aqui, ou o Leo, ou o Nico...

Mordi o lábio para mim mesmo com um nervosismo repentino.

- nem sempre mudar é ruim. – falei tranquilizador.

Era bom ver que não era só eu que estava com aqueles pensamentos.

O ouvi suspirar.

- tem razão.  – foi só o que ele disse, depois o silencio se formou.

Fechei os olhos já pronto para dormir quando o sinto deitar ao meu lado, quase em cima de mim.

- Jason! – reclamo e ele ri na maior cara de pau.

Sua silhueta pairava acima.

- eu não consigo ficar tão perto e ao mesmo tempo tão longe de você. – falou manhoso e eu segurei o riso.

- você é impossível! Temos aula amanhã, vá dormir. – mandei tentando ser serio, mas falhando quando ele beijou meu pescoço me fazendo arrepiar.

- só um pouco? – pediu em meu ouvido mais manhoso e sexy do que nunca.

Suspirei.

- Odeio você. – falei em um bufo o puxando para beijar sua boca.

- como se eu acreditasse nisso. – zombou descendo beijos e caricias pelo meu corpo a qual retribui.

- é verdade.

Ele riu baixo.

- o que é que você odeia em mim? – perguntou inocente.

- odeio quando você me agarra no meio da noite. – apontei

- mentira. – rebateu.

- odeio essa sua cara de pau.

- aham... – falou sarcástico enquanto mordiscava meu pescoço.

- odeio como... – trinquei os dentes quando sua mão foi para meu membro. – não consigo resistir a você.

Ele riu de novo, desta vez mais aberto e satisfeito.

- é um ódio bom. – indicou.

- isso existe?

- agora existe. – disse por fim antes de me beijar de novo.


Notas Finais


Ja começa com o coração pernico tendo um mini ataque >.<
ANNNWT </3 essa despedida? ain que dor no core!!!
Nico sua perfeição em pessoa vemnimim! <333
ok parei ;x

Chris zé droguinha shuauhsahua não consegui evitar gente, desculpe ;x

aaaah JERCY <3
nostalgia, lemon não dito... omg <3
amo essa fic gente, que saudade vou ficar </3
ai quanto <3 sahuhsauuhsauhsa

enfim!
cap light ;*
acabando >.<

até o proximo! o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...