História We Are Young - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~laradianafm

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction
Personagens Justin Bieber, Niall Horan
Tags Are, Ayla, Bieber, Colegial, Internato, Justin, Niall, One Direction, Originais, Young, Zoe
Exibições 31
Palavras 2.259
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


NÃO ME MATEM POR FAVOR, EU SENTI QUE PRECISAVA ENVIAR UM CAPÍTULO LOGO, ESTOU DEVENDO A VOCÊS, EU ESTAVA MUITO OCUPADA COM AS COISAS DA ESCOLA, MAS AGORA ESTÁ TUDO BEM, APROVEITEM O CAPÍTULO, BOA LEITURA!

Capítulo 25 - Despacito


Fanfic / Fanfiction We Are Young - Capítulo 25 - Despacito

Andamos pela floresta por um bom tempo, conhecendo o lugar e trocando umas duas ou três palavras de vez em quando. Provavelmente Daniel estava até que contente por já ter alguém para conversar, afinal não é fácil ser aluno novo, eu que o diga.

- E então, o que te fez mudar de escola? - puxei assunto para tirar o clima tenso do ar.

Porra, aquele olhar dele fuzilava qualquer um, tinha um ar de mistério e ele parecia saber daquilo, porque sempre me olhava de uma forma diferente, mais um pra me provocar, que ótimo.

- Eu nem morava aqui, vim de NovaYork, meu pai é um empresário super ocupado com a empresa e bla bla blá, o resto cê sabe né.

É, eu sabia bem como era ter que se mudar por causa de empregos que nem lhe dizem respeito. Contei para Daniel sobre minha vinda para Londres, sobre o trabalho de minha mãe e enfim, tudo o que me fez ir parar naquele lugar, eu estava bem longe da "minha área".

- Então você é brasileira. Bem que podia me ensinar a falar algumas coisas um dia desses.

- Olha, eu posso tentar, mas não tenho muita paciência, vocês gringos parecem que falam com um ovo entalado na garganta.

A risada de Daniel rapidamente chegou aos meus ouvidos, era fácil divertí-lo e eu estava amando aquilo.

- Eu sou um aluno determinado, não vou te fazer passar raiva. - Ele falou parando na minha frente, e eu entedi que não dava para continuarmos a caminhar.

- O que foi?

- Acho melhor a gente voltar, senão vão mandar uma patrulha em nossa procura.

{...}

 

O caminho de volta para o acampamento foi bem mais rápido, talvez porque já estava sendo bem mais descontraido conversar com o garoto dos olhos verdes. Estávamos nos aproximando das barracas quando avistei Justin e Niall tentando montar a barraca que eu achei um tanto complicada só de olhar. Não pude deixar de rir, era quase que ridículo aqueles dois tentando fazer algo que preste. Niall havia se embolado entre a capa da barraca e Justin tentava encaixar duas hastes que claramente não deveriam se encaixar.

- O que é que aqueles dois idiotas estão fazendo? - perguntei me colocando ao lado de Zoe que observava tudo de longe rindo também.

- Eu ofereci ajuda, mas segundo o Justin isso iria ferir a masculinidade deles.

- QUAL MASCULINIDADE? - Nós duas começamos a rir após levar em conta que o meu pensamento estava mais do que correto.

Resolvi ir até eles, não para ajudar, é claro.

- Tá tudo bem aí? - falei me dirigindo mais à Niall, pois ainda não queria papo com Justin, na verdade eu não queria falar com ele nem tão cedo e ele também não estava com uma cara muito boa.

- Parece estar tudo bem? - Niall falou olhando em volta daquela bagunça e eu neguei com a cabeça.

- Vocês sabem que existe um manual para montar isso né?

O silêncio que se pairou por ali foi uma resposta clara para a minha pergunta, que bando de meninos burros.

- Não precisamos de manual, sabemos montar, agora pode ir lá voltar pro bombadão de olho claro. - opa Justin, ciúmes? Niall me olhou com uma cara de quem não estava entendendo nada e eu dei de ombros. Não estava nem aí para o que Justin achava, a verdade era que ele não tinha o direito de estar com raiva, e se estivesse ia ficar pro resto da vida, eu pouco me importava.

Dei as costas para os meninos e fui em direção à Zoe.

- E a nossa barraca? - perguntei e ela apontou para uma barraca que cabia no mínimo 5 pessoas dentro, a escola havia disponibilizado para cada dupla de alunos, contanto que montássemos. - Você montou?

- Puf, claro que não. Uns alunos do outro turno montaram em troca de eu falar deles para você.

Eu ri daquilo,eu ri bastante, como assim?

- Ham? Tá brincando né?

- Não, não mesmo. Aliás, e o Daniel hein?

- O que tem ele? - me fiz de sonsa, sou expert nisso.

Zoe já sabia como eu era, mesmo com pouco tempo de amizade, me conhecia facilmente, por isso continuou de braços cruzados até eu desembuchar. 

- Olha, relaxa, não aconteceu nem vai acontecer nada demais, somos só amigos. - falei e saí logo dali antes que ela me lotasse de mais perguntas.

Não tinha nada pra fazer naquele lugar, nada mesmo. Celular, nem pensar, música, só na fogueira mais tarde, o que me restava era abrir um pacote de biscoitos e comer dentro da barraca enquanto resolvia alguns exercícios de biologia.

Eu passei bastante tempo dentro daquela barraca e nem havia percebido, quando fui para fora já estava anoitecendo e todas as barracas já estavam montadas, estava um entardecer bonito, isso porque ali não havia carros, prédios e nem muito barulho, era a parte boa de se estar naquele lugar, era sossegado e relaxante, eu podia ver alguns vagalumes e as poucas estrelas que já apareciam no céu, o clima já havia esfriado e agora eu usava um casaco de lã bem quente, meus cabelos se balançavam por causa do vento que faziam barulho ao bater nas folhas das árvores, sim, ali estava aconchegante.

- Já passou sua raiva? - incrível, eu não tinha nem dois minutos de sossego. Justin se sentou ao meu lado - mais perto que o necessário aliás -  num tronco de árvore, onde estávamos estava vazio, as outras pessoas estavam em suas respectivas cabanas, e eu desejava não ter saído da minha naquele momento.

- Não estava com raiva. Nem um pouco.

Eu pude ver seu sorrisinho, e sentir o peso de seu olhar sibre mim enquanto eu prestava atenção no cadarço do meu coturno.

- Estava. Estava com ciúmes da Bethany.

- Justin, me poupe. Eu estou pouco me fu...

- Cuidado com o que fala. - ele me interrompeu com aquela voz rouca pelo frio, estava próximo aos meus ouvidos, minha pele estava arrepiada por baixo do casaco, graças a Deus eu o tinha naquele momento.

- Escuta, por mim você pode foder a Bethany hoje mesmo, naquela barraca rosa ridícula dela, que eu nem vou ligar. Você pode ir ali agora mesmo e puxar ela pra ficar sentada aqui e abraçada com você, ou pode fazer carinho nela até ela dormir, eu não ligo. Justin, eu não ligo pra você, e por que você está sorrindo? Que diabos.

- Quer que eu puxe você e fique abraçado aqui? Posso te fazer carinho também, ou te fuder hoje mesmo, mas não naquela barraca rosa.

Senti minhas bochechas queimarem, porque ele estava fazendo aquilo? Acabando completamente com o meu psicológico.

- Não, não preciso do seu carinho. - eu sabia que eu devia estar com um bico enorme, eu sempre fazia isso, como uma criança, mas não conseguia controlar. Justin riu pelo nariz e então num ato rápido colocou um de seus braços sobre meu ombro e me puxou para junto de si, seu perfume invadiu minhas narinas no mesmo momento, e seu corpo estava quente, o que melhorou completamente o meu estado pré congelamento, eu não tive reação, sentia sua respiração em meu cabelo, de modo que meu rosto ficava afundado em seu pescoço. Olhei para cima,dando de cara com seus olhos cor de mel.

- Por que esta fazendo isso?

- Porque é assim que eu te desarmo. - ele abriu um sorriso grande.

- Eu não sou nenhuma bomba.

- Pra mim é, e eu tenho medo - ele falou rindo e eu fiquei quieta, não gostava de fazer medo em Justin, não queria ser uma pessoa que ele tivesse medo, se ele não fosse tão idiota, tudo poderia ser diferente, a culpa então não é minha.

- Você podia ser assim sempre. - murmurei baixo rezando para que ele não tivesse ouvido

 {...}

Eu estava deitada de barriga para cima na barraca, quando Zoe entrou em disparada se deitando ao meu lado e puxando a coberta para si.

- O QUE FOI AQUILO?

- Aquilo?

- Sim, você e Justin, todo mundo viu.

Droga.

- Eu não sei. Ai que saco! - eu queria me socar, estava confusa, não sabia o que pensar, fazer ou sentir, se é que eu podia controlar isso, mas não estava conseguindo.

- Você gosta dele.

Me concentrei naquelas palavras, pensei por uns dois minutos, em silêncio, olhei para Zoe.

- Isso é ruim.

- Talvez. Mas gosta.

Eu queria chorar pela primeira vez na minha vida por uma coisa "boba", mas que eu sabia que não tinha como fugir.

  Zoe se levantou com sua coberta e saiu me deixando ali com meus pensamentos, enlouquecida.

 

Passaram-se minutos e Zoe ainda não havia voltado, resolvi me virar para o outro canto e tentar dormir, fechei meus olhos por um tempo, mas não conseguia, minha respiração estava acelerada, e eu nem entendia porque, nunca fiquei assim antes. Ainda de costas ouvi a barraca se abrir, imaginei ser Zoe de volta, mas não falou nada. Respirei fundo e senti um cheiro familiar, e um calor um tanto familiar também. Era só o que faltava eu estar imaginando coisas. Mas aí um braço passou pela minha cintura, me puxando para perto, franzi o cenho, não era Zoe, não mesmo. Me virei rapidamente, e ele estava ali, diferente olhar para ele agora, era como se eu tivesse descoberto algo que eu não sabia até naquele dia.

- O que você...

Ele não me deixou falar, estava ali mais uma vez, com os lábios colados nos meus, quente, molhado e cada vez com mais desejo. Sabe aquela sensação? A de estar andando sobre as águas, flutuando, a sensação que eu sentia quando surfava, era a mesma coisa, meu coração acelerava do mesmo jeito quando Justin me tocava. Suas mãos percorriam minha cintura me puxando cada vez para mais perto, seus beijos então ficaram lentos, carinhosos, diferente. Justin levou as mãos até minha coxa e a puxou para cima de si, enquanto eu acariciava sua nuca, entre os beijos ele encarava meu rosto, às vezes dava um sorriso fofo, aquilo estava MUITO diferente, ele começou a traçar meu pescoço com beijos molhados, deixando um chupão próximo à minha mandíbula, suspirei com aquilo, eu rezava para que ninguém estivesse ouvindo.

 {...}

 

Aquela noite, foi diferente, o toque, os beijos, a química estava diferente, eu não queria desgrudar de Justin, e ele também não me soltava, estávamos abraçados, ele só de cueca, eu só de calcinha. Justin brincava com meus dedos e eu acariciava seu topete e tateava algumas de suas tatuagens, o silêncio era nítido, e pelo jeito todos lá fora já haviam ido dormir, se não tivessem acordado com meus gemidos no meio da madrugada. Dei um suspiro involuntário, e Justin me encarou com a testa enrugada.

- O que foi? - meu Deus como eu amava aquela voz.

Soltei uma risada leve e ele riu junto.

- Nada, é que isso foi meio estranho.

- Meu pau não devia ser estranho pra você.

- Você não consegue ser sério por um segundo. - falei e ele fez um biquinho exagerado.

Ri daquilo lhe dei um selinho, mordiscando seu lábio inferior em seguida.

- Eu estava dizendo que não entendi por que você surgiu aqui do nada. E a Zoe?

- Bom, ela apareceu lá na barraca, dizendo que você precisava de mim e o Niall precisava dela, então o resto já sabe.

- O QUE? QUE PIRANHA! 

- Fala baixo garota! Quer acordar todo mundo? - Justin ficou por cima de mim tapando minha boca, fiquei encarando seus olhos ali, com o pouco de luz que tinha, como ele era bonito.

- Eu gosto de você. - falei assim que ele me soltou e o garoto se assustou, me olhou estranhando minha fala, e eu me senti esquisita após dizer aquilo. O sorriso do Bieber foi de orelha a orelha, ele não devia estar esperando por aquilo.

- Pode repetir? E dessa vez deixa eu gravar, pra de manhã você não dizer que estou louco.

 

"Ela está vindo em minha direção

Agradeço muito por isso

É uma bênção, sim

Ela transforma toda situação em um céu, é

...

Oh, você é

Meu nascer do sol no dia mais escuro

Me faz sentir de um jeito

Que me faz querer saborear cada momento lentamente, lentamente

Você se encaixa em mim, um amor feito sob medida, da forma que você coloca

Você tem a única chave e sabe como ligar

Do jeito que você mordisca minha orelha, as únicas palavras que quero ouvir

Querida, vá devagar, para que possamos aproveitar mais

Oh, você, você é o ímã e eu sou o metal

Eu vou me aproximando e armando o plano

Só de pensar, minha pulsação acelera

 

Oh, sim

Já, já estou gostando mais do que o normal

Todos os meus sentidos estão pedindo mais

Isto deve ser tomado sem qualquer problema

Lentamente

Eu quero respirar no seu pescoço lentamente

Deixe-me dizer coisas em seu ouvido

Para que se lembre quando não estiver comigo

 

Lentamente

Quero te despir com beijos, lentamente

Assinar as paredes do seu labirinto

E fazer de todo seu corpo um manuscrito

Aumenta, aumenta, aumenta

Aumenta, aumenta

Quero ver seu cabelo dançar, quero ser seu ritmo

Que ensine à minha boca

Seus lugares favoritos (favoritos, favoritos, querida)

Deixe-me ultrapassar as suas zonas de perigo

Até provocar seus gritos

E te fazer esquecer seu sobrenome"

 

CONTINUA...


Notas Finais


Eaí, gostaram? Achei fofo! Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...