História We Can Survive - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila, Camren, Camreng!p, Laureng!p
Exibições 254
Palavras 2.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 4


Fanfic / Fanfiction We Can Survive - Capítulo 4 - 4

 

POV  LAUREN

 

- Eu e a Dinah combinamos de ensinar elas  a atirarem hoje, ou pelo menos a usar uma faca -Normani falou

- Não deveríamos gastar balas atoa Mani -respondi 

- Eu e o Chris estavamos conversando e percebemos que o nosso pessoal não tem noção de como enfrentar aqueles zumbis lá fora, e se acontecer algo, a maioria deles vão morrer -ela terminou de falar e eu concordei com a cabeça

- Eu sei, foi por isso que perdemos todas aquelas pessoas aquela vez -disse e dessa vez ela quem concordou

- A gente vai ensinar quem quiser aprender 

- Fala pra Camila e pra Ally, elas precisam aprender -pedi

- Você não vai ajudar a gente? -ela perguntou e eu neguei

- Agora não, eu preciso fazer uma coisa antes -respondi

- Tá, a gente vai estar no campo na parte de trás da cidade -avisou Normani

 

 

Apenas assenti, saí dali e segui pro meu destino, passei por umas casas e fui até onde sabia que encontraria ela, no depósito de comidas, assim como todos aqui tem uma função, Keana tem a função de cuidar dos alimentos, ela fica anotando oque cada pessoa pega, pra termos controle, pras pessoas não exagerarem e a comida acabar rápido

 

- Keana? -a chamei assim que entrei no local

- Eu! -Keana respondeu 

 

Ela saiu do meio das prateleiras e veio até mim, seu sorriso morreu ao me ver ali

 

- Você tá bem? Eu fiquei preocupada com você -disse sincera

- Porque? -perguntou confusa

- Porque você não apareceu mais lá em casa -respondi me aproximando dela

- Eu não estava me sentindo bem esses dias, era só isso 

- O que você tem? -perguntei preocupada

- Eu só não estava me sentindo bem, só isso -Keana respondeu

 

Ela não estava com a feição animada e feliz de sempre, sua pele estava mais pálida que o comum e ela parecia cansada

Coloquei uma mecha do cabelo claro dela atrás da orelha e acariciei seu rosto

 

- Com coisa que você se importa comigo de verdade... -ela falou tirando minha mão do seu rosto

- Mas eu me importo Kea, eu gosto de você e você sabe disso 

- Não foi oque você disse daquela vez, quando você falou que não gostava de mim, que eu era apenas seu brinquedinho sexual -ela falou e eu a fitei

- Eu não disse isso, eu só falei que não gostava de você, tipo, no sentindo como namorada sabe? Mas eu gosto de você como amiga -falei me defendendo

- Hum, e você come todas as suas amigas? -ela perguntou com a sobrancelha arqueada

- Primeiro que eu não como ninguém porque não sou canibal, e segundo, você sabe muito bem que se eu to ficando com você é só com você, se eu começasse a ficar com outra pessoa eu não viria atrás de você, o mundo ta uma bosta mais eu ainda tenho caráter -respondi

- Ei, calma, ta toda bravinha -ela disse se aproximando- Isso é falta de sexo? 

- Eu vou ir ajudar a Mani a ensinar as meninas -falei ignorando a pergunta dela

- Ta bom, eu vou continuar aqui, fazendo meu trabalho -disse ela se sentando

 

Olhei pra ela uma última vez antes de sair dali, ela estava estranha, estranha demais, pelo pouco que conheço Keana sei que ela é do tipo que quando está escondendo algo, fica fazendo piadas e brincadeiras sem graça e é assim que ela estava, tensa. 

Fui pro campo aonde Normani estava com algumas pessoas da cidade, de longe avistei minha melhor amiga junto com as meninas, me aproximei delas e senti meu sangue ferver ao ver quem estava ali ajudando elas, era a Ruby

 

Hoje com certeza não era um dia bom...

 

- Oque ela ta fazendo aqui? -sussurrei pra Normani

- Ela pediu pra ajudar -Normani respondeu

-  Eu já cheguei, eu ajudo, manda ela embora -pedi

- As coisas nãos são assim Lauren 

- É claro que são -resmunguei

 

Sai de perto de Normani que estava ensinando Ally e fui até Camila que estava junto com a Ruby, me aproximei e ouvi ela falando alguma bobagem e rindo depois, bufei de raiva ao ouvir a voz dela. Ela estava dando encima da Camila descaradamente, ela sempre dava encima de todas as garotas da cidade...

 

- Vai viajar os muros, eu ajudo ela -falei atraindo a atenção das duas

- Já tem gente vigiando os muros Jauregui -Ruby disse e eu respirei fundo

- Segurança nunca é de mais -falei

 

Ruby me olhou com um olhar furioso, ela sussurrou algo no ouvido da Camila que apenas assentiu e depois saiu dali. Voltei a olhar pra Camila assim que Ruby saiu da minha vista

 

- Não fica perto dela, ela não presta -alertei

- Ela me pareceu ser uma boa pessoa -Camila disse

- E você ainda acredita no que as pessoas parecem ser? Pra você sobreviver nesse mundo de agora, você não deve confiar nem na sua própria sombra -falei

- Você sabe aonde minha irmã tá? -Camila perguntou mudando de assunto

- Deve estar na sala de leitura com as outras crianças -respondi- Você estava aprendendo a usar a faca?

- Não, a Ruby disse que seria melhor eu começar com a arma -Camila respondeu

- Ela tava usando essa daí pra te ensinar? -perguntei olhando pra arma que ela estava segurando e ela assentiu- Você sabe como posicionar? 

- Ela estava me ensinando isso 

- É assim, você apoia a arma... -a ajudei a colocar do modo correto- Na hora que você atirar a arma vai voltar pra trás, por isso que você tem que segurar assim

 

Terminei de falar e Camila apenas assentiu, ela mirava na garrafa que não estava tão longe de nós, ela estava praticamente tremendo. Me coloquei atrás dela, coloquei minhas mãos sobre as suas na arma 

 

- Você tem que abaixar um pouquinho -expliquei

 

Camila abaixou um pouco a arma e eu segui seus movimentos com minhas mãos

 

- Relaxa... -sussurrei com a boca próxima do seu ouvido

 

Camila ficou mais alguns segundos mirando na garrafa, até que ela finalmente atirou, porem ela errou, passou longe

 

- Eu tinha certeza que acertaria -ela resmungou

- É tudo questão de tempo e treinamento -falei- Mas acho melhor começarmos com a faca

- Pode ser amanhã? Eu to cansada de ficar nesse sol -ela reclamou

 

Ri dela, com certeza ela ficava o dia todo dentro uma casa, sem ter que enfrentar nada lá fora, sem ter que ficar no sol quente, na na noite fria, sem ter que apenas sobreviver

 

- Nós não podemos perder muito tempo, amanhã pode ser tarde demais -falei

 

Camila me entregou a arma e começamos a andar em direção a minha casa

 

- Você é tão negativa -ela falou

- E tem como ser positiva no mundo que estamos vivendo agora? -perguntei olhando-a

- Eu prefiro pensar que vamos passar por tudo isso, que estão testando uma cura e que o resultado vai chegar rapidinho -Camila disse me fazendo rir

- Cuidado com isso, sabe, ter esperanças demais nunca é bom -disse

- Mas oque seria de nós sem esperança? 

 

Parei de andar no momento que Camila falou aquilo, nessa hora, minha mente viajou pra meses e meses atrás

 

 

FLASH BACK ON:

 

- Eu sei que não vou conseguir entrar! -falei me jogando em minha cama

 

Tinha acabado de fazer a prova pra entrar na faculdade, mas algo em mim, e qualquer um que me conhecesse diria que eu não conseguiria

 

- Ei, não fala assim, vamos ser positivas -Diane falou se deitando sobre mim

- Positividade não vai mudar o fato que eu sou burra -respondi 

- Você não é burra meu amor -Diane disse

 

Ela começou a acariciar meu rosto, fechei os olhos aproveitando suas caricias

 

- Você estudou bastante, vamos ter esperança que você vai passar -Diane falou

- Seus pais tinham esperança de ser só uma fase, de você namorar um homem , e olha no que deu -falei e nós duas rimos

 

Diane aproximou seu rosto do meu me dando um selinho demorado, porem não passou disso

 

- Mas oque seria de nós sem esperança? -ela perguntou sorrindo

 

FLASH BACK OFF! 

 

 

- Lauren? Lauren? -ouvi a voz da Camila- Lauren tá tudo bem? 

 

Encarei ela por alguns segundos, ela tinha os mesmos traços que a Diane, os mesmos traços latinos

 

- Aham -respondi ainda perdida

- Tem certeza? -ela insistiu

- Sim, eu...eu tenho que ir agora -falei

- Você não tava indo pra sua casa? -ela perguntou confusa

- Não, eu vou ver se meu irmão precisa de algo, ele ta de vigia -falei 

- Tá bom, até de noite então -Camila disse

 

Ela me deu um beijo no rosto e saiu dali. Fiquei olhando pra ela até ela entrar na minha casa

 

 

 

 

POV  CAMILA

 

Entrei em casa encontrando Sofia na sala, ela estava sentada no sofá apenas olhando pro nada, ela estava com os braços cruzados

 

- Ei oque foi? -perguntei me sentando ao lado dela- A Lauren disse que tem uma biblioteca aqui, as crianças ficam lá, eu posso levar você

- Eu não quero ficar com as crianças Kaki, eu quero aprender a atirar igual você -minha irmã respondeu

- Você é muito nova pra isso Sofi -falei e ela negou com a cabeça

- Não sou não, eu quero proteger você Kaki 

- Olha eu sei que você tá com medo daqueles bichos, eu também to, mas isso não é brincadeira, não é só pegar uma arma ou faca e sair matando eles -falei

- É sim, a Lauren faz isso todos os dias -ela respondeu

- A Lauren já mexia com armas e facas antes de tudo isso acontecer, ela é esperta e rápida, mas nós duas não somos assim, ela estava sobrevivendo enquanto nós duas ficamos o tempo todo sem ter que enfrentar uma sequer daquelas coisas 

 

Terminei de falar e Sofia se levantou do sofá, ela iria subir escada, porem parou de andar e me olhou

 

- Eu só quero estar pronta pra quando a gente tiver que enfrentar aquelas coisas lá fora -minha irmã disse

 

Sofia continuou subindo as escadas, joguei minha cabeça no encosto do sofá, soltei um longo suspiro pensando nas coisas que a Sofia me falou a minutos atrás, ela estava certa, até minha irmã de doze anos já tinha percebido que tinhamos que aprender a sobreviver enquanto eu estava tentando mentir pra mim mesma, como se tudo fosse ficar perfeito pra sempre

 

Fiquei sentada no sofá apenas pensando em tudo, vi Normani e Lauren passarem e subirem a escada, continuei lá sentada até Ally entrar na casa

 

- Eu não vi mais você lá aonde estavamos treinando -Ally falou

- Eu saí, o sol tava muito forte -disse e ela riu

- Como você é fraca Mila. Eu acertei um alvo! -ela completou animada- E tinha um rapaz que tava me ensinando, ele foi tão paciente e fofo comigo, o nome dele é Troy

- Eu achei que depois de tudo isso, você tinha perdido esse costume de se apaixonar pelas pessoas a primeira vista -comentei rindo

- Eu realmente acreditava em amor a primeira vista Mila e não sei porque vocês sempre me zoavam por isso -ela reclamou

- Porque todos os seus "amores a primeira vista", eram sempre os piores meninos da escola ou do bairro -falei rindo- Lembro como o tio Jerry ficava louco 

- Mas o Troy é diferente... -ela disse

- Você sempre falava isso... 

- Mas agora é diferente Mila, é sério -Ally disse

- Tá bom Allycat, ta bom -falei 

 

Sai da sala deixando a Ally sozinha, subi a escada e iria entrar no quarto que estavamos dormindo quando ouvi risadas altas vindo do quarto da frente, me aproximei da porta e comecei a ouvir o que elas falavam

 

- É, sério, as vezes é o destino -ouvi Normani falar rindo

- Então você acha, que a vida, resolveu colocar outra latina vulgo Camila na minha vida, pra compensar a perda da minha outra latina vulgo Diane? -Lauren disse

- Você falando assim fica estranho... -Normani respondeu- Mas a Camila é legal, ela é linda e é gente boa, então eu acho que não seria má ideia

- E eu acho que você tá falando bobagem -Lauren disse- Eu vou lá ver o Nick, não vi ele hoje ainda -Lauren falou

 

Ouvi passos se aproximando da porta e praticamente corri em direção a porta do quarto que estava dormindo, ouvi a porta do quarto da Lauren ser aberta, olhei por cima do ombro e vi Lauren,nossos olhares se encontraram por poucos segundos, até que ela desviou o olhar e saiu andando

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...