História We can't fake it - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Kim Mingyu
Tags Bottom!mingyu, Depois Do Show, Meanie, Real!seventeen, Top!wonwoo
Visualizações 130
Palavras 3.711
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente ~se esconde

Essa é minha primeira OS postada e a primeira fanfic de seventeen que eu consigo terminar, ainda mais com lemon, aaaa
Eu to um pouco com medo um pouco ansiosa~~~~
Me inspirei quando tava vendo alguns vídeos de meanie e assisti um daquele famoso show que eles quase se beijam, vou deixar o link nas notas finais~
Espero de coração que vocês gostem, peguem leve comigo, é meu primeiro lemon e minha primeira fanfic de seventeen rsrs
Cap revisado até a metade por motivos de sono. Sorry :c
Boa leitura! ~

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction We can't fake it - Capítulo 1 - Capítulo Único

Mingyu estava completamente cansado. Exausto. A única coisa que se passava em sua cabeça era em como Wonwoo ficava fodidamente bonito com aquela jaqueta de couro branca, e o mesmo se reprimia eternamente por ter esse tipo de pensamento do mais velho.

                A verdade era que Mingyu nunca olhou Wonwoo com olhos de apenas amigo. Ok, talvez tenha sido somente amizade quando recém se conheceram, mas antes até de debutarem Mingyu podia sentir a tensão sexual que havia entre os dois. Mas parece que só Mingyu sentia.

Em todas as vezes que Mingyu tentava tirar algo do mais velho, acabava saindo frustrado. Não era a primeira vez que Mingyu tentava ter algo com seu hyung, e também não seria a última. Mingyu pensava que nunca iria desistir de ficar, ao menos uma vez, com Wonwoo. De beijar aqueles lábios tão convidativos e aquele pescoço extremamente cheiroso. Podia sentir que Wonwoo também queria o mais novo da mesma forma, mas então por que negar tanto? Por que Wonwoo insistia em fingir que não queria ter Mingyu para si?

Havia quase perdido o controle durante o show. Quando suas testas se tocaram enquanto o mais velho cantava sua parte, os corpos suados tão próximos, apenas alguns centímetros de distância entre as duas bocas. Mingyu estava à beira de um colapso. Quis maltratar tanto seu hyung por ter feito isso consigo, Mingyu não sabia diferenciar fanservice com vida real quando o assunto era Jeon Wonwoo, até agora não sabia de onde tinha tirado forças para o empurrar antes que beijasse o mesmo. Mas Mingyu viu o olhar do mais velho, viu a tensão real, e não encenação. Sentiu o arrepio e aquele frio não só na barriga como em todo o corpo. Ele viu. Viu que não era o único com desejos e sentimentos escondidos, viu que seu hyung o queria tanto quanto queria o mesmo. Todas as negações, todos os cortes, eles já não existiam mais. Mingyu estava disposto a arrancar de seu hyung o que tanto ansiou, o que tanto duvidou ser verdade e o que agora tinha certeza de que era real. Mingyu não ia deixar barato.

 

~~

 

O Kim ficara quieto durante todo o tempo no camarim, após o show. Apenas ficava jogado no sofá preguiçosamente enquanto encarava friamente Wonwoo. O mesmo não queria perder qualquer movimento do mais velho, queria guardar todas suas reações e emoções. Quando o mais velho o encarava Mingyu podia sentir o choque elétrico percorrer todo seu corpo, o deixando completamente eufórico por dentro, mas procurando manter a frieza por fora. Precisava mostrar para seu hyung o quanto estava bravo com o mesmo.

                Mingyu estava cansado dos joguinhos que o mais velho insistia em jogar. Não queria mais ser o brinquedinho dele, a pessoa que escutava seus desabafos, o consolava com palavras e abraços enquanto estavam sozinhos pra quando estarem em frente ao público ser tratado com descaso. Mingyu não queria mais. Iria questionar o mais velho e o forçar a dizer a verdade, com ou sem pressão.

                Todos os outros 11 integrantes do grupo perceberam a tensão entre Wonwoo e Mingyu, principalmente Seungcheol, que sempre procurava ter percepção de tudo que estava acontecendo. Aproveitando a distração dos outros membros, Seung senta ao lado de Mingyu, o encarando de forma séria.

                - O que aconteceu com vocês? – Pergunta curiosamente, porém preocupado. Sabia da situação de seus dongsaengs e sabia de todo o sufoco que Mingyu estava passando. Tentava sempre ajudar o mais novo, mas parecia impossível tirar Mingyu desse jogo de desinteresse sem fim com Wonwoo.

                - A nossa apresentação individual. A gente quase se beijou durante ela, e eu não sei o que teria acontecido se eu não empurrasse Wonwoo antes que algum de nós tivesse perdido o controle. Eu não suporto mais isso, hyung. Quero falar com ele sozinho o mais rápido possível, não posso mais permitir que ele me faça de bobo na frente dos fãs e de todo mundo, Cheol. Você pode me ajudar? – Mingyu encara S.Coups com um olhar pidão, porém ainda dava pra ver seus olhos arderem em pura raiva. Seungcheol apenas assentiu e se levantou.

                - Ok pessoal, acho que ‘tá na hora de irmos para o dormitório. Wonwoo e Mingyu, vocês ficam responsáveis por organizar o camarim e não deixar nada perdido por aqui, ok? Não vamos dar trabalho pros staffs, deem uma organizada e depois voltem para o dormitório, vou pedir pra deixarem um motorista para vocês. Sem reclamações, no próximo show outras pessoas ficam. Até mais tarde, se cuidem. – Seungcheol falou, ignorando os protestos de Wonwoo e focando no rosto impassível de Mingyu. Ele parecia certo do que havia pedido, e Seungcheol não poderia fazer nada mais do que ajudar seu dongsaeng da melhor forma possível.

                Todos os membros deixaram o camarim sem comentar mais nada, se dirigindo a garagem onde duas vãs os esperavam.

                - Você tem certeza do que fez, Cheollie? Você sabe que eles podem sair de lá mais estranhos ainda, não sabe? – Jeonghan fala enquanto segura na mão de Seungcheol, o olhando sério.

                - Pelo jeito que o Mingyu ‘tava, ou eles saem sem olhar um na cara do outro, ou eles nem saem de lá hoje, Han. Vamos apenas torcer pra que aconteça a segunda opção.

 

~~

 

                - O que você quer de mim, cara? Simplesmente age daquele jeito comigo, me provoca até eu não aguentar mais e depois me ignora? Quando isso vai acabar, Wonwoo? Quando? - Mingyu pergunta tentando soar calmo (nas suas condições, claro) e parece que está falando com as paredes. Wonwoo ao menos olha para si.

                O Kim segura forte no braço do mais velho e o vira com força, encarando seus olhos inexpressivos.

                - ME RESPONDE! EU NÃO AGUENTO MAIS WONWOO. VOCÊ SEMPRE AGE ASSIM, ADORA FICAR DO MEU LADO, ME ENCARAR, MAS NUNCA FALA COMIGO, SÓ SABE FINGIR QUE ME ODEIA. MAS SAIBA QUE EU PERCEBO QUE É SÓ CENINHA SUA. VOCÊ NÃO CONSEGUE PARAR DE... - Wonwoo o encara esperando o mais novo terminar de falar, apenas não consegue desviar seu olhar de seus lábios se movendo rapidamente, sua mente fica em branco, o mais velho não sabe como reagir. Tudo fica mudo e parece que só existe os dois no mundo deles. Wonwoo se perde novamente na beleza do mais novo, se sente ficando cada vez mais fraco... Até que escuta seu nome completo sair da boca de seu dongsaeng favorito. - JEON WONWOO!  EU TE ODEIO.

                Mingyu solta o braço de Wonwoo com força, o encarando com ódio e batendo a porta do camarim. O Jeon respira fundo, acordando de seu transe. Ok, dessa vez tinha passado dos limites. Mingyu nunca mais iria falar consigo, e Wonwoo só conseguia pensar no quão idiota havia sido. O mais velho se senta no sofá em que o mais novo estava sentado mais cedo, encarando suas mãos repousadas em suas coxas, frustrado. Não deveria ser assim.

 

~~

 

Havia se passado uma semana desde o acontecido após o show, e Wonwoo estava completamente perdido. Mingyu estava o evitando o máximo que podia, e todos no grupo estavam preocupadíssimos com os dois. Ninguém sabia lidar com apenas um dia de silêncio entre os dois, quem dirá uma semana. Nunca iriam imaginar tanto tempo sem presenciar discussões desnecessárias e encaradas raivosas vindo dos dois. Estava tudo um completo caos. Até Woozi estava preocupado, e Soonyoung por conta disso havia parado completamente de implicar com o baixinho.

Mingyu não saía do dormitório pra nada, e ficava completamente em silêncio quando ficava no mesmo ambiente que Wonwoo, que estava extremamente abalado com seu dongsaeng o ignorando. Não era pra ser assim. Wonwoo não aguentava mais, e tinha que terminar com isso o mais rápido possível.

Todos os membros estavam no maior quarto, exceto Mingyu que estava trancado no outro. Era de noite e estavam resolvendo o que fazer para comer.

- Vamos sair? Não tem nada aqui no dormitório pra fazer de comida. – Seungcheol olha para todos os membros e todos assentem. – Mas o Mingyu provavelmente não vai querer sair...

- Eu fico. – Wonwoo responde rapidamente, chamando atenção de todos os outros membros. - Eu peço alguma comida para nós dois, não se preocupe. Qualquer coisa eu te envio uma mensagem, hyung. Vão com segurança. – Wonwoo nem dá tempo de escutar a resposta dos outros membros e vai em direção a cozinha, procurando fugir de possíveis questionamentos. Sem sucesso.

- Tem certeza disso, Wonwoo? – Seungcheol pergunta, o encarando seriamente enquanto veste seu casaco. – Eu posso ficar, se quiser. Não que eu não confie em você, mas é que na última vez que eu deixei você e Mingyu sozinhos...

- Tenho certeza, hyung. E eu sei o que aconteceu, não precisa me lembrar. Vai ficar tudo bem, não se preocupe com nós.

 

~~

 

Já faziam vinte minutos que Wonwoo estava sozinho no dormitório, com Mingyu trancado no quarto que dividia consigo, Joshua, Jeonghan e Seungcheol. Wonwoo estava procurando coragem para falar com Mingyu. Respirou fundo e foi em direção ao quarto.

- Mingyu... – Deu algumas batidas na porta. – Abre aqui, por favor. Estamos sozinhos, eu queria conversar com você. – Wonwoo espera alguma resposta, mas não vem nada. – É sério, por favor. Eu sei que fiz merda, quero concertar. Você pode ao menos me escutar? – Espera novamente. Nada. – Estou com saudades, Ming. Por favor, me dê uma chance... – Wonwoo fraqueja por um instante, nunca havia agido daquela forma com seu dongsaeng. Estava completamente acabado, com saudade, triste. Ele escuta algum barulho vindo do quarto. – Ei, eu sei que você tá acordado. Mingyu, não faça isso comigo. Eu sei que eu mereço, mas já faz uma semana. Por favor Ming, abre a porta.

O barulho da tranca da porta sendo aberta foi igual música para os ouvidos de Wonwoo, que abre a porta rapidamente sem hesitar, antes que Mingyu se arrependa e a tranque de novo. Jeon encara o mais novo, se assustando um pouco com a aparência do mesmo. Mingyu parecia estar noites sem dormir, mas ainda possuía uma feição raivosa no rosto. Ele o encarava com seriedade, esperando Wonwoo começar a falar.

O Jeon respira fundo, fechando levemente os olhos. Fecha a porta novamente e se vira para seu dongsaeng, dando um passo mais próximo, indo abraçar o mesmo. Ele estava com uma aparência tão frágil, o Jeon sentia a necessidade de cuidar do Kim, ele precisava disso. Mas ao mesmo passo que Wonwoo dá em direção ao Kim, Mingyu dá outro passo para trás. Ele não queria contato. Wonwoo encara o chão cabisbaixo e solta a voz, em um tom fraco, e quase choroso.

- Olha, eu não sei por onde começar. Eu sei que devo ter confundido sua cabeça várias vezes, eu sei que te cansei. Sim, eu sei que você gosta de mim, ou gostava. Mas eu nunca soube como reagir Ming. Sempre que você se aproximava era como se meu coração estivesse velho o suficiente pra falhar tanto, ou novo o suficiente pra saltar de alegria. Eu me sinto fraco e eufórico ao mesmo tempo. Eu nunca me senti assim por qualquer outra pessoa, e você me deixa tão confuso. Sempre foi tão carinhoso comigo e sempre tentava me fazer sorrir, me animar quando eu estou triste, sempre me apoiando e me encarando desse jeito que só você sabe me encarar. Poxa Gyu, eu nunca soube como reagir quando estou contigo. Você sempre parece tão certo dos seus sentimentos por mim, tão certo do que quer comigo que eu fico em estado vegetativo sempre. Eu não consigo agir normalmente ao seu lado Mingyu, eu sempre surto psicologicamente. Caralho, eu ajo de forma grossa contigo porque você me deixa tão nervoso e tão arrepiado quando chega perto demais, quando me encara demais. Sua voz, cara, sua voz faz coisas comigo que eu não tenho coragem nem de falar em voz alta como eu me sinto. Mingyu, naquele show, naquela apresentação, eu estava tão fora de mim que só queria te beijar até ficar sem ar, e depois te beijar de novo. Eu só queria você. Foi uma das únicas vezes que eu perdi o controle, e eu fiquei tão nervoso por isso que te ignorei pelo resto do dia. Quando você foi falar comigo no camarim eu ‘tava perdido, eu não conseguia parar de encarar pros teus olhos e pra essa boca que eu tenho tanta vontade de sentir o gosto tem tanto tempo... Meu Deus, Mingyu, por que você não me beijou logo naquele camarim? Eu estava em estado de choque, eu estava em pane, tinha ficado mudo pra te responder. Eu me odeio tanto por ter te enrolado e me enrolado por tanto tempo, mas eu não conseguia evitar meu nervosismo. Me desculpa Ming, eu nunca quis te machucar ou te deixar frustrado, eu só nunca soube como reagir. Eu sempre te admirei tanto Mingyu, sempre quis tanto ter você. Eu seria egoísta demais em querer te ter só pra mim? Eu seria muito babaca, depois de todos esses anos tentando esconder meus sentimentos? É tarde demais? Porque se for, eu só quero que me perdoe. Não aja dessa forma comigo, isso me deixa acabado. Mingyu, ao menos podemos voltar a nos falar? Eu prometo nunca mais agir de forma grossa contigo, eu não... – E Wonwoo arregalou os olhos e ficou mudo após sentir os dedos finos de seu dongsaeng tocarem seu queixo, levantando seu rosto para cima, até ter aquela visão que nunca irá esquecer.

Mingyu estava com os olhos brilhando em pura tranquilidade e alívio, seus olhos encaravam profundamente os de Wonwoo enquanto sua mão mantinha-se acariciando o rosto gelado do mais velho. Sua mão livre buscou a cintura de Wonwoo, a apertando levemente, causando uma ardência na região para Wonwoo, e o mesmo tremeu nos braços de Mingyu. Mingyu se encontrava extremamente ansioso, e encarava fixamente Wonwoo, observando qualquer reação do mais velho. Seus olhos se direcionaram para os lábios entreabertos do Jeon, e Wonwoo encarou os lábios de Mingyu, sendo pressionados um ao outro com força. Wonwoo umedeceu seus próprios lábios, levantando mais o rosto, e isso fora a gota d’água para Mingyu.

Seus lábios se chocaram com rapidez e vontade, e Mingyu apertou mais a cintura de Jeon. Suas línguas travavam uma guerra gostosa e molhada dentro de suas bocas, e Wonwoo passou os braços ao redor do pescoço do mais novo, aproximando seus corpos. Mingyu se concentrava em apertar toda a cintura de Wonwoo e passar a mão em suas costas, as vezes dando leves arranhões por cima da camisa fina que o mesmo usava. O beijo ficava cada vez mais intenso, e Mingyu foi empurrando Wonwoo até a parede, o prensando na mesma. Suas duas mãos adentraram a camisa do mais velho, arranhando toda a barriga do mesmo. Mingyu se arrepiou com a voz rouca de seu hyung gemendo baixinho no seu ouvido.

Mingyu parou o beijo por falta de fôlego e foi direto na direção do pescoço do mais baixo, o beijando e mordendo sem dó, enquanto prensava mais ainda o corpo de Wonwoo na parede, friccionando os membros já quase despertos, fazendo Wonwoo aumentar os gemidos. Wonwoo segurou forte na cintura do mais novo, levantando uma perna e prendendo Mingyu contra si, puxando seus cabelos com a mão livre.

Os dois voltaram a se beijar com mais agressividade, e Wonwoo desceu sua perna pra empurrar o Kim para a cama mais próxima. Se jogou em cima do mesmo, voltando a beijar o mais novo e se separando apenas para retirar suas camisas.

Wonwoo levantou seu tronco levemente para encarar o corpo do Kim, mordendo o lábio enquanto arranhava o peito do mais novo. Mingyu encarava cada reação do mais velho, adorando ver as reações que causava no seu hyung. Agarrou os ombros do mais velho enquanto o deitava na cama agressivamente, ficando por cima de Wonwoo. Sentou em cima de Wonwoo, sentindo a ereção do mais velho já formada por baixo da calça moletom que o mesmo usava e deu um gemido fraco, fazendo Wonwoo grunhir e o puxar para mais um beijo violento, enquanto arranhava e apertava cada pedaço do mais novo. Mingyu foi descendo os beijos até chegar nos mamilos do mais velho, chupando e mordendo um enquanto acariciava o outro com a mão, revezando as vezes. Gostava se ouvir os gemidos deleitosos de seu hyung com seus toques, de sentir seu cabelo sendo acariciado e puxado pelas mãos firmes de Jeon. Mingyu não demorou a fazer uma trilha de beijos até chegar no cós da calça do mais velho, a retirando sem delongas e observando a boxer branca do mesmo, completamente molhada pela ereção. Mingyu dá um beijo por cima da boxer do mais velho, e lambe em volta do contorno do pênis de Wonwoo, o fazendo se inclinar para cima afim de mais contato.

- Ming... Ah...

Mingyu retira completamente a boxer de Jeon, vendo o pênis do mesmo saltar para fora, o abocanhando no mesmo momento, fazendo Wonwoo gritar de prazer. Só de ouvir a voz rouca de seu hyung, Mingyu já sente seu pênis pulsar ainda dentro da calça, implorando para ser liberto. Mingyu passa a língua por toda a extensão do membro duro de seu hyung, chegando na glande e chupando demoradamente, enquanto leva uma mão em direção a base do pênis, fazendo uma massagem forte e lenta enquanto passa a língua pela glande do Jeon, chupando lentamente, fazendo o mesmo resmungar palavras desconexas enquanto se contorce.

- Mingyu... Mais forte... Ah, tão bom...

Mingyu sente a mão de Wonwoo ir de encontro ao seus cabelos, o segurando firme e ditando os movimentos com a mão, e Mingyu começa a alisar as pernas do mais velho enquanto o chupa da maneira que Wonwoo pede.

Logo Wonwoo puxa o mais novo para cima de novo, o beijando desajeitadamente enquanto passa as mãos por todo o tronco do mesmo. Se levanta devagar, ficando sentado com Mingyu no seu colo, e o deita no colchão novamente, ficando por cima e retirando as calças e boxer do mesmo. Wonwoo aperta a bunda do mais novo com força o fazendo gemer manhoso e fricciona os membros um no outro, enquanto beija Mingyu de forma erótica e molhada, soltando vários estalos que os excitavam ainda mais. Wonwoo força seu membro perto da entrada do mais novo, simulando uma penetração, o encarando com os olhos cheios de vontade e prazer.

- Wonwoo-ah...

Mingyu leva seus dedos de encontro com sua boca, os chupando e molhando o máximo possível, logo abrindo mais as pernas e introduzindo um dedo em si mesmo. Wonwoo encara a cena maravilhado, se tocando forte enquanto vê Mingyu se tocar gemendo seu nome. Wonwoo estava prestes a perder a cabeça com o mais novo. Mingyu, depois de se acostumar com um dedo introduz outro, gemendo o nome de Wonwoo alto enquanto massageava sua entrada e com a outra mão, apertava seu mamilo. Wonwoo encarava tudo sem piscar, seu membro chegava a doer pedindo para ser usado no momento.

- Hyung... Você... Me beija, Wonwoo. – Mingyu ansiava pelo mais novo, e gemia tão manhoso que fez Wonwoo grunhir de prazer apenas por encarar o Kim, indo o beijar e o arranhando, enquanto Mingyu introduzia mais um dedo, mordendo o lábio de Wonwoo com força pela pressão que sentia, o fazendo sangrar. Wonwoo gemeu sentindo o gosto ferroso, não ligando no momento, apenas passando a língua em cima do machucado e voltando a beijar o garoto com voracidade, fazendo Mingyu gemer durante o beijo.

- Wonwoo, eu quero você.

Wonwoo geme alto com o pedido baixinho e manhoso do mais novo, o segurando pela cintura e apertando o mais forte que pode, provavelmente deixando marcas. Levou sua mão até a nádega de Mingyu a apertando e desferindo um tapa logo após, fazendo Mingyu gritar o nome de seu hyung.

- O que você quer, Gyunnie? – Wonwoo fala roçando seus lábios no do outro, enquanto acariciava a cintura do mais novo e apertava a bunda do mesmo, roçando seu pênis na entrada de Mingyu, que gemeu com a voz rouca cheia de tesão do mais velho, os olhos revirando em deleite.

- Wonwoo, me fode. Eu preciso de você, hyung. Rápido. Agora.

Wonwoo o adentrou sem piedade depois do pedido necessitado de Mingyu, o olhando com um olhar preocupado ao ver a expressão de dor que o mesmo fez, pedindo desculpa baixinho. Ficou parado esperando o mesmo se acostumar, desferindo beijinhos por todo o rosto do mais novo, num pedido de desculpas por ter ido com força demais.

- Puta merda Mingyu, você é tão apertado.

Mingyu geme baixinho com o comentário, se mexendo em um sinal positivo para o mais velho continuar, que é feito sem demora. Wonwoo se meche devagar dentro de Mingyu, aproveitando cada sensação e observando cada expressão do mais novo, que a careta de dor aos poucos se transforma em prazer. Mingyu logo começa a pedir por mais, pedido que é prontamente atendido por Wonwoo.

Logo o dormitório inteiro é preenchido por gemidos dos dois que estavam imersos em prazer, Mingyu arranhava as costas de seu hyung cor força e recebe uma masturbação desajeitada no seu pênis por Wonwoo, que o estoca rapidamente e com força, acertando várias vezes a próstata do mais novo, o fazendo gemer alto e gritar o nome de Wonwoo enquanto goza e suja seus abdomens, chegando ao orgasmo. Logo após Wonwoo se desmancha dentro de Mingyu, gemendo alto e rouco enquanto cai em cima do mesmo, em deleite.

- Hyung, você ‘tá me sufocando. – Mingyu reclama abafado enquanto ri baixinho, empurrando um Wonwoo fraco para seu lado da cama.

Os dois ficam em um breve silêncio enquanto se encaram, os olhares brilhando e emanando paixão.

- Cara, a gente acabou de transar na cama do Seungcheol. O quão fodidos a gente tá? – Wonwoo dá uma risada divertida enquanto abraça Mingyu, que encosta sua cabeça no peito desnudo do mais velho.

- Bom, tecnicamente o fodido aqui sou eu, mas eu relação ou Seung ele vai é soltar fogos quando ver que nós finalmente ficamos juntos. – Mingyu responde, abraçando seu hyung mais e beijando o peito do mesmo. Wonwoo solta uma risada ainda fraca, suspirando feliz.

- Eu te amo, Mingyu.

- Eu te amo, Wonwoo.


Notas Finais


Link da live: https://www.youtube.com/watch?v=bL4DcyG1OEI

E aí? Mereço comentários? Dicas? Apedrejamentos?

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...