História We Could Be Immortals - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Hero 6 (Operação Big Hero)
Personagens Hiro Hamada, Personagens Originais, Tadashi Hamada
Tags Hamadacest, Hidashi, Tadahiro, Tadashi Está Vivo
Exibições 29
Palavras 1.461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Incesto, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


um novo cap saindo em novinho de folha rsrsrs

Capítulo 2 - Capítulo 2: Tadashi vivo


Fanfic / Fanfiction We Could Be Immortals - Capítulo 2 - Capítulo 2: Tadashi vivo

Tinha sido um mero poucos dias desde o encontro de Hiro com o homem mascarado e a única coisa que continuou a jogar em sua mente era suas palavras de despedida. Ele olhou para o teto enquanto sua música tocada, o baixo abafando qualquer tipo de distração, na esperança de que ajudaria a limpar sua mente.

—O que ele quer comigo?- Ele murmurou para si mesma, mordendo o lábio.

 

—E o que diabos ele quis dizer com " vamos nos encontrar novamente "-

 

Rolando para o lado com um suspiro,  Hiro  tentando o seu melhor para desencadear uma memória.

Hiro sentou-se lentamente, de braços cruzados.

Alguém  fez  carinho  no seu rosto, mas quem foi?  Hiro  não ia mentir, ele tinha orgulho de ter certeza que ele parecia ótimo, mas agora ele estava matando-a por que isso um comentarista destacou-se do resto. Fechando os olhos,

Hiro tentou se concentrar como um rosto nebulosa começou a se formar em sua mente.

Hiro  foi extremamente desapontado quando algo bateu alto de sua janela, tirando os olhos abertos.

Estendendo a mão, Hiro agarra sua equipe e pulou para seus pés, caminhando até a janela.

 Viver sozinho tinha suas vantagens, mas também significava ter de investigar os barulhos assustadores que surgiram no apartamento.

Puxar a janela aberta, Hiro colocou a cabeça para fora na brisa quente e examinou a área.

Nada lhe chamou a atenção no chão, no entanto havia algo saindo de sua parede.

Foi uma kunai, profundamente presos nos tijolos. Sua sobrancelha levantada quando  Hiro viu que havia um papel anexado.

 Usando sua equipe, Hiro  desalojou-o e trouxe-o para dentro, fechando a janela apertado,

Colocando a arma ninja em seu armário. Hiro abriu a nota e lê-lo em voz alta.

 

"" Encontre-me no mesmo lugar para 23:00. "... Desculpe-me? Mesmo lugar?"

Hiro  franziu a testa, olhando a nota para baixo.

''Quem diabos cara pensa que é?" Hiro pensou por um momento, colocando a nota para baixo enquanto ele ponderados os prós e contras.

Hiro  ainda não sabia que este homem mascarado, aparentemente ninja agora, era.

A idéia de descobrir quem ele estava interessado, mas sempre havia uma possibilidade de que ele não seria tão bom pro Hiro..

Olhando por cima para seu relógio, Hiro suspirou quando Hiro foi ao seu armário, deslizando em sua romper mais uma vez.

Hiro tinha pelo menos meia hora antes de ele chegar, então ele poderia pelo menos espaço para fora da área. Agarrando a nota e o kunai, deslizou-los em sua camisa como Hiro deixou o apartamento.

Hiro tinha negócios a tratar.

Hiro chegou de volta no mesmo beco onde Hiro conheceu o homem ninja misterioso antes.

Hiro estava no centro, com vista de todas as formas de entrada e saída. Arrepios correu até  Hiro como ele  fez o seu melhor para manter a calmo. Apesar do fato de que Hiro o tinha verificado a travessa de cima para baixo e confirmou que era, de facto, seguro, Hiro não podia ajudar.

***

Em vez de esperar como um pato sentado, Hiro  escalou seu caminho até o telhado de um dos edifícios, tornando-se confortável.

O sono veio fácil pro Hiro naquela noite, completamente gasto dos acontecimentos de sua curta noite.

Hiro não gosta de ser acordado por seu telefone.

 A primeira vez que vibrou,  Hiro ignorou.

Os próximos seis vezes eram mais difíceis de lidar. Hiro  gemeu debaixo das cobertas, estendendo a mão, batendo em torno de sua mesa lateral antes de finalmente encontrá-lo. Hiro  sentou-se, bocejando como começou a sair novamente. Hiro  respondeu-la como ele esticou, tomando nota de como Hiro tinha jogado seu terno e pessoal através do quarto quando Hiro chegou em casa na noite anterior.

 

— o.. - Hiro começou, antes de ser cortado.

 

— Hirooo!, Onde você esteve ?!- Cybelle exigiu do outro lado. -Onde está você?-

 

—Estou em casa- disse  Hiro com um bocejo.

 

—Temos vindo a tentar obter um porão de você!- Ela a cortou novamente, a urgência em sua voz. -Olha, fazer chegar ao café o mais rápido possível, ok?-

 

—Está bem está bem!-Hiro concordou, esfregando os olhos como eles desligou.

Hiro verificou sua lista de chamadas perdidas, levantando as sobrancelhas quando um pedaço justo de sua lista de contatos tinha explodido seu telefone. Havia alguns textos perdidas, mas dado o tom de sua prima estava usando, parecia melhor para ficar pronto mais cedo. Os textos estaria lá depois de seu chuveiro. Como Hiro  caminhou até o banheiro, o telefone tocou novamente.

Hio revirou os olhos enquanto Hiro correu de volta para respondê-la.

Verificando a tela de chamada, ele congelou como o telefone escorregou de seus dedos, deixando cair sobre a cama.

 

—Isso é ...- Hiro gaguejou,  com o coração disparado enquanto tentava pensar. Esse número tinha sido fora de uso há anos.  Ninguém deveria estar chamando de lá.

 

—Não! Meu irmão está morto!- Hiro gritou no telefone, agarrando-lo e respondê-la.

 

"Se esta é a sua ideia de uma piada, você é uma aberração! Porra!" Hiro gritou, fechando o telefone antes de o 

receptor pudesse responder. Seu peito arfava enquanto Hiro deixou de fora soluços engasgou, jogando seu telefone de lado como ele caiu no chão.

Chegar ao Cat Café Sorte ia levar mais tempo, então o previsto.

Apesar de seu chuveiro fumegante e raiva retirado em um loofa, Hiro ficou na faixa de pedestres em frente ao café, real fora. Alguém ia ser mastigado para fora hoje.  

 

Hiro ansiosamente atravessou a rua, a finalidade em sua etapa como Hiro  se aproximou do café. Do canto do olho, Hiro  viu o carro de Wasabi como ele andou até a porta, abrindo-a e entrou.

 

—Hiro!- Hiro ouviu um conjunto de vozes familiares chamar. Colocando em seu melhor sorriso falso, Hiro andou até eles.

Honey Lemon , Fred, Wasabi e Gogo sentou-se reunidos em torno de uma mesa, movendo-se para fazer o espaço como Hiro  veio.

 

—O que há de errado? Onde está Minha prima?- Hiro  perguntou, olhando por cima expressões de todos. Wasabi foi enxugando os olhos, Honey Lemon acariciando suas costas. Todos eles pareciam em algo.

 

—Hiro, você não está indo ser-Opf!- Fred gritou quando Gogo bateu-lhe duro no estômago.

 

—Eu não estou indo para ... o quê?- Hiro questionou, olhando para o homem magro.

 

—Pessoal…- disse Hiro

 

—Não é o nosso lugar para dizer-lhe- Gogo respondeu, acenou com a cabeça em direção ao balcão.

 

Hiro suportou até o balcão, olhando para trás. Sua prima estava longe de ser encontrada. Ela bateu o sino do serviço duas vezes, o repicar de tocar.

 

—Eu estarei lá em um segundo!- Cybelle gritou da parte de trás. Hiro fez o seu melhor para esconder sua carranca. Cybelle diz a ele para chegar lá com urgência e então ele não está lá? Hiro  estava distraído de seu desdém como seu estômago roncou. Em sua pressa,  Hiro não tinha conseguido nada para comer.

 

Também pode ser jeito que Hiro estava tão nervoso. Abaixando-se, Hiro passou ao longo dos bolos frescos na janela. Notando um par de pernas do outro lado, Hiro endireitou-se como ele  disse que sua ordem.

 

—Cybelle, dá-me que muffi- veludo vermelho-

 

Hiro começou, engasgando com suas palavras enquanto seus olhos focados na pessoa na frente dele. Seus olhos se arregalaram quando Hiro agarrou cima do balcão, com o coração martelando em seus ouvidos quando Hiro viu a visão diante dele.

De pé do outro lado do balcão era um homem alto e magro, seu corvo cabelo penteado agradável e incrementados com um sorriso envergonhado em seus lábios, seus olhos castanhos se desculparam. Suas bochechas ficou vermelho como os olhos vidrados, lutando para falar como o homem saiu de trás do balcão.

 

— Ta-Tadashi? - Hiro perguntou, sua voz tremendo enquanto ele estava diante seu irmão. Hiro estendeu a mão com cuidado, tocando seu braço como se tivesse desaparecer no ar.

 

—Sim. É realmente eu..- Ele começou antes de sua cabeça virou para o lado, o rosto ardendo da iluminação tapa rápido que seu irmão tinha acabado de entregar. Ele soltou uma risadinha quando ele esfregou o rosto, olhando para trás de seu irmão .

 

—Eu acho que eu merecia que após esse telefonema ...- disse Hamada mais velho

 

Sem perder o ritmo, Hiro  pulou em seus braços, envolvendo os braços ao redor dele com força. Lentamente, ele devolveu o abraço com o mesmo vigor, apoiando o queixo no topo da cabeça dele enquanto  Hiro balançava, os soluços tamponada contra seu peito.

 

Ele fez carinho de seu rosto, era mãos suaves...

 

—Eu pensei que você tinha ido embora. ..Dashi.. ... e eu - disse Hiro, sem fôlego enquanto  Hiro  segurava em cima dele.

—... Deus, por favor, não deixe que este ser um sonho....-

—Não é um sonho, Cabeção, Eu vou ficar - ele sussurrou, limpando lágrima de seu rosto.

—Eu prometo.- disse o Hamada mais velho


Notas Finais


E então? gostaram desse comecinho? ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...